faceralis

 

guiaaft

WRC

montecarlo2017Inscritos Rali de Monte Carlo 2018.

(link lista completa)

monteinsc18

citroenOs adeptos do WRC vão ter uma cobertura ao vivo das provas do Mundial sem precedentes em 2018, tendo sido agora divulgados os planos inovadores para transformar a forma como é feita a transmissão.
 
Pela primeira vez na história do campeonato, cada especial de cada prova será mostrada como acontece. A cobertura ao vivo adicional incluirá cerimónias de abertura e pódio, conferências de imprensa e sessões de autógrafos.
 
O promotor do WRC terá mais de 25 horas de cobertura de cada rali como uma transmissão contínua ao vivo, incluindo análises de especialistas do WRC e notícias de última hora, entrevistas e reações de todo o parque de assistência.
 
Anunciando o novo serviço WRC All Live no lançamento da temporada no Autosport International Show em Birmingham na quinta-feira, o diretor-gerral do WRC, Oliver Ciesla, chamou os planos de "pioneirismo".
 
"Os fãs do WRC agora têm a escolha e flexibilidade para participar na ação ao vivo a qualquer momento durante um fim de semana de rali", Oliver Ciesla. "Os fãs podem escolher assistir as classificativas que mais gostam e desfrutar de um acesso ao vivo, sem precedentes, às áreas de serviço, sempre que quiserem e de onde quer que estejam".
 
Numerosas câmeras exteriores e a bordo do carro, helicópteros, drones e uma equipe de produção de quase 100 pessoas proporcionará uma cobertura emociante do WRC.
 
O WRC All Live estará disponível em inglês no canal de assinatura www.wrcplus.com do campeonato.
 
"Com o WRC +, All Live pode ser assistido em qualquer lugar, a qualquer momento e em qualquer dispositivo - computador, laptop, smart TV, smartphone ou tablet", acrescentou Ciesla.
 
"Os fãs não terão de perder nada, pois todas as etapas podem ser vistas ao vivo ou sob pesquisa e um guia de programa interativo fornecerá informações para orientar os fãs facilmente através de cada dia".
 
O WRC All Live começará com uma transmissão ao vivo das duas etapas de abertura no Rallye Monte-Carlo na quinta-feira, 25 de janeiro.
 
"O WRC All Live é o desenvolvimento lógico da WRC +. Uma transmissão contínua ao vivo é o formato apropriado para um desporto de resistência que funciona por dois dias e meio ", disse Ciesla.
 
"Também se tornará uma nova ferramenta importante para jornalistas, equipes, organizadores de reuniões e delegados de segurança que trabalham no WRC".
 
Os recursos existentes, como mapas ao vivo, vídeos exclusivos a bordo e shows de destaques diários sob procura, estão incluídos na oferta do WRC All Live, que custa 8,99 euros por mês ou 89,99 euros por 12 meses em www.wrcplus.com. Os assinantes atuais da WRC + podem atualizar para o WRC All Live.
 
O pacote básico do WRC +, que contém cobertura ao vivo de uma PEC de sábado à tarde e a PEC de encerramento do fim-de-semana ao domingo, permanece disponível como pacote de inicialização.
 
Todos os fãs que se inscrevem ou atualizam para o WRC All Live antes do Rally Sweden de fevereiro, têm a oportunidade de ganhar um espetacular co-drive no campeonato da equipe de Rally M-Sport, vencedor do Ford Fiesta WRC no Vodafone Rally de Portugal em maio.

fordA Ford Motor Company anunciou hoje um novo acordo de maior suporte técnico e financeiro à M-Sport, seu parceiro de longa data no desporto automóvel e vencedor dos títulos de pilotos e construtores do Campeonato do Mundo de Ralis (WRC) FIA em 2017, com o Ford Fiesta WRC equipado com motor EcoBoost.

Com início em 2018, a equipa M-Sport Ford World Rally Team liderada por Malcolm Wilson OBE – um dos nomes mais bem sucedidos no desporto automóvel – e com base em Dovenby Hall, Cockermouth, Reino Unido, irá beneficiar de apoio técnico adicional da organização global da Ford Performance, a partir da sede da Ford em Dearborn, EUA, liderada por Mark Rushbrook, director global para o Motorsport.

