faceralis

 

posvendaclick

WRC

ogier(POR RICARDO NASCIMENTO)

O segundo dia do Rallye Monte Carlo esteve seco durante a manhã, mas a prometida chuva chegou à tarde em força, para depois parar e voltar secar na derradeira especial do dia. A neve começou a cair na zona dos troços que se disputam amanhã e as temperaturas negativas esperadas para a noite de hoje, indicam que poderá haver neve amanhã.

Com uma noite muito mal dormida, Sébastien Ogier não teve um dia livre de problemas. O francês venceu uma especial esta manhã, mas desconcentrou-se à tarde com a chuva forte, onde chegou a fazer um pião e depois optou por seguir em frente e ficar preso momentaneamente numa vala, só saindo com a rápida ajuda do público. No entanto e apesar do erro, o francês manteve a liderança no rally.


Andreas Mikkelsen perdeu uma posição para Sordo no inicio do dia, mas viria a ficar parado na ligação com um problema no alternador e ser obrigado a regressar amanhã em rally2.
Apesar de ainda ter alguma falta de confiança com o Toyota, Ott Tänak foi o piloto mais rápido do dia, vencendo dois troços e subiu à segunda posição a 14,9s do líder, depois deste perdido mais de 30 segundos.

Dani Sordo começou o dia regular, mas acabou por perder uma posição para Tänak no final de manhã e atrasou-se em relação ao estónio após perder tempo nos dois troços de chuva.
Esapekka Lappi e Jari-Matti Latvala terminaram o dia separados por apenas 0,2s e estão a pressionar o espanhol da Hyundai com ambos os pilotos da Toyota a terem uma desvantagem de 10 segundos.



Com o tempo perdido ontem, Kris Meeke não arriscou nas condições traiçoeiras, perdeu mais 1 minuto para Tänak, mas terminou o dia isolado na sexta posição. O britânico chegou a admitir que agora não vale a pena atacar e que apenas pode esperar por problemas de outros para subir na classificação.

Bryan Bouffier subiu para sétimo após os problemas de Mikkelsen, mas agora terá de se defender de Elfyn Evans que foi dos pilotos mais rápidos do dia, após vencer duas especiais e recuperar até à oitava posição a 27,1s do francês.

 
Thierry Neuville voltou a perder mais alguns segundos no inicio da manhã, após furar o pneu traseiro esquerdo. No entanto, o belga foi o segundo piloto mais rápido do dia, acabando por vencer a sua primeira especial no final do dia.
Craig Breen foi dos mais azarados do dia, ao efetuar os troços matinais sem travões no Citroën C3, devido a um toque e uma pedra que se alojou no sistema de travagem, fazendo-o perder vários minutos e terminar o dia em décimo.


Jan Kopecký passou para a frente do WRC2 e acabou por ficar isolado nesta competição, com uma vantagem superior a 8 minutos para o jovem Guillaume de Mevius, o filho mais novo de Grégoire de Mevius, a fazer o seu primeiro Monte Carlo.

Quando tinha uma desvantagem de 4s para o checo da Skoda, Eric Camilli saiu de estrada, tal como Teemu Suninen duas especiais antes do francês, ficando assim a M-Sport sem os seus dois carros, o que permitiu a Stéphane Sarrazin passar a ser o segundo melhor R5, mas também ele saiu de estrada na complicada especial 7, onde chovia muito.

Nos outros Skoda, Ole Christian Veiby e Kalle Rovanperä são os pilotos a secundar Kopecký, mas estes não estão inscritos no WRC2.

Jean-Baptiste Franceschi manteve-se na liderança do WRC3, mas passou para a ser o melhor entre os carros de duas rodas motrizes, com quase 30s de vantagem para Yoann Bonato e mais de 4 minutos para Taisko Lario
 
VENCEDORES DE TROÇOS:
Sébastien Ogier (3); Ott Tänak (2); Elfyn Evans (2); Thierry Neuville (1)
LÍDERES DO RALLY:
Sébastien Ogier (SS1 a 8)

CLASSIFICAÇÃO SEGUNDO DIA
dia2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1ª DIA

O Rallye Automobile de Monte Carlo volta a ser o primeiro evento do World Rally Championship, tal como foi a maioria das vezes na sua história. Com apenas duas especiais noturnas, mas com um total de 62,18km, a noite de quinta-feira teve um misto de piso seco com gelo no topo da especial Sisteron, disputada este ano em sentido inverso do habitual, onde provocou alguns contratempos na maioria dos pilotos de topo.

