faceralis

 

usados

ERC

r5Se já não é novidade para ninguém o potencial do novo Skoda Fabia R5 Evo, a partir do próximo fim-de-semana desportivo, os portugueses poderão ficar ainda mais familiarizados com a nova máquina da marca checa, uma vez que Aloísio Monteiro será o primeiro piloto português a competir oficialmente na mais recente viatura preparada pela Skoda para competição.

O Barum Czech Rally Zlín, sexta prova do Campeonato da Europa de Ralis, marca uma mudança significativa nas ambições e objetivos de Aloísio Monteiro no ERC. Com a chegada recente do Skoda Fabia R5 Evo à The Racing Factory, o piloto português mostra-se muito satisfeito e com vontade de dar o máximo na prova checa de forma a tirar o melhor proveito possível das capacidades do carro. "É um orgulho para mim e para a The Racing Factory termos sido uma das primeiras equipas cliente a receber unidades do novo Skoda Fabia R5 Evo. Demonstra toda a confiança que a marca viu no nosso trabalho recente. Em termos desportivos, e como não poderia deixar de ser, vamos tentar dar o melhor neste evento e demonstrar que merecemos esta confiança. Mais do que pensar num bom resultado, que não deixa de ser objetivo, temos de encontrar o melhor Setup para esta viatura. Um compromisso que nos permita ser rápidos e fiáveis ao longo do evento", começou por explicar o piloto do Porto.

As dificuldades esperadas na adaptação do piloto e equipa à nova viatura estão, desde logo, a ser superadas com o suporte da Skoda Motorsport. "Há uma ligação muito forte da The Racing Factory com a Skoda Motorsport e isso deixa-nos mais tranquilos e confiantes. Estamos certos que este trabalho será recompensado no final da prova, no domingo", disse Aloísio Monteiro que hoje e amanhã sentirá pela primeira vez as emoções de conduzir o Skoda Fabia R5 Evo da The Racing Factory nos testes pré-evento.

O Barum Czech Rally Zlín, que decorre sobre pisos de asfalto, tem início na próxima sexta-feira pelas 16h00 e final agendado para Zlín, no Domingo. A prova checa que conta com 138 inscritos, levará os pilotos a percorrer mais de 765km, 219,63 ao cronómetro, divididos por 15 especiais.

habajDepois de ter dominado durante 13 das 15 especiais do Rali dos Açores, Alexey Lukyanuk acabou por ser o protagonista desta prova, mas pelos piores motivos, entregando a vitória ao polaco Lukasz Habaj, depois de ter perdido tempo com um furo lento (que lhe retirou a liderança) e com um violento capotanço na derradeira classificativa que o retirou da prova.

Apesar deste compêndio de Lukyanuk de como se perde uma prova depois de a ter dominado totalmente, a verdade é que Lukasz Habaj, pela terceira vez nos Açores, fez aos 45 anos, uma prova notável. Sempre muito competitivo com o seu Skoda Fabia, Habaj estava no lugar certo, no momento certo, vencendo a prova com 8,4s de vantagem para o local Ricardo Moura, que jogou muito à defesa durante toda a segunda etapa, devido às péssimas condições do piso por causa da muita chuva.

Chris Ingram, de quem se esperava muito mais nesta prova, acabou por subir ao pódio, num rali em que só a espaços mostrou rapidez, nunca tendo sido protagonista durante os três dias de competição.

Depois de já ter vencido entre os concorrentes do Campeonato de Ralis dos Açores, no final da primeira etapa, Ricardo Moura somou nova vitória, desta feita entre os concorrentes inscritos do Campeonato de Portugal de Ralis. Moura não teve concorrência entre os portugueses, passando a liderar um Campeonato que, em principio, não irá mais disputar esta temporada.

Muito mais interessante de seguir foi a luta entre Bruno Magalhães e Ricardo Teodósio. Ambos os pilotos tiveram diversos problemas de acerto dos seus carros, mas o piloto da Hyundai puxou dos seus galões nos dois derradeiros troços da prova para não permitir que Teodósio desse continuidade à recuperação iniciada na primeira fase da última etapa. Qualquer dos pilotos faz uma boa operação dos Açores em termos de Campeonato.

Apesar de muito atrasados na classificação, Miguel Correia e António Dias fizeram nesta prova o 4º e 5º lugar nas contas do CPR.

Nas contas das duas rodas motrizes do CPR, Gil Antunes conseguiu uma importante vitória, depois de ter comando uma boa parte da mesma, ficando Hugo Lopes no segundo lugar, o que lhe dá a liderança da competição. Paulo Neto foi terceiro (apenas três pilotos pontuavam).

