faceralis

 

posvendaclick
 

Open

GILAMAAPOSO Campeonato de Portugal de Ralis 2 Rodas Motrizes prosseguiu este passado fim-de-semana com o Rali de Amarante Baião, numa prova que esteve da responsabilidade do Clube Automóvel de Amarante.

Os carros de apenas duas rodas motrizes estiveram em bom plano e o top cinco foi emotivo de princípio a fim! Gil Antunes e Diogo Correia partiram para o rali em piso de asfalto focados em chegar ao triunfo, pois somente este resultado interessava para as contas do título absoluto nas duas Rodas Motrizes! A equipa do Renault Clio R3T entrou bem, sendo os primeiros líderes do rali com duas vitórias nas duas primeiras especiais! Na super especial de Amarante um meio pião e toque, fê-los perder alguns segundos e a descida à segunda posição! O pior foi mesmo no segundo dia de prova, com um problema de direção assistida a não permitir recuperar a diferença e acabaram mesmo por descer a quarto!

Na última secção a equipa entrou disposta a recuperar o tempo perdido durante a manhã, conseguindo mesmo voltar ganhar especiais e estando a pouco mais de um segundo do segundo lugar! Contudo a última especial foi pouco produtiva, acabando por descer novamente à quarta posição entre os carros de duas rodas motrizes e segundo nos Rc3!

No seu balanço da prova, o piloto de Sintra refere que – "vínhamos com ambição de ganhar e conseguimos impor um bom andamento nas especiais de sexta-feira! No sábado logo a partir da primeira especial, ficamos várias vezes sem direção assistida, tentei minimizar a situação, mas ficamos com uma diferença difícil de recuperar! Na última secção tentamos reconquistar o segundo lugar, voltamos a ganhar especiais e fomos para a última especial com uma diferença mínima! Tentamos melhorar em relação à passagem anterior, mas os nossos adversários foram mais rápidos, há que aceitar e dar-lhes os parabéns, pois tivemos uma luta interessante! Foi um rali agradável em termos de andamento, mas não era este o resultado que pretendíamos, resta-nos no Algarve entrar novamente fortes para lutar pela vitória!"

Após o Rali de Amarante Baião, Gil Antunes ascendeu à 2ª posição nas 2 Rodas Motrizes, ocupando igual posição na categoria RC3! A próxima prova será o Rallye Casinos do Algarve nos dias 16 e 17 de Novembro.

ARCA ARC Sport vai a terras do Tâmega, com uma mão cheia de razões para alcançar resultados positivos, para todos os concorrentes que acompanham a equipa de Aguiar da Beira em mais esta etapa do Campeonato de Portugal de Ralis. Sucessão de bons resultados, um regresso e até uma estreia, fazem parte das lógicas ambições para o Rali Amarante Baião, que estreia um figurino novo, numa região acostumada a ver, e a apreciar ralis.

RICARDO TEODÓSIO QUER DISCUTIR O TÍTULO

Cada vez mais fascinados pelas capacidades do Skoda Fábia R5, Ricardo Teodósio e José Teixeira já conheceram a vitória em 2018 e colecionaram excelentes resultados ao longo do campeonato. Atualmente no 2º lugar do CPR, a dupla algarvia é candidata ao título.

"Não sei se será possível conquistar mais uma vitória, mas garantimos que iremos fazer os possíveis para levar a questão do título para o Rali do Algarve. Este é um rali muito longe de casa e com um traçado totalmente novo. Vamos tentar fazer o nosso melhor, esperando terminar à frente do Armindo Araújo", referiu Ricardo Teodósio.

PEDRO ALMEIDA ESTÁ CADA VEZ MAIS CONFIANTE

Chegados este ano ao CPR, Pedro Almeida e Nuno Almeida conseguiram conquistar as atenções de todos, devido a uma evolução constante aos comandos do Ford Fiesta R5. A equipa pretende entrar com ritmo no Rali Amarante Baião.

"Queremos andar um pouco acima do que é habitual, entrando com ritmo desde o início da prova. Os testes estão feitos, correram bem, e o novo set-up do Fiesta dá-nos mais confiança. Com um excelente lote de concorrentes, vamos apontar para andar entre os mais rápidos. Não sei se será possível estar entre os cinco primeiros, mas vamos sempre tentar andar por lá", disse, confiante, Pedro Almeida.

JOAQUIM ALVES COM UM REGRESSO ENTUSIASMADO

Joaquim Alves vai estrear no Rali de Amarante Baião um carro novo e também com outro navegador. O piloto de Cesar vai estar ao volante de um Skoda Fabia R5, contando no banco do lado com a indispensável presença de Miguel Ramalho. Após alguns meses de paragem este é um regresso que se saúda.

