faceralis

 

castelobranco24placa

ERC

andresson11ircApós a excelente notícia sobre a confirmação de Per-Gunnar Andersson, em estar ao volante de um Ford Fiesta RS WRC no próximo Rally da Suécia, o piloto sueco chegou a um acordo com a Proton, para disputar a restante temporada 2011 no IRC.

O bi-campeão JWRC e ex-piloto oficial da Suzuki, esteve a participar no Rallye Monte Carlo com um Proton, onde abandonou na segunda especial de classificação, após ter batido numa pedra escondida entre algumas folhas, resultando na quebra da suspensão dianteira esquerda. Apesar da desistência prematura, ambas as partes chegaram a um acordo que era quase certo.

Chris Mellors: "Qualquer pessoa que já tenha visto o P.G. Andersson a passar nos troços, não tem dúvidas sobre a rapidez de que ele é capaz de alcançar. Estamos ansiosos por continuar a trabalhar com ele esta temporada."

P.G. Andersson: "É fantástico ter uma temporada confirmada a conduzir. O Satria é um grande carro e ter a chance de trabalhar com um construtor como a Proton, é uma noticia muito boa para mim."
"Existe algum trabalho a ser feito no carro, sabemos disso mas, no curto espaço de tempo em que eu estive com a equipa a preparar o Monte Carlo, demos grandes passos em frente e tenho toda a confiança que trabalhar com o Chris e toda a equipa Proton, poderemos realmente fazer uma boa temporada em 2011."

Colaboração Ricardo Nascimento

bouffierven11mc

As cinco especiais disputadas no derradeiro dia do Rallye Monte Carlo, acabaram por ser extremamente competitivas pois, foram vários pilotos do top 10 a trocarem várias vezes de posição entre si até, ao final da prova.

Após a obtenção do título no campeonato francês em 2010, Bryan Bouffier apenas necessitou de controlar o segundo classificado de forma inteligente, para obter a sua primeira vitória no IRC e no Rallye Monte Carlo. Para bem do campeonato, muito provavelmente, Bryan Bouffier poderá estar presente em mais 9 eventos do IRC, segundo alguns rumores no parque de assistência.

Freddy Loix ascendeu à segunda posição no inicio da noite mas, a distância que tinha em relação a Bouffier, fez com que preferisse na atacar o piloto francês, para não correr riscos desnecessários.

Stéphane Sarrazin esteve com um andamento muito forte no último dia do rally, vencendo três dos cinco troços de hoje que lhe permitiu terminar em terceiro a 19,4s de Loix. No entanto, o francês apanhou um grande susto quando ficou com a caixa de velocidades encravada em quarta mas, felizmente, foi possível resolver tudo na última assistência antes dos dois derradeiros troços.
Apesar de ter terminado em terceiro na estrada, foi imposta uma penalização de 30 segundos a Sarrazin, descendo para a quarta posição final.

Guy Wilks não foi muito feliz na escolha dos pneus esta noite, perdendo preciosos segundos para Sarrazin mas, de qualquer forma, conseguiu terminar na terceira posição, beneficiando da penalização imposta a Sarrazin.
Com um Peugeot menos evoluído do que os pilotos oficiais, François Delecour perdeu muito tempo nas subidas por falta de potência do 207 S2000 da Enjolras. Contudo, aos 48 anos de idade, Delecour terminou na quinta posição neste seu regresso à competição, onde só ficou a 0,5s de Stéphane Sarrazin.

Apesar do tempo perdido no dia anterior, Juho Hänninen andou da melhor forma como sabe, ou seja, a fundo. O finlandês não venceu nenhum troço no último dia mas, averbou tempos quase sempre entre os três primeiros nas especiais. Hänninen não subiu nenhuma posição mas, ficou apenas a 6,9s de François Delecour.

Esperava-se mais de Petter Solberg no terceiro dia mas, de facto, o norueguês continuou a perder terreno para Hänninen e na derradeira especial, o seu Peugeot começou a ficar com falhas no alternador, não conseguindo chegar à assistência e manter a sétima posição, acabando por desistir na ligação. Por outro lado, Olivier Quesnel comentou na rallyradio que Solberg deverá fazer mais uma ou duas provas no IRC.

Estando fora das competições desde o último Monte Carlo, um furo no primeiro dia e a falta de ritmo, fez com que Nicolas Vouilloz fizesse uma prova apagada. No entanto, o francês esteve muito bem nos últimos troços, onde até venceu um deles e terminou em sétimo, após o abandono de Solberg.
Pior esteve Jan Kopecký pois, conhece o Skoda como ninguém mas, não tirou partido dessa situação. Mesmo ponde de parte a escolha desastrosa dos pneus no dia de ontem, o checo esteve muito apagado neste rally.

