faceralis

 

banner728x90pixels - NOVA DATA

Eventos

208Quem sucede a Alejandro Cachón / Alejandro 'Jandrin' Lopez, os Campeões da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021? É uma questão que irá ter resposta no final das seis provas que prometem voltar a marcar o ritmo das grandes emoções nos campeonatos de ralis em Portugal e Espanha, após o sucesso inegável das quatro épocas decorridas.

Será a Temporada 5 da iniciativa coorganizada pela PEUGEOT Portugal e a PEUGEOT Espanha, com o apoio da Sports & You, e que permite aos jovens talentos ibéricos progredirem na sua carreira.

Os múltiplos PEUGEOT 208 Rally4 que se aguardam no alinhamento de concorrentes aos títulos de 2022 voltarão a percorrer diferentes palcos da Península Ibérica, em seis jornadas emocionantes – três em Portugal (em terra) e três em Espanha (em asfalto) – integrando duas provas do Mundial de Ralis e outra do Europeu.

Em 2022, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA voltará a afirmar-se como o troféu de referência na Península Ibérica, contando com um montante de prémios particularmente aliciante, no conjunto dos que são distribuídos em cada rali, entre Pilotos e Equipas, e os valiosos Prémios Finais de temporada que darão direito a um programa oficial:

• € 140.000 distribuídos pelas seis jornadas (cerca de € 23.000 por rali);
• Um Prémio Final para Equipas, num voucher que poderá ascender a € 10.000 para a compra de um veiculo das categorias "Rally4" ou "Rally2" dos ateliers da Stellantis Motorsport; e
• Um grande Prémio Final, único e de sonho, para a dupla de pilotos que se sagrar Campeã, que terá um progra-ma de ralis em 2023, num "Rally2", em Espanha ou Portugal, ou num "Rally4" no Europeu de Ralis.

Suportando a transição energética que pauta a evolução da marca PEUGEOT e o seu compromisso com o desporto automóvel, algumas das provas da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2022 irão ter um PEUGEOT e-208 100% elétrico como "Carro de segurança", em apoio às respetivas organizações.

Está tudo a postos para a 5ª temporada da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA. Do calendário da competição em 2022 fazem parte seis eventos, os primeiros três em Portugal (em pisos terra) e de seguida três em Espanha (em troços de asfalto), e neles incluem-se duas jornadas pontuáveis para o Mundial de Ralis (WRC) e mais uma do Europeu (ERC).

Será sob um ambiente internacional que a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2022 irá arrancar em meados de março, no Rali Serras de Fafe e Felgueiras (11 e 12 de março), a primeira das provas portuguesas do ERC 2022 e também pontuável para o Campeonato de Portugal de Ralis (CPR), a que se seguirá o Rali de Mortágua (29 e 30 de abril), jornada do Campeonato de Portugal de Ralis de 2 Rodas Motrizes (CPR2RM), terminando-se a ronda portuguesa com o Vodafone Rali de Portugal (19 a 21 de maio), aqui simultaneamente em ambiente de Mundial e de Nacional de Ralis, na jornada lusa do WRC e que também pontua para o CPR 2022.

Das provas portuguesas em terra, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2022 transitará, na sua segunda metade, para a fase de asfalto, que irá correr-se em Espanha. A 'contenda' inicia-se no Rally de Ourense (17 e 18 de junho), fazendo-se, após o interregno de verão, o regresso às estradas no Rally de Llanes (23 e 24 de setembro), naquelas que são duas das provas pontuáveis para o SuperCampeonato de Espanha de Ralis (SCER). A época terminará, uma vez mais, no Rally RACC Catalunya – Rally de España (20 a 23 de outubro), a segunda jornada do presente calendário pontuável para o WRC.

No final destas seis provas discutidas ao volante dos competitivos PEUGEOT 208 Rally4 ficar-se-á a conhecer os sucessores de Alejandro Cachón / Alejandro 'Jandrin' Lopez, os Campeões de 2021, dupla que, com esse resultado, assegurou uma participação oficial no SuperCampeonato de Espanha de Ralis 2022 com uma viatura da Stellantis Motorsport, da categoria "Rally2".

CALENDÁRIO DA PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2022*

11 e 12 março Rally Serras de Fafe e Felgueiras (1ª Etapa)** Terra Portugal
29 e 30 abril Rali de Mortágua Terra Portugal
19 a 21 maio Vodafone Rally de Portugal (1ª Etapa)** Terra Portugal
17 e 18 junho Rally de Ourense Asfalto Espanha
23 e 24 setembro Rally Villa de Llanes Asfalto Espanha
20 a 23 outubro RACC Catalunya/Rally de España (1ª Etapa)** Asfalto Espanha
* Provisório; dependente de eventuais condicionantes que possam afetar ambos os países, decorrentes da pandemia de COVID-19; ** Para efeitos de classificações e pontuações, apenas se consideram os resultados da 1ª Etapa.