Apesar de um pião quase parado, Sébastien Ogier conseguiu evitar o pior e ainda venceu em Sisteron, repetindo o mesmo na especial seguinte e terminar a primeira noite com 17,3s de vantagem para Andreas Mikkelsen que foi o único a ficar mais próximo do francês na primeira especial, apesar de ter tido alguns problemas nos travões.

Experiente e regular nestas situações, Dani Sordo terminou a primeira noite em terceiro, trocando de posição com Esapekka Lappi que estava mais preocupado em manter-se na estrada do que tentar ganhar troços.

Ott Tänak perdeu alguns segundos na primeira especial devido a uma ligeira saída de estrada, mas Jari-Matti Latvala fez dois piões e por duas vezes deixou o motor calar-se e perder 55s para o líder na primeira noite.

Craig Breen também saiu de frente na primeira especial e foi ajudado por espetadores, mas com uma pressão elevada nos pneus dianteiros na especial seguinte, o irlandês fez um pião, perdendo mais alguns segundos e uma penalização de 10s que o fez baixar uma posição.

Mais habituado aos R5, Bryan Bouffier cedo viu que as suas notas eram demasiado optimistas para este carro bem mais potente, acabando por perder muito tempo para Ogier, mas manteve-se na estrada sem problemas.

Já Kris Meeke não teve a mesma sorte, ao sair de estrada no gelo e ter de esperar pela ajuda de alguns espetadores, mas mesmo assim ainda perdeu bem mais de 1 minuto.

Elfyn Evans furou um pneu na primeira especial e parou para o trocar, perdendo quase 4 minutos para o seu companheiro de equipa. Pior, esteve Thierry Neuville que ficou preso na neve e não tinha muita ajuda por perto, perdendo mais de 4 minutos para o líder.

 
Eric Camilli dominou o WRC2 na primeira noite, sendo 19,1s mais rápido do que o checo Jan Kopecký e 33,9s do que Stéphane Sarrazin que não estava inscrito no WRC2, tal como Ole Christian Veiby com uma desvantagem de apenas de 2s para o francês do Hyundai e com uma vantagem de 3s para Teemu Suninen.

Kalle Rovanperä foi segundo entre os R5 na primeira especial, mas baixou para sexto na seguinte a 7,6s de Suninen. Por outro lado, Kevin Abbring furou e saiu de estrada na primeira especial, perdendo mais de 8 minutos para o mais rápido.

Andrea Nucita foi o melhor entre os RGT e duas rodas motrizes, tendo Yoann Bonato logo a seguir no primeiro R2, com 10,4s de vantagem para o jovem francês Jean-Baptiste Franceschi que liderava o WRC3.

wrcA Citroën apresenta a série "Little Big Racing", conjunto de 13 vídeos em que um C3 WRC mergulha no coração das mais prestigiadas Especiais das 13 provas da presente temporada do WRC. No mais puro espírito criativo Citroën, a surpresa reside no tamanho: uma miniatura do Citroën C3 WRC, conduzida pela mão de Kris Meeke, evolui pelas paisagens realizadas à escala 1/43, com enorme pormenor! Estes formatos de curta duração serão exibidos antes de cada prova, em apoio à partilha, pela Marca, do que se passa nos bastidores da Citroën Racing, nomeadamente no Facebook, junto com o seu programa diário em directo #C3WRClive.

As primeiras imagens não deixam quaisquer dúvidas: um Citroën C3 WRC negoceia os ganchos do Col de Turini (Rali de Monte-Carlo), percorrendo os cerca de 1.200 metros a toda velocidade. Nada mais normal do que o que habitualmente se vê na televisão, só que, olhando com mais atenção, o vídeo revela toda uma outra realidade.

