faceralis

 

posvendaclick
 

ERC

lukyvenceO Eurosport e a FIA já divulgaram o calendário do Europeu de Ralis para a próxima temporada.

Destaque mais uma vez para o Azores Airlines Rallye, que voltará a abrir o calendário em 2019.

FIA European Rally Championship 2019 provisional calendar*
Round 1: Azores Airlines Rallye, 21-23 March** (ERC Junior), gravel
Round 2: Rally Islas Canarias, 2-4 May (ERC Junior), asphalt
Round 3: Rally Liepāja (Latvia), 24-26 May (ERC Junior), gravel
Round 4: Rally Poland, 28-30 June (ERC Junior), gravel
Round 5: Rally di Roma Capitale (Italy), 19-21 July (ERC Junior), asphalt
Round 6: Barum Czech Rally Zlín, 16-18 August (ERC Junior), asphalt
Round 7: Cyprus Rally, 27-29 September, gravel
Round 8: Rally Hungary (Hungary), 1-3 November, asphalt***

*Subject to FIA World Motor Sport Council approval
**Subject to signing of event promoter agreement
***Subject to FIA observation

 

aloisio19O corrente ano desportivo foi cheio de novidade para Aloísio Monteiro. Uma viatura nova de categoria superior e uma competição mais exigente mantendo a aposta na internacionalização eram o grande desafio do piloto nortenho que, nunca tendo apontado a resultados específicos, sempre procurou evoluir prova após prova ao longo dos mais de 3250km percorridos em rali.

Aloísio Monteiro assume neste final de época que apesar dos resultados positivos para um ano de estreia, devia ter feito mais um esforço em termos de preparação que poderiam ter melhorado os resultados. "Foi uma época com muitas novidades e talvez tenhamos pecado por falta de testes. Acontecimentos normais numa temporada de estreia onde tivemos de aprender tudo de novo. Ainda assim conseguimos bons resultados e acabámos por dar o retorno que os nossos parceiros procuravam e isso é o mais importante", começou por dizer o piloto antes de abrir um pouco o jogo para a próxima temporada: "Na próxima temporada vamos voltar a marcar presença no ERC, uma competição muito interessante e bem organizada. A viatura com que vamos fazer o campeonato ainda não pode ser divulgada, mas prometemos que vamos dar um pouco mais de nós e isso vai, com toda a certeza, refletir-se nos resultados."

No meio de uma época bastante difícil e exigente, Aloísio Monteiro teve o prazer de anunciar a criação de uma estrutura especializada em competição automóvel, a The Racing Factory, que no decorrer da temporada já teve em ação vários pilotos e que, em 2019, terá o verdadeiro arranque, após a inauguração das instalações preparadas especialmente para o efeito. "Foi sem dúvida um grande desafio. Tenho comigo uma equipa muito coesa e preparada para os desafios nacionais e internacionais, embora o foco da empresa não seja estritamente a competição, mas também o aluguer de viaturas e prestação de serviços na área automóvel. Em 2019 iremos aumentar o lote de viaturas disponíveis para aluguer, sempre com o foco de ajudar a desenvolver a modalidade em Portugal e além fronteiras", explica, clarificando depois que: "a relação com a ARC Sport é para manter! Há uma proximidade muito grande entre as duas partes, parcerias comerciais importantes e vamos, com certeza, continuar a trabalhar em conjunto."

Com a participação em 6 provas do FIA ERC em 2019 praticamente asseguradas e com o novo desafio de gerir uma equipa, o próximo ano avizinha-se repleto de novidades. Uma coisa é certa, aos 45 anos, Aloísio Monteiro prepara um futuro ligado à competição e pretende dar a oportunidade a que outros pilotos se juntem ao seu projeto, evoluindo as suas carreiras além-fronteiras.

brunochefinalBruno Magalhães terminou o Barum Rally na República Checa, sexta prova do Campeonato da Europa de Ralis na nona posição da classificação geral. Um resultado que reflecte a exigência da prova e as dificuldades do piloto português em acertar no 'set-up' e também na escolha de pneus. Apesar do resultado estar longe das suas ambições, o facto de ter conseguido trazer até ao final o Skoda Fabia R5 incólume, numa das mais desafiantes prova do Campeonato, deixou Bruno satisfeito.

À semelhança do dia de ontem, as condições atmosféricas voltaram a desempenhar um papel predominante e baralharam as opções de Bruno e Hugo Magalhães: "Não fizemos a melhor escolha de pneus e claro, fomos penalizados troço a troço com isso. A chuva trocou-nos as voltas. E numa prova onde cometer erros é algo fácil de acontecer, tivemos de fazer as coisas com muita calma e sem correr riscos para garantir chegar ao final do rali. Foi uma prova muito dura e traiçoeira e sendo os primeiros na estrada sem qualquer referência das condições que íamos encontrar, fomos ainda mais penalizados. Tenho pena mas pelo menos fica a satisfação de termos trazido até ao final o carro sem qualquer dano", referiu.

