faceralis

 

castelobranco24placa

CPR

castelobranco24placa(POR PAULO HOMEM)

E lá vamos nós para a fase de asfalto do Campeonato de Portugal de Ralis de 2024. A Escuderia Castelo Branco reuniu 60 inscritos, número que acho ideal para provas do CPR, mas mesmo assim há que lamentar algumas ausências, que no caso de Paulo Neto e Lucas Simões se devem sobretudo às mazelas do Rally de Portugal!!!

É verdade que temos o regresso de João Barros, no VW Polo e a presença do Espanhol Robert Blach Jr, piloto que tripulará um Skoda Fabia RS Rally2 e que pela sua experiência e rapidez no asfalto (está a disputar o JWRC e o WRC3 com um Rally e esteve na Canárias no ERC com este Skoda) e que poderá andar pelos lugares do pódio.

A compor a lista, e muito bem, temos três troféus ralis (Renault, Peugeot e o excelente FPAK Junior Team), coisa rara para os lados do CPR, mas que permitem preencher mais de metade dos inscritos, sendo por isso uma enorme tábua de salvação para esta competição. Fica provada o quanto é necessário e importantes estes troféus e, por isso, devem ser criadas condições para que no futuro se mantenham estes ou venham ainda mais.

Quanto ao rali em si, já sabemos como é Castelo Branco. Prova sempre muito rápida e decidida ao segundo, entre os primeiros lugares, em que um pião ou um futuro significa logo estar fora do TOP3. Em 2023 foi uma edição espetacular na luta pelo... segundo lugar. Este ano tudo aponta para que se verifique novamente uma enorme luta entre José Pedro Fontes, Armindo Araújo e Ricardo Teodósio pelo lugar intermédio do pódio, pois Kris Meeke, já com o conhecimento de 2023, prova que venceu, e com a sua rapidez natural, pode não dar hipóteses aos sus adversários.

É certo que José Pedro Fontes e Ricardo Teodósio, depois da fase menos positiva da terra, estão longe de almejar poder intrometer-se na discussão do título no CPR e, como tal, não estará seguramente do lado deles qualquer tipo de pressão, o que lhes dá margem para lutar abertamente e sem reservas pelo melhor resultado possível. Já Armindo Araújo, continua pacientemente à espera de uma escorregadela de Meeke, que lhe permitiria relançar um pouco o CPR. Porém, o piloto do Skoda é que não pode mesmo "escorregar" pelo que ficar à frente de todos os seus adversários portugueses pode significar muito em termos de campeonato no final do rali.

Na expetativa estamos em relação a Pedro Almeida, que já mostrou que pode ser rápido, Ernesto Cunha, embora nesta prova a melhor opção será fazer muito quilómetros para se habituar rapidamente ao Skoda no asfalto, mas se o piloto da Marinha Grande sair de Castelo Branco ainda com o terceiro lugar no CPR, então é sinal de que fez uma grande prova.

Também nas duas rodas motrizes promete haver emoção... e muita. Hugo Lopes será talvez o piloto a bater, mas Gonçalo Henriques vem motivado pela recente vitória nas 2RM no Rally de Lisboa, embora o facto de usar "borrachas" menos competitivas no seu Clio Rally4, num rali normalmente muito exigente para os pneus devido às altas temperaturas do asfalto, poderá ser um contra adicional para ele. Daniel Nunes e Ricardo Sousa são outros nomes a ter em atenção, assim como o local Pedro Silva.

Neste rali não vai faltar também emoção nos referidos troféus. Um deles em estreia, o FPAK Junior Team, que tão bons resultados trouxe nas duas edições anteriores e que vai lançar novos jovens na ribalta. Já sabemos que o Troféu Peugeot tem pilotos muitos competitivos, assim como acontece com o Troféu Renault, que depois da competitiva estreia no Rally de Lisboa, tem aqui o seu segundo round.

fontesQuinta prova pontuável para o Campeonato de Portugal de Ralis (CPR), o Rali de Castelo Branco – Vila Velha de Rodão é um clássico dos ralis nacionais, sendo organizado pela Escuderia de Castelo Branco. Será a primeira prova da temporada em pisos de asfalto e está presente no palmarés de José Pedro Fontes, Inês Ponte e do Citroën Rally Team. O piloto portuense já venceu por três vezes o rali albicastrense (2014, 2015 e 2017) tendo a seu lado, em duas dessas vitórias, Inês Ponte (2014 e 2017).