"Este é essencialmente um regresso aos pisos de asfalto após um ano. Para além disso, desde maio que não corro e preciso ganhar ritmo. Depois destas paragens vou tentar ser consistente, tendo em conta que vou ter uma natural adaptação ao carro. Nesta altura não faz sentido fazer previsões, conhecendo o excelente lote de pilotos que vai estar presente. Quero ser cauteloso, fazer mão ao carro e correr sem pressões", disse Joaquim Alves.

MIGUEL CORREIA COM UM BOM PRESSÁGIO

Miguel Correia e Pedro Alves já são uma certeza no panorama dos ralis nacionais. Para além de uma nítida evolução de prova para prova, a fabulosa vitória no Rali Vinho Madeira, entre os carros de duas rodas motrizes, deu outra notoriedade à equipa do Renault Clio R3.

"A vitória na Madeira trouxe na verdade um impacto muito positivo. Em Amarante vamos dar o nosso melhor, num rali que é novo para todos, o que significa, que não levamos tanta desvantagem em relação à habitual concorrência. Já fizemos testes, e o carro está impecável. Em condições normais, queremos confirmar os bons resultados que temos tido. Tenho um bom presságio para o Rali de Amarante Baião", afirmou, com otimismo, Miguel Correia.

JOÃO BARROS QUER LUTAR PELA VITÓRIA

Um dos principais pilotos do Campeonato de Portugal de Ralis é João Barros, um candidato a vitórias por excelência e que tem tripulado um Ford Fiesta R5. O piloto de Paredes ponderou, e achou que esta era a altura ideal para ensaiar uma nova experiência, tornando-se neste Rali Amarante Baião, a grande supressa do CPR 2018, rendendo-se aos encantos do Skoda Fabia R5, com a ARC Sport e com António Costa como navegador.

"Acho que esta foi uma troca natural. Todos sabem que o Skoda é um carro mais fácil de conduzir e mais competitivo. Já fizemos um teste ao carro e fiquei muito bem impressionado com o Skoda e com a equipa. Vamos perceber como poderá vir a ser um novo projeto para 2019. Para Amarante será um rali novo, com um carro novo, numa prova que se prevê muito disputada por entre um grande lote de candidatos. Quero lutar pela vitória na prova", afirmou, com convicção, João Barros.

Para António Costa, que luta pelo título de navegadores absoluto em 2018, esta é uma nova aposta numa prova que lhe é muito especial. O conhecido navegador de Amarante que já somou títulos absolutos ao lado de Ricardo Moura, assume esta forte ligação ao município de Amarante e a uma região que o viu crescer. Neste rali tão especial para ele, a sua aposta é ao lado de João Barros no Skoda Fabia R5 da ARC Sport.

A equipa de Aguiar da Beira está orgulhosa pelo valioso lote de cinco pilotos que depositam confiança no seu trabalho. Para Augusto Ramiro este é mais um desfio bastante exigente.

"Estamos conscientes que vamos ter um trabalho intenso e carregado de responsabilidades neste Rali de Amarante Baião. Depositamos total confiança nas capacidades de todos os nossos pilotos, e temos a certeza que podemos contar com um lote de bons e dedicados profissionais, que tudo farão para que as coisas corram da melhor forma. Estamos confiantes", afirmou o responsável pela ARC Sport.

O Rali Amarante Baião está agendado para os dias 21 e 22 de setembro e conta com 11 provas especiais de classificação.

netoQuando faltam duas provas para terminar o Campeonato de Portugal de Ralis, Paulo Neto / Vitor Hugo estão na luta pelo título das duas rodas motrizes, ocupando a segunda posição nesta competição, ao mesmo tempo que lideram a categoria RC3. O piloto do Citroen DS3 R3T Max, pretendem melhorar ainda mais a sua posição nas duas rodas motrizes, de modo a lutar pelo título até final do ano.

"Pode parecer desculpa, mas a verdade é que não temos tido sorte nenhuma este ano. Quando temos o Citroen DS3 R3T Max em condições conseguimos lutar pelos melhores tempos durante as provas, mas no final das mesmas os resultados nem sempre têm correspondido ao desejado, devido sempre a pequenos problemas e imponderáveis que não conseguimos controlar", analisa Paulo Neto em relação aos ralis até agora disputados, explicando que "vamos para este novo Rali de Amarante Baião com a mesma postura das provas anteriores, isto é, sabemos que temos condições para lutar pelas melhores posições nas duas rodas motrizes e que se tudo correr como previsto poderemos alcançar um bom resultado no final da prova".

