faceralis

 

posvendaclick

WRC

danielolwrc10O recém-criado, o Brasil World Rally Team, vai participar no Campeonato Mundial de Ralis de 2011, utilizando o novo Mini. A nova equipa vai competir com o primeiro MINI Super Produção embora mais tarde na ºepoca passará a utilizar o Mini WRC.

O carro será conduzido pelo piloto brasileiro Daniel Oliveira, piloto de 25 anos que esteve a disputar o IRC em 2010. Para 2011, a exemplo das derradeiras provas do IRC de 2010, Daniel Oliveira será acompanhado no banco direito pelo navegador português, Carlos Magalhães.

A Prodrive vai fornecer o Mini Super produção e o Mini WRC, sendo também a equipa responsável por todo o suporte técnico e apoio logístico dado ao Brasil World Rally Team.

A estreia desta dupla será mesmo no Rali de Portugal, estando Daniel Oliveira / Carlos Magalhães apostado num programa de 10 provas do Mundial de Ralis de 2011.

Refira-se que já em Novembro Daniel Oliveira teve oportunidade de efectuar o primeiro teste ao Mini WRC ao lado de Kris Meeke.

2000fordFORD FOCUS WRC 2000
Ford Martini - M-SPORT
A Ford manteve o modelo Focus mas, apresentou-se na prova de abertura do campeonato com uma nova evolução, alterando algumas coisas no carro. Visivelmente, notava-se a diferença no pára-choques dianteiro, com a aerodinâmica melhorada e novas entradas de ar, bem como, uma nova asa posterior de dimensões mais reduzidas mas, muito mais eficiente.
Em termos mecânicos, a preparação do motor deixou de ser feita pela Mountune e regressou às mãos da Cosworth, onde incluíram um novo sistema "anti-lang" e aplicaram um novo turbo. A embraiagem foi movida 15cm para cima, reduzindo algumas vibrações sentidas na versão anterior e transmissão também sofreu alterações.
Colin Mcrae manteve-se na equipa e voltou a somar muitos abandonos mas, não tantos como na época anterior, vindo a terminar na 4ª posição do campeonato.
Após o abandono da Toyota, Carlos Sainz regressou à Ford e acabou por ser o melhor piloto colocado no final com um bom 3º lugar mas, a quase 20 pontos do campeão.
Petter Solberg voltou a efectuar algumas provas com o Focus mas, viria a mudar de equipa quase no final do campeonato.

Colin McRae
Eventos disputados - 14; Abandonos - 7; Vitórias - 2 (Catalunha e Acropole); Lugares no pódio - 6; Vitórias em troços - 32
Carlos Sainz
Eventos disputados - 14; Abandonos - 3; Vitórias - 1 (Chipre); Lugares no pódio - 7; Vitórias em troços - 28
Petter Solberg
Eventos disputados - 7; Abandonos - 4; Melhor resultado - 4º (Nova Zelândia); Vitórias em troços - 6
Piero Liatti
Eventos disputados - 2; Abandonos - 1; Melhor resultado - 6º (Córsega)
Tapio Laukkanen
Eventos disputados - 2; Abandonos - 1; Melhor resultado - 5º (Austrália)