Giandomenico venceu uma especial esta noite e conseguiu entrar nos lugares pontuáveis, por troca com Toni Gardemeister, terminando em nono na frente do finlandês.
Pierre Campana foi o melhor nas duas rodas motrizes, com um Renault Clio R3 e o piloto suiço, Florian Gonon, cilindrou a concorrência na Produção, com um Subaru Impreza STI N12.

LÍDERES DO RALLY:
Stéphane Sarrazin (SS1); Juho Hänninen (SS2 a 6); Bryan Bouffier (SS7 a 13)
VENCEDORES DE TROÇOS:
Stéphane Sarrazin (4); Juho Hänninen (3); Freddy Loix (1); Bryan Bouffier (2); François Delecour (1); Nicolas Vouilloz (1); Giandomenico Basso (1)

CLASSIFICAÇÃO FINAL (site)
1º Bryan Bouffier – Peugeot 3h32m55,6s
2º Freddy Loix – Skoda a 32,5s
3º Stéphane Sarrazin – Peugeot a 51,9s
4º Guy Wilks – Peugeot a 1m19,7s
5º François Delecour – Peugeot a 1m22,4s
6º Juho Hanninen – Skoda a 1m29,3s
7º Nicolas Vouilloz – Skoda a 4m47,8s
8º Jan Kopecky – Skoda a 7m45,9s

Ricardo Nascimento

boufiider112O segundo dia de prova do Rali de Monte Carlo deu uma grande reviravolta na classificação, com a chegada da neve nos troços da tarde de hoje, onde a escolha de pneus foi crucial para as condições em que se encontravam as especiais.

Bryan Bouffier apostou em pneus de neve sem pregos e voou na segunda passagem em St Jean En-Royans - Font D'Urle, conseguindo a proeza de subir de sétimo para primeiro da geral e terminar a etapa na liderança, após obter o segundo melhor tempo no último troço do dia, apesar de ter efectuado dois piões.

François Delecour aplicou a sua grande experiência no Rally Monte Carlo, ao apostar em pneus com alguns pregos, permitindo-lhe subir para sexto e depois vencer o último troço à geral que o colocou na segunda posição a 28,7s de Bouffier.

Freddy Loix desceu para a terceira posição no inicio do dia mas, com pneus de neve na parte da tarde, o belga conseguiu manter a terceira posição, mesmo quando cometeu alguns erros na derradeira especial.

Também com pneus de neve, Guy Wilks subiu à quarta posição mas, embora tenha feito o 4º melhor tempo no derradeiro troço, perdeu mais de 1m20s para Delecour, estando a 14,9s de Loix.

Stéphane Sarrazin subiu para segundo no primeiro troço da tarde mas, viria a perder pouco mais de 2 minutos no último do dia, terminando em quinto a 20,6s de Wilks.

Juho Hänninen foi mal aconselhado na escolha dos pneus pois, o finlandês perdeu a sólida liderança que detinha ao levar pneus intermédios montados no Skoda. Só não correu pior porque Hänninen tinha dois pneus de neve para substituir antes da derradeira especial mas, não evitou baixar para sexto da geral a mais de 2m30s do novo líder.

Petter Solberg foi o único piloto da Peugeot a levar pneus intermédios, passando muitas dificuldades de aderência, caindo para sétimo da geral num dia em que já era segundo classificado antes da segunda ronda pelos troços.

Com pneus de neve, Nicolas Vouilloz conseguiu entrar nos lugares pontuáveis e terminou o dia em oitavo mas, o checo Jan Kopecky, foi dos pilotos que mais perdeu com os pneus intermédios montados no Skoda. Kopecký perdeu 1m15s na segunda passagem por St Jean En-Royans - Font D'Urle mas, no derradeiro troço, perdeu 7 minutos para Delecour e uma queda para a nona posição.

Toni Gardemeister subiu para décimo mas, Jean-Sébastien Vigion que tinha escolhido pneus para piso seco, perdeu 15m30s nos dois últimos troços do dia.

