faceralis

 

20anos

logofpakLuiz Pinto de Freitas, Presidente da FPAK, comentou no Ralis Online a presença de armindo Araújo no Mundial de Ralis. Aqui fica a sua opinião.

A recente contratação do bicampeão mundial de ralis (Produção). Armindo Araújo, para conduzir um Mini WRC no Mundial de Ralis 2011, integrado na equipa “satélite” da MINI, encherá certamente de orgulho todos os Portugueses sem excepção.

Não sendo uma estreia no WRC, já que a dupla Armindo Araújo/Miguel Ramalho nele participou nas três últimas épocas, essa bem sucedida experiência destes  três anos e o conhecimento de praticamente todos os ralis que integrarão o WRC 2011, dar-lhes-á certamente uma vantagem acrescida para poderem competir ao mais alto nível nos ralis do mundial.

Mas deveremos todos evitar criar já grandes expectativas no que se refere a resultados imediatos. Já que por um lado, eles vão competir integrados na “equipa satélite” da MINI e não na equipa “oficial”, desconhecendo-se por agora, se toda a tecnologia da equipa principal irá (ou não) ser “passada” em termos imediatos à equipa “satélite”. Ou mesmo se esta não será um “laboratório de testes” para a equipa principal.

Por outro lado, e não menos importante, o carro estará ainda em fase de desenvolvimento, prevendo-se que só em meados de 2011, o MINI WRC se possa vir a apresentar já ao nível técnico-competitivo elevadíssimo que um WRC exige.

A próxima estreia do MINI e da dupla portuguesa, no nosso Rali de Portugal, serão certamente um dos grandes cartazes promocionais da prova, já que tal estreia absoluta atrairá certamente as atenções de toda a imprensa desportiva internacional.

Mas orgulhosos que devemos estar todos desta “1ª vitória” da dupla Armindo Araújo/Miguel Ramalho ao integrarem uma equipa semi-oficial no Mundial de Ralis, não entremos em euforias e não lhes exijamos resultados imediatos.

Vamos todos apoiá-los com fervor, mas com os pés bem assentes no chão. Os bons resultados hão-de chegar dada a alta qualidade da dupla nacional.

Mas não "embandeiremos já em arco". Para que logo nas primeiras provas e à "boa maneira" portuguesa, não se entre em desilusão.

Luiz Pinto de Freitas

Não lhe é permitido comentar.