2000imprezaSUBARU IMPREZA WRC S5/ S6 P2000
Subaru World Rally Team - PRODRIVE
A Subaru iniciou a temporada com a versão S5 de 1999, nas três primeiras provas e ainda venceu na despedida do carro com Richard Burns, no Rally Safari.
Com o nome de código P2000, a versão S6 do Impreza foi o primeiro a ser totalmente redesenhado, desde que a Subaru participava com os world rally cars, conseguindo uma brilhante vitória na estreia do carro em Portugal.
A carroçaria era a mesma mas, 90% da mecânica foi alterada ou melhorada pois, por fora, só os mais atentos conseguiam ver as diferenças no capot, pára choques dianteiro e grelha. A distribuição do peso foi uma prioridade, para que o Impreza fosse mais equilibrado. A circulação de ar dentro do motor foi dramaticamente melhorada, bem como, a suspensão, diferenciais e uma electrónica totalmente nova.
A Subaru manteve a mesma dupla de pilotos da temporada anterior mas, para as provas de asfalto, Simon Jean-Joseph foi convidado a marcar pontos pois, Kankkunen não morria de amores naquele tipo de piso.
A quatro provas do fim, David Richards "roubou" o jovem Petter Solberg à M-Sport de Malcolm Wilson pois, todos começavam a ver nele um potencial campeão.
Richard Burns lutou pelo campeonato até à última prova da temporada mas, acabaria por se vice-campeão e a Subaru teve de contentar-se com a 3ª posição final nos construtores.

Richard Burns
IMPREZA S5 - Eventos disputados - 3; Abandonos - 1; Vitórias - 1 (Safari); Lugares no pódio - 1; Vitórias em troços - 8
IMPREZA S6 - Eventos disputados - 11; Abandonos - 4; Vitórias - 3 (Portugal, Argentina e RAC); Lugares no pódio - 5; Vitórias em troços - 60
Juha Kankkunen
IMPREZA S5 - Eventos disputados - 3; Lugares no pódio - 2; Vitórias em troços - 2
IMPREZA S6 - Eventos disputados - 9; Abandonos - 4; Lugares no pódio - 1; Vitórias em troços - 6
Simon Jean-Joseph
IMPREZA S6 - Eventos disputados - 3; Melhor resultado - 7º (Córsega e Sanremo); Vitórias em troços - 2
Petter Solberg
IMPREZA S6 - Eventos disputados - 4; Abandonos - 3; Melhor resultado - 9º (Sanremo); Vitórias em troços - 4

2000mitsubishiMITSUBISHI LANCER EVO 6/ EVO 6.5
Team Marlboro Mitsubishi Ralliart
Embora estivesse homologado em GR.A, o Lancer EVO 6 já tinha muitos componentes como os seus rivais world rally cars que não eram permitidos no regulamento. No entanto, após consultar e pedir permissão a todas as equipas que disputavam o WRC, a Mitsubishi conseguiu fazer alterações muito importantes no seu Lancer.
O EVO 6 efectuou pouco mais de metade da temporada mas, no Rally da Finlândia, Andrew Cowan apresentou a derradeira evolução do Lancer em GR.A (semi-world rally car) - o EVO 6.5.
Exteriormente, o EVO 6.5 diferenciava-se pelo pára-choques dianteiro, ao notar-se novas entradas de ar e aerodinâmica melhorada. Na mecânica, o curso da suspensão foi aumentado e o motor sofreu algumas modificações. Estas alterações foram com base no regulamento dos world rally cars mas, tal como foi dito anteriormente, só foi possível com uma autorização especial da FIA e com o aprovação de todas as equipas.
Mesmo com alterações importantes no Lancer, a Mitsubishi teve a pior temporada em termos de resultados dos últimos anos pois, Tommi Makinen não foi além da quinta posição no campeonato e Freddy Loix apenas pontuou em três provas.

Tommi Makinen
EVO 6 - Eventos disputados - 8; Abandonos - 4; Vitórias - 1 (Monte Carlo); Lugares no pódio - 3; Vitórias em troços - 11
EVO 6.5 - Eventos disputados - 6; Abandonos - 2; Lugares no pódio - 2; Vitórias em troços - 16
Freddy Loix
EVO 6 - Eventos disputados - 8; Abandonos - 3; Melhor resultado - 5º (Argentina)
EVO 6.5 - Eventos disputados - 6; Abandonos - 4; Melhor resultado - 8º (Chipre e Sanremo); Vitórias em troços - 2
Katsuhiko Tagushi
EVO 6 - Eventos disputados - 1 (Nova Zelândia); Abandonos - 1
EVO 6.5 - Eventos disputados - 1 (Austrália); Abandonos - 1; Melhor resultado - 10º

