faceralis

 

posvendaclick

Eventos

brevesmc11A penalização de 30 segundos imposta a Stéphane Sarrazin, acabou por ser uma ordem de equipa para beneficiar Guy Wilks pois, o britânico vai disputar o campeonato por completo e como tal, todos os pontos são bem vindos.

O ex-piloto de Fórmula 1, Alex Caffi, não tem muita experiência nos ralis mas, desde o inicio, o italiano encarou este difícil desafio como muitos que já teve na sua carreira. Caffi terminou numa excelente décima primeira posição e defendeu-se muito bem dos ataques vindos de Julien Maurin na última noite.

Apesar do descontentamento por parte de Olivier Quesnel, em dizer que é injusto a Skoda estar representada no IRC a nível oficial, o mesmo sempre teve num rally ou outro, alguns carros oficiais a participar. No entanto, Bryan Bouffier deverá mesmo efectuar a maior parte do campeonato IRC em 2011 e Petter Solberg poderá regressar já no Rally da Córsega em Maio.

Para além da participação no PWRC, o jovem piloto britânico, Harry Hunt, vai defender o título obtido em 2010 no campeonato 2WD do IRC, com o novo Citroën DS3 R3T que estreou no Monte Carlo. Em 2011, Hunt fará um total de 15 eventos internacionais.

Apesar do tremendo erro na escolha de pneus no segundo dia, Juho Hanninen foi para os organizadores do IRC o vencedor do Colin McRae IRC Flat Out Trophy of 2011.

Colaboração Ricardo Nascimento

renaulmi10Segundo o maxrally.com, a Renault tem sido apontada para um retorno ao rally ao mais alto nível, após um envolvimento menor Fórmula 1.

O gigante francês continua envolvido nos Grandes Prémios, principalmente como fornecedor de motores, com a ex-equipa Renault F1 Team, agora conhecida como Lotus-Renault.

A venda da equipa a outros investidores, liberou uma quantidade suficiente de orçamento para o fabricante começar a olhar para outras formas de automobilismo: especificamente os ralis. Um novo Renault Megane RS Grupo N, será homologado em Março - o carro de rally mais potente da Renault desde o lendário Megane Maxi dos anos 90 e do actual Clio R3. Mais recentemente, foram homologados um Twingo R2 e outro R1, faltando apenas um carro de quatro rodas motrizes.

A Renault está atualmente a iniciar um estudo de viabilidade, para considerar uma possível entrada para o WRC - muito provavelmente com o Megane Coupe ou o Clio da próxima geração - que lhe permitiria competir ao nível da Citroën e Ford.

Uma fonte próxima da Renault disse o seguinte: "De alguma forma ou de outra, a Renault sempre esteve envolvida nos rallies, mas a mudança no regulamento certamente facilita a participação ao mais alto nível. A possibilidade de ser representada em todos os níveis é muito interessante para a Renault."

2002fordFORD FOCUS RS WRC 02
Em 2002, o Engº Gunther Steiner mudou-se a equipa Jaguar de F1 e foi substituído por Christian Loriaux, vindo da Prodrive. Infelizmente, Loriaux chegou muito tarde para redesenhar e criar grande impacto no Focus WRC 2002.
De facto, o Focus 2002 foi desenvolvido ao longo do ano, muito mais do que a versão estreada no Rallye Monte Carlo. Na versão inicial, o Focus tinha pequenas modificações no motor e a bomba da direcção assistida tinha sido colocada noutro sítio. No interior havia um tablier redesenhado e o travão de mão foi colocado de forma diferente.
Ao longa da temporada, o carro foi melhorado em quase tudo. No exterior recebeu uma nova entrada de ar para o habitáculo e o sistema da caixa de velocidades, passou a ser accionado por uma patilha atrás do volante.
Carlos Sainz e Colin McRae mantiveram-se na equipa e terminaram em 3º e 4º respectivamente no campeonato. No entanto, ambos estiveram evolvidos numa grande luta pela segunda posição final entre muitos pilotos, acabando por ficar a Ford como vice-campeã nos construtores.
Markko Martin não se deu bem na Subaru em 2001 mas, na Ford o piloto estónio começou realmente a dar nas vistas, vencendo mais troços do que Sainz e esteve perto de obter a primeira vitória no WRC.
Outro jovem a demonstrar-se rápido foi François Duval. A disputar o JWRC com um Ford Puma S1600, Malcolm Wilson deu algumas oportunidades a Duval, ao volante de um carro oficial.

