faceralis

 

usados

Nacional

Edit

Amount of short articles:

Amount of articles links:

You can order sections with dragging on list bellow:

  • Nacional
Guardar
Cancelar
Reset

CPR

Luz verde da ARS para o

Image - Luz verde da ARS para o

A Equipa COVID-19 e a Comissão Organizadora do Azores Rallye reuniram ontem de manhã, pela segunda v

Terça, 11 Agosto 2020 Comente

Eventos

RallySpirit confirma 6ª

Image - RallySpirit confirma 6ª

"Tempos excecionais exigem ralis de exceção" – é sob este lema que terá lugar, entre 22 e 24 de outu

Quinta, 16 Julho 2020 Comente

Open

Fotos Rali de Mortágua 2

Image - Fotos Rali de Mortágua 2

Fotos: Paulo Homem (Proíbida a reprodução de fotos sem indicação da fonte)Evento: Rali de Mortágua 2

Quarta, 2 Janeiro 2019 Comente

Nacional

armindoO Campeonato de Portugal de Ralis está a menos de uma semana do seu reinício e o Team Armindo Araujo / The Racing Factory está fortemente motivado para o regresso à competição e à defesa da liderança do CPR. O Rali de Castelo Branco será a segunda prova da temporada e a primeira em pisos de asfalto.

Para o piloto do Skoda Fábia R5 Evo, "este é o momento em que todos esperávamos desde que ficamos privados da atividade desportiva. Foram quatro longos meses, após o Rali Serras de Fafe e, por isso, a ansiedade é elevada e a motivação, naturalmente, alta. Estivemos bastante tempo sem competir, já realizamos dois dias de testes de preparação para o rali e vamos fazer ainda um pequeno "shakedown" privado na zona de Castelo Branco para verificar se está tudo perfeito no nosso Skoda".

Num rali que marca a mudança para os pisos de asfalto, Armindo Araújo fará também a sua estreia com o carro da marca checa e espera lutar pela vitória, resultado que conseguiu em 2019. "Vencemos este rali no ano passado e vamos lutar por repetir a vitória. Contudo é a nossa estreia com o carro neste tipo de piso e não sabemos qual será a nossa posição face aos nossos diretos adversários. Estamos confiantes que podemos ter um bom ritmo, mas só quando iniciarmos o rali conseguiremos perceber se a nossa adaptação ao Skoda é eficaz. Seria ótimo conseguirmos a segunda vitória do ano", referiu ainda o piloto tirsense.

Apesar de algumas modificações, fruto das medidas impostas pela DGS, a prova organizada pela Escuderia Castelo Branco apresenta um figurino idêntico ao ano transato, sendo de destacar as medidas restritivas no que toca a super-especial (que não se disputará) e ao acesso ao parque de assistência. "Desejamos que todas as equipas, assim como o público e qualquer interveniente na prova cumpra à risca as medidas de proteção necessárias. Só assim podemos disputar este rali, bem como os restantes até ao final da temporada", concluiu Armindo Araújo.

pauloProssegue em Castelo Branco, segunda prova do Campeonato de Portugal de Ralis, o Campeonato de Portugal RGT Ralis.

Ao volante de um Porsche GT3 911, Paulo Carvalheiro e o seu irmão Dércio Carvalheiro, como navegador, vão marcar presença, tendo obter o melhor resultado possível. Depois de um proveitoso teste de preparação, na zona de Pombal, o Porsche está apto para enfrentar a totalidade do Rali de Castelo Branco.

 
"O objetivo é pontuar o melhor que conseguirmos para o Campeonato RGT", comenta Paulo Carvalheiro, dizendo que "queremos fazer mais algumas provas ainda este ano caso se concretizem...".
 

gilJPGA dupla aruilense vai realizar a sua estreia no campeonato nacional de Ralis já no Rali de Castelo Branco, que terá lugar nos dias 4 e 5 de Julho, uma vez que não houve oportunidade de estarem presentes na primeira prova, o Rali Serras de Fafe. É também neste Rali de Castelo Branco que o piloto Gil Antunes e o co-piloto Diogo Correia estreiam o novo e exclusivo Dacia Sandero R4.

Apesar dos testes já realizados em terra e asfalto, Gil Antunes e Diogo Correia assumem que há ainda muito para evoluir, não só porque será o primeiro campeonato ao volante de um automóvel de 4 rodas motrizes, mas também porque o próprio automóvel é um projeto muito jovem e exclusivo que tem ainda muitas "questões técnicas" por explorar.

