facebook

 

volvo

WRC

hyundaiFotos: Nuno Dinis (Proíbida a reprodução de fotos sem indicação da fonte)
Evento: Testes Hyundai 2018
Data: Abril 2018
Site: www.ralisonline.net

 

citroentes18Fotos: Mondegosport / Rui Fonseca (Proíbida a reprodução de fotos sem indicação da fonte)
Evento: Testes Citroen 2018
Data: Abril 2018
Site: www.ralisonline.net

 

ogier(POR RICARDO NASCIMENTO)

Hoje foi o dia com mais troços e o maior no Tour de Corse, com três especiais disputadas por duas vezes em duas secções. O dia ficou marcado por algumas desistências tanto no WRC2, como alguns das equipas oficiais.

Com a vantagem amealhada ontem, Sébastien Ogier teve um dia calmo, preferindo uma condução limpa mas ao mesmo tempo rápida para terminar o segundo dia com a mesma vantagem do dia anterior para o novo segundo classificado.

Kris Meeke, Thierry Neuville e Ott Tänak foram o maior foco de interesse até agora, na renhida luta pela segunda posição. Meeke conseguiu alcançar Neuville na penúltima especial do dia e empatar com o belga na segunda posição, mas no derradeiro troço, um erro de notas provocou uma saída de estrada para o britânico, quando este entrou numa curva em quinta que deveria ter sido em terceira.

Thierry Neuville não conseguiu aproximar-se de Ogier, apesar de dar o máximo que podia e sabia. No entanto, o belga ainda seria surpreendido por Ott Tänak que venceu hoje duas especiais e subiu à segunda posição na derradeira especial, com a magra vantagem de 0.1s para o belga.

Esapekka Lappi também esteve em destaque ao ser o piloto mais rápido da etapa, voltando a vencer mais um troço, distanciar-se dos seus perseguidores e agora também ficou na luta pela segunda posição, a 10.4s de Tänak.

Dani Sordo afastou-se um pouco de Elfyn Evans durante a manhã, mas o britânico respondeu na mesma moeda à tarde, voltando a estar "colado" ao espanhol e retomar a luta que tem desde o inicio do rally.

Bryan Bouffier ficou parado no final da manhã com um problema no motor do Fiesta WRC, mas na mesma especial, Jari-Matti Latvala cometeu um excesso e bateu de lado contra uma árvore, danificando o rollbar. No entanto, a equipa tem elementos que conseguem recuperar as barras de segurança danificadas e vão tentar colocar o carro operacional para o finlandês tentar alguns pontos na Power Stage.

Com estes dois abandonos, Andreas Mikkelsen está agora isolado na sétima posição a mais de 20s de Elfyn Evans, num dia em que voltou a estar muito apagado.

Sébastien Loeb regressou em rally2, iniciando o dia com duas vitórias em troços, voltando a repetir o mesmo na penúltima especial e ser o segundo piloto mais rápido do dia.

Jan Kopecký já está isolado na liderança do WRC2 e na oitava posição da classificação geral, depois de ver quase todos os seus adversários com problemas.

Yoann Bonato parou várias vezes na oitava especial, devido a falsos alarmes de segurança na estrada com o novo sistema, resultando em alguns minutos perdidos. A equipa Citroën espera que o tempo do francês seja retificado devido aos erros.

Ole Christian Veiby estava provisoriamente em segundo, mas o Skoda ficou com a caixa de velocidades engatada na primeira velocidade durante a derradeira especial e ficar com quase 4 minutos de atraso para o líder.

Stéphane Lefebvre voltou a ter problemas de travões na primeira especial do dia, mas desta vez, o francês bateu e abandonou, tal como Pierre-Louis Loubet que também desistiu com nova avaria mecânica, depois dos problemas nos Açores.

Fabio Andolfi não teve problemas com o seu novo Skoda e aproveitou os azares dos seus adversários para subir provisoriamente à segunda posição, mas ainda vai ter de esperar pela decisão do novo tempo para Bonato.

Jean-Baptiste Franceschi continua a liderar o JWRC com 17.9s de vantagem para o outro francês, Terry Folb.

VENCEDORES DE TROÇOS:
Sébastien Ogier (3); Esapekka Lappi (2); Sébastien Loeb (3); Ott Tänak (2)
LÍDERES DO RALLY:
Sébastien Ogier (SS1 a 10)

PRINCIPAIS ABANDONOS:
3 Bryan Bouffier / Xavier Panseri (FR) Ford Fiesta WRC (motor na SS8)
7 Jari-Matti Latvala / Miikka Anttila (FI) Toyota Yaris WRC (rollcage na SS8)
10 Kris Meeke / Paul Nagle (GB/IE) Citroën C3 WRC (acidente na SS10)
35 Hiroki Arai / Glenn MacNeall (JP/AU) Ford Fiesta R5 (avaria na SS5)
38 Stéphane Lefebvre / Gabin Moreau (FR) Citroën C3 R5 (acidente na SS5)
39 Pierre-Louis Loubet / Vincent Landais (FR) Hyundai i20 NG R5 (avaria na SS8)

