faceralis

 

posvendaclick

WRC

bernardiofran10Armindo Araújo terminou a primeira etapa do Rali de França na liderança do PWRC, cumprindo assim um terço do objectivo traçado para a penúltima prova do calendário.

O Campeão do Mundo sentiu algumas dificuldades nas primeiras especiais devido à afinação escolhida para a parte da manhã, mas na quarta classificativa saltou para o comando e a partir dai conseguiu construir uma interessante vantagem de 59,2 segundos sobre o segundo classificado, no caso, Anders Grondal.

"Foi uma etapa extremamente difícil pois os pisos estavam mais secos que o previsto e não fomos felizes no 'set-up' que escolhemos para a primeira ronda pelas especiais. Alteramos o carro para a segunda metade, conseguimos ser bastante mais rápidos e lideramos da forma que pretendíamos. Foi um final de etapa muito positivo pois o nosso adversário na luta pelo título atrasou-se bastante", disse Armindo Araújo.

armindfran10Com Hayden Paddon já muito distante dos primeiros lugares, o piloto tirsense promete contudo não mudar muito de estratégia. "Em termos de campeonato este cenário é muito favorável mas falta muito rali e nada está ganho. Vamos continuar a impor um ritmo que nos permita manter a primeira posição mas obviamente que o facto de o (Hayden) Paddon estar no décimo lugar permite-nos ter uma margem de segurança maior. As condições climatéricas estão muito instáveis e temos de manter a concentração a um nível muito elevado", disse Armindo Araújo.

Bernardo Sousa e Nuno Rodrigues da Silva, do Team Ford Quinta do Lorde estão na oitava posição entre os concorrentes que disputam o S-WRC no Rali de França. "Posso dizer que foi um inicio de rali de altos e baixos", explicando melhor: "Tal como os restantes pilotos desta categoria, preparamos o set-up do carro para a eventualidade de estar muita chuva, mas a verdade é que, hoje, as condições climatéricas não estavam tão adversas quanto os testes que efectuamos durante a semana. Ainda assim, optamos por decidir manter as afinações nas primeiras quatro especiais não fizemos os tempos dos pilotos da frente, fruto também do piso escorragadio e asfalto sujo e também da altura do carro que tinha".

Durante a assistência e com o piso a ficar seco o Team Ford Quinta do Lorde entendeu alterar o set-up. "Fizemo-lo com base nas indicações que tínhamos. As alterações resultaram, sendo notório o ganho em quase um segundo nas nossas segundas passagens", revelava o piloto do Ford Fiesta S2000.

De todo o modo, o azar viria a bater à porta da dupla portuguesa. "Numa curva rápida, na sétima especial, demos um toque com a roda traseira danificando a mesma não podendo terminar esta primeira etapa".
E amanhã? "Vamos entrar e fazer o Super Rally. Nesta fase do campeonato do S-WRC não temos nada a ganhar, mas também não temos nada a perder. A estratégia para amanhã será como todos os ralis que temos vindo a fazer: fazer o nosso melhor, tentando sempre com responsabilidade elevar ao máximo aqueles que apostaram em nós, divulgando o melhor possível o nome de Portugal. O resto vem por acréscimo".

loebfranca110

A competir em casa, Sébastien Loeb está a dominar o Rally de França, tendo sido mais rápido em cinco dos oito troços disputados no primeiro dia.

Daniel Sordo teve um inicio de prova com algumas cautelas pois, os troços encontravam-se muito escorregadios. Na penúltima especial do dia, o espanhol atacou forte e venceu o troço, subindo a segundo da geral e terminou a etapa a 22,7s do seu colega de equipa.

Sébastien Ogier andou envolvido numa boa luta com Petter Solberg mas, o francês acabaria por ser surpreendido por Sordo, acabando o primeiro dia em 3º a 2,9s do espanhol.

Jari-Matti Latvala está a aproveitar a muita lama que se encontra no asfalto pois, foi nas partes sinuosas e sujas em que conseguiu não perder muito tempo para os Citröen. Latvala venceu dois troços à geral e ainda conseguiu "roubar" a quarta posição a Petter Solberg, no decorrer da última especial do dia.

Mikko Hirvonen já está muito longe dos pilotos que seguem à sua frente, estando a ser novamente batido pelo seu colega de equipa mas, no entanto, só tem Räikkönen atrás de si com uma distância considerável.

Os Skoda estão a dominar o SWRC, sendo para já, o jovem norueguês Eyvind Brynildsen, o primeiro da classe, na frente de Sandell e Kosciuszko. Alguns Ford tiveram problemas, incluindo Bernardo Sousa e Prokop efectuou a etapa sem direcção assistida.

No PWRC, Armindo Araújo passou para liderança após Paddon ter furado um dos pneus do Mitsubishi, tendo agora o português 1 minuto de vantagem sobre Anders Grondal.

