faceralis

 

ANUARIO123

ERC

acores1soltasComo é da tradição, a Ilha de São Miguel recebe com muita envolvência a caravana do ERC. A organização está mais motivada do nunca para ter na estrada um rali acima das expetativas, até para demonstrar a "quem de direito" que o Rali dos Açores deveria ter recebido também a caravana do Campeonato de Portugal de Ralis.

Rui Moniz, presidente do Grupo Desportivo Comercial, mostrou-se natural insatisfeito pela "não" presença dos pilotos do CPR, mas afirmou que para o ano tudo regressará à normalidade e quase garantiu que o CPR estará de novo no Rali dos Açores em 2022.

Uma das apostas da organização foi na comunicação. Por exemplo, ao longo dos três dias de competição vai haver (e está a haver) uma extensa cobertura mediática, com transmissões televisivas contínuas de tudo o que se está a passar no rali. Para acompanhar a prova basta ver AQUI.

Ricardo Moura não poderia faltar ao "seu" Rali dos Açores. Neste regresso a uma prova que já venceu, o pluricampeão nacional e regional, vai estrear um novo Skoda Fabia Rally2 Evo edição 120 anos. Quanto às expetativas para esta prova, Moura foi parco em palavras e prefere esperar para ver o que vai acontecer, mas disse "que as ambições agora são diferente pois estou a fazer poucos ralis por ano".

Dani Sordo é uma das estrelas desta prova. O espanhol em estreia nos Açores disse que "adoro o rali e as passagens são espetaculares. É um rali muito desafiante com muitas curvas e zonas muito estreitas. Mas estou confiante para obter um bom resultado".

lukserrasA estreia do Rally Serras de Fafe e Felgueiras no FIA ERC (European Rally Championship), a 2/3 de outubro próximo, promete, atendendo à qualidade dos pilotos inscritos, um espetáculo com "cheirinho" a Mundial nas classificativas de terra dos municípios de Fafe, Felgueiras, Boticas e Vieira do Minho. "Não temos dúvidas que vai ser a melhor edição [Rali Serras de Fafe e Felgueiras] de sempre, quer a nível de participantes quer da estrutura envolvida", assegura Carlos Cruz, presidente do Demoporto – Clube de Desportos Motorizados do Porto, organizador do evento que este ano é a sexta prova do calendário do FIA ERC e também do Campeonato de Portugal de Ralis (CPR), sendo ainda pontuável na Peugeot Rally Cup Ibérica.

Alexey Lukyanuk (Citroen), campeão europeu em título, Andreas Mikkelsen (Skoda), atual líder do Europeu, e Dani Sordo (Hyundai) encabeçam uma lista de inscritos de luxo e da qual fazem parte aqueles que têm sido os grandes protagonistas do campeonato, a que se juntam agora outras "estrelas", como os portugueses Armindo Araújo, Ricardo Teodósio, Bruno Magalhães e José Pedro Fontes, entre outros.

"A lista de inscritos está de acordo com as nossas expetativas, tendo em conta a fase da época em que nos encontramos e direi que estão reunidas todas as condições para um rali competitivo e interessante da primeira à última classificativa", refere ainda o mesmo responsável.

Em termos de formato, numa prova que mantém o seu centro nevrálgico em Fafe, a grande novidade é a introdução de uma classificativa em Boticas, cujo traçado nunca foi utilizado em ralis. De resto, o primeiro e o segundo dia incluem classificativas por demais conhecidas e outras, como Senhora da Fé/Anjos ou Agra/Zebral que correspondem a partes das "especiais" de Vieira do Minho também já utilizadas no Rali de Portugal.

"Nos últimos dias, as condições climatéricas não têm ajudado, prejudicando o esforço desenvolvido pelas autarquias para consolidar o bom estado dos pisos das classificativas, que agora, em alguns casos, terão de ser reparados. Ainda restam duas semanas para o rali e como a previsões meteorológicas apontam para a chegada do bom tempo, acredito que vai estar tudo em perfeitas condições quando o rali partir para a estrada", adiantou Carlos Cruz.

Muito embora a Demoporto ainda aguarde diretivas da Direção Geral de Saúde, através da autoridade regional (Fafe), não deve ser permitida a presença de público no Parque de Assistência, à semelhança do sucedido nas provas anteriores, mas haverá público nas classificativas. E, nesse sentido, a organização do Rally Serras de Fafe e Felgueiras apela ao bom sendo de todos quantos vão estar na estrada para o cumprimentos de regras, como o distanciamento social ou o uso de máscara nas zonas de aglomeração de pessoas.

PRINCIPAIS INSCRITOS
Dani Sordo (Hyundai i20 R5)
Andreas Mikkelsen (Skoda Fabia Rally 2 evo)
Alexey Lukyanuk (Citroen C3 Rally2)
Miko Marczyk (Skoda Fabia Rally2 evo)
Norbert Herczig (Skoda Fabia Rally2 evo)
Nil Solans (Skoda Fabia Rally2 evo)
Yoann Bonato (Citroen C3 Rally2)
Erik Cais (Ford Fiesta R5 MKII)
Umberto Scandola (Hyundai i20 R5)
Armindo Araújo (Skoda Fabia Rally2 evo)
Ricardo Teodósio (Skoda Fabia Rally2 evo)
Bruno Magalhães (Hyundai i20 R5)
José Pedro Fontes (Citroen C3 Rally2)
Pedro Meireles (VW Polo R5)
Miguel Correia (Skoda Fabia Rally2 evo)
Manuel Castro (Skoda Fabia R5)
Paulo Neto (Skoda Fabia R5)
Gil Antunes (Dacia Sendero R4)
Ivan Ares (Hyundai i20 R5)
Javier Pardo Siota (Suzuki Swift R4LLY S)
Joan Vinyes (Suzuki Swift R4LLY S)
Alexander Villanueva (Citroen C3 R5)