Uma particularidade desta nova Temporada 5 da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, alguns ralis irão ter um PEUGEOT e-208 100% elétrico como "Carro de Segurança", em apoio às respetivas organizações. Sublinha-se assim a transição energética abraçada pela marca PEUGEOT, da qual já é um ator principal em Portugal, e que se estende das iniciativas corporativas e de uma ampla gama de produtos ao desporto automóvel e aos ralis em particular.

"Orgulhamo-nos de apresentar a quinta temporada desta iniciativa de enorme sucesso que é a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA. As premissas em que assenta são semelhantes às das anteriores quatro épocas. O contributo para o lançamento dos futuros valores nos ralis, ou para a confirmação de outros nomes que, através do nosso Troféu, têm vindo a realizar um sonho e a desenvolver programas desportivos bastante sólidos, com excelentes resultados que, em alguns casos, os transportam para outros patamares dos ralis. E naturalmente o enorme sucesso junto de Pilotos e Equipas do PEUGEOT 208 Rally4, que, de há dois anos a esta parte, transmite os valores da marca PEUGEOT, mostran-do-se vencedor, fiável e acessível, num claro contributo para a imagem de sucesso e as vendas do PEUGEOT 208 de série, que lhe serve de base. E, num período em que a sociedade é chamada a desempenhar o seu papel na transição energética, destaco ainda a particularidade de este ano termos em algumas provas uma unidade 100% elétrica e-208 como 'Carro de Segurança'. É um espelho da transição energética que estamos a abraçar na PEUGEOT, da nossa capacidade de adaptação e da qualidade dos nossos produtos eletrificados que levam os clientes a elegerem-nos já como um 'player' de referência nesse mercado.", refere Jorge Tomé, Brand Manager da PEUGEOT Portugal.

NOVIDADES NOS PRÉMIOS DE 2022

Fiel ao objetivo de fazer eclodir futuros talentos da disciplina, colocando-os frente a frente com nomes de créditos firmados que veem neste troféu um vetor para continuar a evoluir e a estruturar as suas carreiras nos ralis, a organiza-ção da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA espera conquistar um volume significativo de inscrições. Tal decorre não só do aliciante calendário e dos créditos competitivos do 208 Rally4, como também do pacote de prémios que há para distribuir pelo plantel.

A primeira novidade refere-se aos Prémios a distribuir às Equipas em cada prova, traduzidos em produtos Pirelli ao longo do desenrolar dos ralis, aos quais se junta um Prémio Final que será atribuído à Equipa Campeã. Este ano, esse Prémio consistirá num voucher no valor de € 5.000 que deverá ser utilizado na aquisição de um veiculo da categoria "Rally4" ou, em alternativa, num outro voucher no valor € 10.000 destinado à compra de uma viatura da categoria "Rally2", ambas viaturas dos departamentos de Competição da Stellantis e a utilizar na época de 2023.

Com distribuição feita por prova, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2022 tem esta época um valor total de € 140.000 para distribuir entre Pilotos e Equipas, ao longo das seis provas e em função dos resultados alcançados em cada uma delas pelas diferentes duplas (Piloto e Navegador).

Naturalmente que o bolo maior irá para os pilotos e para quem terminar cada prova nos lugares do pódio, distribuindo-se o restante montante pelos demais classificados no ranking da copa em cada um dos seis ralis.

Adicionalmente, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA sublinha a sua diferenciação entre as demais iniciativas do mundo dos ralis em ambos os lados da fronteira com o Grande Prémio Final que estará reservado aos futuros "Campeões" de 2022: um programa oficial de ralis em 2023 num carro "Rally2", em Espanha ou Portugal, ou num carro "Rally4" no Europeu de Ralis (ERC).

TERCEIRO ROUND PARA O COMPETITIVO E FIÁVEL PEUGEOT 208 RALLY4

O herói de destaque na competição será, pelo terceiro ano consecutivo, o PEUGEOT 208 Rally4, máquina que não só tem registado uma enorme aceitação, como tem demonstrado, níveis de fiabilidade impressionantes, bem como de competitividade, por vezes envolvendo-se em lutas diretas com outras viaturas de categorias superiores em inúmeros campeonatos e ralis de todo o planeta.

