faceralis

 

WEBINAR Prancheta-1-copia-6

Nacional

Edit

Amount of short articles:

Amount of articles links:

You can order sections with dragging on list bellow:

  • Nacional
Guardar
Cancelar
Reset

CPR

Fotos Rali de Castelo Br

Image - Fotos Rali de Castelo Br

RALI CASTELO BRANCO JULHO 2020 FOTOS RALISONLINE

Quinta, 9 Julho 2020 Comente

Eventos

Crónica do Dr. Calisto (

Image - Crónica do Dr. Calisto (

RALI DE CASTELO BRANCO O PRIMEIRO APÓS.... Que disparate.... recomenda-se distanciamento social...

Quinta, 9 Julho 2020 Comente

Open

Fotos Rali de Mortágua 2

Image - Fotos Rali de Mortágua 2

Fotos: Paulo Homem (Proíbida a reprodução de fotos sem indicação da fonte)Evento: Rali de Mortágua 2

Quarta, 2 Janeiro 2019 Comente

Nacional

castelobrancoplacaPoderia bem ser um “normal” Rali de Castelo Branco, mas não é. Tem tudo para ser uma edição marcante na história do Campeonato de Portugal de Ralis e, seja quais forem as circunstâncias deste rali, vai com certeza ser uma prova inesquecível, quaisquer que sejam os motivos analisados.

No meu entender “está tudo em jogo” para o futuro da modalidade no curto e, quem sabe, no médio prazo. A Escuderia de Castelo Branco merece que tudo lhe corra pelo melhor. Tem feito um esforço notável e acreditou, desde a primeira hora, que era possível levar o rali para a estrada. Aliás, terá sido mesmo a Escuderia de Castelo Branco que terá feito até mais trabalho de “sapa” para que a sua prova fosse mesmo para a estrada, levando a reboque a própria FPAK, que acabou por ser levada por esta enorme vontade do clube albicastrense.

Por outro lado, fico também feliz por este regresso ser feito pela Escuderia de Castelo Branco, pois considero que é claramente um dos poucos clubes que tem as condições necessárias para “arcar” com esta responsabilidade.

Os adeptos têm também uma “nova” palavra a dizer neste rali. Ficou claro que a Escuderia e a FPAK querem ter um rali sem público, mas sabem também que tal é impossível, pois 4 meses sem ralis não é algo fácil de suportar pelos verdadeiros adeptos da modalidade. Contudo, cada adepto tem que ser um agente de saúde e segurança, não só cumprindo com as normas do distanciamento social, mas também (e não menos importante) fazer para que os outros também cumpram essas regras. Se todos cumprirmos daremos com certeza uma grande ajuda aos ralis, em geral, e à Escuderia de Castelo Branco, em particular.

Mas não é só o futuro dos ralis que está em “disputa” nesta prova. Felizmente neste rali existe também um espetacular lote de pilotos que vão com toda a certeza lutar abertamente pela vitória e não faltam condimentos para que essa luta seja ainda mais aguerrido do que foi em 2019.

A primeira razão é que este é mesmo um rali sprint, que não chega sequer aos 100 quilómetros de troços. Por isso, não dá para que os pilotos entrem com cautelas. O ritmo vai ter que ser alto desde o primeiro metro, é isso é muito bom para o espetáculo e para a componente desportiva do rali.

A segunda rali é que ninguém quer ser apanhado de surpresa como aconteceu na primeira prova (o Rali Serras de Fafe), em que Armindo Araújo acordou para a prova muito mais cedo que todos os outros. Mais uma vez quem não entrar no ritmo certo deste o primeiro metro em Castelo Branco, dificilmente vai ter quilómetros no rali para recuperar tempo.

Não menos importante, serão as condições climatéricas. Prevê-se muito calor e isso vai obrigar a boas escolhas de pneus, mas também a ter cuidados redobrados nas fortes travagens e na melhor forma de ultrapassar as zonas mais sujas.

Quanto a candidatos reais à vitória e com condições para tal existem quatro pilotos: o vencedor de 2019, Armindo Araújo, o quase vencedor da edição passada e atual campeão nacional, Ricardo Teodósio, o super especialista e pluri-vencedor desta prova, José Pedro Fontes e ainda, Bruno Magalhães, que irá tripular um carro semelhante ao que venceu em 2019.

Quantos aos outsider´s são algun, que bem poderão alcançar o pódio, como é o caso de João Barros, que se estreia num C3 R5, e Paulo Meireles, no seu Polo. Contudo, a lista é grande e está recheada de estreias, de regressos e de outros condimentos para ser de facto um grande rali.

castelobrancoplacaInscritos Rali castelo Branco 2020.

