facebook

 

volvo

CPR

arauhovenceDepois do domínio que exerceu primeiro dia, embora sempre com a pressão de Miguel Barbosa, Armindo Araújo forçou nos três restantes troços do segundo dia, tendo-os vencido, para obter a segunda vitória consecutiva no Campeonato de Portugal de Ralis, ascendendo à liderança da competição.

O piloto da Hyundai teve a estratégia correta e mesmo não sendo muito espectacular, foi rápido e eficaz, o que lhe valeu nova vitória, depois de um início de temporada tremido em Fafe.

Miguel Barbosa sai dos ralis de terra sem uma vitória (que merecia), mas acabou o rali (nas contas do nacional) em sobressalto com um problema de aquecimento do motor, que não ditou o abandonou, mas que o atrasou, embora sem perder o segundo lugar.

No terceiro lugar ficou Diogo Salvi, que fez o rali possível, mas que lhe valeu o melhor resultado de sempre no Campeonato.

Daniel Nunes venceu as duas rodas motrizes, num fim-de-semana que lhe correu particularmente bem, que terminou ainda com a subida à liderança neste campeonato.

Nota final para o absurdo que foi ter uma prova do Campeonato de Portugal de Ralis integrada no Rali de Portugal, algo que não dá qualquer prestigio a esta competição e que não traz qualquer retorno adicional para quem o disputa.

barbosaO desempenho de Miguel Barbosa nas duas primeiras corridas disputadas no Campeonato Portugal de Ralis 2018 deixou bem patente que o piloto do BP Ultimate Vodafone Skoda Team é um forte candidato à vitória na competição nacional do Rally de Portugal que, a partir da próxima 5ª feira, vai levar milhares de espectadores aos troços do norte de Portugal para mais uma jornada pontuável para o Campeonato do Mundo.

Miguel Barbosa vai fazer dupla com Hugo Magalhães aos comandos do Skoda Fabia R5 com que foi 2º classificado na prova de abertura disputada em Fafe e com o qual ganhou metade dos troços do Rali de Mortágua.

Neste que é o seu terceiro ano nos ralis, depois de uma carreira com sete títulos de campeão nacional no todo-o-terreno e dois na Velocidade e GT, o piloto de Lisboa salienta que "vencer o Rally de Portugal é seguramente um sonho de qualquer piloto. Temos vindo a trabalhar de uma forma muito cuidadosa para que tudo corra da melhor forma possível. Nas duas provas já disputadas provámos que tínhamos condições para lutar pela vitória. Ainda não o conseguimos, mas temos a noção de estar no bom caminho e a equipa tem feito um excelente trabalho. Sabemos que os adversários também estão muito fortes, mas da nossa parte iremos dar o nosso melhor e lutar para chegar à vitória numa prova emblemática e reconhecida internacionalmente pela qualidade da sua organização. O Rally de Portugal é também uma enorme festa para milhares de fãs dos desportos motorizados e nós queremos contribuir para o sucesso deste grande espetáculo".

armindrpArmindo Araújo voltará, já na próxima quinta-feira, a alinhar à partida de uma prova do Campeonato do Mundo de Ralis e fará a sua estreia neste recente formato do Vodafone Rally de Portugal, disputado a Norte do país. Pontuável para o Campeonato de Portugal de Ralis, a prova organizada pelo ACP trará, para o Team Hyundai Portugal | Armindo Araújo, uma serie de aliciantes e importantes desafios durante os longos quatro dias de competição.

Para o piloto de Santo Tirso, "este regresso a uma prova do mundial é logicamente uma motivação extra que nos acompanhará durante todas as etapas. Contudo o nosso foco estará completamente voltado para as contas do nosso campeonato e pela conquista do maior número de pontos possíveis. Será um rali duro, longo e desgastante, quer para o carro quer para os pilotos, mas o Hyundai i20 R5 já mostrou que é um carro vencedor e estamos por isso muito confiantes e esperançados num bom resultado", afirma.