Modelo para ralis desenvolvido com base no PEUGEOT 208 de série, este produto saído dos 'ateliers' de competição da PEUGEOT Sport e que a organização da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA foi uma das primeiras a utilizar, alicerça-se nos reconhecidos fatores que sublinham a excelência da marca: fiabilidade, qualidade, eficiência e, no caso dos ralis, combatividade.

Desenvolvido para a categoria "Rally 4", o 208 Rally4 é hoje o recordista de vendas na categoria. Evolução técnica e estética do modelo de estrada, o 208 Rally4 resulta da plataforma CMP, uma tecnologia de baixo peso e dinâmica evoluída, que garante um potencial de performances desportivas bastante significativas.

No capítulo mecânico, o 208 Rally4 da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA destaca-se pela integração do motor 1.2 PureTech de 3 cilindros turbo comprimido adaptado para a competição, dotado de um turbo de maiores dimensões, uma gestão eletrónica de competição Magneti Marelli e uma caixa sequencial de cinco velocidades SADEV, entre outros elemen-tos. Nesta versão de ralis debita uma potência de 208 cv às 5.450 rpm e alcança um binário de 290 Nm às 3.000 rpm. O modelo conta ainda com um diferencial autoblocante mecânico, travões de disco ventilados à frente de 330 mm (pisos de asfalto) ou 283 mm (terra) e discos sólidos atrás (290 mm), suspensão ajustável em três níveis (com compressão/afastamento de alta e baixa velocidade), num conjunto que tem um peso mínimo de 1.080 kg (1.250 kg com piloto e navegador a bordo).

Novas encomendas para 208 Rally4 a utilizar na PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA deverão ser colocadas através da Sports & You, distribuidora oficial da Stellantis Motorsport Racing Shop para Portugal e Espanha, num modelo que é proposto por € 67.000 (antes de impostos).

Oportunamente serão reveladas informações adicionais da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2022, designadamente aquando da publicação das versões finais do respetivo Regulamento Desportivo e Regulamento Técnico da competi-ção.

Coorganizada pela PEUGEOT Portugal e pela PEUGEOT Espanha e com a gestão logística a cargo da Sports & You, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2022 volta a ter a Pirelli como parceira, no domínio do fornecimento e assistência em termos de pneus, entre outros apoios: Vodafone, RACC e ACP.

UlyssesBertholdo(Por José Carlos Vieira Santos, desde o Brasil, Foto: Edson Castro)

A dupla gaúcha Ulysses Bertholdo / Marcelo Dalmut, a bordo de um Mitsubishi Lancer Evo X, foi a vencedora na categoria Rally 2 da edição 2021 do tradicional Rally de Erechim, disputado entre os dias 10 e 12 de dezembro no estado do Rio Grande do Sul. A realização da prova, ausente do calendário desde 2019 em razão da pandemia do Covid-19, ficou marcada também pelo 20º título nacional obtido pelo multicampeão Ulysses Bertholdo em sua extensa carreira, iniciada em 1991.

Com mais essa importante conquista, obtida ao longo de 30 anos de dedicação à modalidade, Ulysses se consolidou como o piloto mais vitorioso em toda a história do rally nacional brasileiro, somando também a esses 10 títulos nacionais os títulos de campeão sul-americano de rally nas categorias N3 e N4, além das diversas vitórias obtidas na modalidade de cross-country, ao volante de veículos todo o terreno, sendo que o seu bem-sucedido currículo já lhe havia rendido o Título Mérito Desportivo, concedido em 2019 pela Câmara Municipal de Farroupilha, sua cidade, por intermédio do Projeto de Lei 008/2019, onde está registrada toda a sua trajetória desportiva.

Além da dupla composta por Ulysses e Marcelo, somente os irmãos Juliano e Rafael Sartori, aos comandos de um Volkswagen Polo Turbo Maxi Rally, tinham chances matemáticas de chegar ao título. Mas a má sorte já havia se manifestado no primeiro trecho cronometrado de sábado, quando os irmãos tiveram um pneu furado, sendo que no final do rally, também perderam a segunda colocação para a dupla Milton Pagliosa / Vinícius Anziliero, a bordo de outro Mitsubishi Lancer Evo X.

"Estamos muito contentes com essa vitória, ganhando no sábado e domingo. Neste último dia, os irmãos Sartori tiveram um problema na última especial. Eles estavam em primeiro e nós em segundo e assim vencemos nos dois dias, encerrando o campeonato com chave de ouro", declarou Ulysses Bertholdo ao final do rally.