Dessa forma, o piloto do Citroën C3 Rally2 preparado e assistido pela Sports&You, vai discutir mais uma edição do Rali de Castelo Branco - Vila Velha de Rodão com redobrada motivação para um bom resultado que possa mitigar os resultados apurados na fase de terra do CPR. A estratégia da equipa Citroën Rally Team apoiava-se numa fase de terra onde fosse possível amealhar o maior número de pontos. O segundo lugar no Rali de Portugal ficou como destaque desta primeira fase do CPR.

José Pedro Fontes, Inês Ponte e o Citroën Rally Team ocupam atualmente a quinta posição do campeonato, estando em aberto a conquista de um lugar no pódio final do campeonato. Basta recordar que entramos na fase de asfalto da competição, onde o piloto do Citroën Rally Team se sente particularmente à vontade. É com essa motivação e confiança renovada nas suas capacidades e na rapidez e competitividade do Citroën C3 Rally2 que José Pedro Fontes e Inês Ponte encaram a participação no Rali de Castelo Branco – Vila Velha de Rodão. Subir ao pódio nesta prova serve as suas ambições para o que resta do Campeonato de Portugal de Ralis.

José Pedro Fontes reconheceu que "a fase de terra não correu da maneira que tínhamos projetado e um abandono e um mau resultado no Algarve complicaram-nos a vida." Porém, o piloto do Citroën Rally Team não baixa os braços e afirma "lutar com toda a motivação e confiança no trabalho feito pela Sports&You no nosso Citroën C3 Rally2 pelo pódio no Rali de Castelo Branco, prova que conheço muito bem. A vitória na prova albicastrense não está fora da nossa órbita, porém, temos de ser conscientes e estabelecer objetivos que nos permitam terminar o Campeonato de Portugal de Ralis dentro do pódio final e isso, parece-me, uma tarefa que podemos concluir com sucesso nesta segunda fase do campeonato disputada num piso onde me sinto mais à vontade e onde podemos tentar afastar o azar que nos tocou em algumas provas. Será um rali duro, como sempre, mas onde acredito que poderemos fazer um excelente resultado!"

clioO novo troféu da Renault Portugal dificilmente poderia ter tido um início mais auspicioso, com os Clio Rally5 a proporcionarem um excelente espetáculo no Rally de Lisboa. Duas semanas depois, a ação muda-se para a Beira Baixa e para o Rali de Castelo Branco e Vila Velha de Ródão, prova que integra o calendário do Campeonato de Portugal de Ralis.

Será a segunda de cinco rondas do Clio Trophy Portugal, com uma dezena de equipas a enfrentarem os desafiantes troços da região albicastrense e com Gil Antunes no comando da classificação. O antigo campeão nacional de 2 Rodas Motrizes, impôs a sua experiência na abertura, em Lisboa, após um fantástico duelo com o jovem Pedro Pereira Jr., navegado por Tiago Silva, líderes da prova durante nove especiais. Gil Antunes, que será navegado por Fábio Ribeiro, em Castelo Branco, registou, inclusive, um quinto lugar à geral num dos troços em Lisboa, demonstrando a competitividade do Clio Rally5, o carro mais vitorioso da categoria no Campeonato do Mundo FIA de Ralis.

Aos 23 anos, Danny Carreira também mostrou que é outro jovem valor em ascensão através do Clio Trophy Portugal, vencendo duas classificativas e subindo ao pódio no arranque da época. O piloto português, radicado na Suíça, será agora acompanhado pelo experiente Valter Cardoso. Nuno Coelho e Ricardo Cunha formam outra dupla com ambições para lutar pelos primeiros lugares, havendo também expectativa para ver o que podem fazer jovens como José Pedro Quintas (23 anos) ou Carlos Marreiros Jr. (18 anos), navegados, respetivamente, por Nuno Carvalhosa e Ricardo Barreto. Azarado no arranque da temporada, o jovem Luís Caetano (22 anos) quer recuperar os pontos perdidos e confirmar as boas indicações que já deu com o Clio Rally5, navegado por David Monteiro.