2000seatSEAT CORDOBA WRC EVO 2/ EVO 3
Seat World Rally Team - SEAT SPORT
Tal como a Mitsubishi, também os espanhóis da Seat apresentaram-se à partida do Rally da Finlândia, com uma nova evolução do Cordoba - o EVO 3.
Didier Auriol juntou-se à equipa após o abandono da Toyota, na tentativa de ajudar a desenvolver o Cordoba com a sua larga experiência na modalidade. Foram feitos testes exaustivos ao longo da temporada, parecendo que a Seat estava finalmente no bom caminho.
Visivelmente, só se notavam novas entradas de ar na dianteira do carro e um novo tablier totalmente redesenhado. A distribuição de peso foi substancialmente modificada e toda a electrónica foi revista para melhorar o desempenho da transmissão mas, quase no fim da temporada, a Seat decidiu colocar um ponto final na disciplina e seguir rumo a outra modalidade no desporto motorizado.
A fazer equipa com Auriol, o jovem Toni Gardemeister obteve um excelente 4º lugar na prova de abertura mas, no entanto, acumulou muitos abandonos ao longo da temporada.

Didier Auriol
EVO 2 - Eventos disputados - 8; Abandonos - 4; Lugares no pódio - 1 (Safari); Vitórias em troços - 2
EVO 3 - Eventos disputados - 6; Abandonos - 1; Melhor resultado - 8º (Córsega e Austrália)
Toni Gardemeister
EVO 2 - Eventos disputados - 8; Abandonos - 6; Melhor resultado - 4º (Monte carlo)
EVO 3 - Eventos disputados - 6; Abandonos - 3; Melhor resultado - 6º (Austrália)
Harri Rovanpera
EVO 3 - Eventos disputados - 1; Melhor resultado - 10º (RAC)

2000skodaSKODA OCTAVIA WRC/ EVO 2
Skoda World Rally Team - SKODA MOTORSPORT
A Skoda continuou pelo segundo ano consecutivo com os world rally cars, tendo novamente uma temporada a meio gás pois, tal como na temporada anterior, os checos apenas efectuaram metade das provas do calendário. No entanto, Armin Schwarz começou a terminar várias provas no "top 10" e no Rally de Chipre, perto do fim da temporada, a Skoda estreou a o EVO 2 do Octavia.
Era notório exteriormente, um ligeiro "facelift" mas, o motor foi melhorado, introduziram um novo turbo e a distribuição de peso também foi modificada, tornando o carro mais confiante de se conduzir. O arrefecimento do motor também sofreu melhorias, bem como, a suspensão e as relações de caixa foram revistas.
Armin Schwarz obteve um bom 5º lugar na Grécia e obteve os seus primeiros pontos com o carro checo pois, na altura, apenas os seis primeiros poderiam pontuar, quando haviam sete equipas a disputar o mundial...
Quando se julgava que o belga Bruno Thiry ia fazer parte da equipa, após o excelente resultado no RAC em 1999, o espanhol Luis Climent apareceu com um patrocinador e disputou a temporada 2000 com a equipa checa mas, sem qualquer sucesso.

Armin Schwarz
WRC - Eventos disputados - 5; Melhor resultado - 5º (Acropole); Vitórias em troços - 1
WRC EVO 2 - Eventos disputados - 3; Abandonos - 1; Melhor resultado - 12º (Sanremo)
Luis Climent
WRC - Eventos disputados - 5; Abandonos - 2; Melhor resultado - 8º (Safari)
WRC EVO 2 - Eventos disputados - 3; Abandonos - 1; Melhor resultado - 14º (Sanremo)

