faceralis

 

posvendaclick

Eventos

1998fordFORD ESCORT WRC
Ford Motor Co Ltd - M-SPORT

O Escort WRC teve em 1998 a sua segunda e última temporada no mundial, onde o nome Escort também desaparecia do construtor oval que deu muita história e excelentes resultados na competição.

Em termos técnicos, o Escort recebeu um novo motor desenvolvido em parceria com a TWR (Tom Walkinshaw Racing). Carlos Sainz abandonou a equipa após dois anos mas Juha Kankkunen manteve-se na Ford por mais uma temporada. Bruno Thiry foi recrutado por Wilson mas, no entanto, foi obrigado a ceder o seu lugar a Ari Vatanen no Safari e em Portugal, devido a uma lesão.

O melhor piloto acabou por ser Juha Kankkunen na 4ª posição final do campeonato e o já desactualizado Escort, terminou na mesma posição entre os construtores.

Juha Kankkunen
Eventos disputados - 13; Abandonos - 2; Lugares no pódio - 7; Vitórias em troços - 10
Bruno Thiry
Eventos disputados - 11; Abandonos - 4; Lugares no pódio - 1; Vitórias em troços - 10
Ari Vatanen
Eventos disputados - 3; Abandonos - 1; Lugares no pódio - 1; Vitórias em troços - 1

1998imprezaSUBARU IMPREZA WRC 98 S4
555 Subaru World Rally Team - PRODRIVE

A Subaru introduziu alguns melhoramentos a nível da posição do turbo, intercooler e colectores de escape mas, essas alterações do modelo 1998, foram aplicadas no Sanremo em 1997.

Colin McRae e Piero Liatti mantiveram-se na equipa mas, Keneth Eriksson apenas disputou o Rally da Suécia pois, o piloto sueco aceitou mudar-se para a Hyundai que disputava o campeonato F2, com o Coupé Kit Car. Alister McRae disputou a última prova do campeonato na Subaru, por sugestão do seu irmão e até deu boa conta de si até desistir.

McRae não teve uma temporada tão boa como na anterior, terminando em 3º do campeonato e a Subaru também entre os construtores.

Colin McRae
Eventos disputados - 13; Abandonos - 5; Vitórias - 3 (Portugal, Córsega, Acropole); Lugares no pódio - 5; Vitórias em troços - 60
Piero Liatti
Eventos disputados - 11; Abandonos - 3; Lugares no pódio - 2; Vitórias em troços - 12
Keneth Eriksson
Eventos disputados - 1 (Suécia);
Alister McRae
Eventos disputados - 1 (RAC); Vitórias em troços - 3

1998mitsubishiMITSUBISHI LANCER EVO 4/ 5
Mitsubishi Ralliart Team Europe

A Mitsubishi iniciou a temporada ainda com o EVO 4 mas, na 5ª prova (Catalunha), estreava-se o EVO 5 em competição. O novo carro tinha uma carroçaria ligeiramente mais larga (1,77m), permitindo que tivesse vias largas para ser mais competitivo no asfalto. Os pára-choques e a asa posterior também foram redesenhados e o capot passava a ser em alumínio.

Foram efectuadas alguma alterações no motor e na transmissão mas, nada de radical pois, a prioridade centrou-se em melhorar alguns aspectos para os mecânicos poderem trabalhar melhor no carro nas assistências.
A suspensão foi alterada mas, não da forma como os engenheiros pretendiam pois, o Lancer EVO 5 estava homologado em GR.A e não com o regulamento WRC.

Tommi Makinen voltou a ser campeão por muito pouco, tendo mesmo muita sorte do seu lado no decorrer da última prova. Com Richard Burns a tempo inteiro e num ano em que se estreou a vencer, a Mitsubishi sagrou-se campeão entre os construtores.