PROGRAMA/HORÁRIO

SEXTA-FEIRA (1 outubro)
13:30/15:30 – Free Practice
16:00 – Qualifying Stage – Monte (3,25 km)
16:30/18:30 – Shakedown – Monte (3,25 km)
20:00 – Escolha da Ordem de Partida (Pavilhão Multiuosos)

SÁBADO (2 outubro)
08:00 – Partida (Praça Mártires do Fascismo (Feira Velha)
08:00/08:23 – Parque Fechado (Parque da Feira)
09:00 – PEC 1 – Luílhas 1 (12,1 km)
09:50 – PEC 2 – Senhora da Fé/Anjos 1 (18,06 km)
10:25 – PEC 3 – Agra/Zebral 1 (11,25 km)

Reabastecimento em Boticas (Central de Camionagem)
11:45 – PEC 4 – Boticas 1 (15,2 km)
13:25/13:40 – Reagrupamento em Fafe (Praça Mártires do Fascismo/Feira Velha)
14:18/14:52 – Parque de Assistência (Parque da Feira)
14:55 – PEC 5 – Luílhas 2
15:45 – PEC 6 – Senhora da Fé/Anjos 2
16:20 – PEC 7 – Agra/Zebral 2
Reabastecimento em Boticas (Central de Camionagem)
17:40 – PEC 8 – Boticas 2
19:20/19:30 – Parque Fechado/Zona Técnica (Praça Mártires do Fascismo/Feira Velha)
19:38/20:23 – Parque de Assistência (Parque da Feira)
20:38 – Parque Fechado (Praça Mártires do Fascismo/Feira Velha)

DOMINGO (3 outubro)
08:30 – Partida Praça Mártires do Fascismo/Feira Velha
08:38/08:53 – Parque de Assistência (Parque da Feira)
09:30 – PEC 9 – Seixoso 1 (10,01 km)
10:10 – PEC 10 – Santa Quitéria 1 (9,28 km)
10:45 – PEC 11 – Montim 1 (8,63 km)
11:10 – PEC 12 – Lameirinha 1 (13,99 km)
11:50/12:05 – Reagrupamento em Fafe (Praça Mártires do Fascismo/Feira Velha)
12:13/12:43 – Parque de Assistência (Parque da Feira)
13:20 – PEC 13 – Seixoso 2
14:00 – PEC 14 – Santa Quitéria 2
14:35 – PEC 15 – Montim 2
15:00 – PEC 16 – Lameirinha 2
15:40/15:50 – Parque Fechado/Zona Técnica (Praça Mártires do Fascismo/Feira Velha)
15:58/16:08 – Parque de Assistência (Parque da Feira)

Toda a informação sobre o Rally Serras de Fafe e Felgueiras em https://www.rallyserrasdefafe.com/

acoresInscritos Rali dos Açores 2021, próxima prova do Europeu de Ralis e do Campeonato de Ralis dos Açores.

 

 

 

 

 

 

 

acoresinsc121acoresinsc221acoresinsc321

acoresTroços e horários Rali dos Açores 2021, próxima prova do Europeu de Ralis também pontuável para o Regional dos Açores.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1

rego copyOs campeões dos Açores em título, Luís Rego Jr. e Jorge Henriques, partem para a 55ª edição do Azores Rallye com a firme determinação de "reforçar a imagem positiva que os pilotos açorianos têm sabido construir sempre que têm hipótese de se defrontar com os melhores do Campeonato da Europa", isto para além de potenciar a imagem dos seus patrocinadores naquela que é a prova mais mediática de todo o calendário.

Para um piloto que procura a revalidação do título regional, o principal objetivo, a nível desportivo, passa por "tentar vencer a prova pontuável para o Campeonato dos Açores e conquistar os 25 pontos que são atribuídos no final da primeira etapa do rali" que este ano tem um alinhamento de classificativas bastante distinto daquilo que vem sendo habitual. A sequência Graminhais / Tronqueira, que costuma encerrar a prova, faz agora parte de um primeiro dia de competição que só fica completo com uma passagem por São Brás e pela sempre espetacular super especial Grupo Marques.
Para Luís Rego Jr, o facto de a primeira etapa, corrida na sexta feira, apresentar, logo de entrada, troços exigentes e de grande extensão, obriga os pilotos a entrar forte no rali, com a rapidez e a concentração em alta, uma vez que estas são classificativas capazes de provocar diferenças substanciais que serão depois difíceis de recuperar em condições normais. Pelo mesmo motivo, a ordem de partida para este primeiro dia assume, este ano, ainda maior importância, pelo que qualquer erro no qualifying poderá ser extremamente penalizador numa altura em que os segundos ainda nem começaram a ser somados na tabela classificativa. O sábado também é exigente, com troços como as Sete Cidades, Feteiras ou Coroa da Mata, embora a dificuldade e extensão das especiais de classificação do dia anterior possam deixar antever que algumas das lutas que se esperam para o Azores Rallye já estejam minimamente definidas logo no arranque do dia. Ainda assim, o piloto micaelense considera que "este será um rali diferente daquele a que os pilotos estavam habituados" mas prevê que "a dureza e a competitividade que caracterizam a prova do GDC continuarão inalteradas".