faceralis

 

posvendaclick

Nacional

fotositeabo19Fotos: Ralis Online (Proíbida a reprodução de fotos sem indicação da fonte)
Evento: Rali Terras D´Aboboreira
Data: Setembro 2019
Site: www.ralisonline.net

 

brunoBruno Magalhães e o navegador Hugo Magalhães estiveram na luta pela vitória no Rali Terras D'Aboboreira e garantiram o segundo lugar na sua estreia na prova nortenha. Piloto do Team Hyundai Portugal venceu duas classificativas e sobe ao segundo lugar do Campeonato de Portugal de Ralis.

Depois da vitória para o CPR no Rali Vinho da Madeira, Bruno Magalhães voltou a mostrar que é um dos mais sérios candidatos ao título, este fim de semana, no Rali Terras D'Aboboreira, disputado no asfalto de Baião, Amarante e Marco de Canaveses. Numa prova que nunca tinha disputado, o tricampeão nacional e vice-campeão da Europa venceu duas das três primeiras especiais do rali, liderando a classificação no final do primeiro dia de prova. No sábado, Bruno Magalhães manteve um ritmo elevado ao volante do Hyundai i20 R5 e garantiu um segundo lugar muito importante para as contas do campeonato.

"Entrámos muito bem no rali, ganhámos duas especiais e chegámos ao final do primeiro dia na frente da prova", analisou Bruno Magalhães. "Já sabíamos que seria difícil manter a liderança no sábado, porque os nossos adversários diretos já conheciam estes troços, mas ainda assim fiquei muito satisfeito com o nosso andamento. Na fase final do rali pensámos nas contas do campeonato, porque este segundo lugar aproxima-nos ainda mais da frente do CPR e deixa tudo em aberto para as duas últimas provas. O carro esteve impecável e tenho de agradecer à Hyundai Portugal e a toda a equipa da Sports & You", concluiu o piloto de Lisboa, que foi o mais rápido na PE1 (Rio Tâmega 1) e na PE3 (Super Especial Baião).

regoabfiSatisfeito pelos objetivos cumpridos e com a certeza de que saiu deste rali como um piloto mais forte, Luís Rego Jr. faz um balanço muito positivo deste Terras D'Aboboreira.

Luís Rego Jr. e Jorge Henriques terminaram o Rali Terras D'Aboboreira, prova que integra o calendário do Campeonato de Portugal de Ralis, bem dentro do Top 10, mais precisamente no 7º lugar depois de uma prova de adaptação e aprendizagem aos troços da zona de Amarante, Baião e Marco de Canavezes.

"Já sabíamos que teríamos que ultrapassar um grande conjunto de dificuldades", lembra o piloto campeão dos Açores, "mas é a sair da nossa zona de conforto e a enfrentar novos desafios que podemos crescer. É por isso que tenho que agradecer aos Açores pelas oportunidades dadas aos seus pilotos que vencem o regional para que possam sair e evoluir mais rapidamente". 

Luís Rego Jr. tinha conhecimento nulo das estradas por onde se desenvolveu o rali e encarou as adversidades como sendo oportunidades para melhorar. "Nos Açores corremos sempre mais ou menos nos mesmos troços e há um grande conhecimento das estradas. A vinda a este rali possibilitou-nos trabalhar as notas porque não havia o conhecimento prévio a condicionar a nossa abordagem à prova." Indo ainda mais além no seu raciocínio, Luís Rego Jr. revela que nos reconhecimentos não fez as passagens que poderia ter feito, precisamente para se obrigar a trabalhar o sistema de recolha de notas e na própria condução em condições de menor conhecimento do terreno.

O ritmo adotado foi "seguro e bastantes furos abaixo daquele que temos imprimido nos Açores", revela o piloto que se manifesta muito satisfeito porque sente que estas são as experiências que o podem tornar um piloto melhor. Apesar de já não competir no Fiesta R5 da Rego Jr. Competições há quase um ano, Luís Rego Jr. sai de Amarante muito satisfeito pelo andamento que foi o suficiente para se incluir nas lutas do 2º pelotão do nacional de ralis. "Claramente com um grau de conhecimento um pouco maior teremos condições para andar muito mais à frente. Fico contente por perceber que a nossa margem de progressão é muito grande."

No final da prova, Luís Rego Jr. manifestava-se também satisfeito pela promoção da imagem dos Açores que teve oportunidade de fazer nesta prova do nacional de ralis e agradeceu à ARC Sport por todo o trabalho e dedicação na preparação do rali, bem como a toda a equipa técnica da Rego Jr. Competições pelo profissionalismo mais uma vez demonstrado.