A próxima prova do Europeu realiza-se de 21 a 23 de Setembro na Polónia e apesar de estar grato aos seus patrocinadores pela oportunidade que lhe deram de disputar estas seis provas, Bruno duvida que consiga marcar presença nas duas últimas rondas da temporada: "À partida não estarei presente a não ser que algo mude significativamente. Mas, ter chegado até aqui foi muito importante para nós e isso só foi possível com o apoio dos nossos patrocinadores que acreditaram no nosso trabalho. Um obrigado especial a todos eles", rematou Bruno Magalhães que mantém o segundo lugar nas contas do Campeonato do Europeu de Ralis.

brunocehdia118Bruno e Hugo Magalhães terminaram o primeiro dia do Barum Rally na República Checa na 10ª posição da classificação geral depois de um dia excessivamente complicado com condições extremas que colocou à prova as capacidades de adaptação da dupla vice-campeã Europeia.

A chuva, a lama e o piso escorregadio foram os pontos de ordem das oito classificativas disputadas ao longo dia de hoje. Bruno Magalhães ao volante do Skoda Fabia R5 foi dando o máximo para conseguir terminar o dia na melhor posição possível: "Foi sem dúvida um dos dias mais difíceis da minha carreira nos ralis, sobretudo de manhã. As afinações que escolhemos não foram as ideais e as condições que enfrentávamos dificultaram tudo ainda mais. De tarde, fizemos alterações ao nível da suspensão que nos deu um pouco mais de confiança e melhoramos um pouco. Mas longe da performance que desejávamos", começou por explicar o piloto português.

A etapa de amanhã será composta por seis especiais de classificação e a dupla lusa espera conseguir melhorar a performance e ganhar algumas posições na classificação: "Vai continuar a ser complicado mas vamos dar o nosso melhor. Esperamos aumentar o andamento classificativa a classificativa e esperar para ver o resultado que nos reserva. Mantemos o pensamento positivo apesar de tudo", rematou Bruno Magalhães.

arceuO Rali Barum é a próxima etapa do ERC 2018, um campeonato cada vez mais competitivo, onde Bruno Magalhães e Hugo Magalhães ocupam o 2º lugar absoluto, apenas a 9 pontos da Liderança. A ARC Sport regressa assim à República Checa, o país de origem dos Skoda Fabia R5, carros que a equipa de Aguiar da Beira conhece como ninguém, e que Bruno Magalhães vai conduzir numa prova muito técnica.

"O Barum é conhecido por ser um rali muito difícil em asfalto, cheio de ressaltos, com diversas passagens por terra e, por isso, bastante sujo. Numa prova deste tipo são necessárias afinações especificas para o carro, pois acontece sempre muita coisa ao longo do rali. Por tudo isto, consideramos que o dia de testes será bastante importante para um bom desempenho", afirmou Bruno Magalhães que vai enfrentar adversários de peso, entre eles o checo Jan Kopecky, crónico vencedor do Barum, e que triunfou na categoria WRC2 no Rali da Alemanha no passado domingo. "Para além dos grandes candidatos do ERC, a armada local é sempre muito forte, com a edição deste ano a contar com 36 carros da categoria R5, um número que mostra bem a vitalidade do ERC. Para nós é entusiasmante fazer parte de uma lista de inscritos fantástica, num rali onde os nossos objetivos serão mais moderados, pretendendo, no entanto, amealhar o máximo de pontos possível. Estamos confiantes, embora o rali seja muito exigente", concluiu Bruno Magalhães.

Aloísio Monteiro continua a sua aposta no ERC 2018 ao volante do Skoda Fabia R5 e com o açoriano Sancho Eiró como navegador. Para eles o Rali Barum é mais uma estreia, e logo numa prova de asfalto demasiado exigente.

"Para nós é tudo novo. Vamos enfrentar um rali muito técnico e difícil de aprender. Sem qualquer tipo de experiência e num tipo de piso muito complicado, o nosso grande objetivo é terminar a prova. Este não é um rali típico de asfalto, pois conta com diversas misturas de pisos de terra, o que torna as coisas mais complicadas. Em relação ao nosso Skoda, contamos com a habitual confiança no trabalho da ARC Sport", disse, confiante, Aloísio Monteiro.

A habitual sintonia de Emma Fálcon, a piloto espanhola que faz equipa com Eduardo Gonzaléz, coincide com a total entrega que coloca nas provas que disputa. A nítida evolução que Emma tem demonstrado nas diversas provas do ERC é motivo de regozijo para toda a equipa da ARC Sport, que há mais de ano e meio acompanha a simpática dupla espanhola com o Citroen DS3 R3. Agora no Rali Barum, o entusiasmo e confiança continuam a ser palavres de ordem. "É a 2ª vez que participo no Barum, um rali muito difícil, mas também muito bonito e com um excelente ambiente e um público entusiasta. Esperamos que as condições atmosféricas colaborem e que não venha chuva, como está previsto, para que as coisas não se tronem ainda mais complicadas. Estamos entusiasmados e confiantes", disse Emma Falcón.

Para Augusto Ramiro este é sem dúvida mais um desafio importante para toda a equipa da ARC Sport. "Estamos totalmente empenhados para que tudo corra em relação aos nossos pilotos. Sabemos das grandes exigências técnicas de uma prova como esta, que está também recheada de grandes nomes a nível mundial. Acreditamos que todos eles vão conseguir atingir os seus objetivos, contando como é habitual com toda a nossa colaboração".

O Rali Barum arranca na próxima sexta-feira dia 24 de agosto, terminando no domingo, depois de disputadas 15 especiais de classificação.

RALIS ONLINE TV