faceralis

 

posvendaclick

Eventos

fiar4Ficou ontem decidido na última reunião da FIA que a partir de Janeiro em 2011, será criada a tão esperada categoria Grupo R4. Os construtores interessados, deverão aplicar um kit nos actuais carros do Grupo N4 (Mitsubishi, Subaru e Renault), para ficarem mais competitivos e poderem acompanhar os S2000.

A Subaru já tinha demonstrado interesse e deverá fazê-lo já com a nova versão 2011 e provavelmente, nas outras versões mais recentes do Impreza. O novo Renault Megane também deverá ter sido feito a pensar no Grupo R4 mas, apenas para as provas de asfalto pois, não se espera que o carro seja desenvolvido para pisos de terra.

Com o exemplo da marca francesa, poderão aparecer outros construtores interessados nesta nova categoria pois, existem no mercado mais alguns veículos de tracção dianteira com motorização 2000cc turbo (Ford Focus, Seat Leon, Volkswagen Golf/ Scirocco, Opel Astra).

Quanto à categoria GT, ainda vai ser estudado um possível regulamento técnico para todos os campeonatos FIA, para aumentar o espectáculo nas estradas.

Colaboração Ricardo Nascimento

rosseticam10Chegou ao fim mais uma temporada do campeonato europeu, sendo novamente na Suiça com o Rallye du Valais, onde serviu para consagrar o novo campeão.
Os dois primeiros dias foram muito animados com várias trocas de líder pois, apareceu neve e gelo em alguns troços, tornando as escolhas de pneus bastante complicadas.

Luca Rossetti foi o primeiro a passar pela liderança no troço inicial e nos dois últimos da primeira etapa. No inicio do segundo dia, Grégoire Hotz atacou no gelo e liderou na manhã de sexta-feira mas, no entanto, acabou por furar duas vezes e perdeu muito tempo, caindo para 10º da geral mas, ainda viria a recuperar até à 4ª posição.

Rossetti voltou para a liderança no final do segundo dia e nunca mais mais deixou essa posição, vencendo a prova com mais de um minuto para Florian Gonon (que também passou algumas vezes pela liderança) e o título de campeão europeu.

Thierry Neuville foi à Suiça experimentar o já competitivo Citröen DS3 R3T e até venceu dois troços à geral com o carro de duas rodas motrizes. No inicio, teve alguma luta com Andrea Crugnola e ainda perdeu mais de 1 minuto com um furo mas, com muita garra e mais habituado ao DS3, Neuville conseguiu terminar em 3º da geral, beneficiando também com a desistência de Michal Solowow muito perto do final.

LÍDERES DO RALLY:
Luca Rossetti (SS1); Florian Gonon (SS2); Luca Rossetti (SS3 e 4); Grégoire Hotz (SS5 a 7); Florian Gonon (SS8 a 10); Luca Rossetti (SS11 a 18)
VENCEDORES DE TROÇOS:
Luca Rossetti (6); Florian Gonon (1); Michal Solowow (3); Grégoire Hotz (6); Thierry Neuville (2)

1º Luca Rossetti (ITA) FIAT PUNTO ABARTH S2000 3h 07m 02,0s
2º Florian Gonon (CH) SUBARU IMPREZA STI N12 + 01m 36,3s
3º Thierry Neuville (BEL) CITROËN DS3 R3T + 05m 15,0s
4º Grégoire Hotz (CH) PEUGEOT 207 S2000 + 06m 05,1s
5º Andrea Crugnola (ITA) RENAULT CLIO R3 + 07m 22,2s
6º Olivier Gillet (CH) RENAULT CLIO S1600 + 07m 23,3s
7º Matteo Gamba (ITA) RENAULT CLIO R3 + 08m 22,2s
8º J Radoux (CH) MITSUBISHI LANCER EVO 9 + 09m 50,1s
9º Antonin Tlust'ák (CZ) SKODA FABIA S2000 + 10m 26,9s
10º Pierre Campana (FRA) RENAULT CLIO R3 + 10m 38,5s

wrcacade10Com o fim do JWRC em 2010, a FIA em conjunto com a Nort One Sport, criaram a WRC Academy que será o primeiro passo dos pilotos mais jovens para o inicio de uma carreira WRC.

