faceralis

 

20anos

CPR

fotosalgare11Fotos: Ralis Online
Evento: Rali Casinos do Algarve
Data: 19 de Novembro 2011
Site: www.clubeautomovelalgarve.pt

RALI CASINOS DO ALGARVE
(Fotos Ralis Online - 19/11/2011)

bastos111O Rali Casinos do Algarve consagrou Júlio Bastos como o primeiro vencedor da Taça de Portugal de Ralis, mas a grande estrela desta prova foi Ricardo Teodósio.

Um quarto lugar da geral entre os concorrentes que integravam a Taça de Portugal, foi suficiente a Júlio Bastos para obter tal feito com o seu BMW, embora o piloto tenha chegado a rodar em lugares mais atrasados a meio do rali o que daria o título a Renato Pita.

Aliás, Renato Pita apanhou Júlio Bastos diversas nos troços, mas ao não obter a vitória na prova entre os concorrentes da Taça, não conseguiu amealhar os pontos suficientes para ser vencedor.

A vitória foi para Ricardo Teodósio, que dominou não só a Taça de Portugal como o próprio rali à geral. A prestação do Algarvio foi tal que venceu todos os troços à geral, ganhou mais de 2m10s a Pedro Meireles, e teve ainda o prémio de se consagrar bicampeão do Regional Sul.

Uma prova soberba de Ricardo Teodósio, com um Lancer Evo IV, que vem colocar em causa todos os regulamentos federativos. Um piloto que domina um rali como ele o fez no final não é declarado vencedor?

algarvecasinos11Basta uma simples viagem pelo youtube para podermos recordar o passado do Rali do Algarve. São muitos os videos que nos mostram outros tempos desta famosa prova que celebra este ano a 40ª edição.

Recorde alguns dos momentos do Rali do Algarve.

 

 

 

 

 

meireles1111Apesar de todo o esforço e dedicação do Clube Automóvel do Algarve, o Rali Casinos do Algarve esteve longe de cumprir os objetivos mínimos, em termos desportivos, que uma prova do Campeonato de Portugal de Ralis exige.

O "nacional" não bateu no fundo, passou já para lá do fundo, sendo urgente que os senhores da FPAK olhem para este exemplo, mais a anulação do Rali de Vila Real, para rapidamente agirem e tomarem medidas drásticas para 2012. Foi mau de mais para ser verdade.

Bem, desportivamente Pedro Meireles ganhou, sem oposição e de uma forma natural, não forçando sequer o ritmo, já que em dois três troços verificou que o seu avanço para a concorrência era enorme.

Curiosamente nem sequer foi Vitor Pascoal o seu adversário, mas sim os dois principais concorrentes no CPR2, que se entregaram a uma interessante luta pela vitória. Ivo Nogueira esteve na frente, depois foi João Silva, depois novamente Ivo e quando parceria que poderia vencer, no derradeiro troço perdeu dois minutos devido a ter ficado sem travões, entregando o "ouro" a João Silva.

Desta forma o madeirense, conquistou todos os títulos que ainda estavam ao seu alcance, confirmando o principal no CPR2, com inteiro mérito.

Vitor Pascoal viu assim cair-lhe o pódio nas mãos, num rali em que tentou condignamente ser competitivo, mas nem o carro nem a motivação foram grandes para tentar ter uma melhor exibição já que o resultado nem foi mau.

Ivo Nogueira saiu do Algarve com um "amargo" quatro lugar, quanto teve a vitória no CPR2 e o segundo lugar quase garantidos, mas o piloto evoluiu muito esta temporada.

O ritmo dos restantes pilotos foi sofrível. Mesmo assim, Paulo Neto ainda conseguiu ficar com o 5º lugar, terceiro no CPR2, rubricando uma exibição acima do que demonstrou esta temporada.