Na categoria Rally 4, a dupla catarinense Rafael Tulio / Sandro Maestrelli obteve a vitória e o título com um Peugeot 207, da mesma forma como a dupla gaúcha Evandro Carbonera / Juliano Gracioli, com a vitória e o título da categoria Rally 5, a bordo de outro Peugeot 207.

O Rally de Erechim teve percurso total de 280 km, com 140 km de trechos cronometrados. Participaram da competição um total de 27 duplas.

Resultados:

Categoria Rally 2
1) Ulysses Bertholdo / Marcelo Dalmut - Mitsubishi Lancer Evo X
2) Milton Pagliosa / Vinícius Anziliero - Mitsubishi Lancer Evo X
3) Juliano Sartori / Rafael Sartori - Volkswagen Polo Turbo Maxi Rally

Categoria Rally 4
1) Rafael Tulio / Sandro Maestrelli - Peugeot 207
2) Maurício Neves / Leandro Ferrarini - Volkswagen Up TSI Turbo
3) Carlos Eduardo Celuppi / Gilson Yoshimura - Peugeot 207

Categoria Rally 5
1) Evandro Carbonera / Juliano Gracioli - Peugeot 207
2) Tiago Klimaczewski / Felipe Klimaczewski - Fiat Palio
3) Luciano Américo Melo / Márcio Ruckl Jr. - Peugeot 206

 

 

madeiralegend21Inscritos Rali Madeira Legend, prova tipo "Festival Motorsport" que se realiza na Ilha da Madeira dias 29 e 30 de outubro.

madeiralegend21ins

Cacho4Alejandro Cachón / Alejandro 'Jandrin' Lopez são os "Campeões" da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, títulos que apenas garantiram no derradeiro rali de uma copa que, de há quatro anos para cá, se corre nos mais diferentes palcos da Península Ibérica, numa coorganização entre a Peugeot Portugal e a Peugeot Espanha.

Foi uma decisão tirada a ferros, que apenas se tornou definitiva no final das 6 Especiais em asfalto que serviram de palco ao sexto e último confronto do ano, com vantagem para os novos "Campeões" que, assim, se impuseram a Alberto Monarri / Ángel Vela, dupla que apesar de ter vencido este Rally RACC Catalunya – foi a sua primeira vitória do ano – apenas logrou os louros de Vice-Campeões.
Outra das duplas em destaque nesta prova que encerra a Temporada 4 da copa ibérica da Peugeot foi a dos "Campeões" de 2018, Roberto Blach / José Murado, num sólido 2º lugar final, logo à frente dos agora "Campeões" de 2021 Cachón / 'Jandrin', num rali que teve no final sete exemplares do 208 Rally4, cumprindo os 112,02 quilómetros cronometrados de troços.
Vêm das Astúrias os "Campeões" desta Temporada 4, que terão a sua consagração oficial na Cerimónia de Entrega de Prémios da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, evento a realizar em data e local a anunciar. Aí estarão em destaque os laureados, mas também todo o conjunto de mais de 20 pilotos, cerca de 30 navegadores e respetivas estruturas que adotaram os competitivos PEUGEOT 208 Rally4 como cavalo de batalha e contribuíram para mais uma época de enorme e saudável competitividade, em que a discussão dos títulos se prolongou até à derradeira prova.
Realizou-se hoje a sexta e última prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, tendo como palco as seis Especiais da 1ª Etapa do Rally RACC Catalunya - Costa Daurada, rali que foi, também, o segundo da época integrado no calendário do Mundial de Ralis (WRC), depois do Vodafone Rally de Portugal, em maio. Foram duas sequências de três troços de suster a respiração, pois estava em jogo não só a vitória no rali catalão, como a própria atribuição dos títulos de "Campeões" da iniciativa coorganizada há quatro anos pela Peugeot Portugal e Peugeot Espanha, assente na estrutura logística da Sports & You.

Em luta pelos títulos de 2021 estiveram Alejandro Cachón / 'Jandrín' e Alberto Monarri / Ángel Vela, os únicos que, à partida deste rali, podiam almejar tal resultado, após uma época de seis provas, divididas entre Portugal e Espanha. Ambos enfrentaram os 112,02 quilómetros cronometrados deste rali, juntamente com seis outros adversários, igualmente espanhóis e aos comandos dos seus Peugeot 208 Rally4.