No entender do piloto do Citroen DS3 R3T Max o facto de ser uma prova nova para todos os pilotos é muito importante "pois isso poderá equilibrar mais os andamentos durante a prova entre os diversos favoritos à vitória nas duas rodas motrizes. Pelas características da prova temos zonas em que poderemos ter alguma vantagem pela rapidez de alguns troços, mas existem zonas mais técnicas, que podem favorecer os nossos adversários. A nossa estratégia será tentar sermos muitos consistentes ao longo de toda a prova, de modo a termos condições de lutar, se possível, por uma vitória e assim continuarmos na luta pelo título nas duas rodas motrizes e manter a liderança na RC3".

A Paulo Neto Sport conta com a assistência técnica da P&B Racing e dos parceiros Roca, Weber, Baxi, Dominó, Italbox, Quantinfor, Total, Caras Decoração, Vitarte, Banhoazis, VMP Pavage e Cision, para a temporada de 2018 do Campeonato de Portugal de Ralis.

pedroalmeiaama18Após o período de férias, Pedro Almeida esta de regresso ao Campeonato Portugal Ralis, marcando presença no Rali Amarante Baião, penúltima prova da principal competição de ralis em Portugal. A prova da responsabilidade do Clube Automóvel de Amarante, vai ter lugar nos dias 21 e 22 deste mês de setembro.

"Será mais um desafio que vou encarar com total naturalidade e descontração, sem responsabilidade de resultado, mas com a mesma ambição dos anteriores", salientou o jovem piloto de Famalicão que voltará a contar com Nuno Almeida como navegador, naquela que será a oitava e penúltima ronda do calendário nacional de ralis: "É mais um rali novo que vamos marcar presença, numa região onde há muita paixão pelo desporto automóvel. Esperamos encontrar uma prova bem estrutura. O Ford Fiesta está apto para percorrer as classificativas de Amarante e Baião. A vontade é grande, após este «longo» período de férias, para esta reta final do campeonato. Depois de Amarante Baião ficará apenas a faltar o mítico rali do Algarve, onde também estaremos presentes", concluiu Pedro Almeida.

O Rali Amarante Baião, disputado em pisos de asfalto, comporta onze classificativas que contabilizam 115,5 kms ao cronómetro, num total de 396 de extensão total, por estradas de dois municípios, num território com excelentes paisagens naturais e numa região de muitos aficionados pela modalidade.

AMARANAPRRali Amarante Baião estreia-se em pisos de asfalto e este ano "sobe" ao Campeonato de Portugal de Ralis, a principal competição nacional de automobilismo de estrada. A prova vai ter lugar em 21 e 22 de setembro próximos.

O Salão Nobre da Câmara Municipal de Amarante recebeu ontem, quinta-feira, dia seis de Setembro, a apresentação do Rali Amarante Baião. Os Presidentes dos dois municípios, o Presidente da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK) e o Presidente do Clube Automóvel de Amarante usaram da palavra.

O Presidente da C. M. Amarante, Dr. José Luís Gaspar, realçou a novidade deste rali ser disputado em pisos de asfalto, o que "configura uma nova realidade para todos nós, mas que é com satisfação que dois municípios num território fantástico se uniram no objectivo comum de elevar a região."

Realçou ainda que "esta é uma região onde há uma grande paixão pelo desporto automóvel" e fez ainda um forte apelo à consciência de todos, "quero apelar à segurança. Os troços passam por zonas urbanas e isso obriga a que as normas de segurança sejam estritamente cumpridas. O futuro da prova depende disso, para Amarante, para Baião e para outros municípios que se possam vir a juntar à prova."

Por sua vez o Presidente da C. M. Baião, Dr. Paulo Pereira aludiu ao facto de que ambos os municípios "partilham fronteiras, partilham ideias e por isso partilham também este evento."

Sublinhou ainda a importância que o município atribui a este evento e que "há já dois anos o Clube Automóvel de Amarante lançou-nos o desafio que foi o Rali Baião Vida Natural" e que a subida ao Campeonato de Portugal de Ralis "era há muito desejada e há muito merecida e é para nós muito importante... embora preferisse que a prova fosse disputada nos magníficos pisos de terra que a região possui, os mesmos pisos que já foram classificativas do Rali de Portugal." Por fim, realçou que "a FPAK pode confiar nesta parceria."