CLASSIFICAÇÃO DIA 2
corsedia218

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3r5estreia copyA Citroën Racing elegeu a Volta à Córsega, a ronda francesa do Campeonato do Mundo de Ralis, para a estreia oficial do novo C3 R5, a sua nova proposta de competição para clientes. O modelo será conduzido por Stéphane Lefebvre e Gabin Moreau neste que é o primeiro dos 7 ralis que fazem parte do seu programa no WRC2 2018, surgindo também nesta prova uma segunda unidade, em versão cliente, pelas mãos da dupla Yoann Bonato/Benjamin Boulloud, incorporada na assistência da equipa oficial.

Eis que chega o momento da verdade para o Citroën C3 R5. Depois de meses de trabalho de desenvolvimento nos bastidores, cobrindo cerca de 6.000 quilómetros de testes desde setembro de 2017 (data da sua primeira saída para testes de estrada), o novo porta-estandarte da Citroën está finalmente apto para fazer a sua estreia em competição, na Volta à Córsega. Ali, o Citroën C3 R5 vai procurar tornar-se na nova referência na categoria.
Stéphane Lefebvre, piloto oficial da Marca e um dos mais envolvidos no processo de desenvolvimento, foi o eleito para demonstrar as qualidades do C3 R5 nas especiais do Campeonato do Mundo de Ralis, iniciando, assim, a sua corrida ao título de WRC2. Para além desta prova, irá apresentar-se em Portugal e Sardenha. Com três temporadas no WRC, aos comandos de modelos de quatro rodas motrizes, o talentoso francês conta com a experiência, maturidade e velocidade necessárias para desafiar os seus adversários.
O mesmo é válido para o campeão de ralis francês de 2017, Yoann Bonato, cujo C3 R5 ver-se-á integrado, para a Volta à Córsega, na equipa oficial, na tentativa de aumentar os meios e melhorar as hipóteses do carro garantir um bom resultado. Igualmente muito envolvido no desenvolvimento do novo modelo, o piloto da região de Isère possui a experiência resultante da participação nas duas últimas edições da prova.

Embora mais de 60 por cento das Especiais serem novas na edição deste ano da prova, o icónico rali, disputado na ilha francesa, compõe-se de estradas exigentes, sinuosas e, ocasionalmente, rápidas, e também longos troços de pura velocidade, com mais de 55 quilómetros, sendo o evento perfeito para demonstrar a versatilidade, fiabilidade e competitividade do novo C3 R5. Vale, também, a pena notar que um terceiro C3 R5 irá fazer a prova como "Carro 0", conduzido pelo piloto de testes Alex Bengué.

O QUE ELES DISSERAM...
François Wales, Diretor de Desenvolvimento, Competição Cliente
"A Córsega é aquilo que consideramos um verdadeiro rali, tendo algumas das estradas mais exigentes do mundo. Estivemos lá no início do ano e novamente em março para duas sessões de testes sucessivas e o nosso C3 R5 demonstrou uma boa forma. Assim sendo, tenho esperança que irá demonstrar o seu potencial na sua estreia competitiva internacional. De qualquer modo, gostaria de reconhecer o empenho de todas as nossas equipas, que têm trabalhado muito para nos proporcionar as melhores hipóteses de sucesso nesta estreia."
Pierre Budar, Diretor da Citroën Racing
"Como a fasquia padrão no campeonato WRC2 se encontra extremamente alta, precisamos de entrar de imediato no ritmo. Tendo acumulado muitos quilómetros nos testes de desenvolvimento com o C3 R5 durante a época de defeso, o Stéphane e e o Gabin chegam ao rali numa forma particularmente boa. Tenho, portanto, muita fé na sua capacidade de fazer o trabalho que lhes foi imputado, ou seja, demonstrar o nosso novo produto, mesmo que a Volta à Córsega continue a ser um evento icónico, que deve ser tratado com enorme respeito, em especial devido às suas longas classificativas."
Stéphane Lefebvre
"Após uma longa pausa de inverno e uma participação pontual em França, mal posso esperar por voltar às especiais do WRC. É sempre emocionante competir pela primeira vez num carro novo, no qual se trabalhou numa grande parte do seu desenvolvimento! O C3 R5 é um carro definitivamente bem-nascido. Sinto-me confiante ao volante e mal posso esperar por ter a oportunidade de o demonstrar. Naturalmente que haverá uma enorme luta pelos lugares da frente, mas tendo feito vários dias de testes na Córsega, estamos certamente bem preparados. Tenho mais um dia de testes programado antes do início da prova e o Shakedown, em que poderei fazer as afinações finais."