facebook

fabrica

Norte

challenge1000Já são conhecidos todos os pormenores do Challenge 1000cc que Art of Speed planeou para as estradas de asfalto nos campeonatos de Ralis Norte e Centro, privilegiando os "pequenos" Peugeot 107, Citroën C1 e Toyota Aygo, a fim de abrir portas a voos maiores.

Peugeot 107, Citroën C1 e Toyota Aygo, de três portas, são modelos com carroçarias idênticas, motorizações e características iguais, que partilham uma plataforma comum, com 998cc, foram os escolhidos para todos aqueles que querem participar nos ralis de uma forma verdadeiramente low cost.

Foi com esse propósito que Frederico Luís, engenheiro com provas dadas no mundo desportivo automóvel além-fronteiras, e Art of Speed, sedeada em Souselas (Coimbra), criaram o Challenge 1000cc para acelerar em provas de asfalto enquadradas no Campeonato de Ralis do Norte e Campeonato de Ralis do Centro, versão 2018. Trata-se de uma excelente opção, não só por exporem enorme agilidade, mas também pelas parecenças no prazer de condução, já que estamos perante viaturas iguais mas marcas diferentes e modernas.

Diferentes são, também, os desafios propostos por Art of Speed para os participantes alinharem nos campeonatos de Ralis Norte e Centro. Os interessados apenas terão de adquirir, economicamente, o kit desportivo fornecido por Art of Speed, mentor do projecto. As viaturas, embora recentes, são adquiridas de forma muito económica e extremamente fácil de chegar aos patrocinadores.

O referido kit, por seu turno, tanto pode ser vendido na íntegra como peça a peça, permitindo, por exemplo, "construir" e aparafusar fracção por fracção sem sair de casa, como nos programas "faça você mesmo", juntamente com os amigos, sem descurar, todavia, que as modificações permitidas são quase nulas.

O Challenge 1000cc tem como objectivo primordial proporcionar o impulso a novos valores, bem como facultar aos pilotos que já se encontrem no activo, mas que encontram dificuldades para prosseguir a carreira desportiva pelas mais diversas contrariedades.

Até por via disso, os incentivos do Challenge 1000cc são inúmeros. Além de permitir aos participantes a oportunidade de competir a baixo custo, utilizando para o efeito veículos ágeis e actuais, com ano de fabrico entre 2005 e 2014, nomeadamente Peugeot 107, Citroën C1 e Toyota Aygo, a habilidade de condução e controlo do veículo fazem, naturalmente, toda a diferença, até porque o regulamento é muito restrito.

Aberto a todos os interessados e que tenham em comum o empolgamento de se envolverem profundamente no mundo da competição automóvel, o Challenge 1000cc oferece a todos os participantes que se iniciem nesta competição de ralis em asfalto a forte possibilidade de, no segundo ano de cooperação, fazer parte integrante de provas de Velocidade em Portugal e em alguns países da Europa, nomeadamente Inglaterra e Bélgica, fruto de algumas parcerias que estão a agenciadas.

Fazem parte do programa Challenge 1000cc sete provas integradas nos campeonatos de Ralis do Norte e Centro, mas apenas contam os cinco melhores resultados, sem haver obrigatoriedade de alinhar na totalidade das provas, beneficiando com isso, a competitividade das equipas participantes, numa competição em que a igualdade técnica dos modelos intervenientes é, por si só, a rampa do sucesso.

Para concretizar esse objectivo, Art of Speed definiu um sistema com medidas que afiancem maior equidade para todas as provas em agenda. Resta agora aos interessados obterem um dos modelos que integram o trio de viaturas escolhidas e apetrechá-lo com o kit fornecido pela estrutura mentora do projecto. Já os clubes organizadores das provas que integram os campeonatos de Ralis Norte e Centro terão no Challenge 1000cc uma "ferramenta" de excelência para enriquecer a calendarização de provas para 2018.

Refira-se que o kit engloba roll-bar, fechos do capot, placas de reforço de pára-choques, protecção de tubos de travão, Centralina Challenge 1000cc, protecção do tanque de combustível, triângulos dianteiros (modificados), axiais de direcção (modificados), transmissões (modificados), e supressor de penela de escape, pelo preço de 1.900 euros (+IVA). A inscrição no Challange 1000cc, de 2018, tem o custo de 100 euros (+IVA).

