faceralis

 

usados

brevesmorta2Joaquim Gaspar venceu em Mortágua a prova destinada ao Regional Centro, com uma margem muito dilatada para Roberto Canha em Citroen Saxo e Armindo Neves, que teve graves problemas de travões no Evo.

Curiosamente qualquer destes três pilotos continuou no rali integrando a Taça de Portugal, com Armindo Neves a terminar na frente de Gaspar piloto que chegou ao final da prova com o Lancer muito danificado após uma saída de estrada.

O final do Rali de Mortágua não foi pacífico no que à Taça de Portugal diz respeito, com alguns pilotos a questionarem o episódio em que Hugo Lopes e Renato Pita foram protagonistas, quando o carro do primeiro terá pegado fogo a meio do primeiro dia levando Pita a parar para lhe ceder um extintor. Segundo os mesmos pilotos é uma situação que ainda irá fazer correr muito tinta pois nem tudo terá corrido dessa forma. Esperemos pelo desenvolvimento do caso.

German Gomez esteve em Mortágua ao volante do seu tradicional Porsche amarelo, levando de vencida a concorrência no troféu Nacional de Clássicos quer na prova quer na própria competição. Um título nacional que foi assim para Espanha e que poderá atrair mais pilotos "vizinhos" ao nosso país em 2012.

Em qualquer dos dias esteve bastante público presente nos troços do Rali de Mortágua, assim como na Super-Especial, o que já é uma tradição.

O título de Ricardo Moura foi festejado por alguns açorianos (adeptos, organizadores, pilotos, patrocinadores e imprensa) que decidiram comparecer em Mortágua apoiando o seu piloto.

Isabel Ramos não teve a sorte pelo seu lado. Aquela que é uma das melhores pilotos de rali de sempre em Portugal, teve uma saída estrada embatendo de frente com um morro, mas tudo não passou de um susto.

Não lhe é permitido comentar.