faceralis

 

guiaaft

WRC

citroer5Após diferentes sessões de testes realizadas em pisos de asfalto e em terra, o Citroën C3 R5 fez a sua primeira aparição pública abrindo os troços do Rali do Var, prova pontuável para o campeonato francês da modalidade. Tendo-se já sagrado Campeões de França, após alcançarem quatro vitórias aos comandos de um DS 3 R5, Yoann Bonato e Benjamin Boulloud comemoraram os seus títulos estreando o novo produto da competição cliente da Citroën Racing.

Na rampa de partida, ao longo das especiais ou no Parque de Assistência, o novo Citroën C3 R5 esteve no centro das atenções, sendo bastante aplaudido pelo público, seduzido por sua inovadora decoração, bem como e em especial, pelos profissionais dos ralis – entre preparadores, pilotos, navegadores e jornalistas – que se aglomeravam para ver em detalhe a nova proposta da Citroën Racing para a categoria R5.

Tecnicamente, o C3 R5 viu-se dotado, pela primeira vez, do comando de transmissão manual, imposto por uma recente mudança no regulamento, novidade que satisfez Yohann Bonato, permitindo-lhe terminar as 14 classificativas da prova sem registar o menor problema.

Após esta bem sucedida participação, o trabalho de desenvolvimento de engenheiros e pilotos irá continuar com novas sessões de testes, destinadas a apurar a sua fiabilidade e performance, antes da submissão do modelo ao processo de homologação da FIA.

O QUE ELES DISSERAM

Yves Matton, Diretor da Citroën Racing: "Após a excelente temporada que fez no Campeonato de França era lógico que Yoann Bonato estivesse ao volante do R5 C3 nesta sua primeira aparição pública. Trocando-se a habitual 'camuflagem' por uma decoração que enfatizou o design do carro, desencadeamos uma onda de entusiasmo entre o público, bem como entre os muitos potenciais clientes, que se mostraram muito interessados neste produto. Estes três dias de testes em grande escala ajudaram a confirmar os ensinamentos obtidos nos anteriores testes de desenvolvimento, alcançando-se um novo e importante patamar. A equipe técnica irá, agora, continuar a trabalhar na mesma direção, para que possamos propor um produto totalmente à medida dos nossos clientes."

Pierre Budar, Diretor de Desenvolvimento de Veículos Competição-Cliente: "Para além do interesse suscitado junto do público e entre a comunidade do automobilismo, esta participação no Rali de Var trouxe-nos uma enorme satisfação em termos técnicos. Sem encontrar problemas de fiabilidade, fomos capazes de trabalhar com serenidade em diferentes configurações, adaptando o carro aos diferentes tipos de estrada, umas vezes suaves, outras muito acidentadas. A variedade de condições e as situações específicas da competição permitiram-nos testar e também validar os vários pontos com uma determinada certeza. O primeiro vislumbre do seu nível de performance, em comparação com os outros modelos da categoria R5, também é positivo."

Yoann Bonato: "Não tivemos qualquer pressão da concorrência, pelo que nos divertimos muito ao volante do Citroën C3 R5 no fim de semana. O produto já se encontra muito desenvolvido e a variedade de estradas do Rali do Var permitiu-nos experimentar diferentes regulações. O carro responde de modo consistente às alterações feitas, um ponto muito importante num produto de competição cliente. Estou muito orgulhoso ter sido escolhido pela Citroën Racing para esta operação e estou ansioso por ver o C3 R5 nos próximos testes".

ogiervenceA M-Sport anunciou hoje que Sebastien Ogier se irá manter-se na equipa em 2018, ainda e sempre com o seu navegador Julien Ingrassia.

O segundo Fiesta WRC da equipa será conduzido por Elfyn Evans e Daniel Barrit em todo o mundial de ralis de 2018.

Para já ainda sem qualquer apoio oficial da Ford em termos absolutos, a M-Sport vai ter ainda um terceiro Fiesta WRC em 2018.

 

pirelliA Pirelli porá um ponto final no seu ano sabático no Mundial de Ralis e regressará na próxima época ao WRC, uma competição onde a marca italiana tem marcado presença desde a sua edição inaugural, em 1973, e onde conta com um palmarés que reflete 181 vitórias e 25 títulos.

A Pirelli homologou pneus tanto para a nova geração de carros do WRC como para os da categoria de promoção WRC2, com o objetivo de oferecer o máximo rendimento e durabilidade em todas as superfícies.

Além disso, a Pirelli tornar-se-á no fornecedor exclusivo do Campeonato Mundial de Rali Junior a partir da próxima época. Este certame é dedicado a pilotos nascidos a partir de 1 de janeiro de 1989, onde competirão ao volante de Ford Fiesta R2 idênticos. O Campeão da prova pilotará, em 2019, um Fiesta R5 no WRC2, numa temporada em que terá apoio no carro, nos pneus, no combustível e nas inscrições nos ralis.