Carlos Sainz
Eventos disputados - 14; Abandonos - 3; Vitórias - 1 (Argentina); Lugares no pódio - 5; Vitórias em troços - 5; Posição no campeonato - 3º
Colin McRae
Eventos disputados - 14; Abandonos - 4; Vitórias - 2 (Acropole e Safari); Lugares no pódio - 3; Vitórias em troços - 13; Posição no campeonato - 4º
Markko Martin
Eventos disputados - 13; Abandonos - 1; Lugares no pódio - 1 (RAC); Vitórias em troços - 9; Posição no campeonato - 9º
François Duval
Eventos disputados - 5; Abandonos - 4; Melhor resultado - 10º (Suécia); Vitórias em troços - 1

2002subaruSUBARU IMPREZA WRC 02 S8 44S
Nas palavras de David Lapworth, um novo Impreza é "uma evolução e não uma revolução". A única alteração visível na carroçaria era um novo spoiler no pára-choques dianteiro, desenhado para ser mais resistente ao cortar as curvas em troços de asfalto.
As outras alterações foram debaixo do capot, incluindo ligeiras alterações no motor e outras no turbo. O sistema de escape ficou mais eficiente e o sistema de injecção de água também.
Tommi Makinen deixou a Mitsubishi e rumou para a equipa de David Richards. O finlandês começou por vencer no Monte Carlos mas, depois disso não ganhou mais nada e somou muitos abandonos ao longo da temporada, terminando apenas em oitavo no campeonato.
Petter Solberg teve em 2002 a sua segunda temporada completa na Subaru, evoluindo muito como piloto pois, acabaria por vencer o seu primeiro rally do mundial e terminou como vice-campeão mas, os maus resultados de Makinen, não permitiram que a Subaru fizesse melhor do que 3º no campeonato de construtores.

Tommi Makinen
Eventos disputados - 14; Abandonos - 8; Vitórias - 1 (Monte Carlo); Lugares no pódio - 3; Vitórias em troços - 15; Posição no campeonato - 8º
Petter Solberg
Eventos disputados - 14; Abandonos - 4; Vitórias - 1 (RAC); Lugares no pódio - 5; Vitórias em troços - 27;Posição no campeonato - 2º
Toshi Arai
Eventos disputados - 2; Abandonos - 1; Melhor resultado - 13º (Acropole)
Achim Mortl
Eventos disputados - 2; Abandonos - 2

2002mitsubishiMITSUBISHI  LANCER EVO 7 WRC/ STEP 2
A Mitsubishi fez meia temporada com o carro estreado no final do ano anterior que continuou a demonstrar-se inferior à concorrência. O primeiro Lancer WRC foi totalmente evoluído por Makinen, sendo também muito ao estilo de condução do finlandês.
Os seus novos pilotos, François Delecour e Alister McRae, nunca se entenderam muito bem com o carro e por isso, a Ralliart apresentou-se na Finlândia com uma nova evolução conhecida como Step 2 que acabou por não resultar. Após ter terminado em último entre os construtores, a Mitsubishi decidiu retirar-se durante a temporada 2003, para fazer um novo carro ganhador.
McRae foi o único piloto a marcar pontos que acabou por acontecer apenas no Rally da Suécia mas, o sistema de pontuação era medíocre na altura pois, apenas os seis primeiros podiam pontuar quando haviam 7 equipas a disputar o WRC com 3 carros em muitos eventos.

