faceralis

 

posvendaclick

WRC

ogier(POR RICARDO NASCIMENTO)

Hoje foi o dia com mais troços e o maior no Tour de Corse, com três especiais disputadas por duas vezes em duas secções. O dia ficou marcado por algumas desistências tanto no WRC2, como alguns das equipas oficiais.

Com a vantagem amealhada ontem, Sébastien Ogier teve um dia calmo, preferindo uma condução limpa mas ao mesmo tempo rápida para terminar o segundo dia com a mesma vantagem do dia anterior para o novo segundo classificado.

Kris Meeke, Thierry Neuville e Ott Tänak foram o maior foco de interesse até agora, na renhida luta pela segunda posição. Meeke conseguiu alcançar Neuville na penúltima especial do dia e empatar com o belga na segunda posição, mas no derradeiro troço, um erro de notas provocou uma saída de estrada para o britânico, quando este entrou numa curva em quinta que deveria ter sido em terceira.

Thierry Neuville não conseguiu aproximar-se de Ogier, apesar de dar o máximo que podia e sabia. No entanto, o belga ainda seria surpreendido por Ott Tänak que venceu hoje duas especiais e subiu à segunda posição na derradeira especial, com a magra vantagem de 0.1s para o belga.

Esapekka Lappi também esteve em destaque ao ser o piloto mais rápido da etapa, voltando a vencer mais um troço, distanciar-se dos seus perseguidores e agora também ficou na luta pela segunda posição, a 10.4s de Tänak.

Dani Sordo afastou-se um pouco de Elfyn Evans durante a manhã, mas o britânico respondeu na mesma moeda à tarde, voltando a estar "colado" ao espanhol e retomar a luta que tem desde o inicio do rally.

Bryan Bouffier ficou parado no final da manhã com um problema no motor do Fiesta WRC, mas na mesma especial, Jari-Matti Latvala cometeu um excesso e bateu de lado contra uma árvore, danificando o rollbar. No entanto, a equipa tem elementos que conseguem recuperar as barras de segurança danificadas e vão tentar colocar o carro operacional para o finlandês tentar alguns pontos na Power Stage.

Com estes dois abandonos, Andreas Mikkelsen está agora isolado na sétima posição a mais de 20s de Elfyn Evans, num dia em que voltou a estar muito apagado.

Sébastien Loeb regressou em rally2, iniciando o dia com duas vitórias em troços, voltando a repetir o mesmo na penúltima especial e ser o segundo piloto mais rápido do dia.

Jan Kopecký já está isolado na liderança do WRC2 e na oitava posição da classificação geral, depois de ver quase todos os seus adversários com problemas.

Yoann Bonato parou várias vezes na oitava especial, devido a falsos alarmes de segurança na estrada com o novo sistema, resultando em alguns minutos perdidos. A equipa Citroën espera que o tempo do francês seja retificado devido aos erros.

Ole Christian Veiby estava provisoriamente em segundo, mas o Skoda ficou com a caixa de velocidades engatada na primeira velocidade durante a derradeira especial e ficar com quase 4 minutos de atraso para o líder.

Stéphane Lefebvre voltou a ter problemas de travões na primeira especial do dia, mas desta vez, o francês bateu e abandonou, tal como Pierre-Louis Loubet que também desistiu com nova avaria mecânica, depois dos problemas nos Açores.

Fabio Andolfi não teve problemas com o seu novo Skoda e aproveitou os azares dos seus adversários para subir provisoriamente à segunda posição, mas ainda vai ter de esperar pela decisão do novo tempo para Bonato.

Jean-Baptiste Franceschi continua a liderar o JWRC com 17.9s de vantagem para o outro francês, Terry Folb.