 

A Ford alargou o seu investimento para assegurar que a M-Sport Ford World Rally Team permanece competitiva ao longo de toda a época do WRC 2018 e para além desta, no seguimento das suas contribuições técnicas e financeiras em 2017.

 

O aumento do apoio da Ford é um dos principais impulsionadores da retenção do campeão do mundo de pilotos 2017, Sébastien Ogier, para a temporada de 2018. Ogier e o talento em ascensão Elfyn Evans, ao lado de seus respectivos co-pilotos, Julien Ingrassia e Daniel Barritt, liderarão a equipa no Ford Fiesta WRC.

 

“O relacionamento de 20 anos da Ford com a M-Sport deu sucessos sem paralelo em todos os escalões dos ralis, algo de que estamos muito orgulhosos, e também estabeleceu o Fiesta como referência para os ralis em todo o mundo”, disse Rushbrook. “No ano passado, apoiámos a M-Sport com o desenvolvimento do novo Fiesta que viria a vencer o campeonato FIA. Para 2018, estamos empolgados em poder oferecer um apoio ainda maior.”

 

A Ford e a M-Sport têm uma parceria contínua desde 1997. Como especialista na disciplina nomeado pela Ford, a M-Sport produz veículos Ford para diversos escalões dos ralis, desde o campeonato FIA R2 até ao escalão mais alto, o WRC. Quase 400 Ford Fiesta desenvolvidos pela M-Sport estão actualmente em competição nos ralis a nível global.

 

“Temos desfrutado de um relacionamento fantástico com a Ford ao longo dos anos e é óptimo ver que o apoio aumenta à medida que procuramos defender os títulos do Campeonato Mundial de Ralis da FIA em 2018”, disse Malcolm Wilson OBE, director-geral da M-Sport.

 

“Temos com o Sébastien e o Elfyn outra forte equipa e o suporte técnico adicional permitirá avançarmos no desenvolvimento do Ford Fiesta WRC. A competição estará mais cerrada do que nunca, mas estou confiante de que, juntamente com o apoio de nossos parceiros, podemos produzir os mesmos altos níveis de desempenho e confiança que tiveram tanto sucesso em 2017.”

 

Equipado com o motor EcoBoost a gasolina de 1.6 litros, o Ford Fiesta WRC de ralis tem por base o novo Fiesta, à venda em toda a Europa em distintas versões, incluindo o bem equipado Fiesta Titanium, o Fiesta ST-Line de inspiração Ford Performance e o topo de gama Fiesta Vignale. O novo Fiesta ST, com motor 1.5 EcoBoost debitando 200cv e com Modos de Condução, iniciará a sua comercialização em 2018.

 

toyotaA Toyota Gazoo Racing World Rally Team acaba de apresentar a equipa, bem como a mais recente versão do Toyota Yaris WRC para o Campeonato do Mundo de Ralis (WRC) da FIA de 2018, no “Autosport International show” em Birmingham na Inglaterra.

Após a bem sucedida estreia do Yaris WRC em 2017, que incluiu vitórias no Rali da Suécia e Rali da Finlândia, bem como um quarto lugar no campeonato de pilotos para Jari-Matti Latvala e terceiro lugar no campeonato de fabricantes, este ano será a segunda temporada da Toyota no seu objetivo de fazer automóveis cada vez melhores através do Campeonato do Mundo de Ralis (WRC) da FIA.
 
Todas as equipas do WRC reuniram esta semana para o lançamento oficial da temporada de 2018 no Autosport International show. A Toyota aproveitou a oportunidade para apresentar a versão mais recente do Yaris WRC, que apresenta uma série de desenvolvimentos com base nas lições aprendidas durante a última época.
 
Um novo conjunto aerodinâmico foi desenvolvido para a frente do carro, incluindo um novo para-choques dianteiro e guarda-lamas. Essas mudanças visam incrementar o equilíbrio aerodinâmico do carro, adicionando mais apoio na zona frontal. Também apresenta atualizações no sistema de arrefecimento que serão benéficos em algumas das provas do WRC em que se verificam temperaturas mais elevadas.
 
Esses desenvolvimentos foram testados nos últimos meses de 2017, em preparação para a primeira ronda da temporada no Rali de Monte-Carlo, de 25 a 28 de janeiro.
 