François Delecour
WRC - Eventos disputados - 8; Abandonos - 2; Melhor resultado - 7º (Córsega)
WRC Step2 - Eventos disputados - 6; Abandonos - 3; Melhor resultado - 9º (Nova Zelândia)
Alister McRae
WRC - Eventos disputados - 8; Abandonos - 2; Melhor resultado - 5º (Suécia); Vitórias em troços - 2
WRC Step2 - Eventos disputados - 3; Abandonos - 3; Vitórias em troços - 1; Posição no campeonato - 15º
Jani Paasonen
WRC - Eventos disputados - 2; Abandonos - 1; Melhor resultado - 14º (Suécia)
WRC Step2 - Eventos disputados - 4; Abandonos - 2; Melhor resultado - 8º (Finlândia); Vitórias em troços - 1
Justin Dale
WRC Step2 - Eventos disputados - 1 (RAC); Abandonos - 1

2002skodaSKODA OCTAVIA WRC EVO 2/ EVO 3
A Skoda efectuou a maior parte da temporada com o evolução 2 do Octavia mas, tal como a Mitsubishi, os checos estrearam a evolução 3 no Rally da Finlândia. As diferenças não eram muitas em relação ao carro anterior pois, apenas se notavam pequenas alterações na dianteira do Skoda e em termos mecânicos, mudou-se o sistema de escape e outros pequenos pormenores.
Após a estreia em 1999, a Skoda fez em 2002 a sua primeira temporada completa, tendo como pilotos fixos, Keneth Eriksson e Toni Gardemeister. Ambos conseguiram alguns resultados mas, a equipa acabou por partilhar o último lugar no campeonato com a Mitsubishi.

Keneth Eriksson
EVO 2 - Eventos disputados - 8; Abandonos - 3; Melhor resultado - 6º (Argentina)
EVO 3 - Eventos disputados - 6; Abandonos - 2; Melhor resultado - 8º (Austrália); Posição no campeonato - 17º (1 ponto)
Toni Gardemeister
EVO 2 - Eventos disputados - 8; Abandonos - 2; Melhor resultado - 5º (Argentina)
EVO 3 - Eventos disputados - 6; Abandonos - 2; Melhor resultado - 6º (Austrália); Posição no campeonato- 13º (3 pontos)
Roman Kresta
EVO 2 - Eventos disputados - 4; Abandonos - 2; Melhor resultado - 7º (Safari)
EVO 3 - Eventos disputados - 2; Melhor resultado - 12º (Sanremo)
Stig Blomqvist
EVO 2 - Eventos disputados - 3; Abandonos - 1; Melhor resultado - 15º (Suécia)
Gabriel Pozzo
EVO 2 - Eventos disputados - 4; Abandonos - 2; Melhor resultado - 9º (Argentina)
Matthias Kahle
EVO 3 - Eventos disputados - 1 (Alemanha); Abandonos - 1

2002peugeotPEUGEOT 206 WRC 01/ 02
Após o inicio desastroso na temporada anterior, a Peugeot conseguiu resolver muitos problemas de fiabilidade no 206, voltando a ter um carro forte e competitivo o que permitiu ser campeã em 2001 pelo segundo ano consecutivo.
Em 2002, a Peugeot apresentou na Grécia a última evolução do 206 WRC, onde alteraram apenas pequenos pormenores como a asa posterior para melhorar a estabilidade. O sistema de arrefecimento também sofreu melhoramentos e a suspensão tornou-se muito mais forte.
O campeão em 2001, Richard Burns, mudou-se para a Peugeot mas, nunca conseguiu melhor do que algumas segundas posições, somando também muitos abandonos e um grande acidente na Nova Zelândia, talvez o maior na carreira do piloto. Burns terminou em 5º no campeonato mas, também foi um dos muitos pilotos que lutou pela segunda posição final.
O binómio Peugeot 206/ Marcus Gronholm, estiveram imbatíveis a todos os níveis. O finlandês venceu cinco eventos e nem uma desclassificação na Argentina lhe conseguiu impedir de obter o seu segundo título, de forma destacada.
Gilles Panizzi também contribuiu muito para o título da Peugeot pois, excepto no Monte Carlo, o francês venceu as três restantes provas em pisos de asfalto, vindo a terminar em 6º do campeonato a seis pontos do segundo classificado.
Harri Rovanpera não venceu mas, foi ao pódio por quatro vezes e ficou em 7º a 1 ponto de Panizzi.