Esta iniciativa retoma a longa tradição da Pirelli em apoiar os jovens talentos do futuro do WRC, via programas históricos como o Pirelli Star e a WRC Academy. Estas categorias de promoção impulsionaram nomes do calibre de Craig Breen, Elfyn Evans, Hayden Paddon ou Ott Tanak até ao topo deste desporto como pilotos oficiais. Também o atual Campeão do Mundo, Sebastien Ogier, obteve o seu título Junior de 2008 ao volante de um carro equipado com pneus Pirelli.
A marca do P Longo desenvolveu para a próxima edição do WRC uma nova gama de pneus P Zero e Scorpion, para asfalto e terra, respetivamente, aos quais se junta uma variante Sottozero específica para gelo e neve (disponível com e sem pitons).

No asfalto, a Pirelli propõe um novo P Zero RK5A e o seu homónimo mais macio RK7B. No caso de asfalto molhado, a marca italiana conta com o Cinturato RWA. Os três pneus estreiam uma nova estrutura e composto com o propósito de aumentar a aderência e o rendimento em comparação com os seus predecessores, graças a uma seleção de tecnologias patenteadas.

Para terra, a Pirelli introduz o novo Scorpion K4 Reinforced, que se junta a um Scorpion K6 Reinforced mais macio. Além de serem extremamente rápidos, o reforço extra proporciona uma maior proteção anti-furos, inclusive em condições off-road mais severas. Ambos os pneus estreiam ainda uma nova banda de rodagem desenhada para melhorar a manobrabilidade e a agilidade ao volante.

A Pirelli também propõe um pneu específico para duas provas muito especiais do calendário, Monte Carlo e Suécia. Para estas desenhou uma nova geração do pneu Sottozero: o Sottozero B para o clássico monegasco e o Sottozero Ice (com pitons) com destino ao encontro sueco. No seu design utilizaram tecnologia patenteada com o objetivo de assegurar a retenção dos pitons no pneu e uma ótima aderência na totalidade do mesmo.

O responsável pelas competições automobilísticas da Pirelli, Mario Isola, salientou que "a longa e bem-sucedida história da Pirelli no Campeonato do Mundo de Ralis, associada aos melhores carros e pilotos da história deste desporto, torna a decisão de regressar numa questão natural. Desenvolvemos pneus à medida das múltiplas exigências do WRC, aproveitando para tal algumas das lições aprendidas na Fórmula 1, o que supõe uma vantagem competitiva sem comprometer a fiabilidade do produto final. Estamos especialmente contentes, em particular, por regressar ao Campeonato Junior, já que encaixa na perfeição na nossa filosofia de apoio a jovens talentos".

Além dos compromissos no WRC (que arranca a 22 de janeiro com a disputa do Rali de Monte Carlo), a Pirelli continuará envolvida no Campeonato da Europa de Ralis, cenário no qual competem muitos jovens pilotos com o objetivo de progredir desportivamente e no qual a marca italiana levantou os três últimos títulos pela mão de Kajetan Kajetanowicz. Nesta prova, a Pirelli também fornecerá os seus pneus para o Campeonato Europeu Junior Sub 27, que se disputa com carros da categoria R2.

Tudo isto significa que a Pirelli, líder mundial no segmento de pneus de altas prestações, é também a referência no que concerne à projeção de jovens talentos – e o seu impulso até ao topo dos ralis.

vwO Volkswagen Polo GTI R5 concluiu com sucesso, segundo a marca, os primeiros quilómetros de teste em Fontjoncouse, na França.

O piloto de testes da Volkswagen, Dieter Depping, e o campeão sueco WRC2, Pontus Tidemand, passaram três dias testando o novo Polo R5, que se baseia na sexta e última geração da produção Polo, em condições exigentes.

"Um primeiro teste bem sucedido é sempre um bom sinal e uma grande motivação", disse um diretor da Volkswagen Motorsport, Sven Smeets. "Depois das muitas horas e semanas de desenvolvimento deste projeto no computador, no processo de design e na oficina, o Polo GTI R5foi agora testado em troços o que nos permitiu ganhar dados valiosos para o desenvolvimento do mesmo".

Num troço de asfalto com 3,85 quilómetros, em condições secas e com a temperatura em torno de dez graus, alternando entre seções rápidas e sinuosas, testou-se a durabilidade dos pneus, travões, motor e sistema de arrefecimento. Os dois dias seguintes foram utilizados para testar em terra, nomeadamente o chassis, amortecedores e suspensão.

"Este primeiro teste foi principalmente sobre a realização de muitos quilómetros a fim de fornecer aos engenheiros o máximo de dados possível. O R5 do Polo também é muito bom, muito rápido e preciso. Imediatamente senti-me em casa!", Dieter Depping.

neuvilleven(POR RICARDO MASCIMENTO)

A chuva acabou mesmo por surgir em força no derradeiro dia, obrigando ao cancelamento da penúltima especial. No entanto, o sol brilhou na Power Stage, trocando a lama barrenta e muito escorregadia pelo pó.

Thierry Neuville perdeu algum tempo no inicio da manhã para Latvala, mas o belga respondeu aos ataques, conseguindo vencer pela quarta vez na presente temporada e confirmar a segunda posição no campeonato.