LÍDERES DO RALI:
Sebastien Loeb (Pec 1 a 8)
VENCEDORES DE TROÇOS:
Sebastien Loeb (5); Jari Matti Latvala (2); Daniel Sordo (1)

CLASSIFICAÇÃO 1ºDIA (link)
1º Sebastien Loeb – Citroen C4 WRC 1h18m27,8s
2º Daniel Sordo – Citroen C4 WRC a 22m7s
3º Sebastien Ogier – Citroen C4 WRC a 25,6s
4º Jari Matti Latvala – Ford Focus WRC a 41,8s
5º Petter Solberg – Citroen C4 WRC a 45,8s
6º Mikko Hirvonen – Ford Focus WRC a 1m50,8s
7º Kimi Raikkonen – Citroen C4 WRC a 3m27,4s
8º Frederico Villagra – Ford Focus WRC a 5m34,6s
9º Mathew Wilson – Ford Focus WRC a 5m58,1s
10º Ken Block – Ford Focus WRC a 7m01,4s
...
19ª Armindo Araújo – Mitsubishi Lancer Evo X a 9m37,5s
53º Bernardo Sousa – Ford Fiesta S2000 a 24m55,6s
57º Nuno Barroso Pereira – Subaru Impreza WRX a 32m18,1s

Colaboração Ricardo Nascimento

francalogo10O Rali de França, que vai para a estrada no próximo fim-de-semana, mudou-se este ano de armas e bagagens da Córsega para a região da Alsácia, apresentando uma prova totalmente nova no Mundial de Ralis.

A maior concindência desta situação está no facto de Sebastien Loeb ser originário desta região, chegando o francês a este rali com a possibilidade e arrecadar o sétimo título mundial à porta de casa.

Para tal suceder basta a Loeb ganhar apenas 7 pontos a Sebastien Ogier, mas face ao domínio que tem demonstrado nas provas de asfalto é bem provável que o francês junte uma vitória à conquista do título.

Destaque ainda a presença de Armindo Araújo, Nuno Barroso Pereira (que nesta prova será navegado por Luís Ramalho) e de Bernardo Sousa que irão integrar as competições de suporte (PWRC e SWRC).

Mais informações do Rali de França estão disponíveis no site oficial da prova.

nunoluis10Nuno Barroso Pereira vai disputar a sua terceira prova no PWRC esta temporada, desta feita o Rali de França, que começa já amanhã.

Para além da novidade que é a prova, para Barroso Pereira existe outra novidade, pois será Luís Ramalho a sentar-se a seu lado nesta prova.

“A vontade de fazer ralis com o Luís já vem de algum tempo. Na impossibilidade de contar com o contributo do Pedro Conde para esta prova, fiz o convite ao Luís a que ele prontamente acedeu”, disse Barroso Pereira.

Por sua vez, Luis Ramalho afirmou que ”é uma experiência nova, uma vez que é a primeira prova do Campeonato do Mundo que faço fora de Portugal. Vai ser engraçado ser "adversário", no mundial, do meu irmão Miguel. Quanto ao Nuno é um amigo que aprendi a respeitar enquanto homem e desportista. Também por isso, não poderia recusar este convite”.

Quanto à prova em si, Barroso Pereira diz-se entusiasmado com as estradas embora apreensivo com a instabilidade climatérica.“Gosto particularmente dos troços deste rali, que são muito mais rápidos do que julgávamos. Para um bom resultado, considerando que a nossa concorrência em termos de P-WRC é feroz, é fundamental conseguirmos um bom acerto para o carro. Sem isso é impossível realizar bons tempos, pois como já referi os troços são rápidos e sem margem para erro. Estamos também preocupados com a instabilidade climatérica, este chove não chove complica em muito a tarefa da escolha de pneus. Penso que em termos de classificação, não só para o PWRC como em termos absolutos, quem conseguir uma boa afinação e «acertar» na escolha de pneus, tem meio caminho andado para um bom lugar. Excelente tem sido a adaptação ao Luís (Ramalho), sendo a nossa primeira prova juntos parece que formamos equipa desde sempre. Sem duvida um grande profissional”.

arauhofrancaArmindo Araújo e Miguel Ramalho vão estar presentes no Rali de França, para disputar a penúltima prova do PWRC 2010, uma prova que poderá ser decisiva na atribuição do título deste ano nesta competição.

Por isso, a dupla portuguesa está fortemente motivada para conseguir um bom resultado, apesar de ser uma prova desconhecida (para todos os pilotos) sendo o grande objectivo repetir o triunfo alcançado na Alemanha.

"Tal como na Alemanha vamos imprimir um ritmo forte de princípio a fim. Sabemos que o rali vai ser longo e duro mas uma vitória em França permite-nos chegar à última prova com uma margem na liderança muito importante. O nosso objectivo é revalidar o título e por isso vamos lutar nesse sentido", começa por dizer o piloto tirsense.

Disputado numa região onde as condições meteorológicas estão nesta altura instáveis, a dupla portuguesa tem consciência que as estratégias delineadas à partida poderão sofrer rápidas alterações. "Preparamo-nos para todos os cenários possíveis, testamos em pisos molhados e o Mitsubishi Lancer Evo X deixou óptimas indicações. Estamos confiantes mas também sabemos que nessas circunstâncias precisamos sempre de uma ponta de sorte", disse ainda o piloto apoiado pela Galp, TMN, MCA, Lusitania Seguros e Mitsubishi Motors.

O Rali de França disputa-se entre sexta-feira e domingo, de 1 a 3 de Outubro, sendo Estrasburgo a cidade escolhida para o centro operacional de toda a caravana do WRC. A equipa portuguesa terá pela frente 351,80 quilómetros cronometrados, divididos por 20 provas especiais, num total de três etapas.

RALIS ONLINE TV

RALIS ONLINE TV 2