Richard Burns
WRC 01 - Eventos disputados - 6; Abandonos - 1; Lugares no pódio - 3; Vitórias em troços - 13
WRC 02 - Eventos disputados - 8; Abandonos - 5; Lugares no pódio - 2; Vitórias em troços - 27; Posição no campeonato - 5º (34 pontos)
Marcus Gronholm
WRC 01 - Eventos disputados - 6; Abandonos - 1; Vitórias - 2 (Suécia e Chipre); Lugares no pódio - 3; Vitórias em troços - 17
WRC 02 - Eventos disputados - 8; Abandonos - 2; Vitórias - 3 (Finlândia, Nova Zelândia e Austrália); Lugares no pódio - 6; Vitórias em troços - 44; Posição no campeonato - 1º (77 pontos)
Harri Rovanpera
WRC 01 - Eventos disputados - 6; Abandonos - 2; Lugares no pódio - 1; Vitórias em troços - 3
WRC 02 - Eventos disputados - 8; Abandonos - 2; Lugares no pódio - 3; Vitórias em troços - 14; Posição no campeonato - 7º (30 pontos)
Gilles Panizzi
WRC 01 - Eventos disputados - 6; Abandonos - 1; Vitórias - 2 (Córsega e Catalunha); Lugares no pódio - 2; Vitórias em troços - 18
WRC 02 - Eventos disputados - 5; Abandonos - 1; Vitórias - 1 (Sanremo); Lugares no pódio - 1; Vitórias em troços - 12; Posição no campeonato - 6º (31 pontos)

2002hyundaiHYUNDAI ACCENT WRC 2/ WRC 3
Na terceira prova do campeonato, no Rally da Córsega, a Hyundai apresentou-se à partida com a 3ª e última evolução do Accent WRC. O pára-choque dianteiro tinha um novo desenho para melhorar o arrefecimento, sendo a única diferença exterior no carro coreano mas, em termos mecânicos, o curso da suspensão foi alterado, os amortecedores foram novos e o sistema hidráulico da direcção assistida também foi melhorado.
O motor, foi talvez o componente que sofreu maiores alterações, passando a ser desenvolvido pela própria MSD, em vez da Mountune. Foram introduzidos novos pistões, a câmara de combustão foi redesenhada e outras peças tornaram-se mais leves.
Contudo, estas alterações importantes não tornaram o Accent num carro ganhador pois, os resultados foram tão bons como os da Mitsubishi e Skoda.
O suposto aposentado, Juha Kankkunen, foi chamado para conduzir o 3º carro da Hyundai e acabou por ser o melhor piloto classificado da equipa após ter conseguido um 5º lugar na Nova Zelândia.
Freddy Loix mudou-se da Mitsubishi para a Hyundai e teve uma temporada para esquecer pois, somou oito abandonos, acontecendo o mesmo a Armin Schwarz que tinha saído da Skoda, desistindo em sete eventos e não obteve qualquer ponto no campeonato.

Armin Schwarz
WRC 2 - Eventos disputados - 2; Abandonos - 2
WRC 3 - Eventos disputados - 12; Abandonos - 5; Melhor resultado - 7º (Chipre)
Freddy Loix
WRC 2 - Eventos disputados - 2; Abandonos - 2
WRC 3 - Eventos disputados - 12; Abandonos - 6; Melhor resultado - 6º (Nova Zelândia); Posição no campeonato - 17º (1 ponto)
Juha kankkunen
WRC 2 - Eventos disputados - 1; Melhor resultado - 8º (Suécia)
WRC 3 - Eventos disputados - 8; Abandonos - 4; Melhor resultado - 5º (Nova Zelândia); Posição no campeonato - 14º (2 pontos)
Tomasz Kuchar
WRC 3 - Eventos disputados - 2; Abandonos - 1; Melhor resultado - 14º (Chipre)

2002cirtroenCITROËN XSARA WRC
A Citroën voltou a marcar presença em algumas provas pois, era importante desenvolver bem o carro antes de se iniciarem a sério no WRC, para lutar pelo campeonato.
O Xsara foi sendo melhorado rally a rally e já se previa que quando a equipa se envolvesse a tempo inteiro no campeonato, ia dar muitas dores de cabeça à concorrência pois, a Citroën obteve a sua segunda vitória no segundo ano com uma viatura WRC. Como curiosidade, o Xsara foi o primeiro carro de rally a testar um sistema de ar condicionado no Rally da Grécia.
O jovem Sébastien Loeb foi o piloto que mais provas efectuou com o Xsara WRC, vencendo o seu primeiro rally na Alemanha mas, no entanto, a primeira vitória tinha sido alcançada no Monte Carlo mas, uma pequena intervenção no carro de forma ilegal, fez com que Loeb penalizasse dois minutos, perdendo o evento na secretaria para Makinen.
Thomas Radstrom também se demonstrou rápido em alguma situações e Philippe Bugalsky também pois, ambos chegaram a vencer troços.