Para informações adicionais, os interessados podem contactar Art of Speed – Zona Industrial de Souselas, Rua dos Troviscais, 21 – 3020-886 – Coimbra, pela via telefónica (918 366 603 e 239 160 828) ou, como alternativa, pela via de e-mail: Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

 

nortedisO Gondomar Automóvel Sport organiza neste sábado e domingo, o 2º Rali Vale do Paiva – Arouca, a prova que encerra a época de 2017 do Campeonato Regional de Ralis Norte - FPAK.

Entre outros pontos de interesse, a prova do GAS decidirá o título Absoluto de Pilotos e o de Copilotos, com as duplas, Luís Delgado / André Carvalho e Gaspar Pinto / Bernardo Gusmão separados à partida de sábado por uns escassos 9,98 pontos.

A equipa que estreou este ano o Citroen C2 S1600, Luís Delgado / André Carvalho lidera com 4 vitórias e 1 segundo lugar nas cinco provas que disputaram num total de 137,93 pontos, enquanto Gaspar Pinto / Bernardo Gusmão que utilizaram o Mitsubishi Lancer Evo VI somam 127,95 pontos como resultado das duas vitórias, dois 2ªs lugares, um terceiro e um sexto nas provas disputadas.

Quisemos saber de "viva voz" as opiniões dos dois pilotos e os sentimentos dentro das respetivas equipas à entrada da última prova, o 2º Rali Vale do Paiva – Arouca.

Nº 1 - Luís Delgado / André Carvalho - Citroen C2 S1600 – Grupo P1 – Classe 2
1. 9,98 pontos separam os dois primeiros classificados, como resumem o vosso campeonato de 2017?
Luís Delgado: O resumo do meu campeonato não é difícil, vitórias em todos os ralis em que alinhamos, menos em Santo Tirso devido a problemas de pressão de gasolina que fazia perder muita potência.
2. Qual a apreciação do carro estreado este ano, o Citroen C2 S1600 e a liderança do campeonato?
L.D.: A apreciação ao carro é muito positiva, é excelente a todos os níveis, exceto a falta de potencia em baixo regime e nas subias perante os mais diretos adversários que temos que lutar na geral. Em relação á liderança do campeonato, a escolha do carro foi intencional para lutar pela geral, mas em pisos de terra tivemos de estar fora e depois ter que recuperar em provas de asfalto o prejuízo, o que até tem corrido bem!
3. Como encara a prova organizada pelo GAS, o 2º Rali Vale do Paiva – Arouca e qual a tática a adotar?
L.D.: Vamos encarar a prova com calma e cautelas, a nossa tática vai ser esperar o ataque do Gaspar Pinto, ele tem obrigatoriamente que entrar com um ritmo forte e nós, a controlar. Temos apenas que ficar a seguir a ele na classificação do Rali, para sermos Campeões Norte novamente.
4. Já há projetos para 2018 depois de uma temporada onde já está arrecadada a vitória no Troféu CIN 2017 do Team BAIA?
L. D.: Para 2018, estamos a pensar no norte novamente, mas com outro carro mais competitivo. Esperamos pelos regulamentos da FPAK para fazer novamente uma escolha bem acertada do carro a usar em 2018, que possa também fazer terra a lutar pela geral. Aproveitamos para gradecer a todas as pessoas e empresas que nos apoiaram e acreditam, e em especial a VLB, Luís Barros, Carlos Daniel e José Costa.
Nº 2 Gaspar Pinto / Bernardo Gusmão - Mitsubishi Lancer Evo VI – Grupo X3 – Classe 14
1. Como resumem o vosso campeonato onde estão na 2ª posição a uns magros 9,98 pontos do líder?
Gaspar Pinto: A época 2017 foi muito competitiva onde conseguimos bons resultados com alguns contratempos que fazem parte dos ralis mas foi um ano muito bom e que tudo vamos fazer para acabar com a melhor posição possível.
2. A época de 2017, dá-nos a perceção de ser já uma época de sucesso. Como foi preparada?
G. P.: Sim, esta foi uma época muito positiva a melhor até a data pois já somos "campeões" da Taça Nacional Ralis de Terra, Grupo X3. Em relação à preparação melhoramos algumas coisas no carro e na equipa pois tivemos a sorte de conseguir para a equipa um bom homem que por sinal é um excelente navegador, (Bernardo Gusmão).
3. Um novo e experiente Copiloto, Bernardo Gusmão, também contribuiu para tal e em que aspetos?
G. P.: Sim, o navegador trouxe muita coisa de bom para a equipa olhando a experiência que já tinha mas melhor que isso foi a forma como nos adaptamos um ao outro porque essa confiança nem sempre é tarefa fácil!
4. Como encara a prova organizada pelo GAS, o Rali Vale do Paiva – Arouca e qual a tática a adotar?
G. P.: Uma prova que vamos preparar como todas as outras e tentar aproveitar o carro ao máximo para amealhar o maior número de prontos possíveis mesmo sabendo que não é fácil ganhar o campeonato. Vamos lutar até ao fim...
5. Já há projetos para 2018?
G. P.: Depois de acabar esta última prova e saber os calendários para 2018 aí sim vamos decidir o que fazer mas passará sempre por um projeto muito sério como tem sido desde começo que foi em 2013.
Destaque entre outras, também as inscrições de dois Pilotos com origem na região, Arouca, o "multicampeão" Fernando Peres, Nº 4, que alinha com José Pedro Silva (Mitsubishi Evo IX) e, António Oliveira, Nº 5, que ao seu lado terá Luís Bolça (Peugeot 205 GTI). Entre outros salientamos ainda as duplas, José Costa/Tiago Ferreira, Nº 8 (Nissan Micra), Carlos Gonçalves/Afonso Gonçalves, Nº 12 (Fiat Punto) que ocupam respetivamente o 1º e 2º, lugares com apenas 5,26 pontos, enquanto na 3ª posição estão Cristina Silva/Isabel Ramalho, Nº 10 (Nissan Micra) só tem mais 10,99 pontos mas são já as vencedoras da Equipa Feminina, ..., que discutirão no Rali Vale do Paiva – Arouca, o título do Grupo X1 do CRRN.