2000peugePEUGEOT 206 WRC 99/ 00
Peugeot Esso Sport
A Peugeot começou a temporada com o pé esquerdo pois, logo no Monte Carlo, os três carros da equipa abandonaram porque os motores não conseguiram funcionar no inicio da segunda etapa, devido ao frio que se fez sentir na noite anterior. No entanto, os franceses deixaram a concorrência boquiaberta na prova seguinte após Gronholm ter dominado nas estradas geladas da Suécia e vencer a primeira prova para a Peugeot, na era dos world rally cars.
Sempre à procura de melhor, o 206 WRC sofreu algumas alterações após o Rally de Portugal, sendo estas muito poucas mas, de grande importância. No carro estreado em 1999, o diferencial posterior era mecânico mas, na versão 2000, passaram todos a ser activos electronicamente. Além disso, todo o sistema hidráulico da transmissão foi alterado e tornou o 206 muito mais fiável.
Com essas alterações no carro francês, Marcus Gronholm obteve mais três vitórias e conseguiu obter o seu primeiro título de pilotos.
Gilles Panizzi obteve duas vitórias em pisos de asfalto e Delecour secundou-o nas mesmas, permitindo que os resultados em conjunto da tripla de pilotos, originasse no primeiro título mundial de construtores da Peugeot nos world rally cars.

François Delecour
WRC 99 - Eventos disputados - 3; Abandonos - 1; Melhor resultado - 5º (Portugal)
WRC 00 - Eventos disputados - 10; Abandonos - 1; Lugares no pódio - 4; Vitórias em troços - 13
Marcus Gronholm
WRC 99 - Eventos disputados - 4; Abandonos - 2; Vitórias - 1 (Suécia); Lugares no pódio - 2; Vitórias em troços - 10
WRC 00 - Eventos disputados - 10; Abandonos - 2; Vitórias - 3 (Nova Zelândia, Finlândia e Austrália); Lugares no pódio - 5; Vitórias em troços - 32
Gilles Panizzi
WRC 99 - Eventos disputados - 2; Abandonos - 2; Vitórias em troços - 1
WRC 00 - Eventos disputados - 5; Abandonos - 1; Vitórias - 2 (Córsega e Sanremo); Lugares no pódio - 2; Vitórias em troços - 13
Sebastian Lindholm
WRC 00 - Eventos disputados - 1 (Finlândia); Melhor resultado - 5º

2000hyundaiACCENT WRC
Hyundai Castrol World Rally Team - MSD
Após ter perdido o campeonato F2 em 1999 por poucos pontos para a Renault, a Hyundai decidiu dar o salto na disciplina e juntou-se aos world rally cars com o modelo Accent em 2000.
Preparado pela MSD (Motor Sport Developments), o Accent WRC era muito mais avançado tecnologicamente do que o Seat Cordoba mas, no entanto, pouco se viu de bom em termos de resultados no ano de estreia. Ambiciosamente, muito do trabalho era feito pela MSD mas, o motor era preparado pela Mountune (a mesma empresa que desenvolveu o primeiro motor do Ford Focus que deu muitos problemas), sendo um dos pontos fracos do Accent.
Keneth Eriksson e Alister Mcrae, transitaram do Hyundai Coupe Kit Car, para o novo Accent WRC que tinham ajudado a desenvolver em 1999. Ambos terminaram poucas vezes entre os 10 primeiros mas, Eriksson conseguiu um excelente 4ª lugar na Austrália.

Keneth Eriksson
Eventos disputados - 11; Abandonos - 4; Melhor resultado - 4º (Austrália); Vitórias em troços - 2
Alister McRae
Eventos disputados - 11; Abandonos - 5; Melhor resultado - 7º (Argentina); Vitórias em troços - 1
Michael Guest
Eventos disputados - 3; Abandonos - 2; Melhor resultado - 30º (Finlândia)

Colaboração Ricardo Nascimento

minipSegundo o Motorsport News, David Richards disse que a Prodrive poderá ter mais quatro carros além dos dois Mini oficias no WRC em 2011.