Thomas Radstrom
Eventos disputados - 7; Abandonos - 4; Lugares no pódio - 1 (Safari); Vitórias em troços - 2; Posição no campeonato - 12º (4 pontos)
Sébastien Loeb
Eventos disputados - 9; Abandonos - 2; Vitórias - 1 (Alemanha); Lugares no pódio - 2; Vitórias em troços - 18; Posição no campeonato - 10º (18 pontos)
Philippe Bugalsky
Eventos disputados - 5; Abandonos - 3; Lugares no pódio - 1; Vitórias em troços - 1; Posição no campeonato - 11º (7 pontos)
Jesus Puras
Eventos disputados - 3; Abandonos - 1; Melhor resultado - 6º (Sanremo); Vitórias em troços - 1; Posição no campeonato - 17º (1 ponto)

Colaboração Ricardo Nascimento

fiestaA equipa Ford, que este ano vai estrear o novo Fiesta WRC no Mundial de ralis, apresentou-o no Autosport International Racing Car.

A primeira novidade é que a equipa se passou a designar como Ford Abu Dhabi World Rally Team, fruto de uma parceria mais estreia com o principal patrocinador.

Este acordo motivou que o Fiesta tivesse uma decoração completamente nova face aos anteriores Focus da equipa oficial, como também irá permitir a Khalid Al Qassimi conduzir um terceiro carro oficial, juntamente como Hirvonen e Latvala.

 

logofia11Pelo menos nos eventos FIA, os agrupamentos dos carros que conhecíamos até hoje, foram alterados.

Estas medidas já foram aplicadas no Jänner Rally que se disputou na Áustria durante o último fim-de-semana e também já constam tanto na lista de inscritos provisória do próximo Rally da Suécia, bem como, na lista definitiva do Rallye Monte Carlo.

Os novos WRC estão numa classe à parte pois, apenas podem participar nos eventos do campeonato mundial. As classes seguintes estão numeradas entre 1 e 10, onde incluem os futuros S2000 com motor 1600 turbo (Super Production), S2000, Grupo R, Grupo A, Grupo N e GT.

Pela primeira vez e muito bem, os actuais S2000 (Classe 2) de motor aspirado, estão separados dos ex-N4 (Classe 3) mas, acabaram por ficar reagrupados com os novos R4.

Nas duas rodas motrizes, os S1600 passam a fazer parte da mesma classe dos R3C e R3T (A7) e na classe 6, mantém-se os carros R2 e GR.A com cilindradas compreendidas entre os 1400cc e os 1600cc.

Exemplos:
CLASSE WRC - CITROËN DS3 WRC;
CLASSE 01 - MINI COUNTRYMAN S2000 1.6T (Super Production);
CLASSE 02 - PEUGEOT 207 S2000/ MITSUBISHI LANCER R4;
CLASSE 03 - SUBARU IMPREZA STI N15;
CLASSE 04 - PORSCHE 911 GT3;
CLASSE 05 - PEUGEOT 206 RC (GR.A)/ SUZUKI SWIFT S1600/ RENAULT CLIO R3/ CITROËN DS3 R3T/ FIAT PUNTO R3D;
CLASSE 06 - CITROËN SAXO CUP (GR.A)/ FORD FIESTA R2;
CLASSE 07 - TOYOTA YARIS 1.3 (GR.A)
CLASSE 08 - RENAULT CLIO RS Ragnotti (GR.N)
CLASSE 09 - SUZUKI SWIFT SPORT (GR.N)/ RENAULT TWINGO R1;
CLASSE 10 - SKOFA FABIA 1.4 (GR.N)

Colaboração: Ricardo Nascimento

classesmundial10