faceralis

 

posvendaclick

Editorial

editorisl150215O Campeonato Nacional de Ralis 2015 está a todo o vapor com os novos projetos a sucederem-se ao ritmo a que os carros andam na estrada.

O empenho que muitas das equipas e pilotos estão a colocar nos seus projetos, mesmo se nem sempre muito bem comunicados, revelam que podermos vir a ter um dos melhores inícios de temporada dos últimos anos.

São para já quatro carros da categoria R5, um S2000, alguns Gr.N e muitos carros das novas gerações R2 e R3 que estarão à partida do Rali Serras de Fafe, o que faz antever um bom começo de temporada ao nível do nacional de ralis.

Com as oito provas previstas, tendo pelo meio duas internacionais, preocupa-me contudo o que será a segunda metade do campeonato, nomeadamente as ultimas duas provas quando os títulos já tiverem atribuídos ou quase atribuídos.

Continuo a achar que os regulamentos voltaram a não prever aquilo que já em 2014 se verificou, pelo que o ânimo inicial poderá perder fôlego ao longo que a temporada se vai desenrolando.

Por isso, a minha ideia é que o campeonato fosse divido em duas fases de quatro provas e se aproveitassem os três melhores resultados de cada fase, pois era uma forma de salvaguardar (não totalmente) a competitividade do campeonato ao longo de todo o ano ou quase todo o ano.

Porém, ainda bem que a FPAK decidiu (ainda que tardiamente) pela inclusão do campeonato de duas rodas motrizes, que já se viu que em duas semanas teve os seus resultados práticos.

Bons Ralis, mas em segurança!!!

Paulo Homem

editori080215Em 2015 a região centro do país pode vir a assistir a cerca de 13 ralis, não contando com as provas do Nacional de Ralis!!!

Para além do Campeonato FPAK do Centro (ainda não me habituei ás novas designações) e do reconhecido Troféu Rally Regional Centro (vulgo TRRC), haverá ainda o Critério de Ralis Centro, que mais não é do que um campeonato sprint de baixos custos.

É legítimo que todos os clubes e agremiações tenham direito a querer desenvolver os seus campeonatos de ralis, sendo até sinónimo de vitalidade da modalidade, o que até nem é verdade neste momento de crise.

Contudo, seria muito mais interessante os clubes entenderem-se e definirem em comum um calendário com seis provas, que permitisse a concentração de pilotos numa competição e não a dispersão dos mesmos.

Prefiro um rali com 50 inscritos do que dois com 25 inscritos, como prefiro menos provas com mais inscritos do que muitas provas com poucos incritos.

Exemplos como estes já vimos no centro e até no sul e os resultados não foram bons, nem para os clubes, nem para a FPAK e muitos menos para a modalidade.

A FPAK também devia perceber que ao incentivar a concentração, estaria a prestar uma melhor serviço aos ralis. O inacreditável número de provas de ralis que existem em Portugal não têm correspondência no número de inscritos e de interesse que as mesmas despertam. Infelizmente em Portugal não se aprende com os erros.

Bons Ralis, mas em segurança!!!

Paulo Homem

ediotrial250115Ladies Rally Trophy, FASTBRAVO Rally Academy e Challenge DSR R1 são algumas das meritórias iniciativas privadas que prometem vir a fazer crescer as listas de inscritos bem como criar mais motivos de interessantes para as provas que integrarem.

Penso que estas mesmas iniciativas deveriam ser muito mais apoiadas e acarinhadas pela FPAK, pois são elas que permitem correr com custos controlados sendo por isso excelentes para quem está a começar ou tem menos meios financeiros para o fazer, podendo simultaneamente lutar por um título.

Baixar os custos de inscritos, atribuir prémios de presença e reduzir os custos com licenças serão medidas que a FPAK poderá tomar para ajudar também no desenvolvimento de competições deste género.

A utilização do HANS vai ser obrigatória em todas as provas de ralis que se disputarem em Portugal em 2015.

