faceralis

 

WEBINAR Prancheta-1-copia-6

Mundial

leobespa10

O Rally da Catalunha foi hoje para a estrada pelo 19º ano consecutivo no calendário do wrc, onde o seu figurino regressou um pouco às edições o inicio dos anos 90 pois a prova espanhola voltou a ser em pisos mistos.

Talvez devido ao nevoeiro matinal que poderá ter humedecido os pisos de gravilha, Sébastien Loeb não perdeu tempo ao ser primeiro na estrada e até venceu o troço inaugural, tendo mesmo liderado durante todo o dia.

Ogier passou para a segunda posição na terceira especial e venceu a seguinte, permitindo-lhe secundar o campeão do mundo na classificação, com apenas 3,8s de desvantagem.

Jari-Matti Latvala está em boa forma e não perdeu muito terreno para os dois Citroën nos troços iniciais mas, nos dois últimos, o finlandês perdeu cerca de 10 segundos mas, manteve-se na terceira posição a 19,9s de Loeb.

Petter Solberg queixou-se de falta de tracção nas duas primeiras especiais mas, venceu as duas passagens em La Ribera d'Ebre e passou para a quarta posição da geral, estando a 2,5s de Latvala.

Mikko Hirvonen (5º) e Daniel Sordo (6º) ficaram uns furos abaixo daquilo que era esperado pois, se o finlandês confirmou mais uma vez estar com andamento inferior ao do seu companheiro de equipa, o espanhol era tido como um dos candidatos à vitória mas, no entanto, já se encontra a quase 1 minuto do líder.

Yeray Lemes dominou o primeiro dia no jwrc, sendo seguido pelos dois candidatos ao título, Hans Weijs Jr. (2º) e Aaron Burkart (3º).

Henning Solberg continua cada vez melhor ao volante do Fiesta S2000 pois, terminou o primeiro dia na 10ª posição da geral, na frente de Turan e Al-Qassimi com viaturas wrc.

LÍDERES DO RALI:
Sebastien Loeb (Pec 1 a 6)

VENCEDORES DE TROÇOS:
Sebastien Loeb (3); Petter Solberg (2); Sebastien Ogier (1)

CLASSIFICAÇÃO 1ºDIA (link)
1º Sebastien Loeb – Citroen C4 WRC 1h25m26,8s
2º Sebastien Ogier – Citroen C4 WRC a 3,8s
3º Jari Matti Latvala – Ford Focus WRC a 19,9s
4º Petter Solberg – Citroen C4 WRC a 22,4s
5º Mikko Hirvonen – Ford Focus WRC a 42,4
6º Daniel Sordo – Citroen C4 WRC a 54,7s
7º Mathew Wilson – Ford Focus WRC a 2m46,9s
8º Frederico Villagra – Ford Focus WRC a 3m21,2s
9º Ken Block – Ford Focus WRC a 3m42,8s
10º Henning Solberg – Ford Fiesta S2000 a 4m21,6s
Colaboração Ricardo Nascimento

logocata10A edição 2010 do Rali de Espanha - Catalunha, que vai para a estrada de 21 a 24 de Outubro, marca o regresso das provas do Mundial aos ralis mistos, isto é, com troços de terra e de asfalto ao longo dos três dias de competição.

Já no início da década de 90 o Rali da Catalunha possuía etapas em terra e em asfalto, o que volta a acontecer agora com o primeiro dia a incluir troços em terra, para no restante percurso de voltar aos pisos de asfalto das edições passados.

Por certo que a FIA não deixará de estar atenta a esta realidade, para depois a tentar promover (ou não) este tipo de provas para os próximos anos.

Desportivamente Sebastien Loeb será sempre o favorito, mas em Espanha, e com os títulos de pilotos e marcas já entregues, poderá ser o momento de Daniel Sordo.

Numa prova em que não existem pilotos portugueses, conheça no site oficial todas as informações sobre esta prova.

haninenesdven10Com Mikkelsen por perto, Hanninen aumentou um pouco o ritmo e foi-se distanciando do piloto do Ford, para garantir mais uma vitória no IRC e assim carimbar definitivamente o título de 2010.

A Kris Meeke bastou gerir o seu andamento para terminar no 3º lugar, depois de Tierry Neuville ter furado no primeiro troço do dia e depois desistir após despiste.

Num rali em que terminaram pouco mais de 10 concorrentes, destaque ainda para o acidente de Tom Cave no Proton.

Classificação final (link)

1º Juho Hanninen - Skoda Fabia S2000 - 2h01m07,4s
2º Andreas Mikkelsen - Ford Fiesta S2000 - a 25,5s
3º Kris Meeke - Peugeot 207 S2000 - a 3m25,2s

LÍDERES DO RALLY:
Guy Wilks (SS1 e 2); Kris Meeke (SS3 e 4); Guy Wilks (SS5); Juho Hänninen (SS6 a 10)
VENCEDORES DE TROÇOS:
Guy Wilks (5); Kris Meeke (2); Juho Hänninen (5); Andreas Mikkelsen (1)

armnintestterr10Armindo Araújo tem tido uma época muito profissional nos ralis, com testes e mais testes de preparação, que lhe permitem chegar às provas do PWRC com um ritmo competitivo muito alto. Os resultados falam por si e por isso, Armindo Araújo lá esteve em Itália, em Ligúria, arredores de Génova, numa sessão de testes com o Mitsubishi Lancer Evo X com vista a preparar o derradeiro e decisivo rali da temporada.