VENCEDORES DE TROÇOS:
Sébastien Ogier (3); Esapekka Lappi (2); Sébastien Loeb (3); Ott Tänak (2)
LÍDERES DO RALLY:
Sébastien Ogier (SS1 a 10)

PRINCIPAIS ABANDONOS:
3 Bryan Bouffier / Xavier Panseri (FR) Ford Fiesta WRC (motor na SS8)
7 Jari-Matti Latvala / Miikka Anttila (FI) Toyota Yaris WRC (rollcage na SS8)
10 Kris Meeke / Paul Nagle (GB/IE) Citroën C3 WRC (acidente na SS10)
35 Hiroki Arai / Glenn MacNeall (JP/AU) Ford Fiesta R5 (avaria na SS5)
38 Stéphane Lefebvre / Gabin Moreau (FR) Citroën C3 R5 (acidente na SS5)
39 Pierre-Louis Loubet / Vincent Landais (FR) Hyundai i20 NG R5 (avaria na SS8)

CLASSIFICAÇÃO DIA 2
corsedia218

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3r5estreia copyA Citroën Racing elegeu a Volta à Córsega, a ronda francesa do Campeonato do Mundo de Ralis, para a estreia oficial do novo C3 R5, a sua nova proposta de competição para clientes. O modelo será conduzido por Stéphane Lefebvre e Gabin Moreau neste que é o primeiro dos 7 ralis que fazem parte do seu programa no WRC2 2018, surgindo também nesta prova uma segunda unidade, em versão cliente, pelas mãos da dupla Yoann Bonato/Benjamin Boulloud, incorporada na assistência da equipa oficial.

Eis que chega o momento da verdade para o Citroën C3 R5. Depois de meses de trabalho de desenvolvimento nos bastidores, cobrindo cerca de 6.000 quilómetros de testes desde setembro de 2017 (data da sua primeira saída para testes de estrada), o novo porta-estandarte da Citroën está finalmente apto para fazer a sua estreia em competição, na Volta à Córsega. Ali, o Citroën C3 R5 vai procurar tornar-se na nova referência na categoria.
Stéphane Lefebvre, piloto oficial da Marca e um dos mais envolvidos no processo de desenvolvimento, foi o eleito para demonstrar as qualidades do C3 R5 nas especiais do Campeonato do Mundo de Ralis, iniciando, assim, a sua corrida ao título de WRC2. Para além desta prova, irá apresentar-se em Portugal e Sardenha. Com três temporadas no WRC, aos comandos de modelos de quatro rodas motrizes, o talentoso francês conta com a experiência, maturidade e velocidade necessárias para desafiar os seus adversários.
O mesmo é válido para o campeão de ralis francês de 2017, Yoann Bonato, cujo C3 R5 ver-se-á integrado, para a Volta à Córsega, na equipa oficial, na tentativa de aumentar os meios e melhorar as hipóteses do carro garantir um bom resultado. Igualmente muito envolvido no desenvolvimento do novo modelo, o piloto da região de Isère possui a experiência resultante da participação nas duas últimas edições da prova.

Embora mais de 60 por cento das Especiais serem novas na edição deste ano da prova, o icónico rali, disputado na ilha francesa, compõe-se de estradas exigentes, sinuosas e, ocasionalmente, rápidas, e também longos troços de pura velocidade, com mais de 55 quilómetros, sendo o evento perfeito para demonstrar a versatilidade, fiabilidade e competitividade do novo C3 R5. Vale, também, a pena notar que um terceiro C3 R5 irá fazer a prova como "Carro 0", conduzido pelo piloto de testes Alex Bengué.

