faceralis

 

WEBINAR Prancheta-1-copia-6

CPR

soltasmort1111(Actualizado) Frederico Gomes não teve a sorte pelo seu lado no Rali de Mortágua ao desistir com a transmissão do Citroen C2 R2 Max partida, naquela que será a sua última prova de 2011. Contudo, havia alguns motivos para festejar, já que o piloto de Cascais comemorar 20 anos de ralis. Para marcar este momento, Frederico Gomes colocou no seu carro a seguinte inscrição: "Não venci todas as vezes que lutei... mas perdi todas as vezes que deixei de lutar".

Renato Pita não teve um pódio fácil em Mortágua com alguns assobios. Antes de a polémica se generalizar, Renato Pita explicou o motivo do mal estar de alguns adeptos e adversários. "O que se passou foi que na segunda classificativa vimos o piloto Hugo Lopes e o seu navegador Jorge Henriques a fazerem sinal para pararmos. Assim fizemos e foi com o auxílio do nosso extintor que conseguimos extinguir o incêndio que deflagrava na viatura deles", contou o piloto, adiantando: "Após resolvida a situação, retomamos a prova para os últimos dois quilómetros da classificativa e foi nesse percurso que nos deparámos com um furo que nos obrigou a concluir o troço de uma forma mais lenta", afirmou o vencedor da prova. "Apenas apresentei uma reclamação ao colégio de comissários, relatando o sucedido e apresentei como testemunhas Hugo Lopes e seu navegador, assim como Raul Aguiar e seu navegador, pois, como eles passaram naquela altura pelo local podiam também confirmar toda a situação. Tudo isto decorreu de uma forma transparente e esclarecedora", disse Renato Pita, continuando de forma indignada: "Para mim um auxílio a um colega e adversário está à frente de qualquer resultado ou conquista e estranho este tipo de atitudes pois situações idênticas já levaram pilotos a serem homenageados pela FIA como aconteceu com Vitor Pascoal à não muito tempo no Rali Vinho da Madeira", constatou.

Mesmo tendo disputado menos um troço, se a Taça de Portugal pudesse pontuar à geral no CPR Renato Pita teria ficado logo atrás de Paulo Antunes no Rali de Mortágua (somando o mesmo tempo que tinha feito na segunda passagem do troço que foi anulado). Atendendo a que estamos a falar de VSH não se poderá considerar um mau resultado.

A continuar no Campeonato de Portugal de Ralis o Rali de Mortágua poderá estar garantido por mais dois anos. A ideia da organização é que em 2012 a prova possa apresentar um esquema de troços diferente do apresentado nos últimos três anos.

O tempo total obtido por Vitor Lopes para vencer o Rali de Mortágua de 2011 não lhe permitiria ter vencido a edição de 2010!!! De facto, Bernardo Sousa foi cerca de 30 segundos mais rápido a cumprir a edição de 2010 que como se sabe teve os mesmos troços que a ediçãoo de 2011.

fotoslusicosmortFotos: Luís Costa
Evento: Rali de Mortágua
Data: 24 de Outubro 2011
Site: www.cacsport.com

RALI DE MORTÁGUA
(Fotos Luís Costa - 24/10/2011)

brevesmorta2Joaquim Gaspar venceu em Mortágua a prova destinada ao Regional Centro, com uma margem muito dilatada para Roberto Canha em Citroen Saxo e Armindo Neves, que teve graves problemas de travões no Evo.

Curiosamente qualquer destes três pilotos continuou no rali integrando a Taça de Portugal, com Armindo Neves a terminar na frente de Gaspar piloto que chegou ao final da prova com o Lancer muito danificado após uma saída de estrada.

O final do Rali de Mortágua não foi pacífico no que à Taça de Portugal diz respeito, com alguns pilotos a questionarem o episódio em que Hugo Lopes e Renato Pita foram protagonistas, quando o carro do primeiro terá pegado fogo a meio do primeiro dia levando Pita a parar para lhe ceder um extintor. Segundo os mesmos pilotos é uma situação que ainda irá fazer correr muito tinta pois nem tudo terá corrido dessa forma. Esperemos pelo desenvolvimento do caso.

German Gomez esteve em Mortágua ao volante do seu tradicional Porsche amarelo, levando de vencida a concorrência no troféu Nacional de Clássicos quer na prova quer na própria competição. Um título nacional que foi assim para Espanha e que poderá atrair mais pilotos "vizinhos" ao nosso país em 2012.