Tommi Makinen
LANCER EVO 4 - Eventos disputados - 4; Abandonos - 3; Vitórias - 1 (Portugal); Lugares no pódio - 1; Vitórias em troços - 11
LANCER EVO 5 - Eventos disputados - 9; Abandonos - 3; Vitórias - 4 (Argentina, Finlândia, Sanremo, Austrália); Lugares no pódio - 6; Vitórias em troços - 30
Richard Burns
LANCER EVO 4 - Eventos disputados - 4; Vitórias - 1 (Safari); Lugares no pódio - 1; Vitórias em troços - 8
LANCER EVO 5 - Eventos disputados - 9; Abandonos - 3; Vitórias - 1 (RAC); Lugares no pódio - 1; Vitórias em troços - 29

1998toyotaTOYOTA COROLLA WRC
Toyota Castrol Team Europe

Com a experiência adquirida nos poucos eventos disputados no ano anterior, a Toyota apresentou-se muito forte em 1998, com Carlos Sainz a regressar à equipa mas, com o francês Didier Auriol, a manter-se na estrutura da TTE.

O Corolla recebeu um novo motor no Rally da Nova Zelândia (proveniente de um Lexus) e venceu nesse mesmo evento com Sainz e Auriol em segundo.
Marcus Gronholm, Freddy Loix e Thomas Radstrom, efectuaram algumas provas com o apoio da equipa oficial, onde alguns deles chegaram a ser nomeados para marcar pontos nos construtores.

A Toyota foi vice-campeã em 1998 e Carlos Sainz também. Não fosse o motor (Lexus) a partir a 300 metros da tomada de tempo do último troço do ano, tudo tinha sido muito diferente.

Carlos Sainz
Eventos disputados - 13; Abandonos - 2; Vitórias - 2 (Monte Carlo, Nova Zelândia); Lugares no pódio - 7; Vitórias em troços - 34
Didier Auriol
Eventos disputados - 13; Abandonos - 4; Vitórias - 1 (Catalunha); Lugares no pódio - 4; Vitórias em troços - 37
Marcus Gronholm
Eventos disputados - 5; Abandonos - 4; Vitórias em troços - 9
Freddy Loix
Eventos disputados - 4; Lugares no pódio - 2; Vitórias em troços - 11
Thomas Radstrom
Eventos disputados - 6; Abandonos - 3; Vitórias em troços - 7
Rui Madeira
Eventos disputados - 4; Abandonos - 1; Melhor resultado - 7º (Acropole)

1998seatSEAT CORDOBA WRC
Seat Sport

Após 3 títulos consecutivos nas duas rodas motrizes com o Ibiza Kit Car (1996 a 1998), a Seat decidiu subir de escalão e desenvolveu o modelo Cordoba, baseado no regulamento dos world rally cars. A vontade da equipa era permanecer com o Ibiza mas, este era demasiado pequeno pois, os world rally cars necessitavam ter 4 metros de comprimento no mínimo.

Ao ser a equipa mais pequena e com poucos recursos, a Seat Sport começou o desenvolvimento do carro com o pé esquerdo. O motor foi desenvolvido por Daniel Snobeck (engenheiro com experiência em motores de circuito) e a caixa de velocidades não era a mais adequada para rally.

O Cordoba teve a sua estreia apenas no Rally da Finlândia com Harri Rovanpera que acabou por ser o piloto fixo da equipa. Oriol Gomez, Marc Duez e Gwindaf Evans, foram rodando nas restantes provas como segundos pilotos.

Harri Rovanpera
Eventos disputados - 4; Abandonos - 1; Melhor resultado - 6º (RAC)
Oriol Gomez
Eventos disputados - 1 (Finlândia); Abandonos - 1
Marc Duez
Eventos disputados - 2; Abandonos - 1; Melhor resultado - 16º (Sanremo)

Colaboração Ricardo Nascimento

subaru97Durante os próximos dias vamos publicar aqui no Site dos Campeões um resumo, ano a ano, dos WRC com motor de 2.0 litros que fizeram a história dos ralis de uma geração que terminou este ano.

Alguns, para não dizer quase todos, correram também no nosso país e trazem-nos memórias incríveis dos tempos em que se defrontavam troço a troço.

Refira-se que este trabalho é da autoria do nosso colega Ricardo Nascimento. Começemos portanto em 1997, numa altura de transição entre os Grupo A e os WRC.