O QUE ELES DISSERAM...
François Wales, Diretor de Desenvolvimento, Competição Cliente
"A Córsega é aquilo que consideramos um verdadeiro rali, tendo algumas das estradas mais exigentes do mundo. Estivemos lá no início do ano e novamente em março para duas sessões de testes sucessivas e o nosso C3 R5 demonstrou uma boa forma. Assim sendo, tenho esperança que irá demonstrar o seu potencial na sua estreia competitiva internacional. De qualquer modo, gostaria de reconhecer o empenho de todas as nossas equipas, que têm trabalhado muito para nos proporcionar as melhores hipóteses de sucesso nesta estreia."
Pierre Budar, Diretor da Citroën Racing
"Como a fasquia padrão no campeonato WRC2 se encontra extremamente alta, precisamos de entrar de imediato no ritmo. Tendo acumulado muitos quilómetros nos testes de desenvolvimento com o C3 R5 durante a época de defeso, o Stéphane e e o Gabin chegam ao rali numa forma particularmente boa. Tenho, portanto, muita fé na sua capacidade de fazer o trabalho que lhes foi imputado, ou seja, demonstrar o nosso novo produto, mesmo que a Volta à Córsega continue a ser um evento icónico, que deve ser tratado com enorme respeito, em especial devido às suas longas classificativas."
Stéphane Lefebvre
"Após uma longa pausa de inverno e uma participação pontual em França, mal posso esperar por voltar às especiais do WRC. É sempre emocionante competir pela primeira vez num carro novo, no qual se trabalhou numa grande parte do seu desenvolvimento! O C3 R5 é um carro definitivamente bem-nascido. Sinto-me confiante ao volante e mal posso esperar por ter a oportunidade de o demonstrar. Naturalmente que haverá uma enorme luta pelos lugares da frente, mas tendo feito vários dias de testes na Córsega, estamos certamente bem preparados. Tenho mais um dia de testes programado antes do início da prova e o Shakedown, em que poderei fazer as afinações finais."

 

ogiervence(POR RICARDO NASCIMENTO)

A M-Sport abriu um precedente na Suécia, a FIA fez um pedido às equipas para não se repetir as situações de penalizações de atraso, mas nenhuma garantiu que não acontecesse porque o regulamento permite e já aconteceu. A situação adivinhava-se e aconteceu mesmo com dois pilotos que obrigou a uma reorganização rápida para as partidas da Power Stage e vai voltar a acontecer mais vezes, enquanto a especial com pontos de bonificação continuar a ser a última de um rally.

Logo na primeira especial do dia, Sébastien Ogier conseguiu dilatar ainda mais a sua vantagem, apesar de poupar pneus para a Power Stage, onde obteve 4 pontos com o segundo tempo, mas mais importante foi a quarta vitória no México, a segunda da temporada e o regresso à liderança do campeonato.

Kris Meeke travou tarde para uma das últimas curvas da primeira especial, caiu numa vala e colocou a porta do navegador do C3 WRC no chão, acabando por ser ajudado pelos espetadores que se encontravam no local e conseguir terminar a especial. Com apenas metade da asa posterior, Meeke baixou para a terceira posição e a prioridade foi mesmo manter esse lugar, sem pensar em pontos da Power Stage.

Dani Sordo teve azar no dia anterior, mas hoje beneficiou do erro de Kris Meeke para regressar ao segundo lugar. O espanhol ainda voltou a furar um pneu na derradeira especial, mas estava radiante com o excelente segundo lugar, numa temporada que vai fazer apenas metade dos rallies.

Apesar da quarta posição final, Andreas Mikkelsen esteve meio apagado e praticamente, foi sobrevivendo durante ao rally para terminar a quase 2 minutos de Ogier, quando ontem no inicio do dia, estavam separados por menos de 2 segundos.

Sébastien Loeb foi segundo na estrada e chegou a comentar que se divertiu nos pisos mais soltos, o que não acontecia há muito tempo ao francês. O eneacampeão WRC está de regresso no rally seguinte que se disputa na Córsega, onde se espera novamente, uma boa prestação do francês.

Thierry Neuville foi um dos pilotos que optou por penalizar e partir mais atrás na Power Stage, mas o belga não conseguiu melhor dos que a quarta melhor marca, obtendo ainda assim mais 2 pontos, para além dos 8 da sexta posição final.

Jari-Matti Latvala era dos primeiros na estrada, mas isso não o impediu de realizar um bom tempo na Power Stage que só acabaria por ser batido por dois pilotos que vinham mais atrás. Latvala ainda subiu mais um lugar no derradeiro dia, para terminar na oitava posição final.

Esapekka Lappi e Teemu Suninen subiram mais uma posição cada, mas não foi o suficiente para conseguirem chegar ao top 10, nem pontos na Power Stage.

Tal como o belga da Hyundai, Ott Tänak, também optou por penalizar na partida da Power Stage e acabou mesmo por conseguir os 5 pontos do melhor tempo e não sair em branco do México.