David Richards: "Já conseguimos vender oito carros. Eu sei que dois deles vão disputar regularmente o campeonato mundial e alguns noutros campeonatos. Podemos dar assistência a mais quatro carros no wrc, durante o próximo ano, juntamente com os dois oficiais."

Embora a homologação do Mini Countryman WRC esteja prevista para o dia 1 de Março 2011, os planos da Prodrive em começar a correr com Kris meeke e possivelmente com Daniel Sordo, só deverão acontecer em Maio no Rally da Sardenha.

No entanto, estranhamente, alguns pilotos privados poderão começar a competir em Março no rally de Portugal. Segundo alguns rumores, o piloto brasileiro Daniel Oliveira é apontado como o primeiro a dispor do novo Mini, para disputar algumas provas no wrc, com Carlos Magalhães a ditar notas, pois o português já não é o navegador de Bruno Magalhães no IRC.

O bi-campeão do PWRC, Armindo Araújo, tem sido ligado a uma possível participação no Rally de Portugal com o novo Countryman WRC. Não é segredo que o piloto português tem planos ou vontade em subir de escalão nas provas do mundial. Esperemos que consiga chegar a um acordo com os seus patrocinadores para que tal aconteça.

Ricardo Nascimento

1999_204_focusFORD FOCUS WRC 99
Ford Martini - M-SPORT
Com a Ford a "encostar" o desactualizado Escort, a M-Sport apresentou-se à partida da primeira prova em Monte Carlo com o novo Focus WRC, um carro com um desenho muito diferente e arrojado para a altura mas, com muita personalidade. A versão base já tinha sido projectada a pensar na competição pois, o seu chassis na versão da estrada foi muito elogiado por todos.
O motor Cosworth montado no Escort, foi substituído pelo novo Ford Zetec E, montado transversalmente mas com uma inclinação de 25º para trás. A versão deste motor em 1999, foi preparada pela Mountune e foi desenhada para produzir mais binário em baixas rotações. A caixa de velocidades também foi totalmente nova, tratando-se de uma unidade sequencial da X-Trac 240 longitudinal.
Os pilotos também foram todos novos na temporada 1999 pois, Colin McRae substituía Kankkunen na linha da frente e o segundo carro foi conduzido por Thomas Radstrom e por Simon Jean-Joseph, este último, nas provas de asfalto. No entanto, tal como Thiry em 1998, também Radstrom sofreu uma lesão e chegou a ser substituído pelo jovem Petter Solberg em algumas provas. O piloto norueguês dava aqui os primeiros passos numa equipa oficial e terminou em todos rallies em que participou.
Colin McRae foi excluído no Rallye Monte Carlo, devido à bomba de água do Focus que não estava conforme o regulamento. O escocês venceu no exigente Safari e em seguida no nosso Rally de Portugal mas, depois, só conseguiu terminar em 4º na Córsega e somou 11 abandonos em 1999.

Colin McRae
Eventos disputados - 14; Abandonos - 11; Vitórias - 2 (Safari e Portugal); Lugares no pódio - 2; Vitórias em troços - 23
Thomas Radstrom
Eventos disputados - 8; Abandonos - 4; Lugares no pódio - 1; Vitórias em troços - 6
Simon Jean-Joseph
Eventos disputados - 4; Abandonos - 3; Lugares no pódio - 1; Melhor resultado - 7º
Petter Solberg
Eventos disputados - 5; Melhor resultado - 5º

1999_Subaru_1999_1SUBARU IMPREZA WRC 99 S5
Subaru World Rally Team - PRODRIVE
A Prodrive manteve o mesmo modelo estreado em 1997 mas, continuou a sofrer mais alguns melhoramentos para ficar mais competitivo. A versão S5 de 1999 recebeu um novo sistema de acelerador denominado "drive-by-wire" e pela primeira vez no Impreza WRC, a Subaru colocou uma caixa sequencial a partir do Rally da Suécia que no entanto, era manuseada através de uma patilha atrás do volante.
Devido a várias soluções técnicas introduzidas no carro, o Impreza teve um inicio de temporada um pouco apagado pois, nada parecia funcionar direito mas, após a Volta à Córsega, tudo voltou ao normal e as vitórias apareceram de novo na equipa.
Richard Burns e Juha kankkunen foram os pilotos escolhidos por David Richards para a temporada 1999. Sem a sombra de Makinen, o britânico Richard Burns revelava-se cada vez melhor como piloto e conseguiu ser vice-campeão numa temporada que não correu muito bem no inicio.