Paulo Barata começou a época com um positivo sexto lugar e terá o consagrado Nuno Rodrigues da Silva a seu lado em Castelo Branco. O algarvio Vasco Tintim também se estreou em bom plano com o Clio Rally5, escolhendo agora Nuno Duque para o acompanhar, enquanto Henrique Azenha e Hugo Marques apostam em recuperar do azar que os obrigou a desistir na primeira prova. Também acidentados em Lisboa, Dário Rebelo e António Pereira vão, agora, tentar regressar o mais breve possível à competição.

Destaque também para o jovem campeão nacional de 2 Rodas Motrizes, Gonçalo Henriques, que defende a liderança do CPR2 ao volante do Renault Clio Rally4, com Inês Veiga a seu lado.

O Rali de Castelo Branco e Vila Velha de Ródão terá um total de 11 classificativas de asfalto, que perfazem 109,5 quilómetros cronometrados. A ação começa esta sexta-feira de manhã, com um Shakedown de 3,3 km, que antecede as primeiras quatro classificativas, incluindo a tradicional Super Especial noturna.

A etapa de sábado, a mais longa da prova, tem sete classificativas e termina com uma Power Stage no centro de Castelo Branco. Um cenário ideal para as emoções fortes do Clio Trophy Portugal.

Classificação do Clio Trophy Portugal

1º Gil Antunes, 28 pontos;

2º Pedro Pereira Jr., 19;

3º Danny Carreira, 15;

4º Nuno Coelho, 12;

5º José Pedro Quintas, 10;

6º Paulo Barata, 8;

7º Vasco Tintim, 6;

8º Luís Caetano, 5.

armindoO Rali de Castelo Branco, na estrada amanhã e sábado, marca a mudança do Campeonato de Portugal de Ralis para as provas em pisos de asfalto, sendo o primeiro dos quatro ralis da segunda metade da temporada de 2024.

Armindo Araújo e Luís Ramalho apresentam-se no rali organizado pela Escuderia de Castelo Branco com a forte ambição de lutar pela vitória e manter a toada dos bons resultados conseguidos na fase de terra do CPR. "Partimos para os ralis de asfalto com a mesma ambição de sempre e por isso queremos sair de Castelo Branco com o melhor resultado possível. Somos a melhor dupla nacional após a fase de terra e desejamos continuar a sê-lo até ao final do campeonato. Temos a noção que a concorrência é muito forte, mas estamos otimistas e motivados para lutar pelo triunfo nas especiais e queremos terminar os ralis na frente dos nossos adversários", afirma o piloto de Santo Tirso.

teodocb24A fase de terra do Campeonato de Portugal de Ralis foi para esquecer para a dupla Ricardo Teodósio – José Teixeira. Das dificuldades sentidas no Hyundai i20 N Rally2 nesta fase inicial da temporada, ao acidente sofrido no Rally Terras de Aboboreira, foi efetivamente um início de temporada atribulado e que, o Campeão Nacional em título quer esquecer rapidamente, dando um novo rumo nesta chegada ao asfalto albicastrense. O Rali de Castelo Branco, que vai para a estrada já no próximo fim-de-semana é a quinta de oito ronda que compõem o CPR 2024.

"Estamos muito focados na fase de asfalto e num bom resultado já em Castelo Branco. Sabemos que os quatro primeiros ralis não foram de feição, mas o que passou...passou e por isso vamos olhar para o futuro com ambição de comprovar que o Campeão Nacional de Ralis está cá para a luta! Os nossos adversários são fortes e vamos respeitá-los, mas queremos muito ganhar o Rali de Castelo Branco", afirmou Ricardo Teodósio

José Teixeira por seu lado mostra-se com ambições renovadas para este início da temporada de asfalto. "Estamos confiantes que a nossa vez está para chegar. Depois de um início tão atribulado, a temporada vai ter de nos dar uma oportunidade de brilhar. Queremos agarra-la já em Castelo Branco e mostrar que podemos lutar de igual para igual com os nossos adversários", afirmou o navegador Campeão Nacional.