Finda a contenda, coube a Alberto Monarri e Ángel Vela subir, pela primeira vez este ano, ao lugar mais alto do pódio para o champanhe da vitória numa prova da copa, mas a festa maior fazia-se entre os elementos da equipa adversária, fruto da conquista de uns muito suados títulos de "Campeões" por parte de Alejandro Cachón / 'Jandrín'. A dupla das Astúrias apenas somou os 17 pontos do 3º lugar, resultado que, somado à vantagem que trazia, se revelou mais do que suficiente para bater os adversários Monarri / Vela, eles que garantiram os 25 pontos da vitória e um adicional de 4,15 pontos pelos cinco melhores tempos em troços (da ES2 à ES6; o melhor tempo na ES1 foi de Roberto Blach / José Murado).

Descontado o pior resultado do ano do pecúlio de cada um (segundo o Regulamento Desportivo, apenas se contabilizam as melhores 5 pontuações da época, do total de 6 ralis), Cachón / 'Jandrín' terminam a época com 112,9 pontos válidos, impondo-se por 6,77 pontos e sagrando-se, assim, "Campeões" da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021.

Importante referir que associado a esses títulos, Alejandro Cachón e Alejandro 'Jandrín' Lopez garantem o acesso ao valioso Prémio Final, que se traduz num Programa Oficial em 2022, em Portugal ou Espanha, aos comandos de um carro da categoria "Rally2", de entre as propostas do catálogo da Stellantis Motorsport, e na estrutura de ralis da Sports & You.

A palavra aos protagonistas
São naturalmente grandes os festejos em redor dos novos "Campeões", entre os elementos da equipa RaceSeven, familiares e amigos. Entre abraços e muitos "enhorabuenas y felicitaciones", Alejandro Cachón resumiu, assim, a época agora terminada e os objetivos nela alcançados: "Estamos muito muito felizes! Foi um ano difícil, em que nos propusemos conquistar um título que nos escapou por muito pouco no ano passado. Conseguimo-lo num rali complicado de gerir, pois estamos habituados a atacar e a lutar pelos melhores tempos e não a gerir o andamento em função dos adversários, aqui controlando o do Monarri, que connosco lutava pelo título. No final, o nosso 3º lugar foi suficiente para somar os pontos que precisávamos e, assim, eu e o 'Jandrin' somos os 'Campeões' da copa 2021".

Apesar da vitória nesta última prova do ano, o título fugiu a Alberto Monarri, piloto da Mavisa Sport: "Estamos contentes com esta vitória. Fizemos o que pudemos, fomos os mais rápidos em 5 das 6 Especiais e vencemos um rali que, infelizmente, foi pouco participado, complicando-nos um pouco as contas. Lutámos pela copa até final, mas o Alejandro fez o que lhe competia, sem falhar, garantindo, assim, o título. Os meus parabéns para eles. Agradeço, ainda, a toda a minha equipa por esta vitória".

Fora dessa luta particular pelo título, mas discutindo os lugares do pódio neste rali, esteve o "Campeão" de 2018, Roberto Blach, que resumiu, assim, o dia: "Foi um bom rali, em que vimos logo no primeiro troço que podíamos lutar pela vitória, mas depois os que se seguiram começaram a ficar muito sujos e escorregadios, pelo que decidimos reduzir um pouco e conservar a segunda posição. Acabamos o ano satisfeitos e vendo que temos ritmo para lutar pelos lugares da frente". Acrescente-se que para além deste 2º lugar, Blach conquistou o troféu da Junior Cup, galardão que se atribui em cada rali ao melhor de entre os pilotos com menos de 25 anos (nascidos em ou após 1 de janeiro de 1995).

O Rally RACC Catalunha em resumo
Uma primeira sequência por três troços aguardava os oito PEUGEOT 208 Rally4 que ontem (quinta-feira) se haviam apresentado em Salou, na Cerimónia de Partida deste Rally RACC Catalunya, última jornada da Temporada 4 da copa ibérica, traçado competitivo que se repetiria na íntegra à tarde.

Curiosidade é o facto de os três mais rápidos em (quase) todas as 6 Especiais terem sido (quase) sempre Alberto Monarri / Ángel Vela, Alejandro Cachón / Alejandro 'Jandrín' Lopez e Roberto Blach / José Murado, ainda que o seu ordenamento variasse (mas não muito) de troço para troço. Apenas os rookies Iago Gabeiras / Brais Mirón e os bem mais experientes Óscar Palomo / Alberto Chamorro vieram desarrumar, cada um deles por uma vez, essa lógica, na ronda da tarde.

