faceralis

 

WEBINAR Prancheta-1-copia-6

CPR

castelobrancoplacaPoderia bem ser um “normal” Rali de Castelo Branco, mas não é. Tem tudo para ser uma edição marcante na história do Campeonato de Portugal de Ralis e, seja quais forem as circunstâncias deste rali, vai com certeza ser uma prova inesquecível, quaisquer que sejam os motivos analisados.

No meu entender “está tudo em jogo” para o futuro da modalidade no curto e, quem sabe, no médio prazo. A Escuderia de Castelo Branco merece que tudo lhe corra pelo melhor. Tem feito um esforço notável e acreditou, desde a primeira hora, que era possível levar o rali para a estrada. Aliás, terá sido mesmo a Escuderia de Castelo Branco que terá feito até mais trabalho de “sapa” para que a sua prova fosse mesmo para a estrada, levando a reboque a própria FPAK, que acabou por ser levada por esta enorme vontade do clube albicastrense.

Por outro lado, fico também feliz por este regresso ser feito pela Escuderia de Castelo Branco, pois considero que é claramente um dos poucos clubes que tem as condições necessárias para “arcar” com esta responsabilidade.

Os adeptos têm também uma “nova” palavra a dizer neste rali. Ficou claro que a Escuderia e a FPAK querem ter um rali sem público, mas sabem também que tal é impossível, pois 4 meses sem ralis não é algo fácil de suportar pelos verdadeiros adeptos da modalidade. Contudo, cada adepto tem que ser um agente de saúde e segurança, não só cumprindo com as normas do distanciamento social, mas também (e não menos importante) fazer para que os outros também cumpram essas regras. Se todos cumprirmos daremos com certeza uma grande ajuda aos ralis, em geral, e à Escuderia de Castelo Branco, em particular.

Mas não é só o futuro dos ralis que está em “disputa” nesta prova. Felizmente neste rali existe também um espetacular lote de pilotos que vão com toda a certeza lutar abertamente pela vitória e não faltam condimentos para que essa luta seja ainda mais aguerrido do que foi em 2019.

A primeira razão é que este é mesmo um rali sprint, que não chega sequer aos 100 quilómetros de troços. Por isso, não dá para que os pilotos entrem com cautelas. O ritmo vai ter que ser alto desde o primeiro metro, é isso é muito bom para o espetáculo e para a componente desportiva do rali.

A segunda rali é que ninguém quer ser apanhado de surpresa como aconteceu na primeira prova (o Rali Serras de Fafe), em que Armindo Araújo acordou para a prova muito mais cedo que todos os outros. Mais uma vez quem não entrar no ritmo certo deste o primeiro metro em Castelo Branco, dificilmente vai ter quilómetros no rali para recuperar tempo.

Não menos importante, serão as condições climatéricas. Prevê-se muito calor e isso vai obrigar a boas escolhas de pneus, mas também a ter cuidados redobrados nas fortes travagens e na melhor forma de ultrapassar as zonas mais sujas.

Quanto a candidatos reais à vitória e com condições para tal existem quatro pilotos: o vencedor de 2019, Armindo Araújo, o quase vencedor da edição passada e atual campeão nacional, Ricardo Teodósio, o super especialista e pluri-vencedor desta prova, José Pedro Fontes e ainda, Bruno Magalhães, que irá tripular um carro semelhante ao que venceu em 2019.

Quantos aos outsider´s são algun, que bem poderão alcançar o pódio, como é o caso de João Barros, que se estreia num C3 R5, e Paulo Meireles, no seu Polo. Contudo, a lista é grande e está recheada de estreias, de regressos e de outros condimentos para ser de facto um grande rali.

castelobrancoplacaInscritos Rali castelo Branco 2020.

 

 

 

 

 

 

 

 

inscritosca2020 inscrtocc5ca20020

 

brunoMais de quatro meses após a abertura da temporada, em Fafe e Felgueiras, o mais importante campeonato do desporto automóvel nacional está de volta, com o Rali de Castelo Branco, a disputar este sábado e domingo.

A paragem motivada pela pandemia mundial de Covid 19 deixou as equipas expectantes para o reinício da competição, com Bruno Magalhães e o navegador Carlos Magalhães a não esconderem a vontade de voltar a pilotar o Hyundai i20 R5 nos troços do CPR.