O piloto português e a estrutura da Mitsubishi realizaram hoje mais de duas centenas de quilómetros com o carro já modificado para enfrentar o difícil terreno do GB Rali de Gales. "O carro foi totalmente revisto e alterado novamente para pisos de terra e era importante voltarmos a testar. Fizemos muitos quilómetros, ensaiamos alternativas ao nível de afinações e eu tive também a oportunidade de voltar a guiar num ritmo competitivo. A última prova do ano será crucial para chegarmos ao objectivo que traçamos e temos a plena noção que o desafio é enorme", começou por dizer o piloto de Santo Tirso.

Mesmo com uma vantagem pontual claramente favorável, Armindo Araújo tem plena consciência que nada está garantido. Preparar o caminho do título é por isso uma tarefa que se impõe e todos os pormenores poderão fazer a diferença. "Estamos muito confiantes e determinados em revalidar o título e é necessário chegar à Grã-Bretanha com o trabalho de casa feito. Sabemos que podemos ser vítimas de qualquer problema inesperado, mas do que depender do nosso esforço e dedicação, garantidamente, estaremos a cem porcento", concluiu o piloto apoiado pela Galp, TMN, MCA, Lusitania Seguros e Mitsubishi Motors.

O GB Rali de Gales será disputado entre os dias 11 e 14 de Novembro, sendo Cardiff a cidade escolhida para acolher toda a caravana no Campeonato do Mundo de Ralis.

rphvence10Depois de uma equipa belga ter terminado no ano passado com a hegemonia dos pilotos nacionais no palmarés do Rally de Portugal Histórico, parece que o domínio das formações estrangeiras veio para ficar nesta quinta edição do Rally de Portugal Histórico: desta vez foram os espanhóis Ricardo Alonso/Moises Alvarez (Ford Escort RS) a levarem a melhor sobre a concorrência, sendo os mais regulares ao longo das 44 provas de classificação.

Aliás, a superioridade das equipas que nos visitaram foi grande, monopolizando os lugares do pódio, com José Grosso a ser o melhor piloto português, na quarta posição, e apenas mais dois portugueses - João Vieira Borges e Cipriano Antunes - entraram nos dez primeiros.

Para tanto, também muito contribuiu a grande hecatombe dos principais pilotos nacionais: José Grosso começou por liderar a prova, mas problemas mecânicos diversos e um furo acabaram por atrasá-lo bastante, não lhe permitindo melhor que a quarta posição; João Mexia sucedeu-lhe no comando, mas o piloto de Coimbra não foi muito mais longe, com problemas na caixa de velocidades a colocarem um ponto final na sua actuação; José Luís Nunes desistiu com problemas de motor, Paulo Grosso perdeu-se numa especial e acabou por "partir" também o motor do seu Escort e Aníbal Rolo teve uma saída de estrada no segundo dia que comprometeu qualquer hipótese de uma melhor classificação.

Perante tudo isto acabou por sobressair a natural superioridade dos pilotos estrangeiros: Ricardo Alonso andou sempre muito bem e cimentou a sua vantagem na ligação entre Arganil e Viseu, conseguindo depois defender muito bem essa vantagem, apesar de ter perdido algum do seu avanço na derradeira fase da prova, mas acabando por conquistar uma vitória totalmente justa.

A principal ameaça de Alonso acabou por ser o ex-campeão europeu de regularidade, o belga Jose Lareppe, que terminou na segunda posição, a 60,4 pontos, depois de uma segunda etapa menos conseguida.

O espanhol Marcos Adan acabou por assegurar o último lugar do pódio, devido sobretudo à sua elevada regularidade ao longo dos cinco dias de prova.

Classificação final: 1.º Ricardo Alonso/Moises Alvarez (Ford Escort RS), 1645,4 pontos;
2.º Jose Lareppe/ Joseph Lambert (Opel Kadett GTE), a 60,4pt;
3.º Marcos Adan/Gaspar Osorio (Porsche 911), a 82,4pt:
4.º Gustavo Martel/Nicolas Sanchez (Porsche 911 T), a 95,7pt;
5.º José Grosso/João Sismeiro (BMW 2002), a 112,5pt;
6.º Javier Ortega/Secundino Infiesta (Lancia Fulvia), a 146,7pt;
7.º João Vieira Borges/João Srôdio (BMW 635 CSi), a 224,2pt;
8.º Iñaki Presa/German Gonzalez (Ford Escort), a 284,5pt;
9.º.º Jhony Delhez/Eddy Gully (Ford Escort RS), a 327,7pt;
10.º Cipriano Antunes/Vicente Antunes (Audi quattro), a 594,5pt; etc.

Comunicado ACP