faceralis

 

posvendaclick

Open

serrasdefafeapMapas Rali Serras de Fafe 2018.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1-MapaZE-PEC13Lameirinha2-MapaZE-PEC24Luilhas3-MapaZE-PEC69Montim4-MapaZE-PEC710 Ruivaes Confurco5-MapaZE-PEC811Gontim

fotosfafedia2Se já em 2017 se dizia que a abertura do Nacional de Ralis seria uma das melhores de sempre desde que esta competição existe, o que dizer do início de abertura da temporada de 2018?

Serão cerca de duas dezenas de viaturas R5 que irão marcar presença na prova de abertura (depois logo se verá quantos irão às provas seguintes integrados no Campeonato de Portugal de Ralis), contando ainda com um bom lote de pilotos nas duas rodas motrizes entre outros que irão integrar o Campeonato com viaturas S2000 e Gr.N., sem esquecer os pilotos da Taça FPAK e Regional Norte.

O destaque maior vai para o Team Hyundai Portugal, com dois i20 R5 entregues ao Campeão Nacional Carlos Vieira e ao ex-tetra Campeão Nacional Armindo Araújo. Ainda ao volante de caro idêntico estará Manuel Castro, sendo que tem ainda um segundo I20 R5 para alugar.

Se Paulo Meireles voltar a correr em Fafe poderá também voltar a fazê-lo ao volante de um Hyundai i20 R5, embora não existe qualquer confirmação.

Pedro Meireles já confirmou a sua presença no Serras de Fafe que deverá ser ao volante do Skoda Fabia Fabia R5, carro que Diogo Salvi também irá tripular nesta prova, assim como António Dias e Miguel Barbosa.

Ao volante de um Citroen DS3 R5 estará o regressado José Pedro Fontes, veículo que também será utilizado pelo Açoriano Ruben Rodrigues e, quem sabe, por um piloto madeirense que já esteve presente no Nacional de Ralis. De novo ao volante de um R5 da marca francesa estará Carlos Martins.

São também diversos os pilotos que irão aparecer em Fafe ao volante dos Ford Fiesta R5. João Barros é obviamente um deles, sendo que um segundo carro irá para Elias Barros. Dos Açores virá Ricardo Moura que poderá conduzir o seu habitual Fiesta, embora na ARC existam mais opções, mas também Joaquim Alves que regressa à competição. O Espanhol Gustavo Sosa também deverá marcar presença no Serras de Fafe com um Fiesta R5, devendo estar para breve a confirmação de um piloto português com o Fiesta de uma equipa espanhola. Por confirmar estará a presença de Ricardo Teodósio em Fafe que poderá ser, ou não, ao volante de um carro da marca oval.

Destaque ainda para a presença de Pedro Almeia, na sua época de estreia no CPR, ao volante de um Skoda Fabia S2000.

Nas duas rodas motrizes o lote de piloto é também vasto. De 2017 para 2018 transitam Pedro Antunes (Peugeot 208 R2), Gil Antunes (Renault Clio R3), Paulo Neto (Citroen DS3 R3T Max), Daniel Nunes (Peugeot 208 R2) e Joana Barbosa (Ford Fiesta R2).

O piloto madeirense Pedro Paixão estará em Fafe para se estrear na terra com um Peugeot 208 R2, Rúben Moura também irá tripular carro idêntico em Fafe, assim como Pedro Lago Vieira, estando por se sabar se Hugo Lopes também irá à abertura do nacional rodar o seu novo "leão". Num Renault Clio R3, destaque para a estreia do jovem Miguel Correia.

Por certo que ainda irá haver mais nomes e mais pilotos para o Serras de Fafe, pelo que aqui iremos atualizando a informação.

 

netoA FPAK já publicou (esperamos que sem enganos) o regulamento do Campeonato de Portugal de Ralis 2018.

A primeira nota vai para os dois únicos campeonatos nacionais que serão disputados ao nível de pilotos: o absoluto e o de duas rodas motrizes.

Nas provas não internacionais (os pneus são marcados e limitados a um máximo por prova, até 8 novos + 2 usados). Na primeira prova de cada piso (asfalto ou terra) são autorizados 10 pneus novos.

O CPR é composto por oito ralis em nove ralis possíveis, contando para apuramento de pontuação final (absoluto e duas rodas motrizes), somente os sete melhores resultados, entre os oito escolhidos/indicados. A escolha dos ralis a pontuar será feita até ao fecho das inscrições da 4ª prova.

Os grupo RC3, RC4 e RC4 só pontuarão em seis provas e os vencedores serão encontrados peloes cinco melhores resultados.

A FPAK decidiu aindar manter os pontos extra (5 pontos a dividir pelo número de troços). Um troço que seja interrpompido não será atribuida a pontuação extra.

VER REGULAMENTO

Para acompnhar o Campeonato de Portugal de Ralis a FPAK criou uma Taça FPAK de Ralis.

VER REGULAMENTO

VER REGULAMENTO TÉCNICO

algarvelogoO Rali Casinos do Algarve foi de longe o melhor rali a pontuar para o Campeonato Nacional em 2017.

Foi por assim dizer um Rali Casinos do Algarve que fez jus à sua história, que retomou a tradição de grandes provas do Nacional de Ralis de gerações passadas, com muitos troços, que permitiram a qualquer adepto apanhar uma “barrigada” de ralis em cerca de 24 horas de competição.

Foi igualmente um rali muito bem estruturado, a pensar no espetador e adepto de ralis, mas também nos que estiveram envolvidos diretamente na prova em si.

Apesar de ser uma prova internacional, que também já tinha sido no passado, o Rali Casinos do Algarve acabou por ser disputado à geral por pilotos portugueses, num rali que teve também muita emoção até ao derradeiro troço.

Mantendo os troços em asfalto, mantendo a zona em que é habitualmente disputado, ficou provado que se pode evoluir uma prova e, com isso, obter benefícios para a modalidade.