Com a pontuação a retirar, para o Campeonato de Portugal de Ralis, no final da 12ª PEC, a dupla do Team Hyundai Portugal | Armindo Araújo irá disputar a totalidade das especiais de classificação e procurará terminar o rali como melhor dupla portuguesa. "Sendo o nosso primeiro objetivo alcançar o máximo de pontos para o CPR, poderemos depois da manhã de sábado procurar chegar ao pódio final como melhor equipa nacional. Esta é, portanto, uma prova onde temos dois grandes desafios que queremos alcançar e tudo faremos para os conseguir", realça o piloto do Hyundai i20 R5.

O Vodafone Rally de Portugal contará com 12 provas especiais de classificação pontuáveis para o Campeonato de Portugal de Ralis (desde a SS1 – Lousada até SS12 Amarante 1) mas terá um total de 19 classificativas a disputar de Quinta-feira dia 17 a Domingo 20 de Maio.

fontesO Vodafone Rally de Portugal vai marcar um virar de página na história do Citroën Vodafone Team. Depois de uma aposta ao longo de três temporadas num DS 3 R5, modelo com que, entre outros resultados, José Pedro Fontes alcançou dois títulos de Campeão de Portugal de Ralis (2015 e 2016), o piloto irá estrear o novo C3 R5, a mais recente proposta da área de Competição Cliente da Citroën Racing. A equipa nacional torna-se, assim, a par da equipa oficial que disputa o WRC2, a primeira formação a utilizar a nova viatura numa prova de terra do Campeonato do Mundo de Ralis (WRC).

Para José Pedro Fontes, a edição de 2018 do Rally de Portugal representa um novo capítulo: "É um regresso a uma prova de que gosto particularmente e que no ano passado me foi madrasta, provocando-me e à Inês Ponte sequelas físicas que nos impediram de atingir, em 2017, os objetivos a que nos tínhamos proposto no Citroën Vodafone Team. Mas isso é passado e o ponto alto da edição deste ano é a estreia do novo C3 R5 da equipa."

Com Paulo Babo a cantar-lhe as notas ao longo dos troços, tal como o fez nas 3 provas já realizadas, Fontes não está apreensivo com a estreia do novo C3 R5: "É enorme a expectativa com que aguardamos o início do Vodafone Rally de Portugal, onde vamos estrear um modelo em que a Citroën deposita enormes expectativas em termos de potencial, decorrentes dos excelentes resultados dos testes de desenvolvimento, que deixaram muito boas promessas. É, aliás, enorme o orgulho no seio de toda a equipa e da estrutura da Sports & You, de podermos ser os primeiros a usar o C3 R5 em pisos de terra no WRC, complementando o trabalho da dupla oficial, o Stéphane e o Gabin."

"É, de facto, uma estreia com o C3 R5 e quase tudo é novo, mas o meu entrosamento a bordo com o Paulo está praticamente perfeito, pelo que estamos aptos para começar a explorar o potencial do novo carro," acrescenta o piloto do Porto. "Nos testes que realizámos tudo correu na perfeição e, apesar de ainda não termos sentido o carro em competição direta com os nossos adversários, tudo aponta para que possamos fazer uma prova interessante, havendo um claro potencial para conseguirmos discutir o lugar de melhor equipa portuguesa, contribuindo, assim, para amelhar pontos suficientes que nos permitam manter a luta pelos títulos".

Quanto à prova, "o Vodafone Rally de Portugal é longo e exigente, muito diferente dos ralis de um dia do CPR, pelo que temos que fazer uma boa gestão entre o andamento e a poupança da viatura, mas isso só o conseguiremos fazer à medida em que nos formos ambientando às suas reacções que são fantásticas em terra, fruto das regulações específicas, de base, da Citroën Racing. Partimos dessa base para definir o nosso set-up, de acordo com o meu estilo de condução, e dar o melhor, como, aliás, fazemos sempre que nos apresentamos para discutir a vitória numa prova. Neste caso não poderá ser em termos absolutos, mas o lugar de melhor português não está fora dos meus objetivos".