Baseado no JWRC de onde saíram pilotos como Sébastien Loeb, Daniel Sordo e Sébastien Ogier, sem esquecer o Kris Meeke, Guy Wilks e PG Andersson, o WRC Academy vai ser uma competição um pouco diferente pois, será tipo troféu mono-marca com custos muito baixos.

O carro escolhido para a competição, foi o Ford Fiesta R2 que serão preparados de igual modo pela M-Sport, estando equipados com pneus idênticos pois, a Pirelli Star Driver, também estará inserida nesta competição, em vez de utilizar os mais dispendiosos Mitsubishi, e como tal, será o fornecedor de pneus do WRC Academy.

As provas do campeonato ainda não foram mencionadas mas, será composto por 6 eventos do calendário WRC 2011 e terão uma classificação à parte e respectiva pontuação. Cada temporada terá um custo aproximado de 135.000€ mas, os pilotos terão de desembolsar todas as deslocações, estadias, carro para reconhecimentos e ainda poderão ter custos de reparação, em caso de acidente.

Os pilotos com idades entre os 17 e os 25 anos, que poderão fazer parte desta competição, terão de passar por um programa de treino, para maximizar o seu potencial em todos os aspectos numa competição FIA, cujo vencedor terá um prémio de 500.000€ no final da temporada.

Nos últimos dias em Espanha, foram já encontrados os 6 pilotos para tripular os Ford Fiesta R2 do Pirelli Star Driver que estão igualmente incluídos no WRC Academy. Os 16 pilotos provenientes de África, Ásia-Pacifico, América Latina, Europa e Médio Oriente, foram avaliados por um grupo de juízes composto por Mario Isola (Pirelli Rally Manager), Guido Rancati (Jornalista de rally) e a ex-piloto Michele Mouton.

Após uma prova teste em pisos de gravilha e asfalto, os 6 pilotos escolhidos foram: Frederik Ählin da Suécia (19 anos); Craig Breen da Irlanda (20 anos); Jan Cerný da República Checa (20 anos); Andrea Crugnola da Itália (21 anos); Brendan Reeves da Austrália (22 anos) e a jovem australiana Molly Taylor (22 anos).

Colaboração Ricardo Nascimento

rphvence10Depois de uma equipa belga ter terminado no ano passado com a hegemonia dos pilotos nacionais no palmarés do Rally de Portugal Histórico, parece que o domínio das formações estrangeiras veio para ficar nesta quinta edição do Rally de Portugal Histórico: desta vez foram os espanhóis Ricardo Alonso/Moises Alvarez (Ford Escort RS) a levarem a melhor sobre a concorrência, sendo os mais regulares ao longo das 44 provas de classificação.

Aliás, a superioridade das equipas que nos visitaram foi grande, monopolizando os lugares do pódio, com José Grosso a ser o melhor piloto português, na quarta posição, e apenas mais dois portugueses - João Vieira Borges e Cipriano Antunes - entraram nos dez primeiros.

Para tanto, também muito contribuiu a grande hecatombe dos principais pilotos nacionais: José Grosso começou por liderar a prova, mas problemas mecânicos diversos e um furo acabaram por atrasá-lo bastante, não lhe permitindo melhor que a quarta posição; João Mexia sucedeu-lhe no comando, mas o piloto de Coimbra não foi muito mais longe, com problemas na caixa de velocidades a colocarem um ponto final na sua actuação; José Luís Nunes desistiu com problemas de motor, Paulo Grosso perdeu-se numa especial e acabou por "partir" também o motor do seu Escort e Aníbal Rolo teve uma saída de estrada no segundo dia que comprometeu qualquer hipótese de uma melhor classificação.

Perante tudo isto acabou por sobressair a natural superioridade dos pilotos estrangeiros: Ricardo Alonso andou sempre muito bem e cimentou a sua vantagem na ligação entre Arganil e Viseu, conseguindo depois defender muito bem essa vantagem, apesar de ter perdido algum do seu avanço na derradeira fase da prova, mas acabando por conquistar uma vitória totalmente justa.

A principal ameaça de Alonso acabou por ser o ex-campeão europeu de regularidade, o belga Jose Lareppe, que terminou na segunda posição, a 60,4 pontos, depois de uma segunda etapa menos conseguida.