Começando por Villaplana 1, o primeiro melhor tempo ficou na posse de Blach, sendo, nos seus 20 km, meio segundo mais rápido do que Monarri, que, por seu turno, ganhou 13,8 segundos a Cachón. Depois, nos 21,8 km de La Granadella 1, seria Monarri a impor-se, ganhando 11,3 segundos a Blach (ascendendo ao 1º lugar) e 18,4 segundos a Cachón, piloto que, por estratégia, preferia não arriscar, mantendo-se atento à posição do seu rival. Ao final do troço não chegariam Delbín Garcia, (transmissão). A fechar a manhã estavam os 14,21 km de Riba-Roja 1, onde Monarri garantia, de novo, o melhor crono, batendo Blach e Cachón por 5,9 e 6,7 segundos, respetivamente.

No final desta ronda, a classificação da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA apresentava Monarri / Vela como líderes provisórios, posição de destaque que não era suficiente para lhes assegurar o título, em face do 3º lugar ocupado por Cachón / 'Jandrín'. Entre eles estavam Blach / Murado, a 16,7 segundos dos madrilenos e com uma vantagem de 22,2 segundos sobre a dupla das Astúrias. Palomo / Chamorro eram 4ºs, a 3,9 segundos do pódio e com uma vantagem de 31,6 segundos sobre os rookies Gabeiras / Mirón. Atrás deles, separados por 9,2 segundos e em luta pelo 6º lugar, vinham os também estreantes Adrià Serratosa / Eric Bellver e os bem mais experientes Santiago García / Nestor Casal, equipa que não teve uma manhã isenta de dificuldades.

À tarde repetiam-se esses mesmos troços, começando por Villaplana 2, onde Monarri tirou 5 segundos ao tempo que fizera de manhã, com isso batendo Blach e Cachón, asturiano que continuava a manter uma cadência mais controlada, que lhe garantisse os objetivos. No polo oposto, Serratosa perdia quase 5 minutos neste troço. Depois, em La Granadella 2, Monarri voltava a vencer, seguido de Blach, para um top-3 em que, pela primeira vez, surgia Gabeiras, sendo que Cachón fazia o 4º melhor tempo. A fechar esta época de 2021, o troço de Riba-Roja 2 mais não serviu do que para se cumprir o alinhamento, garantindo Monarri o quinto melhor tempo em seis troços, à frente de Blach e Palomo. Já Cachón ficaria, de novo, com o quarto melhor tempo, mas sem que se mostrasse preocupado, pois o rali chegava ao fim e era hora de festejar, com os títulos de "Campeões" da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 alcançados por si e por 'Jandrin', o seu companheiro de notas.

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 (6ª e última prova)
Rally RACC Catalunya - Costa Daurada – Classificação Final*
1º Alberto Monarri / Ángel Vela, a 1h10m56,2s
2º Roberto Blach (1º Junior Cup) / José Murado, a 34,0s
3º Alejandro Cachón (2º Junior Cup) / Alejandro 'Jandrín' Lopez, a 1m06,9s
4º Óscar Palomo / Alberto Chamorro, a 1m19,3s
5º Iago Gabeiras (3º Junior Cup) / Brais Mirón, a 2m02,5s
6º Santiago García (4º Junior Cup) / Nestor Casal, a 3m45,9s
7º Adrià Serratosa / Eric Bellver, a 7m34,4s

Todos em PEUGEOT 208 Rally4

Abandonos: Álvaro Muñiz / Javier Martinez, Hugo Lopes / Tiago Neves e Kevin Guerra / Aitor Cambeiro (falta às Verificações); Delbin García / Coral Barroso (ES2).

Os rankings finais da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 ficaram assim...
Fechadas as contas da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, o agora "Campeão" de Pilotos Alejandro Cachón totalizou 112,9 pontos válidos, impondo-se a Alberto Monarri (106,13), a Óscar Palomo (55,76) e a Roberto Blach (49,83) pontos, pilotos que ultrapassaram Álvaro Muñiz (48,40), um dos ausentes da prova catalã. No sexto lugar deste ranking e na posição de "Melhor Português" termina Pedro Almeida (39,63 pontos), frente a Miguel Campos (37,34) e Ricardo Sousa (32,0), fechando-se o top-10 com Santiago García (30,0) e José Maria Reyes (27,0). Classificaram-se 21 Pilotos. Mais detalhes na Tabela de Pontuações em anexo.