"É muito bom estarmos de volta aos ralis e podermos fazer aquilo de que mais gostamos ", referiu o tricampeão nacional e vice campeão da Europa. "Vamos naturalmente encontrar um contexto diferente, pois é importantíssimo que todos respeitemos as regras sanitárias definidas pela DGS para que tudo corra bem. Desportivamente, começámos o ano com um pódio em Fafe e Felgueiras e agora fizemos o natural trabalho de preparação para o asfalto, com o objetivo de lutarmos pela vitória em Castelo Branco. Uma palavra para todos os nossos patrocinadores, pelo apoio que demonstraram nesta fase. Toda a equipa está com muit a vontade de retribuir o apoio com grandes resultados ", concluiu Bruno Magalhães, que foi 2.º classificado no inaugural Rali Serras de Fafe e Felgueiras.

pascoalO bicampeão nacional de Ralis GT vai alinhar no Rali de Castelo Branco, este fim de semana, ao volante do Porsche 991 GT3 Cup navegado por Ricardo Faria. Uma forma de homenagear Domingos Mota, o responsável técnico da equipa, recentemente falecido.

Será um fim de semana particularmente difícil para Vítor Pascoal e para o Baião Rally Team, que recentemente foram confrontados com o trágico desaparecimento de Domingos Mota, o responsável técnico da equipa e amigo próximo do piloto nortenho. "O Domingos era muito mais do que um mecânico para mim, era um amigo e um companheiro de muitas horas, muitas viagens, muitos momentos que nunca irei esquecer. A nossa participação em Castelo Branco é, sobretudo, uma forma de o homenagear, porque ele estava a preparar o rali com toda a dedicação", afirmou Vítor Pascoal.

Desportivamente, o Rali de Castelo Branco é a primeira prova do Campeonato de Portugal de Ralis GT, depois do adiamento do Rali Vila Medieval de Ourém para Agosto, devido à pandemia mundial de Covid-19. "Os nossos grandes objetivos em Castelo Branco são garantir que o carro está em plenas condições e chegarmos ao fim do rali. Fizemos algumas mudanças na suspensão após a Rampa Porca de Murça e agora vamos perceber melhor o comportamento do Porsche", concluiu o bicampeão nacional de Ralis GT.

208rally4Lançado no início do ano, o 208 Rally 4 regista já quase 100 encomendas, e a Peugeot Sport tem trabalhado para garantir que os seus clientes recebem as suas novas máquinas o mais rapidamente possível. O 208 Rally 4 está prestes a fazer a sua primeira aparição em competição a nível mundial, o que ocorrerá em Portugal, já este fim de semana, no Rali de Castelo Branco, prova do Campeonato de Portugal de Ralis. Logo de seguida, estão programadas outras participações em competição em Itália e na República Checa.

Após um ano de desenvolvimento na Europa e apesar da necessidade de ajustar os calendários de construção e de entregas devido ao surto de Covid-19, o novo Peugeot 208 Rally 4 já está a ser entregue aos seus novos proprietários. À medida que os ralis retomam a sua atividade um pouco por toda a Europa, a Peugeot Sport e os seus parceiros e fornecedores têm feito tudo para garantir que a nova máquina de competição chegue às equipas a tempo. Cabe a Portugal ser o país onde o 208 Rally 4 vai fazer a sua estreia em competição, com os carros preparados e inscritos pela PT Racing e Racing Factory a alinharem no Rali de Castelo Branco, que se corre já no próximo fim de semana (3 a 5 de julho).
Brevemente, o novo Peugeot 208 Rally 4 fará a sua estreia noutros pontos da Europa. A participação no Rallysprint Pribram, a ter lugar na República Checa a 24 e 25 de julho, vai envolver carros preparados pela Brynda e pela MRS Carso.
A primeira participação do 208 Rally 4 em competições internacionais será no Rali de Roma, em Itália, no final de agosto. O programa do Campeonato Europeu de Ralis (European Rally Championship, ERC) terá o novo carro ao serviço de um grande número de equipas.
Entretanto, as Peugeot 208 Rally Cups organizadas na Península Ibérica e em França vão também arrancar em breve, com as respetivas rondas de abertura a serem realizadas em Portugal (Rali do Alto Tâmega) nos dias 28 e 29 de agosto, e em França (Rali de Mont Blanc) nos dias 4 e 5 de setembro. Embora os calendários destes dois campeonatos monomarca tenham sido ajustados devido à pandemia de Coronavírus, ambos contam, mesmo assim, com quatro eventos.