Com a série "Little Big Racing", a Citroën lança um conjunto de vídeos feitos com recurso a um C3 WRC em miniatura e a um conjunto de estruturas, feitas em pormenor e à escala 1/43, replicando com enorme detalhe a realidade.

Cada maquete "Little Big Racing" respeita a topografia da classificativa do WRC, mas também as suas especificidades em termos de clima e vegetação, mostrando-se fiel às condições de corrida reais. Para além do aspeto criativo associado, na série "Little Big Racing" são partilhadas diversas informações técnicas de modo a melhor ajudar a compreender a performance do C3 WRC nessas 13 Especiais: desníveis, altitude, comprimento do salto, velocidade máxima, temperatura do motor e dos travões, quantidade de pneus usados, número de passagens de caixa, etc.

Montadas em sequência, as 13 maquetes da série "Little Big Racing" permitem observar as diferentes topografias e vegetação, permitindo uma imediata identificação dos países e provas que compõem o calendário do Campeonato do Mundo de Ralis.

O primeiro vídeo "Little Big Racing" pode já ser visto aqui:

Os vídeos da série "Little Big Racing" serão difundidos nas páginas de Facebook e do Twitter da Citroën e Citroën Racing antes de cada prova. A emissão #C3WRClive, que convida os fãs a seguir, em direto, o Campeonato do Mundo de Ralis com a Citroën Racing, fará o seu regresso às páginas de Facebook da Citroën e da Citroën Racing ao longo de cada evento.

A Marca usa regularmente o Facebook Live como canal de comunicação, sendo exemplos a apresentação do novo SUV Compacto Citroën C3 Aircross e do novo Citroën C4 Cactus no ano passado. Em 2017, as emissões #C3WRClive representaram cerca de 14 milhões de fãs em redor do mundo.

Em 2018, o #C3WRClive será emitido uma vez por dia, de quinta-feira a domingo. O encontro fica, assim, marcado para a primeira transmissão em direto na noite do dia 25 janeiro (quinta-feira) com as equipas, antes da saída para as primeiras Especiais do Rali de Monte-Carlo.

Siga o #C3WRClive em www.facebook.com/citroenracing ou www.facebook.com/Citroen

A CITROËN RACING no WhatsApp: Haverá um novo número de contacto para a nova temporada. Siga a performance da Citroën Racing no seu smartphone, através do sistema de mensagens da plataforma WhatsApp, juntando o seguinte número à sua lista de contactos: +49 157 92390431

Informação adicional pode ser consultada aqui: http://bit.ly/2FuO3MV

citroenOs adeptos do WRC vão ter uma cobertura ao vivo das provas do Mundial sem precedentes em 2018, tendo sido agora divulgados os planos inovadores para transformar a forma como é feita a transmissão.
 
Pela primeira vez na história do campeonato, cada especial de cada prova será mostrada como acontece. A cobertura ao vivo adicional incluirá cerimónias de abertura e pódio, conferências de imprensa e sessões de autógrafos.
 
O promotor do WRC terá mais de 25 horas de cobertura de cada rali como uma transmissão contínua ao vivo, incluindo análises de especialistas do WRC e notícias de última hora, entrevistas e reações de todo o parque de assistência.
 
Anunciando o novo serviço WRC All Live no lançamento da temporada no Autosport International Show em Birmingham na quinta-feira, o diretor-gerral do WRC, Oliver Ciesla, chamou os planos de "pioneirismo".
 
"Os fãs do WRC agora têm a escolha e flexibilidade para participar na ação ao vivo a qualquer momento durante um fim de semana de rali", Oliver Ciesla. "Os fãs podem escolher assistir as classificativas que mais gostam e desfrutar de um acesso ao vivo, sem precedentes, às áreas de serviço, sempre que quiserem e de onde quer que estejam".
 
Numerosas câmeras exteriores e a bordo do carro, helicópteros, drones e uma equipe de produção de quase 100 pessoas proporcionará uma cobertura emociante do WRC.
 
O WRC All Live estará disponível em inglês no canal de assinatura www.wrcplus.com do campeonato.
 
"Com o WRC +, All Live pode ser assistido em qualquer lugar, a qualquer momento e em qualquer dispositivo - computador, laptop, smart TV, smartphone ou tablet", acrescentou Ciesla.
 
