faceralis

 

posvendaclick

CPR

gilazores19Gil Antunes e Diogo Correia terminaram da melhor forma a viagem até ao Azores Rallye. Depois de uma ronda difícil e de forte competitividade no que ao campeonato Duas Rodas Motrizes diz respeito, a dupla vingou a desistência em Fafe para conquistar, na segunda jornada da temporada, o primeiro lugar do pódio.

Esta suada vitória foi, praticamente, isenta problemas e, para o piloto, “a concentração foi a chave para o sucesso porque, nos Açores, por ser um rali mais longo e bastante traiçoeiro, temos que estar a 100% no carro já que os erros pagam-se caro”. A equipa chegou ao comando da prova na manhã do segundo dia, no entanto foi alternando a liderança com Hugo Lopes/Nuno Mota Ribeiro, acabando por ganhar o rali com apenas 12 segundos de vantagem para os segundos classificados.

O Renault Clio R3T esteve ao nível pretendido e foi um forte aliado para esta conquista que se espera “ser a primeira de muitas nesta temporada que queremos que termine com o título de campeão nas nossas mãos. Depois do que aconteceu na primeira prova, este resultado fez-nos renascer e ganhar alento para cumprir a nossa missão”, disse o navegador.

Tão importante quanto o resultado é ter tido a oportunidade de acumular mais quilómetros cronometrados e, por isso mesmo, mais bens alimentares para a Casa do Gil. Esta nova parceria já foi para a estrada por duas vezes e, ao longo do ano, continuarão a ser doados legumes e frutas à instituição.
A próxima prova do Campeonato de Portugal de Ralis discute-se no Rali de Mortágua de 3 a 4 de maio.

pnetoacoDepois de uma prova muito difícil, Paulo Neto / Vitor Hugo trazem do Rali dos Açores um pódio nas 2RM do Campeonato de Portugal de Ralis, que lhes permitem estar dentro da luta pelo título de 2019.

Apesar da reduzida concorrência direta no Rali dos Açores, a verdade é que Paulo Neto / Vitor Hugo tiveram que superar uma série de dificuldades para concluir com êxito esta prova e somar um bom pecúlio pontual para as duas rodas motrizes do Campeonato de Portugal de Ralis.

"O Rali dos Açores é uma prova excecional e com o ambiente fantástico. A edição deste ano acabou por não ser muito diferente das anteriores neste aspeto, mantendo a prova todas as características que a tornam única no panorama dos ralis em Portugal", comenta Paulo Neto, dizendo que "também por essas razões o Rali dos Açores é sempre uma prova muito difícil e mais uma vez este ano não fugiu à regra, terminando com um derradeiro dia de competição muito complicado, em que a muito chuva, nevoeiro e lama, tornaram os troços quase impraticáveis, sendo uma vitória ter terminado esta prova".

Sobre a parte desportiva, Paulo Neto comenta que o Ralis dos Açores "só o facto de terminar a prova é positivo, o que nos permitiu desde logo arrecadar pontos importantes. Contudo, foi um rali em que tivemos alguns problemas. A começar por um furo logo ao terceiro troço, que nos afastou dos nossos adversários durante a 1ª Etapa, bem como algumas pequenas saídas de estrada, já que tínhamos dificuldades em inserir o carro nas curvas lentas mais fechadas. No início da 2ª Etapa, entramos mais fortes no rali, mas um problema com o diferencial levou-nos a perder muito tempo e que justificava os problemas sentidos na 1ª Etapa. Só nos restou tentar levar o carro até à meta, o que foi conseguido, com a vantagem de os pontos obtidos nos permitirem subir ao segundo lugar das contas das duas rodas motrizes no Campeonato de Portugal de Ralis.
Não queria terminar sem deixar de agradecer mais uma vez o enorme apoio que recebemos de todos os açorianos que acompanham esta prova, bem como aos meios de comunicação locais que dão um grande destaque a este evento.".

A Paulo Neto Sport conta com a assistência técnica da P&B Racing e dos parceiros Weber, Baxi, Dominó, Listor, Italbox, Quantinfor, Total, Vitarte, Banhoazis, Peçintra e Cision, para esta temporada no Campeonato de Portugal de Ralis.

hugoacoHugo Lopes e o navegador Nuno Mota Ribeiro conseguiram o 2.º lugar na prova do Campeonato de Portugal de Ralis 2WD no emblemático Azores Rallye. A fazer a sua estreia nos troços açorianos, a dupla do Peugeot 208 R2 viveu uma experiência inesquecível e passa a liderar o campeonato.