 

SUBARU IMPREZA WRC 97 S3 - 555 Subaru World Rally Team

O Subaru Impreza WRC foi o primeiro projecto World Rally Car, no qual, começou antes mesmo da FIA aprovar as regras do WRC.
Comparado ao anterior Impreza GT 4WD, as maiores mudanças do Impreza WRC foram a aerodinâmica e a carroçaria de 2 portas. O novo modelo tinha vias mais largas e uma nova asa de grandes dimensões, permitindo melhor aerodinâmica e mais estabilidade em alta velocidade.
O motor foi colocado mais para trás, para melhorar a distribuição de peso e os colectores foram melhorados. No entanto, tal como o Escort WRC, o Subaru WRC, também foi uma evolução da versão do Grupo A, a 3ª do Impreza.
A Subaru foi campeã em 1997 e por muito pouco, não conquistou o título nos pilotos com Colin McRae pois, o escocês foi quem venceu mais provas mas, também acabaria por somar alguns abandonos.

Colin McRae
Eventos disputados - 14; Abandonos - 6; Vitórias - 5 (Safari, Córsega, Sanremo, Austrália e RAC); Lugares no pódio - 6; Vitórias em troços - 78

Keneth Eriksson
Eventos disputados - 10; Abandonos - 6; Vitórias - 2 (Suécia, Nova Zelândia); Lugares no pódio - 4; Vitórias em troços - 23

Piero Liatti
Eventos disputados - 5; Vitórias - 1 (Monte Carlo); Lugares no pódio - 3; Vitórias em troços - 19

escort97FORD ESCORT WRC - Ford Repsol M-Sport

Pretendido como intermediário entre o antigo Escort RS Cosworth de GR.A e o totalmente novo Focus, o Escort WRC foi o primeiro carro de rally oficial da Ford construído por Malcolm Wilson na M-Sport. Os primeiros exemplares, que apareceram no Monte Carlo de 1997, foram construídos à pressa e sob enorme pressão. Não admira que Malcolm Wilson descrevesse essas semanas, como "preocupante".
A primeira versão não foi mais do que uma evolução do Escort RS Cosworth, tendo depois um desenvolvimento gradual durante toda a temporada 1997. Esteticamente, o Escort WRC recebeu um novo pára-choques dianteiro com novas entradas de ar e uma asa posterior de dimensões mais reduzidas em relação ao Cosworth.
A Ford foi vice-campeã de construtores em 1997 e os seus pilotos, Carlos Sainz e Juha Kankkunen terminaram em 3º e 4º respectivamente no campeonato de pilotos. Armin Schwarz só efectuou as primeiras 6 provas pois, os seus patrocinadores falharam os compromissos com a M-Sport e, como tal, o piloto alemão acabaria por ser substituído pelo finlandês Kankkunen.

Carlos Sainz
Eventos disputados - 14; Abandonos - 5; Vitórias - 2 (Acropole e Indonésia); Lugares no pódio - 7; Vitórias em troços - 54

Armin Schwarz
Eventos disputados - 6; Abandonos - 1; Lugares no pódio - 1; Vitórias em troços - 3

Juha Kankkunen
Eventos disputados - 8; Abandonos - 2; Lugares no pódio - 5; Vitórias em troços - 23

mitsubis97MITSUBISHI LANCER EVO 4 - Team Mitsubishi Ralliart

A Mitsubishi não aderiu às regras do WRC, preferindo manter-se com as especificações do GR.A. No entanto, a marca nipónica apresentou um novo modelo do Lancer, o EVO 4, sendo o primeiro dos novos carros a utilizar uma caixa sequencial da X-Trac.
O motor foi melhorado em termos de potencia e binário. As principais alterações centraram-se nuns pistões mais leves, nova árvore de cames, entradas de ar secundárias e um novo turbocompressor com desenho twin-scroll. O propulsor também rodou 180º para que a potencia fosse extraída pelo lado direito, permitindo engrenagens mais simples entre o motor e a caixa de velocidades.
Tommi Makinen obteve o seu segundo título consecutivo por apenas 1 ponto no final do campeonato e se a Ralliart tivesse apostado mais na equipa, talvez não tinha obtido uma posição melhor do que a 3ª posição.