No que se refere aos Navegadores, atrás de Alejandro 'Jandrin' Lopez (112,9 pontos) e de Ángel Vela (106,13) ficaram Javier Martinez (46,4), Axel Coronado (43,26) e José Pintor (41,76). Hugo Magalhães (36,63 pontos) terminou a época na 6ª posição à geral e melhor co-piloto luso, impondo-se a Luis Marques (32,0). Pontuaram 26 dos 29 Navegadores que alinharam na copa 2021. Mais detalhes na Tabela de Pontuações em anexo.

A dupla das Astúrias Alejandro Cachón e Alejandro 'Jandrín' Lopez escreve, assim, os seus nomes no Palmarés de "Campeões" da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, sucedendo aos portugueses Pedro Antunes / Pedro Alves (2020) e aos galegos Daniel Berdomás / David Rivero (2019) e Robert Blach (2018; no primeiro ano da copa apenas se atribuiu o título de Pilotos; José Murado foi, também nesse ano, o seu co-piloto).

Seguir-se-á, em data a anunciar, a Cerimónia Oficial de Entrega de Prémios da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, aos "Campeões" e a todo o conjunto de pilotos, navegadores e equipas que, com empenho e dedicação, contribuíram para uma Temporada 4 de sucesso nesta iniciativa, batalhando entre si aos comandos dos fiáveis e competitivos Peugeot 208 Rally4 nas cerca de 50 Especiais que, no seu conjunto, se dividiram pelos seis ralis que, este ano, se realizaram em Portugal (três em pisos de terra) e Espanha (três em asfalto).

Coorganizada pela PEUGEOT Portugal e pela PEUGEOT Espanha e com a gestão logística a cargo da Sports & You, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 tem a parceria da Pirelli, no domínio dos pneus, entre outros apoios: Vodafone, RACC e ACP. Destaque, também, para a associação de imagem ao ISAG - Instituto Superior de Administração e Gestão e à iniciativa Race for Good.

* Classificação provisória, dependente da publicação dos resultados oficiais pela organização da prova. Os resultados desta sexta prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 são contabilizados ao final da 1ª Etapa do Rally RACC Catalunha. As equipas que o entenderem poderão continuar em prova, mas qualquer resultado que venham a alcançar, à geral ou no grupo, neste rali do WRC, não terá influência nas pontuações da copa.

PS-40anosA PEUGEOT Sport celebra 40 anos de idade. Nascida em outubro de 1981, então como Peugeot Talbot Sport, tornar-se-ia, anos mais tarde, PEUGEOT Sport, estando sempre envolvida, com paixão e sucesso, em todos os circuitos e estradas do planeta, nos grandes campeonatos e nos eventos mais lendários. Pioneira, a equipa de competição francesa tem colocado em ação as máquinas mais extremas e os pilotos mais emblemáticos. Desde 1895, quando alcançou a vitória na Paris-Bordeaux-Paris, naquela que foi a primeira corrida cronometrada do mundo, a Marca sempre considerou o desporto como um acelerador de progresso. Com o mais recente PEUGEOT 9X8 e o programa Hypercar para o Campeonato de Endurance (WEC) da FIA, a PEUGEOT Sport entra na sua quinta década com a ambição de acrescentar novas vitórias à sua grande aventura desportiva, que representa, na perfeição, a sua busca pela excelência e a partilha de emoções.

As estatísticas podem ser, por vezes, pouco mais do que simbólicas, mas não há como fugir ao facto de que a Peugeot Sport colheu muito mais vitórias extraordinárias do que o número de anos que se passaram desde sua criação em outubro de 1981, testemunhando a qualidade contínua desta estrutura e a solidez da sua estratégia desportiva. "O desporto é um laboratório tecnológico excecional para os automóveis", refere Linda Jackson, Diretora Geral da PEUGEOT. "É um formidável acelerador da investigação e do progresso. Na nossa marca é essencial para o desenvolvimento dos nossos automóveis e para os nossos futuros planos de mobilidade. Estes 40 anos da PEUGEOT Sport são um sucesso, uma fonte de orgulho e, sobretudo, uma base para as nossas realizações atuais e, acima de tudo, do futuro. É este património que guia o nosso futuro."

Criada por Jean Todt, a Peugeot Talbot Sport, mais tarde PEUGEOT Sport, produziu modelos lendários, como os inesquecíveis PEUGEOT 205 T16, 405 T16, 206 WRC, 306 Maxi, 905 ou, mais recentemente, os PEUGEOT 908, 208 T16 Pikes Peak, 2008 DKR, 3008 DKR e 208 WRX, todos eles antecessores do já revolucionário PEUGEOT 9X8. Integrado no coração da estratégia de eletrificação da PEUGEOT, este último representa a ligação profunda entre as equipas de competição e de design.
Em campeonatos nacionais e mundiais, bem como em eventos lendários, as mulheres e os homens da Peugeot Sport estiveram, nos últimos quarenta anos, à altura de cada desafio que se lhes apresentou, transmitindo a sua paixão e profissionalismo, dois valores essenciais que continuam a inspirar as equipas atuais.

