faceralis

 

banner curso Prancheta-1

Nacional

fontesposfafeO Citroën Vodafone Team regressou este fim-de-semana à actividade para disputar o Rallye Serras de Fafe e Felgueiras, prova de abertura do Campeonato de Portugal de Ralis. Disputado nos mais afamados pisos de terra do país, desenhados na região de Fafe, este rali que marcou o arranque da temporada terminou com o quarto lugar e a conquista dos primeiros 16 pontos por parte da dupla José Pedro Fontes/Inês Ponte.

Foi tudo menos fácil a tarefa da equipa que tripula o Citroën C3 R5, que desde o início do rali se debateu com dificuldades em manter um ritmo que lhes permitisse assegurar um lugar entre os mais rápidos. No final do primeiro dia (três especiais) Fontes ocupava a sexta posição à geral – quinto em termos de CPR – mas revela-se visivelmente frustrado com o seu andamento, afirmando a necessidade de na etapa seguinte (hoje), recuperar parte do fosso para os principais rivais.

A verdade é que a vontade estava lá, o esforço foi bem visível e só assim a formação conseguiu chegar hoje a Fafe no quarto lugar e com um interessante pecúlio em termos pontos no campeonato. Todavia, e sem nunca ter conseguido impôr o "seu" ritmo, o piloto do Porto esclarecia no final da prova que "este quarto lugar final não era o resultado que esperávamos nesta prova. Nunca consegui rodar no meu ritmo e acumulei atraso em cima de atraso para os meus rivais. Reconheço que o quarto lugar acaba por premiar o facto de nunca termos perdido o foco e não termos cometido erros e isso valeu-nos somar importantes pontos no campeonato. Porém, nem eu nem os restantes elementos da equipa estão satisfeitos e, portanto, há que arregaçar as mangas e começar a trabalhar na preparação da próxima prova."

Disputada a prova organizada pela Demoporto, o campeonato sofre agora uma paragem de aproximadamente um mês, para regressar entre os dias 26 e 28 de Março na ilha de São Miguel nos Açores, para o segundo evento do ano, igualmente em pisos de terras, o Azores Airlines Rally.

armindvenfafe20Vinte anos após a sua estreia nos ralis, precisamente em Fafe e numa prova organizada pela Demoporto, Armindo Araújo voltou, agora no Rali Serras de Fafe e Felgueiras, a escrever uma página na história da sua carreira ao vencer a primeira prova da temporada 2020 do Campeonato de Portugal de Ralis, a que juntou também a vitória no European Rally Trophy.

Na estreia com o Skoda Fabia R5 Evo e do seu projecto com a equipa The Racing Factory, o piloto de Santo Tirso acrescentou, ao seu palmarés, a vitória numa das provas que ainda não tinha conseguido subir ao lugar mais alto do pódio. "É a primeira vez que venço esta prova e estou muito satisfeito por termos começado o ano da melhor forma possível. Fafe é sem dúvida um dos grandes palcos dos ralis nacionais e desde que regressei ao campeonato nacional que procurava vencer aqui. Uma vitória na estreia de um projecto completamente novo e que nos deixa obviamente a todos muito contentes", disse na chegada Armindo Araújo.

Num rali onde as condições do terreno foram variando bastante nos dois dias de prova, a dupla do Skoda Fabia R5 Evo liderou da primeira à última classificativa, venceu dez das treze especiais e somou a vitória na recém-criada Power Stage, e saiu de Fafe com 36,80 pontos dos 38 máximos possíveis. "Entrámos confiantes, conscientes que tínhamos feito uma boa preparação e que os testes foram importantes para conhecer o carro e tentar tirar o máximo proveito deste. Conseguimos impor um ritmo forte desde início e estivemos sempre rápidos quando as condições do terreno mudaram devido à chuva. Toda a equipa fez um trabalho fantástico, estamos todos de parabéns", referiu ainda o penta campeão nacional.

Armindo Araújo e Luís Ramalho são assim os primeiros líderes do CPR 2020, numa temporada onde esperam que se revele de novo muito competitiva. "Vamos para a próxima prova cientes que temos que continuar a trabalhar para atingir os nossos objectivos e que muitos ralis ainda faltam disputar. Foi muito bom termos começado o ano desta forma", concluiu.

CPR: 1º A. Araujo – 36,8 pontos; 2º B. Magalhães – 24,38: 3º R. Teodósio – 20,76 (...)

A primeira prova do Campeonato de Portugal de Ralis, o Rali Serras de Fafe e Felgueiras acabou por revelar um desnível de forças entre os principais candidatos ao título, que era não muito previsível no início da prova, pelo menos armindvencserras20a julgar pelas opiniões dos protagonistas.

Acabou por ser a dupla Armindo Araújo / Luís Ramalho os principais "culpados" desse desnível, ao demonstrarem nesta prova uma enorme superioridade, traduzida não só no 1m26s de diferença para o segundo classificado Bruno Magalhães, mas também pelos números: vitória em 11 especiais de classificação (contando apenas os concorrentes do CPR), liderança da primeira à derradeira especial e vitória ainda na PowerStage (Lameirinha 2), o que lhe permite a liderança reforçada do CPR logo na prova de abertura!!!