Tommi Makinen
Eventos disputados - 14; Abandonos - 4; Vitórias - 4 (Portugal, Catalunha, Argentina e Finlândia); Lugares no pódio - 9; Vitórias em troços - 78

Richard Burns
Eventos disputados - 8; Abandonos - 2; Lugares no pódio - 1; Vitórias em troços - 20

toyota97TOYOTA COROLLA WRC - Toyota Castrol Team Europe

Após o castigo imposto pela FIA em 1995, a Toyota regressou oficialmente no verão de 1997 (Rally da Finlândia) com um novo carro. Aproveitando o novo regulamento, a Toyota decidiu abandonar o Celica que representou a marca nipónica desde o inicio dos anos 70 e regressou com o modelo Corolla mas, com o motor do Celica ST205 na sua fase inicial.
Embora o Corolla fosse mais curto do que anterior Celica, a distância entre eixos não muito diferente mas, por ser mais pequeno, surgiram alguns problemas para colocar todos os componentes de forma correcta, como por exemplo, o motor pois, este teve de ser colocado transversalmente. O novo Toyota também adoptou uma nova caixa de velocidades sequencial mas, tinha a particularidade de ser manuseada através de um joystick.

Didier Auriol
Eventos disputados - 5; Abandonos - 2; Lugares no pódio - 1; Vitórias em troços - 12

Marcus Gronholm
Eventos disputados - 2; Abandonos - 1; Vitórias em troços - 5

Freddy Loix
Eventos disputados - 1; Vitórias em troços - 6

Neal Bates
Eventos disputados - 2; Abandonos - 1

fortestalgarDepois da Prodrive com o Mini WRC e da Citroen com o DS3 WRC foi a vez da Ford também se deslocar a Portugal para testar o Fiesta WRC.

A zona escolhida foi a mesma da Citroen, tem a equipa passado quarto dias da região Algravia a testar o Fiesta WRC.

Depois de Mikko Hirvonen foi a vez a Jari Matti Latvala se sentar aos comandos do Fiesta WRC, num testes que duraram de terça-feira até hoje, sempre debaixo de algum secretismo.

Como não temos o hábito de especular, nem nos foram cedidas quase nenhumas informações (a nossa fonte foi um site francês), apenas sabemos que estes testes serviram para validar soluções quase definitivas em termos técnicos, como a escolha de Portugal (não prevista inicialmente) se deveu às boas condições atmosféricas do nosso pais face a outros países.

boufiider10Terminou no último fim-de-semana, mais um campeonato francês de asfalto, servindo para saber quem seria o campeão e contou com a estreia do novo Renault Megane RS, pelas mão de Guillaume Canivenq no Rallye du Var.

Cedric Robert dominou o rally desde a primeira especial, dividindo o número de vitórias nas mesmas com Brice Tirabassi nos dois primeiros dias. Tirabassi foi o único piloto a dar luta a Robert mas, na primeira especial do derradeiro dia, o francês saiu de estrada com o Subaru S14, deixando tudo mais fácil a para Robert alcançar a 3ª vitória do ano.

Após o prematuro abandono do veterano Dany Snobeck, na estreia com um C4 WRC, Bryan Bouffier passou a ocupar a 3ª posição da geral que servia perfeitamente para as suas ambições. Com a saída de estrada de Tirabassi, Bryan Bouffier ascendeu à segunda posição e conseguiu obter o título de campeão francês pela primeira vez, depois de ter conseguido o mesmo no campeonato polaco nos últimos dois anos.

Stéphane Sarrazin teve problemas na primeira especial mas, conseguiu recuperar de forma notável e terminou no último lugar do pódio, com o segundo Peugeot oficial.