Hugo Lopes já tinha conseguido o 2.º lugar no arranque do Campeonato de Portugal de Ralis 2WD (2 Rodas Motrizes), em Fafe, mas desta vez o desafio era ainda maior para o jovem piloto de 21 anos. O Azores Rallye é considerado um dos mais difíceis ralis de terra da Europa mas Hugo Lopes concentrou-se em ultrapassar todos os obstáculos que foram surgindo, acumular o máximo de experiência no rali e obter mais uma boa pontuação para o campeonato, que passa agora a liderar.
"Fazer este rali foi uma experiência inesquecível, a todos os níveis", afirmou o piloto de Viseu. "Desde as especiais fantásticas e com muito público, em cenários incríveis como a Lagoa das Sete Cidades, até às condições adversas que apanhámos no último dia, com muita lama e nevoeiro, acabando na própria extensão do rali, que torna tudo mais difícil para os pilotos e para a mecânica do carro... acho que aprendemos imenso ao longo destes dias nos Açores. Ainda tentámos chegar à vitória na última etapa mas a nossa concorrência direta tinha muito mais experiência nestes troços. Acima de tudo, foi importante chegar ao fim e conseguir mais este 2.º lugar que nos coloca na frente do campeonato. Quero agradecer a toda a equipa da AM Sport, aos nossos patrocinadores e às nossas famílias e amigos, por todo o apoio", destacou Hugo Lopes.

O Campeonato de Portugal de Ralis prossegue agora nos troços de terra do Rali de Mortágua, nos dias 3 e 4 de maio.

teoacoRicardo Teodósio e José Teixeira superaram o desafio do Azores Rallye, que teve uma das suas edições mais duras dos últimos anos. A dupla algarvia levou o Skoda Fabia R5 ao 3.º lugar do Campeonato de Portugal de Ralis e ainda ganhou três classificativas à geral no Europeu FIA de Ralis (ERC).

Líderes do Campeonato de Portugal de Ralis após a vitória indiscutível na abertura, em Fafe, Ricardo Teodósio e José Teixeira chegavam ao Azores Rallye apostados em obter mais uma boa pontuação para a sua temporada. Nas famosas e exigentes especiais de terra açorianas, a dupla do Skoda Fabia R5 enfrentou um rali atribulado e onde só a espaços pôde mostrar a sua verdadeira rapidez, vencendo mesmo três classificativas na prova do Campeonato da Europa FIA de Ralis (ERC) e quatro troços na prova do CPR. No final, Ricardo Teodósio garantiu o 3.º lugar da prova nacional e o top 5 no evento do ERC.

"Foi um rali difícil para nós e onde tivemos de ultrapassar várias adversidades", analisou o popular piloto da Guia. "Tudo começou com um toque logo no primeiro troço do rali, que deixou uma 'roda' aberta durante as primeiras três classificativas. Na sexta-feira optámos por usar os pneus intermédios em vez dos mais macios e isso deixou o carro com um comportamento algo estranho, levando-me a perder confiança. No sábado o setup estava muito melhor mas fizemos um pião na primeira passagem pelos Graminhais e perdemos o contacto com o Bruno (Magalhães). Ainda assim, o terceiro lugar no CPR e os quatro troços que ganhámos para o Nacional são uma boa operação para o campeonato, além de termos demonstrado um andamento forte sempre que o carro estava ao nosso gosto. Quero agradecer a toda a equipa ARC Sport e o Lorenzo (ndr, engenheiro da Skoda Motorsport), pelo trabalho que fizemos para melhorar o carro ao longo do rali, também às nossas famílias, em especial à minha mãe, que me fez uma visita-surpresa durante o rali, a todos os nossos amigos e ao muito público que nos apoiou na estrada e na assistência. O nosso muito obrigado a todos eles. No próximo fim de semana vamos disputar o Rali de Vila do Bispo e espero voltar a dar espetáculo na nossa região", afirmou Ricardo Teodósio.

O Rali Vila do Bispo será mais uma oportunidade para ver o Skoda Fabia R5 de Ricardo Teodósio e José Teixeira em pisos de terra, disputando-se no próximo sábado e domingo (30 e 31 de março).

bmacoresVencedor do Azores Rallye em 2008, 2010 e 2017, Bruno Magalhães depositava legítimas esperanças num bom resultado na segunda prova do Campeonato de Portugal de Ralis, naquele que é considerado um dos mais bonitos e carismáticos ralis de terra do mundo.

O piloto de Lisboa, tricampeão nacional absoluto e vice-campeão da Europa, voltou a aliar a rapidez e a consistência nas exigentes especiais da ilha de São Miguel, onde nunca tinha pilotado o Hyundai i20 R5, terminando a prova no 2.º lugar do CPR e muito próximo do pódio do Europeu de Ralis (ERC), no 4.º posto da geral absoluta.

"Disputar o rali dos Açores é sempre uma montanha-russa de emoções e este ano tivemos algumas das condições mais adversas que já encontrei, no último dia de prova", referiu Bruno Magalhães. "Curiosamente, foi precisamente quando as condições ficaram mais duras que pudemos atacar e garantir o resultado que precisávamos para o campeonato. Estivemos sempre a evoluir o carro em todos os parques de assistência e acho que demos um passo em frente em termos de setup e de performance. Foram mais 220 quilómetros cronometrados com o Hyundai i20 R5, que mais uma vez mostrou uma fiabilidade notável e que nos dá todas as garantias para as próximas provas", apontou o piloto português, que também fez questão de "agradecer o trabalho de toda a equipa e o apoio do público dos Açores, que torna de facto este rali muito especial para qualquer piloto."