Por tudo isto, e por tanto domínio (quer nos troços secos quer nos molhados), pouco mais há a dizer em relação à vitória de Armindo Araújo, mas a concorrência sairá desta prova com a certeza de que existe muito trabalho de fazer (até porque Armindo foi mais rápido, mesmo nos momentos em que geriu a prova). Mesmo assim, nota de destaque para o estreante Nicolay Gryazin, que nesta prova abriu o livro com um andamento fantástico que quase o levou à vitória à geral ao volante de um Hyundai I20 R5, não fosse um erro a dois troços do fim (saída de estrada), o ter deixado fora de prova.

Quanto à concorrência nacional, assistiu-se mesmo assim a uma tremenda luta entre Bruno Magalhães e Ricardo Teodósio pelo segundo lugar ao longo do rali. Os dois pilotos trocaram de posição algumas vezes para entrarem para a derradeira especial com 2,1s de vantagem para o algarvio, que se tornou após o derradeiro troço numa desvantagem de 4,5s. Dessa forma, Bruno Magalhães (que fez valer a sua experiência) acabou por fazer uma excelente operação em Fafe, enquanto o campeão nacional sai desta prova com algumas interrogações, face à tremenda diferença verificada para sobretudo para o vencedor, que tripula um carro igual!!!

Com uma prova muito cinzenta e longe de tudo o que esperava, José Pedro Fontes não foi sequer protagonista nesta prova. O piloto não se entendeu com o Citroen e durante o segundo dia limitou perdas, isto é, apostou em terminar no lugar possível (a 4ª posição), que mesmo assim lhe dá alguns pontos interessantes neste arranque no CPR, mas sai com a certeza de que algo vai ter que mudar no carro ou nele próprio, pelo menos nesta longa fase de terra do campeonato.

Pedro Heller terminou no 5º lugar da geral, com o VW Polo R5, mas nas contas do CPR esse lugar acabou por ser ocupado por Miguel Correia, piloto que está claramente com o melhor ritmo no segundo pelotão do CPR, mesmo tendo-se livrado de um susto que quase o levou a capotar a meio da prova.

Manuel Castro, na estreia o volante de um Skoda Fabia R5, ainda chegou a rodar à frente de Correia, mas não resistiu ao ataque do seu adversário. O 6º lugar nas contas do CPR, não deixa de ser uma boa prestação de Manuel Castro.

Nas duas rodas motrizes a vitória foi para o aguerrido Daniel Nunes, neste seu regresso ao nacional, demonstrando que não desaprendeu, vencendo também o Challenge R2&You.

Notas de destaque para a presença de dois Hyundai i20 WRC, com o campeão do mundo Otto Tanak e o espanhol Dani Sordo, que deram um enorme espetáculo nos troços, sendo os responsáveis principais pela atração de público registada nesta prova.

VENCEDORES DE TROÇOS
Armindo Araújo (11); Bruno Magalhães (1); Ricardo Teodósio (1)
Armindo Araújo venceu a Power Stage

COMANDANTES SUCESSIVOS
Armindo Araújo (Pec 1 a 13)

CLASSIFICAÇÃO FINAL
serrasfinal2020

 

nunesvenserrasFoi um regresso de sonho aquele que Daniel Nunes teve este fim-de-semana no Rali Serras de Fafe e Felgueiras, prova de abertura do Campeonato Portugal de Ralis.

Daniel Nunes e Nuno Mota Ribeiro venceram a prova organizada pela Demoporto. A dupla da Inside Motor venceu a competição referente às 2 Rodas Motrizes, Challenge R2 & You e ainda foram os melhores na sua classe no European Rallye Trophy , aos comandos do endiabrado Peugeot 208 R2.

"Este foi sem dúvida um regresso de sonho. Foi uma prova muito difícil, talvez mesmo a prova mais difícil de toda a minha carreira. Apesar das condições meteorológicas adversas, e ainda de não me encontrar fisicamente a 100% vir participar neste rali e sair daqui com uma vitória é mesmo a realização de um sonho pois a última prova que fiz com o meu pai foi aqui e ele ambicionava que eu um dia aqui ganhasse...esse dia foi hoje graças a Deus. Por ti, PAI!", referiu o piloto.

Imprimindo um andamento sempre muito rápido e espectacular o piloto navegado por Nuno Mota Ribeiro, a quem agradece a rápida adaptação e toda a colaboração nesta vitória, andou sempre numa constante e acesa luta pelos lugares cimeiros da classificação geral.

"Depois desta vitória há que já começar a pensar e a preparar a próxima prova, o Azores Rallye. Até aos Açores Amigos!", concluiu o piloto.

serrasDIA203monFotos: RALIS ONLINE (Proíbida a reprodução de fotos sem indicação da fonte)
Evento: Rali Serras de Fafe
Data: fevereiro 2020
Site: www.ralisonline.net

 

RALIS ONLINE TV