Líderes Sucessivos

PEC (1 a 13) A. Lukyuanuk, PEC (14 e 15) L. Habaj

Vencedores de troços
A. Lukyuanuk (9); Pierre Loubet (1); R. Teodósio (2); R. Moura (1); L. Habaj (1)

CLASSIFICAÇÃO FINAL
acoresfinal19

 

dia2sata18Não teve grande história a liderança do Rali dos Açores neste segundo dia de competição, a exemplo do que já tinha acontecido no primeiro, com Lukyanuk a aumentar substancialmente a sua vantagem para mais de 40 segundos para o segundo classificado, perdendo até agora apenas um troço dos 10 disputados neste prova.

Ricardo Moura tudo tem feito para assegurar o segundo lugar na prova, após um segundo dia em que não conseguiu seguir no ritmo do russo. Mesmo assim, Moura foi de muito longe o melhor português e, consequentemente, o melhor açoriano, tendo mesmo já vencido nas contas do Campeonato dos Açores, competição que encerrou no final desta etapa.

Habaj tem sido uma boa surpresa desta prova, estando na luta pelo segundo lugar com Ricardo Moura, piloto que tem atrás de si, também nesta luta, Pierre Loubet, que não confirmou neste segundo dia as boas indicações do primeiro.

Com o 7º lugar no rali, Luís Miguel Rego foi o segundo entre as contas do Regional dos Açores, tendo mesmo superado ao longo do dia Bruno Magalhães, piloto que lutou com algumas dificuldades de acerto do Hyundai na fase inicial do dia, embora seja segundo classificado nas contas do Campeonato de Portugal de Ralis, o que é um ótimo resultado.

Ricardo Teodósio também lutou com muitas dificuldades para acertar com um seu Skoda, e isso refletiu-se nos tempos e agora na classificação. Mesmo assim, o terceiro lugar nas contas do CPT, permite-lhe perspetivar uma boa operação nos Açores.

Destaque ainda para a prova inconstante de Bernardo Sousa, que teve 3 furos no seu Citroen, e ainda um capotanço, pelo que terceiro lugar nas contas do Regional dos Açores acaba por ser bom.

Líderes Sucessivos
A. Lukyuanuk
Pec (1 a 10)

Vencedores de troços
A. Lukyuanuk (9); Pierre Loubet (1)

CLASSIFICAÇÃO SEGUNDO DIA
dia2acores19

lukyaunuAo cabo de três especiais de classificação o Rali dos Açores não conheceu outro líder que não seja Alexey Lukyanuk. Ao volante do Ciroen DS3 R5, o míssil russo disparou para a liderança vencendo todos os troços até agora disputados.

Pierre Loubet, que nem estava apontado entre os favoritos, é para já a grande surpresa do rali, estando a apenas 3,1s da liderança, dando a entender que tem ritmo para incomodar Lukyanuk.

Ricardo Moura é para já o melhor português e açoriano, como também lidera nas contas do Campeonato de Portugal de Ralis, estando a 8s do primeiro lugar após este primeiro dia.

Marijan Griebel chegou a ser terceiro classificado mas desceu para quinto no final do dia, estando numa interessante luta pelo 4º lugar, que agora é ocupado por Chris Ingram.

Nas contas do CPR, Moura lidera, já com 14,5s de vantagem para Bruno Magalhães, que já percebeu que terá que contar com Ricardo Teodósio na luta, para já, pelo segundo lugar.

Miguel Barbosa nem chegou a concluir o primeiro troço do rali, já que depois de um toque furou o radiador, pelo que as posições seguintes são ocupados por Miguel Correia e Pedro Almeida.

Nas 2RM é Hugo Lopes quem lidera com toda a autoridade, embora quer Gil Antunes, no Clio com problemas de rendimento, quer Paulo Neto, DS3, com um furo, perderam algum tempo.

Líderes Sucessivos
A. Lukyuanku
Pec (1 a 3)

Vencedores de troços
A. Lukyuanku (3)

CLASSIFICAÇÃO PRIMEIRO DIA

fotosatdia1ph14Fotos: Ralis Online (Proíbida a reprodução de fotos sem indicação da fonte)
Evento: Sata Rali Açores 2014
Data: 15 a 18 de maio 2014
Site: www.ralisonline.net

 

 

RALIS ONLINE TV

RALIS ONLINE TV 2