O QUE ELES DISSERAM...
Mayeul Tyl, Diretor Peugeot Citroën Racing Shop
"Neste período estranho e difícil que atravessamos, estamos gratos aos nossos clientes pela confiança que têm mostrado em nós. Recebemos quase 100 encomendas firmes para o 208 Rally 4 e o ritmo de entrega dos carros vai aumentar durante os meses de verão. Temos feito tudo o que está ao nosso alcance para garantir que os nossos clientes podem começar a competir, e a vencer, no mais curto prazo possível, ao mesmo tempo que oferecemos apoio técnico, quer durante a preparação dos seus programas, quer durante os eventos. A versatilidade do 208 Rally 4 vai permitir às equipas lidar com uma ampla e diversificada seleção de pilotos, e estamos totalmente mobilizados para fornecer-lhes uma ampla gama de serviços em todas as fases dos seus respetivos projetos."
François Wales, Diretor Peugeot Sport
"Depois de mais de um ano de trabalho de desenvolvimento, é uma enorme satisfação para todos ver que o novo Peugeot 208 Rally 4 está a ser entregue aos nossos clientes, e mal podemos esperar para vê-lo em ação em todo o mundo, a participar em eventos internacionais, nacionais e regionais. Acreditamos que o desempenho do 208 Rally 4 vai encantar todos os pilotos que com ele competirem, sejam assíduos e experientes, estrelas em ascensão ou 'gentleman drivers'. Temos confiança no seu potencial vencedor, na sequência do sucesso do seu antecessor, e estamos aqui para acompanhar todos os nossos clientes à medida que os seus programas vão avançando."

INFORMAÇÃO TÉCNICA – PEUGEOT 208 RALLY 4
• Motor: 3 cilindros em linha, turbo, 1.199cc
• Potência máxima: 208 cv às 5.450 rpm
• Binário máximo: 290 Nm às 3.000 rpm
• Caixa de velocidades: Sequencial SADEV de 5 velocidades
• Diferencial: Mecânico com autoblocante
• Travões dianteiros: Discos ventilados de 330 mm (asfalto) e 283 (terra)
• Travões traseiros: Discos de 290 mm
• Suspensões: reguláveis de 3 vias (recuperação, compressão a baixa e alta velocidade)
• Peso mínimo: 1.080kg (1.250kg com piloto e navegador a bordo)

PREÇOS (IVA não incluído)
• Carro completo (especificação para asfalto ou terra): € 66.000
• Kit terra ou asfalto: € 8.990
• Kit de set-up: (asfalto ou terra): € 3.490, incluindo jogo de molas, barras estabilizadoras dianteiras e traseiras, 12 rodas, jogo de barras de lastro)
• Kit de equipamento: € 3.990 (incluindo rede para capacetes, intercomunicadores, Tripmaster, apoio de pés para o navegador, módulo de luzes, sistema de macaco, suporte e cintas de fixação para roda suplente)
• Aquisição de dados: € 270
• Custos de utilização estimados, por quilómetro (excluindo fluidos): € 11.73
CALENDÁRIO
208 RALLY CUP IBÉRICA
• Rali do Alto Tâmega I 28-30 agosto (asfalto) I Portugal
• Rali Princesa das Astúrias I 12-13 setembro (asfalto) I Espanha
• Rali Vidreiro Centro de Portugal Marinha Grande I 9-10 outubro (asfalto) I Portugal
• Rali RACC Catalunha/Rali de Espanha I 24-25 outubro (asfalto) I Espanha
208 RALLY CUP FRANCE
• Rali de Mont-Blanc I 4-5 setembro (asfalto) I França
• Rali Terre des Cardabelles I 9-10 outubro 9-10 (terra) I França
• Rali de Cévennes I 30-31 outubro 30-31 (asfalto) I França
• Rali du Var I 27-28 novembro (asfalto) I França