LÍDERES SUCESSIVOS
Pedro Meireles (1ª à 8ª pec)

VENDEDORES DE TROÇOS
Pedro Meireles (6); João Silva (1); Ivo Nogueira (1)

CLASSIFICAÇÃO FINAL
1º Pedro Meireles / Mário Castro – Mitsubishi Lancer Evo X 1h14m04,802s
2º João Silva / José Janela – Renault Clio Maxi a 37,2s
3º Vitor Pascoal / Luís Ramalho – Mitsubishi Lancer Evo VIII a 55,6s
4º Ivo Nogueira / Vitor Hugo – Citroen DS3 R3 a 2m51,3s
5º Paulo Neto / Daniel Amaral – Citroen DS3 R3 a 3m36,4s
6º Miguel Barbosa / António Costa – Mitsubishi Lancer Evo IX a 5m52,6s
7º Hugo Mesquita / Nuno R. Silva – Renault Clio R3 a 6m04,0s
8º Ricardo Marques / Paulo Marques – Citroen C2 R2 Max a 10m03,2s
9º Vitor Calisto / Joaquim Batalha – Citroen Xsara 20.16V a 17m28,3s
10º Isabel Ramos / Rubina Gonçalves – Renault Clio R3 a 19m42,8s

PILOTO DO RALI
Pedro Meireles

MOMENTO DO RALI
Ausência de adversários

MENOS DO RALI
Ritmo competitivo

algarvecasinos11Disputa-se no próximo Sábado, o Rali Casinos do Algarve. Com quatro competições em disputa, antevê-se uma prova competitiva e com algumas surpresas, a começar por apurar um vencedor inédito em provas do nacional.

É já este Sábado que parte para a estrada a edição número 40 do Rali Casinos do Algarve. Face a uma conjuntura desfavorável, o Clube Automóvel do Algarve apostou na restruturação do rali, tornando-o mais compacto e económico, disputado na totalidade num só dia.

A ausência de alguns concorrentes permitirá apurar um vencedor inédito em provas do CPR. A singela situação deixa em aberto a luta pela vitória, com a incerteza sobre qual o mais forte candidato. Com naturalidade, o favoritismo recai sobre os concorrentes com viaturas de produção, destacando Vítor Pascoal que sai com o número um de porta e Pedro Meireles, tambos em Mitsubishi Lancer, mas com diferentes evoluções.

No entanto, não será de excluir uma surpresa proveniente dos concorrentes do Campeonato de Portugal de 2 Litros/2 Rodas motrizes. Participando pela terceira vez na prova algarvia, João Silva, vem reclamar o título do CPR2, mas não deixará de lutar pela vitória, ou algo mais. Contará com a oposição dos dois pilotos que tripulam os Citroën DS3 R3T, Ivo Nogueira e Paulo Neto, que querem fechar a temporada com um bom resultado. Estão ainda em abertos diversos títulos, nomeadamente os de F2 e F3, bem como da Troféu Nacional de Ralis.

A temporada de estreia da Taça de Portugal termina no Algarve, com os dois principais candidatos a marcarem presença. Júlio Bastos lidera a competição com 61 pontos, fruto de uma vitória na única prova de terra da competição – Rali Serras de Fafe, e de uma prestação regular, a bordo do seu BMW M3. A 11 pontos, o outro candidato, Renato Pita, que chega motivado ao Algarve após duas vitórias, em Vila Verde e Mortágua. Para aferir o resultado da Taça, é preciso contar com os concorrentes locais, e também com alguns "outsiders", como Octávio Nogueira em Citroën Saxo S1600 ou mesmo José Pedroso, que volta a trazer um clássico – o Ford Escort TC, às estradas de Monchique e Portimão.

O grosso do pelotão vem dos elementos do Campeonato Regional do Sul, cuja classificação será extrapolada no final da primeira secção, ou seja após 5 especiais. A encabeçar, Ricardo Teodósio promete ser igual a si próprio, rápido e espetacular, pensando não só no CRRS mas também nas contas à geral. O piloto da Guia poderá sagrar-se bicampeão do sul, e para que tal aconteça basta ser o primeiro do regional, e esperar que Luís Mota não fique no segundo posto. Pela frente terá a armada Mitsubishi, com Márcio Marreiros, Luís Nunes, Luís Mota, Carlos Martins e João Correia.

A luta pelas duas rodas motrizes do CRRS será mantida pelos dois protagonistas da temporada – Gil Antunes em Opel Astra e Pedro Lança em Citroën Saxo.