Nesta edição do Vodafone Rally de Portugal, prova que conta com o mesmo patrocinador do Citroën Vodafone Team, o novo Citroën C3 R5 de José Pedro Fontes/Paulo Babo terá o nº 84 nas portas, saindo para a estrada integrado no grupo dos pilotos lusos que discutem o Campeonato de Portugal de Ralis. A viatura oficial de Stéphane Lefebvre/Gabin Moreau terá o nº 42, discutindo os melhores lugares no pelotão do WRC2.

MIGUELLOBOMiguel Lobo protagonizará este ano uma profunda ruptura com o passado, deixando as pistas para se dedicar às provas de estrada ao disputar Peugeot Rally Cup Ibérica. Num universo completamente diferente o seu mote será aprender e evoluir num ambiente novo.

O piloto de Paços de Ferreira tem sido uma presença assídua nas pistas nacionais desde 2015, tendo-se sagrado Campeão Nacional de Velocidade C3 2015 para depois se dedicar aos monolugares, disputando a Single Seater Series/Fórmula Ford Portugal com sucesso assinalável.

Sem nunca ter passado pelo Karting de competição, Miguel Lobo sempre encarou o automobilismo como um desafio e para 2018 volta a sair da sua zona de conforto, deixando a familiaridade das pistas nacionais para se entregar ao desconhecido dos troços Ibéricos de ralis na forma da Peugeot Rally Cup Ibérica. "Tenho ainda uma curta carreira no desporto automóvel, mas depois de três temporadas nas pistas, considero ser o momento certo para dar salto para os ralis. Esta competição promovida pela Peugeot tem as condições perfeitas para um jovem piloto como eu, o que foi determinante para a minha decisão. Para além disso, permite-me participar no Rali de Portugal e no Rali da Catalunya, duas provas do Campeonato do Mundo FIA de Ralis, o que é muito aliciante", afirmou entusiasmado o piloto de Paços de Ferreira.

Sem qualquer tipo de experiência nos ralis, que têm as suas peculiaridades, como os troços de terra e navegador, Miguel Lobo sabe que terá uma árdua adaptação pela frente, estando consciente de que terá um mundo de novidades pela frente. "Tudo será novo para mim – o terreno da competição, o carro, a equipa, a necessidade de ter de ouvir notas, etc – portanto, estou consciente de que terei um longo caminho de aprendizagem para poder chegar ao nível dos meus adversários, que são muito mais experientes, por comparação. Contudo, estou seguro de que com a ajuda da equipa, e com o meu navegador, Paulo Marques, poderei evoluir gradualmente, até porque com o Bernardo Sousa, um dos melhores pilotos de ralis portugueses, a liderar a BS Motorsport terei do meu lado um grande capital de experiência", exultou o Campeão Nacional de Velocidade C3 de 2015.

A temporada da Peugeot Rally Cup Ibérica inicia-se já este mês com o Rali de Portugal, disputando-se ao longo de sete meses e seis ralis, sendo três realizados no nosso país e outros tantos em Espanha, destacando-se ainda o Rali da Catalunya, que se efectua entre os dias 25 e 28 de Outubro.

Calendário da Peugeot Rally Cup Ibérica 2018:
- Vodafone Rali de Portugal (17 a 20 de Maio)
- Rali de Castelo Branco (30 de Junho e 1 de Julho)
- Rallye de Ferrol (20 e 21 de Julho)
- Rallye Princesa das Astúrias (14 e 15 de Setembro)
- Rali da Catalunha/Espanha (25 e 28 de Outubro)
- Rali Casinos do Algarve (17 e 18 de Novembro).