LÍDERES DO RALLY:
Stéphane Sarrazin (SS1); Juho Hänninen (SS2 a 6); Bryan Bouffier (SS7 e 8)

VENCEDORES DE TROÇOS:
Stéphane Sarrazin (1); Juho Hänninen (3); Freddy Loix (2); Bryan Bouffier (2); François Delecour (1)

CLASSIFICAÇÃO 2º DIA
1º Bryan Bouffier – Peugeot 2h14m38,1s
2º François Delecour – Peugeot a 28,7s
3º Freddy Loix – Skoda a 1m06,3s
4º Guy Wilks – Peugeot a 1m21,2s
5º Stéphane Sarrazin – Peugeot a 1m41,8s
6º Juho Hanninen – Skoda a 2m36s
7º Petter Solberg – Peugeot a 3m49,8s
8º Nicolas Vouilloz – Skoda a 5m31,7s
9º Jan Kopecky – Skoda a 7m52,4s
10º Toni Gardemeister – Peugeot a 7m53,4s

Ricardo Nascimento

bruno11Não foi feliz nem particularmente bem sucedida a presença da equipa Peugeot Portugal no Rali de Monte Carlo de 2011.

Bruno Magalhães nem sequer chegou a dar nas vistas, numa prova um pouco cinzenta, apesar de rodar entre o 9º e 10º lugar, para terminar com uma saída de estrada no 4º troço.

Bruno Magalhães afirmou que "estávamos a ganhar ritmo e a andar cada vez mais depressa, quando numa zona rápida, onde íamos em sexta velocidade, o carro derrapou de traseira. A zona era muito complicada, ainda consegui recuperá-lo, mas acabámos por bater numa ponte e fomos projectados para fora de estrada."

Sobre as primeiras três classificativas, o piloto luso disse que "na fase inicial da primeira classificativa tive de andar mais devagar, por os pneus serem demasiado duros e demorarem a aquecer; na segunda eterceira classificativas tivemos o problema contrário porque o piso estava seco e os pneus eram demasiado macios, o que tornava o carro instável".

Fica-se agora sem saber qual será a próxima prova de Bruno Magalhães no IRC, contudo o piloto da peugeot deverá estar presente no Rali de Portugal.

anini11A 100ª edição do Rallye Monte Carlo foi hoje para estrada sem neve nos troços mas, o asfalto muito frio e por vezes húmido, provocou alguns furos e despistes entre alguns concorrentes.

Juho Hänninen venceu dois dos quatro troços disputados no primeiro dia e nos restantes, perdeu apenas algumaS décimas para os mais rápidos, estando a liderar o rally com 44,5s de vantagem sobre o segundo classificado.

Freddy Loix foi apenas quinto na primeira especial, onde perdeu segundos importantes para os mais rápidos mas, acabou por subir para terceiro e depois para segundo, conseguindo manter essa posição até ao final do dia após vencer o último troço.

Petter Solberg deu um toque num muro no decorrer da primeira especial mas, sem consequências graves. Estando em adaptação ao Peugeot, o norueguês tem efectuado tempos entre os três primeiros, conseguindo subir para terceiro no último troço do dia e ficou a 10,8s de Loix.

Stéphane Sarrazin surpreendeu todos (excepto Hänninen), ao efectuar um excelente tempo no troço inaugural mas, no seguinte, o francês perdeu 35 segundos para Hänninen e acabou por ser ultrapassado por Solberg na última especial, terminando na quarta posição a 0,2s do norueguês.

Sendo o primeiro na estrada, Guy Wilks não quis arriscar no primeiro dia de prova. O britânico foi regular nos tempos mas, já está a mais de 1 minuto do líder e tem Jan Kopecký a 7,6s atrás que por sua vez, esperava-se mais do piloto checo.

François Delecour também foi muito regular, terminando a etapa em oitavo a 16,2 de Kopecký. O francês queixou-se da afinação da suspensão e da ausência de neve nos troços.

Andreas Mikkelsen bateu após 20 segundos no início da primeira especial, danificou uma das rodas e a suspensão posterior, acabando por desistir prematuramente.

Henning Solberg e Thierry Neuville também abandonaram por saída de estrada e os dois Proton também já estão fora de prova. Atkinson ficou parado com uma avaria eléctrica no primeiro troço e Andersson deu um toque numa pedra, furou e acabou por danificar a suspensão.

Toni Gardemeister, Giandomenico Basso e Nicolas Vouilloz sofreram furos e atrasaram-se muito na classificação mas, o português Bruno Magalhães, desistiu na última especial do dia quando era nono da geral.

LÍDERES DO RALLY:
Stéphane Sarrazin (SS1); Juho Hänninen (SS2 a 4)

VENCEDORES DE TROÇOS:
Stéphane Sarrazin (1); Juho Hänninen (2); Freddy Loix (2)

CLASSIFICAÇÃO 1º DIA
1º Hanninen - Skoda 1h11m33,4s
2º Loix - Skoda a 44,5s
3º Solberg - Peugeot a 55,3s
4º Sarrazin - Peugeot a 55.5s
5º Wilks - Peugeot a 1m18,7s
6º Kopecky - Skoda a 1m26,3

Colaboração Ricardo Nascimento