Richard Burns
Eventos disputados - 14; Abandonos - 3; Vitórias - 3 (Acropole, Austrália e RAC); Lugares no pódio - 6; Vitórias em troços - 52
Juha Kankkunen
Eventos disputados - 13; Abandonos - 4; Vitórias - 2 (Argentina e Finlândia); Lugares no pódio - 5; Vitórias em troços - 24
Bruno Thiry
Eventos disputados - 6; Abandonos - 3; Melhor resultado - 5º; Vitórias em troços - 1

1999_219_tommiMITSUBISHI LANCER EVO 6
Marlboro Mitsubishi Ralliart
A Mitsubishi não quis ficar atrás da concorrência e apresentou em Monte Carlo, uma nova evolução do Lancer - o EVO 6. No exterior era visivel a adopção de um novo pára choques dianteiro e de uma nova asa posterior ligeiramente maior mas, esta tinha a particularidade de ser ajustável.
Mecanicamente, o EVO 6 não se diferenciava muito do carro anterior mas, no Rally da Finlândia, foram introduzidos alguns melhoramentos na suspensão dianteira e nos diferenciais.
Tommi Makinen permaneceu na equipa e voltou a ser campeão pela quarta vez consecutiva, com um carro de GR.A mas, no entanto, este também seria o último título da carreiro do finlandês.
Freddy Loix demonstrou interesse em Andrew Cowan e acabou por ser contratado pela Ralliart mas, o jovem belga não conseguiu brilhar com o Lancer, como tinha feito no anterior com o Celica e com o novo Corolla WRC.

Tommi Makinen
Eventos disputados - 14; Abandonos - 4; Vitórias - 4 (Monte Carlo, Suécia, Nova Zelândia e Sanremo); Lugares no pódio - 7; Vitórias em troços - 52
Freddy Loix
Eventos disputados - 13; Abandonos - 4; Melhor resultado - 4º
Marcus Gronholm
Eventos disputados - 1 (Portugal); Abandonos - 1

1999_Corolla2TOYOTA COROLLA WRC
Toyota Castrol Team Europe
A Toyota melhorou a suspensão do Corolla WRC em 1999 e substituiu o curioso joystick da caixa de velocidades por alavanca semelhante à maioria dos carros WRC.
Já em 1998, começava a correr o rumor de que a Toyota planeava mudar-se para a Formula 1. No Sanremo de 1999, Ove Andersson revelou que a Toyota ia mudar as actividades no desporto motorizado, dirigido-se para a Formula 1 onde viria a fracassar.
De qualquer forma, a equipa manteve os mesmos pilotos do ano anterior e conseguiu obter o título de construtores no ano de despedida. Carlos Sainz esteve rápido durante toda a temporada mas, não venceu qualquer prova. Já Didier Auriol, obteve uma vitória na única edição do Rally da China no WRC e foi quem deu mais luta a Makkinen no campeonato.
Curiosamente, a Toyota viria a ser campeã com apenas uma vitória mas, no entanto, Sainz e Auriol somaram 14 lugares no pódio em conjunto.
Após o abandono da Toyota, o Corolla WRC foi um dos carros preferidos por muitos pilotos privados nos anos seguintes, sendo um bom aliado para muitos deles se lançarem no WRC.