O Presidente da FPAK, Ni Amorim, começou por realçar que "o rali organizado pelo Clube Automóvel de Amarante, subiu por mérito próprio ao Campeonato de Portugal" e que encara "esta prova com muito optimismo, pela forma como está a ser preparada."

Agradeceu a ambos os municípios pelo apoio e reforçou que "terá o empenho da FPAK para que este rali regresse aos pisos de terra e possa ser feito nas magníficas classificativas do Campeonato do Mundo. Com o aval dos clubes organizadores de ralis, poderemos, eventualmente em 2019, o Rali Amarante Baião ser disputado em terra."

O Presidente do Clube Automóvel de Amarante, António Jorge, recordou que "em 2016 disse que estava aqui a dar mais um passo no sentido de elevar a prova e a região. O facto de dois anos volvidos, estarmos agora a apresentar o Rali Amarante Baião é a prova de que houve trabalho, um trabalho desenvolvido por uma equipa motivada e apaixonada que esse trabalho foi reconhecido e por isso estamos no Campeonato de Portugal de Ralis.

Agradeceu os apoios aos municípios de Amarante e de Baião, aos patrocinadores e parceiros e reforçou "que tudo fizemos para que esta possa vir a ser uma prova modelo, do agrado de pilotos, equipa, publico e de todos quantos fazem deste desporto paixão."

A estrutura da prova

Pec 1 e 2 – Marão

É um troço com 13,480 Km´s, inteiramente disputado na E.N. 15. É uma classificativa com bastante condução, muito fluida e sempre a subir ligeiramente.

Começa ao Km 74,1 (sob o viaduto da A4) e termina ao Km 87,6 da E.N. 15.

Pec 3 – Super-Especial de Amarante

É uma classificativa com uma extensão de 2,040 Km, feita a pensar no espectáculo, tendo o centro de Amarante como palco.

Começa na Rua António Carneiro, no Largo do Arquinho e segue em direcção à Rotunda da Vinha. Depois atravessa o Tâmega para a margem direita, pela Ponte Nova e termina junto à Feira, sob a mesma ponte.

Pec 4 e 6 – Baião Vida Natural

Os 10,430 Km´s desta classificativa oferecem diversas experiências de condução, com mudanças de piso e diferentes configurações de traçado.

Começa em Várzea, com um traçado bastante fluído, passando por duas aldeias e seguindo em direcção à Portela do Gozo. Encontra a E.N. 108 e segue com a magnífica paisagem do Douro, como moldura. Na localidade de Gaia vira à esquerda para a E.M. 580, por um troço com excelente piso e sempre a subir até à estrada que liga Baião a Santa Marinha do Zêzere.

Pec 5 e 7 – Teixeira e Teixeiró

Com 7,600 Km´s esta é uma classificativa curta, mas que certamente será muito selectiva.

Tem um início estreito, sinuoso e muito técnico e um final a subir, muito rápido com óptimo piso.

Pec 8 e 10 – Carvalho de Rei

A grande maioria dos 8,540 Km´s é famosa por ter sido palco de algumas das grandes disputas do Campeonato do Mundo de Ralis.

O início é o mesmo da classificativa do Rali de Portugal, que agora recebeu um piso de asfalto. Assim, a classificativa começa com um traçado espectacular, a subir até Travanca do Monte. Depois entre em planalto com traçado rápido e após passar Carvalho de Rei, começa a descer até São Simão. Pelo meio tem ainda duas secções em empedrado, que certamente vão fazer aumentar o espectáculo e o final será certamente bastante exigente para os travões e como tal, a prometer emoção.

Pec 9 e 11 – Rota do Vinho Verde

Para fechar com chave de ouro, os 12,440 Km´s da Rota do Vinho Verde prometem o troço mais técnico e mais exigente da prova.

É uma classificativa estreita, com alternância de ritmos de andamento. Tem uma subida que mais parece uma rampa, com um piso novo e em óptimo estado. Cruza três sectores de empedrado, segue-se uma descida, com uma sequência de ganchos, em direcção a Troxainho. A classificativa termina numa zona rápida, em Fregim.

Um dos pontos altos da classificativa será certamente a rotunda onde os concorrentes terão que fazer um pião, bem ao gosto do público.

Rali Amarante Baião pontua para:

Campeonato Portugal de Ralis (CPR)

Campeonato Portugal de Ralis 2WD

Campeonato Portugal de Clássicos de Ralis (CPCR)

Campeonato Portugal GT de Ralis (CPGTR)

Campeonato Portugal de Iniciados de Ralis (CPIR)

Taça FPAK de Ralis (TFR)

Campeonato Norte de Ralis (CNR)

Copa 106

Challenge 1000 cc.