A equipa conta com o apoio da Domingos Sport Competição, que está encarregue de auxiliar no desenvolvimento e evolução deste novíssimo Dacia Sandero R4, um projeto único no campeonato português de Ralis, mas também na Europa.

O piloto de Sintra afirma estar confiante depois dos dois testes realizados com o novo automóvel, onde este admite ter ficado surpreendido com a potência e com a estabilidade.

A missão da dupla para o Rali de Castelo Branco é a continuidade da adaptação a este novo automóvel, que pode permitir a ascensão aos lugares cimeiros da classificação geral.

Depois da grande interrupção de todas as atividades desportivas, a dupla apela ao público o cumprimento de todas as recomendações da DGS, não só pela continuidade do campeonato, mas também pela preservação da saúde pública.

netocb20 copyDepois das excelentes indicações dadas na terra, Paulo Neto / Vitor Hugo voltam agora aos comandos do Skoda Fabia R5 para disputar a primeira prova de asfalto integrados no Campeonato de Portugal de Ralis aos comandos deste carro. A expetativa é enorme mas o objetivo é mesmo aprender o carro em asfalto.

Mesmo tendo já disputado o Rali das Camélias em 2019 aos comandos do Skoda Fabia R5, em asfalto mas sob condições de chuva, a verdade é que Paulo Neto / Vitor Hugo olham para este Rali de Castelo Branco como o primeiro grande desafio ao volante deste carro nos pisos de asfalto.

"Nas Camélias a ideia foi apenas estrear o carro e como estava a chover ficamos desde logo com a ideia de que existiria um longo caminho a percorrer, pois tudo era novo para nós. Entretanto, já fizemos um teste em asfalto com a ARC Sport, equipa que tem uma larga experiência com o carro, tendo também contado com a experiência do navegador António Costa para a nossa evolução, que nos foi muito útil. Ao longo dos quase 100 quilómetros de teste permitiu-nos conhecer melhor o comportamento do carro neste tipo de piso, mas também ficarmos com a certeza que precisamos de mais quilómetros para nos habituarmos à sua travagem, ao curvar e ao ritmo mais elevado a que tudo se passa", afirma Paulo Neto, dizendo que "é precisamente isso que vamos fazer ao Rali de Castelo Branco. Vamos encarar esta primeira prova de asfalto do Campeonato de Portugal de Ralis como um teste competitivo, que nos permitirá ficar a conhecer melhor o Skoda Fabia R5, em que o foco principal será evoluir de troço para troço e, no final da prova, termos a certeza de que estávamos a ser cada vez mais competitivos em cada momento do rali".

Sobre este regresso à competição, após o interregno forçado devido à pandemia de Covid-19, Paulo Neto refere que "tínhamos muita vontade de voltar a competir. Estou muito satisfeito que se tenham criado as condições ideais para que possamos voltar aos troços neste Rali de Castelo Branco. A Escuderia Castelo Branco está a fazer um excelente trabalho, mas temos que "todos" ter consciência de que vivemos ainda num período complicado e que toda a caravana que integra os ralis tem que cumprir com as regras do distanciamento social para que tudo corra bem e o campeonato possa decorrer com a normalidade possível até ao seu final".

A Paulo Neto Sport conta com os parceiros: Weber, Baxi, Dominó, Listor, Italbox, Quantinfor, AVF, Total, Vitarte, Peçintra e Cision.

nunesA pandemia do Covid-19 obrigou a que a caravana do Campeonato Portugal de Ralis tivesse uma paragem superior a 4 meses, isto após a realização do Rali Serras de Fafe em finais de Fevereiro, onde a dupla da Inside Motor, Daniel Nunes e Nuno Mota Ribeiro venceram a competição referente às 2 Rodas Motrizes, Challenge R2 & You e ainda foram os melhores na sua classe no European Rallye Trophy , aos comandos do endiabrado Peugeot 208 R2.

"Vamos reiniciar o campeonato ao ataque após esta paragem obrigatória. Esta é a nossa forma de estar neste desporto, sempre ao ataque. Era nossa vontade iniciar o Rali de Castelo Branco da mesma forma que iniciamos o Serras de Fafe, no entanto temos de nos concentrar em rodar o máximo de quilómetros em asfalto, pois é o tipo de piso onde já não corro há cerca de um ano", referiu o piloto.

"Queremos alcançar um bom resultado mas para isso temos que ser, mas só no final é que saberemos se o bom resultado vai connosco. Estamos na frente do campeonato e não queríamos deixar fugir essa posição mas estamos conscientes da realidade pois é muito tempo de paragem e o asfalto albicastrense pode ser traiçoeiro", conclui Daniel Nunes.