Carlos Sainz
Eventos disputados - 14; Abandonos - 4; Lugares no pódio - 8; Vitórias em troços - 36
Didier Auriol
Eventos disputados - 14; Abandonos - 4; Vitórias - 1 (China); Lugares no pódio - 7; Vitórias em troços - 27

1999_Seat3SEAT CORDOBA WRC/ EVO 2
Seat Sport
Talvez a Seat Sport esperava melhores resultados com o seu recente Cordoba WRC mas, devido à falta de experiência com este tipo de carros e do alto nível de competitividade por parte da concorrência, era lógico que a primeira versão do Cordoba tinha nascido mal.
Após um ano da sua estreia, a Seat colocou a segunda evolução do Cordoba a correr no Rally da Finlândia pois, era necessário aplicar melhoramentos no carro espanhol. O Cordoba sofreu um "face lift" na carroçaria, onde a sua aerodinâmica seria melhorada, tal como novas entradas de ar para arrefecimento.
Para acabar com a falta de binário no motor nas baixas rotações, foi introduzido um novo turbo da Garret e suspensão também sofreu alterações. No primeiro Cordoba, apenas os diferenciais dianteiro e central eram activos mas, no EVO 2, o posterior também ficou com as mesmas características.
Harri Rovanpera permaneceu na equipa e apenas conseguiu como melhor resultado um sexto lugar no Safari mas, com a nova evolução do Cordoba, o finlandês obteve um pódio no RAC.
Piero Liatti mudou-se da Subaru para a Seat mas, nos 9 eventos em que participou, não conseguiu melhor do que a sexta posição no Monte Carlo.
Toni Gardemeister recebeu uma oportunidade de conduzir a primeira versão do Cordoba WRC, naquela que seria a sua última prova (Nova Zelândia) e curiosamente, o jovem finlandês obteve um excelente pódio no seu primeiro rally com uma viatura WRC.

Harri Rovanpera
CORDOBA WRC - Eventos disputados - 9; Abandonos - 4; Melhor resultado - 6º (Safari); Vitórias em troços - 1
CORDOBA WRC EVO 2 - Eventos disputados - 5; Lugares no pódio - 1 (RAC)
Piero Liatti
CORDOBA WRC - Eventos disputados - 7; Abandonos - 4; Melhor resultado - 6º (Monte Carlo)
CORDOBA WRC EVO 2 - Eventos disputados - 2; Abandonos - 2
Toni Gardemeister
CORDOBA WRC - Eventos disputados - 1; Lugares no pódio - 1 (Nova Zelândia)
CORDOBA WRC EVO 2 - Eventos disputados - 4; Abandonos - 2; Melhor resultado - 6º (Finlândia); Vitórias em troços - 1

1999_sk_as_ot_a_2_schwarz_1SKODA OCTAVIA WRC
Skoda Motorsport
A Skoda aproveitou o seu Octavia Kit Car e transformo-o num world rally car, apresentando-se logo no primeiro evento do ano - o Rallye Monte Carlo. A equipa checa precipitou-se na estreia do novo carro pois, os dois Octavia nem chegara a efectuar o primeiro troço do rally, devido a problemas de motor.
O Octavia foi considerado muito grande mas, no entanto, era o único modelo que a Skoda tinha na altura para as dimensões mínimas do regulamento. Com um baixo orçamento mas, com muita paixão e orgulho no nome Skoda, os checos dedicaram-se em apostar na fiabilidade do carro em vez da performance, nas sete provas disputadas em 1999.
Para ajudar no desenvolvimento do Octavia, a Skoda contratou o experiente e ex-mecânico, Armin Schwarz. Os checos Emil Triner e Pavel Sibera que tão bons momentos proporcionaram com os Felicia e Favorit, disputaram algumas provas com o novo WRC mas, seria Bruno Thiry a obter o melhor resultado da temporada, quando foi convidado para disputar o RAC, conseguindo um excelente 4ª lugar da geral.