"Os fãs não terão de perder nada, pois todas as etapas podem ser vistas ao vivo ou sob pesquisa e um guia de programa interativo fornecerá informações para orientar os fãs facilmente através de cada dia".
 
O WRC All Live começará com uma transmissão ao vivo das duas etapas de abertura no Rallye Monte-Carlo na quinta-feira, 25 de janeiro.
 
"O WRC All Live é o desenvolvimento lógico da WRC +. Uma transmissão contínua ao vivo é o formato apropriado para um desporto de resistência que funciona por dois dias e meio ", disse Ciesla.
 
"Também se tornará uma nova ferramenta importante para jornalistas, equipes, organizadores de reuniões e delegados de segurança que trabalham no WRC".
 
Os recursos existentes, como mapas ao vivo, vídeos exclusivos a bordo e shows de destaques diários sob procura, estão incluídos na oferta do WRC All Live, que custa 8,99 euros por mês ou 89,99 euros por 12 meses em www.wrcplus.com. Os assinantes atuais da WRC + podem atualizar para o WRC All Live.
 
O pacote básico do WRC +, que contém cobertura ao vivo de uma PEC de sábado à tarde e a PEC de encerramento do fim-de-semana ao domingo, permanece disponível como pacote de inicialização.
 
Todos os fãs que se inscrevem ou atualizam para o WRC All Live antes do Rally Sweden de fevereiro, têm a oportunidade de ganhar um espetacular co-drive no campeonato da equipe de Rally M-Sport, vencedor do Ford Fiesta WRC no Vodafone Rally de Portugal em maio.

montecarlo2017Inscritos Rali de Monte Carlo 2018.

(link lista completa)

monteinsc18

toyotaA Toyota Gazoo Racing World Rally Team acaba de apresentar a equipa, bem como a mais recente versão do Toyota Yaris WRC para o Campeonato do Mundo de Ralis (WRC) da FIA de 2018, no “Autosport International show” em Birmingham na Inglaterra.

Após a bem sucedida estreia do Yaris WRC em 2017, que incluiu vitórias no Rali da Suécia e Rali da Finlândia, bem como um quarto lugar no campeonato de pilotos para Jari-Matti Latvala e terceiro lugar no campeonato de fabricantes, este ano será a segunda temporada da Toyota no seu objetivo de fazer automóveis cada vez melhores através do Campeonato do Mundo de Ralis (WRC) da FIA.
 
Todas as equipas do WRC reuniram esta semana para o lançamento oficial da temporada de 2018 no Autosport International show. A Toyota aproveitou a oportunidade para apresentar a versão mais recente do Yaris WRC, que apresenta uma série de desenvolvimentos com base nas lições aprendidas durante a última época.
 
Um novo conjunto aerodinâmico foi desenvolvido para a frente do carro, incluindo um novo para-choques dianteiro e guarda-lamas. Essas mudanças visam incrementar o equilíbrio aerodinâmico do carro, adicionando mais apoio na zona frontal. Também apresenta atualizações no sistema de arrefecimento que serão benéficos em algumas das provas do WRC em que se verificam temperaturas mais elevadas.
 
Esses desenvolvimentos foram testados nos últimos meses de 2017, em preparação para a primeira ronda da temporada no Rali de Monte-Carlo, de 25 a 28 de janeiro.
 
Tommi Mäkinen (Diretor da Equipa):

“É ótimo lançar a temporada de 2018 no “Autosport International show” em frente de tantos fãs do desporto automóvel. Depois de uma primeira temporada muito agradável em 2017, estamos entusiasmados por continuar a melhorar no próximo ano. Vimos no ano passado que o Toyota Yaris WRC já era capaz de ganhar provas, o que foi uma grande conquista da equipa, mas a competição também nos permitiu descobrir áreas onde podemos melhorar. Com mais tempo e mais aprendizagem, conseguimos atualizar a frente do carro para nos dar um melhor desempenho aerodinâmico, e também conseguir melhorias no arrefecimento. Estou muito animado por continuar a aprender este ano, como parte de nossa missão de fazer automóveis cada vez melhores".