Pontus Tidemand fez mais um passeio no derradeiro dia, para conseguir a primeira vitória do ano no WRC2, passar para primeiro do campeonato e marcar os primeiros pontos entre os principais, com a sétima posição final.

VENCEDORES DE TROÇOS:

Thierry Neuville (1); Kris Meeke (5); Dani Sordo (3); Teemu Suninen (1); Sébastien Loeb (3); Ott Tänak (5); Sébastien Ogier (5); Andreas Mikkelsen (1); Jari-Matti Latvala (1)

LÍDERES DO RALLY:

Thierry Neuville (SS1); Kris Meeke (SS2); Dani Sordo (SS3 a 10); Sébastien Loeb (SS11 a 13); Sébastien Ogier (SS14 a 22)

POWER STAGE:

1º Ott Tänak; 2º Sébastien Ogier; 3º Jari-Matti Latvala; 4º Thierry Neuville; 5º Andreas Mikkelsen

PRINCIPAIS ABANDONOS:

2 Elfyn Evans / Daniel Barrit (GB) Ford Fiesta WRC (Daniel Barrit magoou-se no acidente

CLASSIFICAÇÃO FINAL
dia3MEXICO19

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

lukyO segundo dia do Azores Airlines Rallye mostrou que o russo Alexey Lukyanuk geriu a seu belo prazer as incidências da prova. Começou o dia a verificar em que patamar se situavam os principais adversários e de seguida venceu três troços, que lhe permitiu chegar aos 21,8s de vantagem no final do dia.

Ricardo Moura começou bem no primeiro troço do dia, mas o tempo perdido na especial seguinte começou a condicionar um pouco a sua prestação, tendo perdido tempo de forma regular para o russo, mesmo que tenha mantido no segundo lugar, posição que lhe dá a liderança nas constas do Nacional e do Regional.

Bruno Magalhães andou quase sempre entre os lugares do pódio troço após troço, com uma prestação muito consistente ao longo do dia, nomeadamente na segunda secção onde foi mesmo o mais rápido em prova.

Chris Ingram na sua estreia com um R5 está a fazer uma excelente prova, sendo 4º classificado a pouco mais de 44 segundos da liderança, estando à frente de Martin Koci que continua a ser uma das suspresa desta prova.

Nas contas do Campeonato de Portugal de Ralis, depois de Moura e Magalhães, aparece Bernardo Sousa (que é também segundo nas contas do Regional Açores), sendo que o quatro lugar é de Carlos Vieira.

O piloto da Hyundai subiu duas posições face ao primeiro dia (11 em termos absolutos no rali), mesmo se continuou a perder muito tempo para os primeiros, sendo o primeiro dos pilotos que vão disputar todo o campeonato. Refira-se que Ricardo Teodósio é nesta altura o quinto classificado do Nacional.

VENCEDORES DE TROÇOS
David Botka (1); Alexey Lukyanuk (4); Frederik Ahlin (1); Ricardo Moura (1); Bruno Magalhães (2)

COMANDANTES SUCESSIVOS
David Botka (Pec 1); Alexey Lukyanuk (Pec 2 e 9).

CLASSIFICAÇÃO SEGUNDO DIA
azoresdia218

ogierdia2mex(POR RICARDO NASCIMENTO)

O segundo dia do Rally México prometia ser extremamente competitivo e até começou bem, mas alguns azares dos principais intervenientes a meio do dia, deu uma reviravolta e que agora dificilmente, se alterem os resultados para o último dia em situações normais, com apenas três especiais para se disputar no domingo.

A partir em sexto na estrada, Ott Tänak tinha grandes hipóteses de chegar à primeira posição, no único Toyota sobrevivente, mas logo no primeiro troço do dia e quando tinha sido o mais rápido no primeiro parcial, o turbo do Yaris WRC cedeu e os estónio foi obrigado a parar após a especial.

Dani Sordo começo o dia a tentar defender-se dos ataques de Sébastien Loeb e o francês conseguiu mesmo passar para a liderança de forma impressionante, logo na primeira especial do dia, apesar de ter condições um pouco inferiores ao espanhol em termos de ordem de partida.