Melhor ainda, esteve Robert Kubica que efectuou um rally brilhante a todos os níveis. Depois do pódio recentemente alcançado na Suiça, o piloto de formula 1 foi o melhor nas duas rodas motrizes e venceu todos os troços à geral no derradeiro dia, terminando a pouco mais de 30 segundos atrás de Sarrazin.
Sébastien Ogier foi uma desilusão com o DS3 R3 pois, embora tenha terminado na quinta posição, o francês ficou a mais de 3 minutos de Kubica e só venceu o Grupo R porque Emmanuel Guigou furou no derradeiro troço e caiu para a 10ª posição da geral. Quando Kris Meeke participou no Rallye Mont-Blanc com o DS3, o britânico cilindrou a concorrência num terreno que lhe era muito desconhecido.

LÍDERES DO RALLY:
Cedric Robert (SS1 a 11);
VENCEDORES DE TROÇOS:
Cedric Robert (4); Brice Tirabassi (4); Robert Kubica (3)

56º RALLYE DU VAR
1º Cedric Robert/Mathieu Duval (F) Peugeot 307 WRC 2h30m19,4s
2º Bryan Bouffier/Xavier Panseri (F) Peugeot 207 S2000 +2m33,7s
3º Stephane Sarrazin/Jacques-Julien Renucci (F) Peugeot 207 S2000 +3m01,0s
4º Robert Kubica/Jakub Gerber (PL) Renault Clio S1600 +3.09,9
5º Sebastien Ogier/Julien Ingrassia (F) Citroen DS3 R3 +6m33,1s
6º Clement Dub/Bernard Delpuech (F) Fiat Punto Abarth S2000 +9m48,8s
7º Ludovic Gal/Olivier Belot (F) Peugeot 207 S2000 +10m15,3s
8º Kevin Abbring/Erwin Mombaerts (NL/B) Renault Clio R3 Maxi +11m23,6s
9º Eric Mauffrey/Gaëtan Houssin (F) Renault Clio R3 Maxi +11m44,1s
10º Emmanuel Guigou/David Marty (F) Renault Clio R3 Maxi +11m50,0s
PONTUAÇÃO FINAL
1º Bouffier 109, 2º Robert 106, 3º Roche 71, 4º Tsjoen e Guigou 64, 6º Marchal 50.

Colaboração Ricardo Nascimento

ivonohei10Ivo Nogueira esteve esta segunda-feira em França para o primeiro contacto dinâmico com o Citroën DS3 R3T, carro idêntico ao que irá utilizar no Campeonato de Portugal de Ralis.

Num pequeno troço de asfalto em Sainte-Maxime, localidade na Riviera gaulesa por onde tinha passado o Rally du Var, o jovem piloto da Maia rodou ao lado de um dos pilotos de testes da Citroën Racing, o belga Thierry Neuville. "Foi só uma experiência ao lado do piloto mas já deu para perceber que o DS3 R3T tem um potencial incrível", comentou a jovem promessa nacional, de apenas 20 anos.

"O Thierry foi sempre falando comigo ao longo do troço mas nem era preciso! O binário do carro à saída das curvas e o trabalho das suspensões deixaram-me simplesmente boquiaberto. Nem nos meus melhores sonhos imaginei que o carro pudesse andar àquele ritmo. A caixa de velocidades e a facilidade de condução também são pontos fortes e notam-se os 10.000 quilómetros de testes que a Citroën já fez. Claro que agora vai ser complicado dormir enquanto não tiver o meu DS3 pronto", brincou Ivo Nogueira.

O jovem português também ficou agradado pelas palavras de incentivo dirigidas por alguns engenheiros da marca francesa, que o reconheceram depois de terem estado em Março no Rali Torrié, onde Ivo Nogueira fez História ao tornar-se o mais jovem vencedor (19 anos) de uma classificativa à geral do Campeonato de Portugal de Ralis.

"Já guiei o Citroën Saxo Kit-Car e o C2 R2 Max, mas tenho a impressão que o DS3 R3T será o melhor de todos", analisou. "Agora é esperar mais umas semanas e começar a testar a sério", disse o piloto.

RALIS ONLINE TV

ANUÁRIO RALIS ONLINE 2020

Facebook FanBox

RALIS EM PORTUGAL RALIS EM PORTUGAL