O espanhol Marcos Adan acabou por assegurar o último lugar do pódio, devido sobretudo à sua elevada regularidade ao longo dos cinco dias de prova.

Classificação final: 1.º Ricardo Alonso/Moises Alvarez (Ford Escort RS), 1645,4 pontos;
2.º Jose Lareppe/ Joseph Lambert (Opel Kadett GTE), a 60,4pt;
3.º Marcos Adan/Gaspar Osorio (Porsche 911), a 82,4pt:
4.º Gustavo Martel/Nicolas Sanchez (Porsche 911 T), a 95,7pt;
5.º José Grosso/João Sismeiro (BMW 2002), a 112,5pt;
6.º Javier Ortega/Secundino Infiesta (Lancia Fulvia), a 146,7pt;
7.º João Vieira Borges/João Srôdio (BMW 635 CSi), a 224,2pt;
8.º Iñaki Presa/German Gonzalez (Ford Escort), a 284,5pt;
9.º.º Jhony Delhez/Eddy Gully (Ford Escort RS), a 327,7pt;
10.º Cipriano Antunes/Vicente Antunes (Audi quattro), a 594,5pt; etc.

Comunicado ACP

mexiaO segundo dia do Rally de Portugal Histórico foi marcado por uma intensa competição, com as provas de classificação da zona centro do país - Lousã, Vide, Arganil, Góis, Piodão, entre outras - a produzir algumas alterações importantes ao longo dos 435 quilómetros de percurso, e que permitiram a João Mexia/Nuno Machado (Porsche 911 Coupé) subirem uma posição na geral à chegada a Viseu, assumindo-se como os novos líderes da prova.

Aliás, à chegada à cidade de Viriato todos os concorrentes foram unânimes nas dificuldades de um dia com 160 quilómetros de provas de regularidade, onde a condução teve um papel fundamental para evitar penalizações mais elevadas face às médias propostas pela organização.

Mais regulares ao longo desta ligação iniciada na Figueira da Foz e bem motivados depois do excelente jantar e do espectáculo do Casino Figueira, João Mexia/Nuno Machado acabaram por confirmar o seu estatuto como uma das equipas favoritas à vitória final, terminando a etapa em Viseu com uma vantagem de 16,9 pontos, um magro pecúlio para o que falta ainda disputar.

Mas os grandes heróis do dia foram os espanhóis Ricardo Alonso/Moises Alvarez (Ford Escort RS) que, com um desempenho notável nesta segunda etapa, saltaram da 17ª posição para o segundo lugar da geral, tornando-se na principal ameaça à liderança.

Quintos à partida da Figueira da Foz, os belgas Daniel Reuter/Robert Vandevorst (Porsche 914/6) também tiveram um dia bem positivo, subindo dois lugares na geral, colocando -se à frente do ex-campeões europeus da especialidade, Jose Lareppe/Joseph Lambert, em Opel Kadett GTE. Menos bem estiveram os primeiros líderes da prova, José Grosso/João Sismeiro (BMW 2002), que caíram quatro lugares na classificação.

Classificação no final da 2.ª etapa:
1.º João Mexia/Nuno Machado (Porsche 911 Coupé), 815,7 pontos;
2.º Ricardo Alonso/Moises Alvarez (Ford Escort RS), a 16,9pt;
3.º Daniel Reuter / Robert Vandevorst (Porsche 914/6), a 32,1pt;
4.º Jose Lareppe/ Joseph Lambert (Opel Kadett GTE), a 43,2pt;
5.º José Grosso/João Sismeiro (BMW 2002 Tii), a 46,1pt;
6.º Gustavo Martel/Nicolas Sanchez (Porsche 911 T), a 50,5pt;
7.º Javier Ortega/Secundino Infiesta (Lancia Fulvia), a 73,9pt;
8.º Iñaki Presa/German Gonzalez (Ford Escort), a 82,8pt;
9.º José L. Nunes/Segarra Marques (Alfa Romeo 2000 GTV), a 125,6pt;
10.º José Familiar/Hugo Soares (Alfa Romeo 1300), a 190,2pt

Comunicado ACP

RALIS ONLINE TV

ANUÁRIO RALIS ONLINE 2020

Facebook FanBox

RALIS EM PORTUGAL RALIS EM PORTUGAL