Rego não terminou o seu balanço ao Rali Terras D'Aboboreira sem deixar uma mensagem especial a todos os bombeiros e agentes de segurança pela "bravura e prontidão no combate aos incêndios" que se verificaram um pouco por todo o perímetro do rali.

fonesapaoJosé Pedro Fontes e Inês Ponte venceram de forma categórica a edição de 2019 do Rali Terras d'Aboboreira, sétima prova do Campeonato de Portugal de Ralis. Foi determinante a estratégia que a equipa delineou para este segundo dia de rali, sendo que o resultado final reflete também a boa "forma" do Citroën C3 R5, que cumpriu toda a prova sem o mínimo problema. Com algum calor, ainda que este segundo dia se tenha revelado mais ameno do que ontem, a prova nortenha, que pelo segundo ano integra o CPR teve como único percalço digno de registo a anulação do troço de Marão, devido ao elevado risco de incêndio.

O Citroën Vodafone Team arrancou para esta derradeira etapa com um atraso de 1,6s para a dupla Bruno Magalhães/Hugo Magalhães e era natural o objetivo de tentar atacar a liderança. Pois José Pedro Fontes traçou de forma minuciosa a estratégia para este sábado, tentando fazer uso das qualidades do Citroën C3 R5, poupando, todavia, nas zonas mais perigosas ou que ofereciam maiores riscos. Foi assim que a equipa logrou levar a melhor sobre a totalidade dos rivais em cinco das seis especiais desta segunda etapa, que, paralelamente – e juntando à vitória na segunda passagem pelo troço de Rio Tâmega – resultou na acumulação de três pontos adicionais em termos de campeonato.

O ataque ao líder foi "feroz" e refletiu-se logo pela manhã, com Fontes a vencer respetivamente, três décimos, 3,6 e 6,5 segundos nas três especiais da secção matinal. Assim, Fontes/Ponte regressaram a Marco de Canavezes já na liderança e com um avanço de 7,8 segundos para Bruno Magalhães. Mesmo assim, a equipa não perdeu o foco e na derradeira secção da prova (segunda volta pelos troços de (Marco Rios de Emoção, Baião Vida Natural e Carvalho de Rei) tratou de aumentar a distância para o segundo classificado, vencendo as três especiais e terminando com o triunfo e 14,9s segundos de avanço para o segundo classificado.

Momentos de antes de subir ao mais alto lugar do pódio, em Baião, José Pedro Fontes afirmava que "foi um rali exigente. Tivemos que dar o nosso melhor para alcançar este triunfo, que resulta, acima de tudo, do bom trabalho da equipa que nunca deixou de acreditar e tem nesta vitória a melhor recompensa pelo esforço desenvolvido. Por outro lado vencer este rali tem um significado especial já que se trata de um regresso da Inês às vitórias, algo que ela merece muito. Tivemos muito perto de ganhar em Mortágua e ambicionávamos este momento desde lá. Paralelamente, este foi, como todos puderam ver, um rali disputado de princípio a fim por vários pilotos. Em relação ao Bruno Magalhães, e da mais elementar justiça sublinhar que a minha maior experiencia em algumas especiais fez a diferença a meu favor. Parabéns também ao Bruno e ao Hugo Magalhães pelo excelente rali e pela luta réplica que deram."

CLASSIFICAÇÃO FINAL:

1º Citroën Vodafone Team - José Pedro Fontes/Inês Ponte (Citroën C3 R5), 49m19,1s
2º Bruno Magalhães/Hugo Magalhães (Hyundai), a 14,9s
3º João Barros/António Costa (Skoda), a 34,8s
4º Ricardo Teodósio/José Teixeira, a 53,5s
5º Paulo Meireles/Marcos Gonçalves (Hyundai), a 1m40,4s

CPR (após 7 provas)

1º Ricardo Teodósio, 119,18 pontos
2º Bruno Magalhães, 114,12
3º Armindo Araújo, 104,94
4º José Pedro Fontes, 87,74
5º Miguel Barbosa, 70,82

araujoArmindo Araújo, acompanhado por Luís Ramalho, não conseguiu no Rali Terras D'Aboboreira alcançar o resultado que pretendia ao ser forçado a abandonar na sexta classificativa da prova, numa altura onde se mantinha na discussão pela vitória. Um percalço no percurso delineado para a temporada onde procura a revalidação do título no Campeonato de Portugal de Ralis.

"Tínhamos, nesta prova, o objectivo de chegar à liderança e conseguimos estar, desde o início, na discussão da vitória. Entramos no dia de hoje ao ataque, mas infelizmente um furo na passagem pelo troço de Carvalho de Rei fez-nos ter uma ligeira saída de estrada que nos impossibilitou de continuar em prova", começou por dizer o piloto de Santo Tirso.

Com duas provas para disputar até ao final, a dupla campeã nacional vai focar-se já na próxima prova do calendário para tentar colocar o Hyundai i20 R5 no lugar mais alto do pódio. "Não conseguimos sair daqui com o resultado que pretendíamos, mas não perdemos as possibilidades de voltarmos a ser campeões. Vamos começar a preparar já o Rali Vidreiro para estarmos na máxima força", disse ainda Armindo Araújo.