Loeb liderou durante toda a manhã, mas terminou a mesma com apenas 2.9s de vantagem para Sordo. No entanto, os dois pilotos que lutavam pela primeira posição, furaram pneus no inicio da tarde, com Sordo a perder 30s e cair para terceiro, mas o líder Loeb teve mesmo de parar para trocar a roda e cair para quinto com mais de 2 minutos perdidos.

Com ordem de partida um pouco melhor do que no dia anterior, Sébastien Ogier passou Mikkelsen no primeiro troço, empatou com Meeke no final da manhã, mas no inicio da tarde beneficiou dos azares de Sordo e Loeb para subir à primeira posição e liderar o resto da tarde onde venceu vários troços e terminou o dia com 35.9s de vantagem para o segundo classificado. Foi uma prestação impressionante do campeão, mas ficou no ar como poderia ter sido a luta com Sordo e Loeb.

Kris Meeke cometeu pequenos erros que lhe custaram caro, mas o maior foi um pião numa zona estreita em que teve de regressar um pouco atrás para virar o carro no meio de muito pó, onde perdeu perto de 30 segundos. O britânico terminou o dia com uma vitória na sétima super especial disputada, mas tem Dani Sordo a 10.9s atrás na terceira posição.

Terceiro na estrada, Andreas Mikkelsen perdeu quase 1 minuto e meio para Ogier e só partia uma posição à frente do francês, perdendo muito tempo nos troços maiores com escolhas de pneus e afinações menos boas.

Thierry Neuville voltou a perder tempo após uma passagem numa ribeira, com o motor a entrar em modo de segurança e perder mais de 1 minuto parado. Mais tarde teve dois excessos que quase o atiraram para fora de estrada, no segundo dia consecutivo em que abria a estrada. O belga passou para sexto após o azar de Tänak e para o último dia, continua a ser o primeiro na estrada.

Apesar de ser segundo na estrada, Jari-Matti Latvala conseguiu entrar nos lugares pontuáveis ao passar alguns concorrentes do WRC2. Para o último dia, o finlandês vai atacar e passar facilmente Gus Greensmith que se encontra na oitava posição com cerca de 50s de vantagem para Latvala.

Esapekka Lappi e Teemu Suninen limitaram-se a manter-se na estrada no segundo dia e assim terão de continuar para tirar o máximo de conhecimento deste rally para o futuro e no caso de Suninen, ter de levar alguns pontos para a M-Sport, um vez que Daniel Barrit foi proibido pelos médicos em regressar ao rally.

Pontus Tidemand continua o seu passeio na sétima posição da classificação e na liderança do WRC2, com mais de 5 minutos de vantagem para Gus Greensmith.
Kalle Rovanperä regressou no segundo dia para acumular experiência e para alcançar alguns pontos no domingo, Jari Huttunen voltou a ter problemas no Hyundai, desta vez com uma fuga de gasolina.

VENCEDORES DE TROÇOS:
Thierry Neuville (1); Kris Meeke (5); Dani Sordo (3); Teemu Suninen (1); Sébastien Loeb (3); Ott Tänak (3); Sébastien Ogier (5); Andreas Mikkelsen (1)
LÍDERES DO RALLY:
Thierry Neuville (SS1); Kris Meeke (SS2); Dani Sordo (SS3 a 10); Sébastien Loeb (SS11 a 13); Sébastien Ogier (SS14 a 19)

PRINCIPAIS ABANDONOS:
2 Elfyn Evans / Daniel Barrit (GB) Ford Fiesta WRC (Daniel Barrit magoou-se no acidente)
8 Ott Tänak / Martin Järveoja (EE) Toyota Yaris WRC (turbo após SS11)
32 Jari Huttunen / Antti Linnaketo (FI) Hyundai i20 NG R5 (fuga de combustível após SS13)
36 Nil Solans / Miquel Ibañes (ES) Ford Fiesta R5 (avaria na SS14)

CLASSIFICAÇÃO SEGUNDO DIA

 

mexicosegundodia