No retrovisor da PEUGEOT Sport estão imagens espetaculares e históricas dos vários títulos no Campeonato do Mundo de Ralis ou, mais recentemente, do Campeonato do Mundo de Rallycross, os sucessos nas Etapas do Dakar, em épocas diferentes, vitórias nas 24 Horas de Le Mans ou na "corrida das nuvens" em Pikes Peak, bem como outras nos mais diversos circuitos franceses, para além dos pódios alcançados na Fórmula 1, como fornecedor de motores.

Em 40 anos, a equipa conquistou:
• 5 títulos de Construtores no Campeonato do Mundo de Ralis (1985, 1986, 2000, 2001 e 2002);
• 4 títulos de Pilotos no Campeonato do Mundo de Ralis (Timo Salonen, Juha Kankkunen e Marcus Grönholm, este por duas vezes);
• 3 títulos de Pilotos e Construtores no Intercontinental Rally Challenge (2007, 2008 e 2009);
• Títulos em Campeonatos Nacionais de Ralis em múltiplos países; em Portugal, a PEUGEOT sagrou-se 6 vezes Campeã de Marcas (1997, 2001, 2002, 2007, 2008 e 2009) e alcançou 7 títulos de Campeã de Pilotos (Adruzílo Lopes em 1997, 1998 e 2001, Miguel Campos em 2002 e Bruno Magalhães em 2007, 2008 e 2009);
• 3 vitórias nas 24 Horas de Le Mans, em 1992 com a equipa Yannick Dalmas / Derek Warwick / Mark Blundell, em 1993 com Christophe Bouchut / Eric Helary / Geoff Brabham, e em 2009 com o trio Marc Gene / David Brabham / Alex Wurz;
• 3 vitórias na subida vertiginosa de Pikes Peak, em 1988 (Ari Vatanen), 1989 (Robby Unser) e 2013 (Sébastien Loeb),
• Títulos em Campeonatos de Superturismo, incluindo um dos mais prestigiados, na Alemanha, com o 406 (Laurent Aïello),
• 7 vitórias no Rally Dakar (1987 com Ari Vatanen, 1988 com Juha Kankkunen, 1989 e 1990 com Ari Vatanen, 2016 e 2017 com Stéphane Peterhansel e 2018 com Carlos Sainz),
• 1 título do Campeonato do Mundo de Rallycross em 2015.

Para conduzir estas máquinas, que tantas vezes deixaram a sua marca nas suas épocas e nas suas disciplinas, os pilotos puderam sempre confiar nas equipas de competição conscientes, rigorosas, combativas e inovadoras da PEUGEOT. Ao conceber e executar estes programas, em ralis, em rally-raids e em circuitos espalhados por todo o mundo, foram elas as responsáveis por elevar - e por continuar a fazê-lo - os valores da marca PEUGEOT. Entre este grupo de líderes de pessoas destacam-se alguns grandes nomes, tais como Jean Todt, Corrado Provera, Jean-Pierre Nicolas, Bruno Famin, etc., cuja enorme determinação foi sempre a mesma, reunir as equipas, inovar, inspirar e procurar vencer.

Com o desporto automóvel tão enraizado no ADN da marca, todos os programas da PEUGEOT Sport foram criados para refletir uma visão ou uma estratégia tecnológica do fabricante francês, em áreas como segurança, performance, consumos, eletrónica, assistência à condução, novas energias, etc.

Atualmente, a eletrificação incorporada no programa Hypercar com o PEUGEOT 9X8 no Campeonato WEC da FIA e nas 24 Horas de Le Mans simboliza os planos da PEUGEOT para a mobilidade de amanhã. Simultaneamente contribui para os trabalhos de pesquisa, enquanto os pilotos testam e trazem novas ideias, para benefício dos condutores, num ciclo virtuoso entre as pistas e as estradas.

O 40º aniversário que a PEUGEOT Sport celebra este mês de outubro, embora seja um marco importante, é apenas um passo na longa estrada de descobertas, experiências e aventuras enriquecedoras que ainda estão para vir.

RALIS ONLINE TV

ANUÁRIO RALIS ONLINE 2020

Facebook FanBox

RALIS EM PORTUGAL RALIS EM PORTUGAL