Tommi Mäkinen (Diretor da Equipa):

“É ótimo lançar a temporada de 2018 no “Autosport International show” em frente de tantos fãs do desporto automóvel. Depois de uma primeira temporada muito agradável em 2017, estamos entusiasmados por continuar a melhorar no próximo ano. Vimos no ano passado que o Toyota Yaris WRC já era capaz de ganhar provas, o que foi uma grande conquista da equipa, mas a competição também nos permitiu descobrir áreas onde podemos melhorar. Com mais tempo e mais aprendizagem, conseguimos atualizar a frente do carro para nos dar um melhor desempenho aerodinâmico, e também conseguir melhorias no arrefecimento. Estou muito animado por continuar a aprender este ano, como parte de nossa missão de fazer automóveis cada vez melhores".

citroenplanosAlcançar o número histórico de 100 vitórias no Campenato do Mundo de Ralis: é este um dos objetivos estabelecidos pelo Citroën Total Abu Dhabi WRT para 2018. Para obter as duas vitórias que a separam deste recorde, ou até mesmo ir ainda mais longe, a equipa volta a confiar em Kris Meeke, que tem total capacidade para se impor em todas as provas, como atestam os cinco ralis que venceu desde 2013, ou seja, desde que defende as cores da marca.

No regresso oficial da Citroën ao WRC neste ano que agora finda, o piloto britânico de 38 anos proporcionou a primeira vitória ao Citroën C3 WRC logo na terceira prova do calendário, disputada em terras mexicanas, antes de uma exibição igualmente brilhante no asfalto da Córsega. A segunda parte da temporada confirmou as suas credenciais para assumir as responsabilidades de um líder. Meeke teve como pontos altos uma segunda vitória nos pisos mistos terra/asfalto da Catalunha e um estado de espírito digno de um líder.

Para fazer brilhar o Citroën C3 WRC, Meeke será secundado, em 10 provas, por Craig Breen, piloto que foi particularmente regular ao longo da sua primeira temporada completa em WRC, ao ponto de ter obtido o 5º lugar por seis vezes. Como que em estado de incubação desde 2016 no seio do Abu Dhabi Total WRT e com um primeiro pódio na Finlândia (3º lugar), o irlandês de 27 anos está determinado em aproveitar a experiência conseguida este ano para ir ainda mais longe em 2018.

Esta temporada de 2018 testemunhará também o regresso da dupla Sébastien Loeb/Daniel Elena às cores da Citroën, na reedição de uma associação já coroada com 9 títulos mundiais de Pilotos e Navegadores (entre 2004 e 2012), 8 títulos de Construtores (de 2003 a 2005 e de 2008 a 2012) e um somoatório de 78 vitórias conjuntas. Retirado dos ralis a tempo inteiro desde finais de 2012 e apenas presente em quatro ralis em 2013, a que se seguiu uma aparição esporádica no Rali de Monte-Carlo de 2015, Sébastien Loeb, voltará a sentir as sensações típicas da disciplina quando estiver aos comandos do segundo Citroën C3 WRC no México, na Volta à Córsega e em Espanha. Trata-se, sem dúvida, de uma grande oportunidade para escrever mais algumas belas páginas da história da sua rica e frutuosa vivência em ralis onde já conta, respetivamente, com 6, 4 e 8 vitórias, colocando os seus enormes conhecimentos ao serviço de uma armada vermelha que aposta seriamente na fidelização dos seus elementos.

A prova disso é o facto de Khalid Al Qassimi estar ao volante de um terceiro Citroën C3 WRC em algumas ocasiões, enquanto que Stéphane Lefebvre terá a seu cargo a responsabilidade de promover o novo Citroën C3 R5 no ambiente extremamente competitivo do WRC2.