Jari-Matti Latvala bem que tentou chegar à segunda vitória da temporada, mas Neuville foi mais forte e depois, acabou por cometer um erro na Power Stage ao cortar demasiado uma barreira, arrancando a suspensão dianteira esquerda e bater de seguida em algumas árvores.

Com o abandono do finlandês, Ott Tänak subiu para segundo no seu último rally com a M-Sport, levando também o Fiesta a mais um pódio, o que aconteceu em todos os rallies da temporada 2017.

Na sua estreia no Rally da Austrália, Craig Breen deitou fora a excelente quarta posição que tinha, ao capotar o C3 WRC na segunda especial do dia.

Hayden Paddon aproveitou o erro do irlandês para subir uma posição e fazer um bom resultado no seu melhor dia do rally, onde até venceu uma especial. No entanto, o abandono inesperado de Latvala, permitiu que o neozelandês subisse ao lugar mais baixo do pódio.

Sébastien Ogier voltou a ter problemas com a "paddle shift", levando-o a penalizar 1 minuto por avanço com os nervos da situação. Após ter resolvido o problema na assistência e beneficiar do erro de Latvala, o francês terminou na quarta posição e ainda venceu a Power Stage.

Stéphane Lefebvre saiu muito largo numa direita, acabou por bater com a roda traseira esquerda numa árvore, arrancando por completo a suspensão da mesma roda e abandonar no final da primeira especial do dia.

Por ser segundo na estrada, Elfyn Evans não apanhou chuva na primeira especial, conseguindo vencer o troço e subir três posições com os erros dos pilotos da Citroën e de Latvala, apesar de também ter tido os mesmos problemas de Ogier.

Pelos mesmos motivos do britânico, Esapekka Lappi não venceu qualquer especial, mas foi segundo nos dois primeiros troços, vindo a subir também três posições, terminar em sexto e o terceiro tempo na Power Stage.

Kris Meeke recuperou algumas posições e conseguiu pontuar pela última vez este ano, ultrapassando Juho Hänninen no campeonato, mas ficou muito aquém daquilo que era esperado no inicio da época.

Andreas Mikkelsen foi dos pilotos que apanhou mais chuva, fazendo-o perder mais de 1m30s para Paddon na segunda especial do dia.O norueguês terminou em décimo terceiro, mas ainda conseguiu 2 pontos na Power stage.

Nathan Quinn terminou no top 10, foi o melhor piloto local e ainda se sagrou campeão australiano, após ficar tudo mais facilitado com o abandono de Molly Taylor que teve ontem graves problemas no motor do Subaru, já não partiu para a última etapa.

VENCEDORES DE TROÇOS:
Andreas Mikkelsen (5); Thierry Neuville (7); Ott Tänak (3); Jari-Matti Latvala (1); Craig Breen (1); Elfyn Evans (1); Hayden Paddon (1); Sébastien Ogier (1)

LÍDERES DO RALLY:
Andreas Mikkelsen (SS1 a 9); Thierry Neuville (SS10 a 21)

POWER STAGE:
1º Sébastien Ogier; 2º Ott Tänak; 3º Esapekka Lappi; 4º Andreas Mikkelsen; 5º Kris Meeke

PRINCIPAIS ABANDONOS:
7 Stéphane Lefebvre / Gabin Moreau (FR) Citroën DS3 WRC (danos acidente após SS17)
8 Craig Breen / Scott Martin (IE/GB) Citroën C3 WRC (capotou na SS18)
10 Jari-Matti Latvala / Miikka Anttila (FI) Toyota Yaris WRC (acidente na SS21)
67 Brendan Reeves / Rhianon Gelsomino (AU) Mazda 2 AP4 (avaria na SS9)
70 Harry Bates / John McCarthy (AU) Toyota Yaris AP4 (avaria após SS3)

PONTUAÇÃO WRC:
1º S. Ogier 232; 2º T. Neuville 208; 3º O. Tänak 191; 4º J.M. Latvala 136; 5º E. Evans 128; 6º D. Sordo 95; 7º K. Meeke 77; 8º H. Paddon 74; 9º J. Hänninen 71; 10º C. Breen 64; 11º E. Lappi 62; 12º A. Mikkelsen 54; 13º S. Lefebvre 30; 14º T. Suninen e M. Østberg 29

PONTUAÇÃO WRC2:
1º P. Tidemand 158; 2º E. Camilli 95; 3º T. Suninen e J. Kopecký 85; 5º O.C. Veiby 68; 6º B. Guerra 59; 7º S. Tempestini 56; 8º Q. Gilbert 55; 9º A. Mikkelsen 50; 10º P.L. Loubet 39 11º G. Greensmith 36; 11º T. Cave 30; 12º L. Pieniazek 29; 13º Y. Rossel 27; 14º J. Huttunen e K. Rovanperä 25; 16º J. Nordgren 24; 17º E. Bergkvist 19

PONTUAÇÃO EQUIPAS:
1º M-SPORT - 428; 2º HYUNDAI - 345; 3º TOYOTA - 251; 4º CITROËN - 218

CLASSIFCAÇÃO FINAL
AUSTRALIVEN17

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

RALIS ONLINE TV