Em qualquer dos dias esteve bastante público presente nos troços do Rali de Mortágua, assim como na Super-Especial, o que já é uma tradição.

O título de Ricardo Moura foi festejado por alguns açorianos (adeptos, organizadores, pilotos, patrocinadores e imprensa) que decidiram comparecer em Mortágua apoiando o seu piloto.

Isabel Ramos não teve a sorte pelo seu lado. Aquela que é uma das melhores pilotos de rali de sempre em Portugal, teve uma saída estrada embatendo de frente com um morro, mas tudo não passou de um susto.

fotosmortag112Fotos: RALIS ONLINE
Evento: Rali de Mortágua
Data: 23 de Outubro 2011
Site: www.cacsport.com

RALI DE MORTÁGUA
(Fotos Ralis Online - 23/10/2011)

mouratiru11O segundo dia do Rali de Mortágua teve pouca ou nenhuma história, já Ricardo Moura abdicou totalmente de lutar pela vitória na prova, pensando exclusivamente no título. O piloto dos Açores fez o que lhe competia e somou um saboroso segundo lugar que lhe permitiu chegar ao seu primeiro título de Campeão de Portugal de Ralis, mantendo nesta competição um cunho insular, depois do título do madeirense Bernardo Sousa em 2010.

Vitor Lopes também fez o que lhe competia. Ganhou o segundo rali da temporada, e primeiro em asfalto no Nacional, mas o segundo lugar de Moura não lhe permite ir ao Algarve ainda a pensar nas contas do título. Mesmo assim, uma excelente prova do piloto do Subaru que deu à ARC mais uma dobradinha.

Com o despiste de Pedro Peres (Mortágua não é um bom rali para o portuense) Pedro Meireles ficou com o terceiro lugar ao seu alcance e teve como prémio vencer ainda uma especial de classificação.

No quatro lugar ficou João Silva, que quase carimbou nesta prova o título no CPR2. Ivo Nogueira poucos quilómetros fez do 6º troço, despistando-se, deixando João Silva descansado na liderança.

Paulo Antunes, com algumas dificuldades no Opel Corsa, que exige demasiado do "físico" ficou logo atrás do madeirense, levando a discussão do título do CPR2 para o Rali do Algarve.

Notas de destaque para o sexto lugar de Paulo Neto, mas a satisfação maior foi que com este resultado o piloto de Sinra venceu no Challenge Citroen, logo numa prova em que evidenciou um ritmo interessante.

Destaques para a saída de estrada de Isabel Ramos, com a dupla feminina a sentir algumas dores (felizmente foi só o susto) depois do embate num murro à saída de um gancho, o que levou o rali a parar por alguns minutos.

Na Taça de Portugal Renato Pita venceu, seguido por Raúl Aguir e Armindo Neves. Júlio Bastos foi 7º classificado e ainda lidera esta competição que se irá decidir no Algarve. Certo é que a Taça de Portugal, no Rali de Mortágua, ainda vai dar muito que falar.

LÍDERES SUCESSIVOS
Ricardo Moura (1ª à 6ª Pec); Vitor Lopes (7ª à 9ª Pec)

VENDEDORES DE TROÇOS
Ricardo Moura (3); Vitor Lopes (5); Pedro Meireles (1)

CLASSIFICAÇÃO FINAL
1º Vitor Lopes / Hugo Magalhães – Subaru Impreza WRX 1h02m06,5
2º Ricardo Moura / António Costa – Mitstsubishi Lancer Evo IX a 30,8s
3º Pedro Meireles / Mário Castro – Mitsubishi Lancer Evo X a 1m30,6s
4º João Silva / José Janela – Renault Clio Maxi a 3m18,0s
5º Paulo Antunes / Alberto Oliveira – Opel Corsa S1600 a 3m21,3s
6º Paulo Neto / Daniel Amaral – Citroen DS3 R3 a 6m35,9s
7º Hugo Mesquita / Nuno R. Silva – Renault Clio R3 a 7m55,1s
8º João F. Ramos / Marco Macedo – Mitsubishi Lancer Evo IX a 9m42,9s

PILOTO DO RALI
Ricardo Moura e Vitor Lopes

MOMENTO DO RALI
Tempo de Moura na 7ª especial

MENOS DO RALI
Muitos desistentes