O QUE ELES DISSERAM...
YVES MATTON, DIRETOR DA CITROËN RACING: "Para 2018 decidimos apostar na capitalização de tudo aquilo que construímos ao longo de várias temporadas, com o Kris e o Craig. A velocidade de ponta do primeiro é inegável e, tendo reecontrado a serenidade no final do ano, o Kris demonstrou bem que possui a fibra de um líder. O objetivo será visar alguns pódios e alcançar vitórias, mas poderá também apostar no campeonato. Por sua vez, o Craig provou ser capaz de uma perfeita complementaridade, sempre com uma excelente regularidade. Além disso, dispõe de uma margem de progressão que lhe permite tentar ir mais além. Estou igualmente muito satisfeito por assistir à continuação da fortíssima ligação entre Sébastien Loeb e a Citroën: o seu regresso ao WRC não podia ser com outras cores senão as nossas. Nas sessões de testes que efetuou connosco, o Sébastien mostrou que não perdeu absolutamente nada dos seus dotes ao volante, mesmo que sinta algumas diferenças no conhecimento das especiais e no andamento face a uma concorrência cada vez mais agressiva. Por fim, o Stéphane tem toda a nossa confiança: estamos convencidos de que ele será um bom embaixador do Citroën C3 R5, no qual a marca deposita grandes esperanças. E este programa vai permitir-lhe continuar a ganhar experiência e, desse modo, assegurar a sua progressão."

KRIS MEEKE: "Aprendemos imenso ao longo desta primeira temporada com Citroën C3 WRC e retirámos os ensinamentos necessários para fazer melhor em 2018. Não obstante alguns momentos difíceis, conseguimos demonstrar o nosso potencial. Agora vamos redobrar os nossos esforços para sermos ainda mais consistentes em toda a variedade de pisos que integram o campeonato. Mantendo a nossa humildade e trabalhando com serenidade, podemos alcançar coisas muito boas. Há que obter boas pontuações em Monte-Carlo e na Suécia, a fim de arrancar para esta segunda campanha no caminho certo."

CRAIG BREEN: "Estou radiante por poder prosseguir esta aventura com a equipa. Tinha imensas coisas para aprender nesta primeira temporada completa do WRC, mas dei provas da minha regularidade. Também trabalhámos afincadamente na afinação do comportamento do Citroën C3 WRC e os progressos realizados em terra no final da temporada deixaram-me muito otimista. É preciso manter este ritmo para obter resultados ainda melhores. De qualquer forma, vou fazer tudo o que estiver ao meu alcance para conquistar a minha primeira vitória em provas como a Finlândia ou a Grã-Bretanha, onde conto já com uma boa dose de experiência."

SÉBASTIEN LOEB: "Ficámos todos muito satisfeitos com os testes feitos este ano e fui o primeiro a gostar imenso dos resultados obtidos, pelo que estas três participações constituem a sequência lógica desse processo. As sensações que se obtêm nos ralis são das mais fortes que conheço, pelo que estou desejoso de competir com os novos WRC. E será ainda mais divertido fazê-lo no seio de uma equipa com a qual ganhei tudo. Vou sem quaisquer pretensões,o meu objetivo é mesmo divertir-me. Achei coerente disputar o Rali de França, na medida em que o asfalto sempre me agradou bastante, muito embora não conheça o atual percurso da Córsega. Espanha também me parece bem e embora já tenha passado muito tempo desde a última vez que corri em pisos de terra, também queria disputar um rali deste tipo. Optámos pelo México, prova de que guardo excelentes recordações e o traçado não mudou assim tanto desde os meus tempos."

KHALID AL QASSIMI: "Para 2018 estamos concentrados no desenvolvimento do Citroën C3 WRC, portanto faz todo o sentido continuar com pilotos que já conhecem bem a equipa e o carro. O Kris e o Craig formam uma boa dupla. Tal como muitos dos fãs, estou também muito entusiasmado com a ideia de ter o Sébastien Loeb no WRC ao volante de um Citroën. Os meus compromissos determinam que apenas poderei participar em alguns ralis e, embora não possa estar em Monte-Carlo, que é logo a seguir ao Dakar, irei acompanhar de perto o nosso arranque de temporada."

STÉPHANE LEFEBVRE: "É um novo desafio: por vezes, é preciso saber recuar para depois avançar melhor. Além disso, trata-se de uma excelente oportunidade que me é dada com a demonstração da competitividade do Citroën C3 R5, sempre com as cores oficiais, num campeonato com a importância do WRC2. O objetivo é alcançar o título, de forma a fazer do do carro a nova referência da categoria. Como já o conduzi em testes, sei bem que se trata de um carro bem nascido. Dada a necessidade de finalizar o seu desenvolvimento, vou chegar às provas já com muitos quilómetros feitos, algo de extrema importância nesta fase da minha carreira."

RALIS ONLINE TV