 

 

 

 

 

 

 

 

inscritosca2020 inscrtocc5ca20020

 

pascoalO bicampeão nacional de Ralis GT vai alinhar no Rali de Castelo Branco, este fim de semana, ao volante do Porsche 991 GT3 Cup navegado por Ricardo Faria. Uma forma de homenagear Domingos Mota, o responsável técnico da equipa, recentemente falecido.

Será um fim de semana particularmente difícil para Vítor Pascoal e para o Baião Rally Team, que recentemente foram confrontados com o trágico desaparecimento de Domingos Mota, o responsável técnico da equipa e amigo próximo do piloto nortenho. "O Domingos era muito mais do que um mecânico para mim, era um amigo e um companheiro de muitas horas, muitas viagens, muitos momentos que nunca irei esquecer. A nossa participação em Castelo Branco é, sobretudo, uma forma de o homenagear, porque ele estava a preparar o rali com toda a dedicação", afirmou Vítor Pascoal.

Desportivamente, o Rali de Castelo Branco é a primeira prova do Campeonato de Portugal de Ralis GT, depois do adiamento do Rali Vila Medieval de Ourém para Agosto, devido à pandemia mundial de Covid-19. "Os nossos grandes objetivos em Castelo Branco são garantir que o carro está em plenas condições e chegarmos ao fim do rali. Fizemos algumas mudanças na suspensão após a Rampa Porca de Murça e agora vamos perceber melhor o comportamento do Porsche", concluiu o bicampeão nacional de Ralis GT.

brunoMais de quatro meses após a abertura da temporada, em Fafe e Felgueiras, o mais importante campeonato do desporto automóvel nacional está de volta, com o Rali de Castelo Branco, a disputar este sábado e domingo.

A paragem motivada pela pandemia mundial de Covid 19 deixou as equipas expectantes para o reinício da competição, com Bruno Magalhães e o navegador Carlos Magalhães a não esconderem a vontade de voltar a pilotar o Hyundai i20 R5 nos troços do CPR.

"É muito bom estarmos de volta aos ralis e podermos fazer aquilo de que mais gostamos ", referiu o tricampeão nacional e vice campeão da Europa. "Vamos naturalmente encontrar um contexto diferente, pois é importantíssimo que todos respeitemos as regras sanitárias definidas pela DGS para que tudo corra bem. Desportivamente, começámos o ano com um pódio em Fafe e Felgueiras e agora fizemos o natural trabalho de preparação para o asfalto, com o objetivo de lutarmos pela vitória em Castelo Branco. Uma palavra para todos os nossos patrocinadores, pelo apoio que demonstraram nesta fase. Toda a equipa está com muit a vontade de retribuir o apoio com grandes resultados ", concluiu Bruno Magalhães, que foi 2.º classificado no inaugural Rali Serras de Fafe e Felgueiras.

vitorApós a realização do Rali da Barraida, o Campeonato de Portugal de Clássicos de Ralis volta à estrada com o Rali de Castelo Branco, prova integrada no Campeonato de Portugal de Ralis, com a presença da dupla Vitor Calisto / António Cirne a bordo da Ford Escort RS 2000 MK1campeão do Grupo 2 de 2019.

"É com grande satisfação que vamos marcar presença no Rali de Castelo Branco, a segunda prova do Campeonato de Portugal de Clássicos de Ralis, depois deste período que temos vivido em que fomos surpreendidos pela pandemia de Covid-19. São momento muito complicados, mesmo para manter um projeto desportivo, mas temos uma enorme vontade de regressar aos comandos do Ford Escort, até como forma de focarmos a nossa atenção em algum que gostamos muito de fazer que é estar a bordo de um carro de ralis", explica Vitor Calisto.

Para esta segunda prova do Campeonato de Portugal de Clássicos de Ralis, o Rali de Castelo Branco, Vitor Calisto, que terá a seu lado António Cirne, refere que "é uma prova interessante, mas muitíssimo rápida e com algumas zonas muito sujas que nós vamos apanhar ainda mais sujas já que passamos depois de todos os concorrentes do Campeonato de Portugal de Ralis. Nesta prova vamos contar com um lista de sete equipas inscritas no Campeonato de Portugal de Clássicos de Ralis, o que quer dizer que prova a prova vão começando a aparecer mais interessados nesta competição o que é excelente, já que a torna mais interessante, mais visível e mais competitiva".
Desportivamente falando, afirma ainda Vitor Calisto que "os nossos objetivos mantém-se inalterados. Vamos ao Rali de Castelo Branco para terminar a prova e tentar alcançar o melhor resultado possível. Queria ainda apelar a todos os que forem a esta prova para serem agentes de saúde ativos, quer cumprindo as normas sanitárias e de distanciamento social, quer apelando aos outros que as cumpram também... para bem de todos nós e da continuidade dos ralis em 2020".