À parte de algumas exceções para os ralis sprint, ainda não oficialmente confirmadas, era importante que os regulamentos ténicos, pelo menos neste tipo de provas, fossem bem mais restritivos do que aquilo que têm sido.

Se existem restrições regulamentares para os Nacionais e Regionais, porque razão não existem para os ralis sprint. Se este é o ano da segurança, então que se tomem medidas exatamente nesse sentido, pois não se poderá admitir que em 2015 voltem a repetir-se os problemas que houve em 2014.

Bons Ralis, mas em segurança!!!

Paulo Homem

editorial010215É de se lhe tirar o chapéu!!! Olavo Esteves um dia deverá ter acordado com sonho. Fazer um rali só para mulheres. Se assim o sonhou, melhor o penso e... rapidamente o executou.

Não lembrava a ninguém tamanha ousadia de organizar uma competição (rali) só para senhoras, muito menos vinda de alguém que vive na Ilha Terceira nos Açores!

Aliás, até o próprio Olavo Esteves diz-se surpreendido com a adesão à iniciativa e no primeiro rali, que será no início de Março, poderá vir a reunir 15 senhoras ao volante, o que é inédito num rali.

Esperamos que a FPAK e mesmo patrocinadores olhem para este exemplo que merece ser acarinhado e patrocinado, pois trata-se de um iniciativa que merece todos os elogios.

No Salão dos Campeões lá estava a ser promovida a Ladies Rally Trophy, onde Olavo Esteves confirmou que depois deste pioneiro projeto já está outro na chala para 2015.

Por falar em Salão dos Campeões, destaque-se uma iniciativa que tem tudo para no futuro vir a ser uma grande evento do desporto automóvel.

Penso que se a FPAK antecipar os regulamentos para Outubro, muitas das equipas e pilotos poderão aproveitar este evento para apresentar os seus projetos, existindo até espaço para se fazer um pequeno motorshow.

É preciso que todos, clubes, patrocinadores, imprensa, equipas, etc, acreditem neste projeto, pois eu acredito que o Salão dos Campões tem potencial para ser um grande evento de afirmação do desporto automóvel (e até motorizado).

Bons Ralis, mas em segurança!!!

Paulo Homem

editorial180115O ACP Motorsport está de parabéns pela excelente Rali de Portugal que montou para 2015.

Face a tantas adversidades o ACP faz o rali regressar a cenários históricos e a locais míticos desta prova, montando um esquema que tenta acima de tudo evitar que os adeptos "ambulantes" tenham poucas chances de saltar de troço em troço.

Penso que é altura de todos os verdadeiros adeptos, aqueles que por exemplo também irão ver o Serras de Fafe, apelarem à segurança da prova, pois somos todos nós que queremos que o rali se mantenha em Portugal (e no norte) por muitos e bons anos.

Também considero que afinal o Rali de Portugal não fez secar outros ralis mais pequenos. A ver pelos calendários FPAK, todas as regiões onde tradicionalmente existem ralis e por onde vai passar o Rali de Portugal, voltam em 2015 a ter provas no Nacional de Ralis e no Campeonato de Ralis FPAK Norte.

Saibam também os clubes organizadores destas provas promover os seus eventos por ocasião do Rali de Portugal, pois os ralis vão continuar felizmente depois de os pilotos do mundial se irem embora.

Mas as boas notícias não se ficam só pelo Rali de Portugal. O próprio Nacional de Ralis está a ganhar novos e melhores projetos para 2015, com muitos pilotos a divulgarem as suas intenções.

Estranho mesmo é a FPAK não divulgar os regulamentos, nem técnicos nem desportivos, pois existem mesmo assim uma série de projetos que estão dependentes do anúncio dos mesmos. Curiosamente os próprios clubes estão com receio de divulgar os regulamentos das suas provas tão só e apenas porque não existem regulamentos dos campeonatos.

Bons Ralis, mas em segurança!!!

Paulo Homem

RALIS ONLINE TV

RALIS ONLINE TV 2