Armin Schwarz
Eventos disputados - 7; Abandonos - 6; Melhor resultado - 12º (Acropole)
Emil Triner
Eventos disputados - 4; Abandonos - 1; Melhor resultado - 13º (Acropole)
Pavel Sibera
Eventos disputados - 2; Abandonos - 2
Bruno Thiry
Eventos disputados - 1; Melhor resultado - 4º (RAC)

1999_206_1PEUGEOT 206 WRC
Peugeot Esso Sport
Após os GR.B terem sido banidos da competição em 1986, a Peugeot passou apenas a desenvolver viaturas de tracção dianteira da sua gama de pequenos desportivos (205 GTi; 309 GTi; 306 S16). No entanto, em provas de asfalto na era dos Kit Car, a marca francesa conseguiu fazer frente aos world rally cars com o seu "diabólico" 306 maxi mas, para os vencer em pisos de gravilha, necessitavam de uma viatura de quatro rodas motrizes.
O muito aguardado regresso por parte da Peugeot ao mais alto nível, fez-se em 1999 no Rally da Córsega e desde o inicio, deu para ver o grande potencial do pequeno 206 WRC.
Os franceses encontraram o mesmo problema do que os espanhóis da Seat, quando estes pretendiam homologar o Ibiza mas, tal não era possível devido às suas dimensões. O mesmo problema do Peugeot 206, foi resolvido com a introdução no mercado do 206 GT - uma versão ligeiramente diferente pois, tinha pára choques maiores, o que permitiu que o carro crescesse em comprimento e, como tal, conseguiram a homologação.
O 206 WRC tinha o motor montado transversalmente, acoplado a uma caixa de velocidades sequencial montada longitudinalmente. Isto permitia uma distribuição de massas quase perfeita e era muito fácil mexer nos carros durante as assistências.
No entanto, a transferência de potencia do motor para a transmissão era muito mais complexa, do que as configurações longitudinal/ longitudinal ou transversal/ transversal. Aliás, a caixa de velocidades foi o componente que mais dores de cabeça deu à Peugeot no inicio da carreira do 206 WRC.
François Delecour e Gilles Panizzi permaneceram na equipa, ao transitarem do 306 maxi para o 206 WRC mas, a Peugeot contratou um piloto que embora não fosse muito jovem, já tinha demonstrado rapidez em algumas provas do mundial, tratando-se de Marcus Gronholm.
O 206 não conseguiu vencer nas seis provas disputadas em 1999 mas, Panizzi conseguiu um pódio em Sanremo e Gronholm um 4º lugar na Finlândia.

François Delecour
Eventos disputados - 6; Abandonos - 5; Melhor resultado - 9º (Finlândia); Vitórias em troços - 6
Gilles Panizzi
Eventos disputados - 4; Abandonos - 1; Lugares no pódio - 1 (Sanremo); Vitórias em troços - 6
Marcus Gronholm
Eventos disputados - 5; Abandonos - 2; Melhor resultado - 4º (Finlândia); Vitórias em troços - 9

COLABORAÇÃO RICARDO NASCIMENTO

subaruplanosA Subaru e a STI (Subaru Tecnica Internacional) deram a conhecer os seus planos para a temporada 2011 nos ralis.

Assim, a marca volta a inscrever-se no IRC de 2011, tal como tinha feito em 2010, por entender que se trata de um campeonato que tem ganho muita visibilidade, dando assim oportunidade ao pilotos que correm com Subaru nesta competição poderem pontuar.

Em segundo lugar, a marca apresentou o "SUBARU Challenge Award", para pilotos
participantes no Mundial de Ralis Produção (PWRC). Dessa forma, um piloto que conduza um Impreza de Gr.N no PWRC e que obtenha a melhor pontuação depois dos sete ralis disputadas obterá um prémio (monetário).

Mais importante ainda, é que a Subaru está a ultimar o desenvolvimento das peças para o Impreza WRX que cumpram as novas regras R4. Como se sabe a classe R4 é uma nova categoria que permite incorporrar Kits especiais no veículos de Gr.N para melhorar a sua competividade frente aos S2000.