O 2º Rali Vale do Paiva – Arouca inicia-se ao final do dia de sábado, 4 de Novembro, pelas 20.30h em Alvarenga onde vão ficar instalados o Parque de Assistência e o Secretariado da Prova (Junta de Freguesia Alvarenga). Durante a tarde decorrerão as Verificações Administrativas e, Técnicas na Auto Reparadora Alvarenga (13.00h / 17.15h), às 27 equipas que formalizaram as suas inscrições.
Ter em atenção as novas localizações VA/VT e Horários em Aditamento 2 (Aprovado FPAK).

O Rali Vale do Paiva Arouca 2017 tem 99,13 kms dos quais 28,02 kms distribuídos pelas 5 PEC´s.

Sábado, dia 04 de Novembro:
20.30h Partida (Alvarenga)
21.06h - 1ª PE Alvarenga A (1,76 kms)
21.42h - 1ª PE Alvarenga B (1,76 kms)
22.10h (Parque Fechado).

Domingo 5 de Novembro:
12.40h Partida (Parque Fechado) Alvarenga
13.31h 2ª PE – Canelas (6,50 kms)
13.50h 3ª PE – Espiunca (5,75 kms)
14.00h Assistência
14.40h Reagrupamento – Feira de Alvarenga
15.30h 4ª PE – Canelas (6,50 kms)
15.49h 5ª PE – Espiunca (5,75 kms)
16.16h Entrada Final (Parque Fechado)
17.30h Distribuição de Prémios (Espaço Internet)

ralivaledopaibalogoInscritos Rali Vale do Paiva / Arouca 2017.

 

 

 

 

 

 

aroucainscri17

ralivaledopaibalogoInformações Rali Vale do Paiva Arouca.

 

 

 

 

 

inforalivaledoave17

ralrodomeA Camara Municipal de Vieira do Minho, e o Motor Clube de Guimarães, vão, à semelhança do ano passado, organizar o Rali Rodome Vieira do Minho, na sua segunda edição.

O evento, em excelente piso de terra, que este ano será disputado a 22 de Outubro, terá uma estrutura exatamente igual a 2016,ou seja, uma tripla
passagem pelo troço desenhado na Serra da Cabreira, no sentido inverso ao Rali de Portugal, com 11 Km de extensão, com cerca de 40 Km de ligações, sendo portanto muito compacto, barato para reconhecer e permitindo ao público assistir a três passagens dos concorrentes.

Este ano, o rali será observado pela FPAK, pois é candidato a integrar o CRRN em 2018.

As inscrições encerram dia 13 de outubro.