faceralis

 

20anos

rphvence10Depois de uma equipa belga ter terminado no ano passado com a hegemonia dos pilotos nacionais no palmarés do Rally de Portugal Histórico, parece que o domínio das formações estrangeiras veio para ficar nesta quinta edição do Rally de Portugal Histórico: desta vez foram os espanhóis Ricardo Alonso/Moises Alvarez (Ford Escort RS) a levarem a melhor sobre a concorrência, sendo os mais regulares ao longo das 44 provas de classificação.

Aliás, a superioridade das equipas que nos visitaram foi grande, monopolizando os lugares do pódio, com José Grosso a ser o melhor piloto português, na quarta posição, e apenas mais dois portugueses - João Vieira Borges e Cipriano Antunes - entraram nos dez primeiros.

Para tanto, também muito contribuiu a grande hecatombe dos principais pilotos nacionais: José Grosso começou por liderar a prova, mas problemas mecânicos diversos e um furo acabaram por atrasá-lo bastante, não lhe permitindo melhor que a quarta posição; João Mexia sucedeu-lhe no comando, mas o piloto de Coimbra não foi muito mais longe, com problemas na caixa de velocidades a colocarem um ponto final na sua actuação; José Luís Nunes desistiu com problemas de motor, Paulo Grosso perdeu-se numa especial e acabou por "partir" também o motor do seu Escort e Aníbal Rolo teve uma saída de estrada no segundo dia que comprometeu qualquer hipótese de uma melhor classificação.

Perante tudo isto acabou por sobressair a natural superioridade dos pilotos estrangeiros: Ricardo Alonso andou sempre muito bem e cimentou a sua vantagem na ligação entre Arganil e Viseu, conseguindo depois defender muito bem essa vantagem, apesar de ter perdido algum do seu avanço na derradeira fase da prova, mas acabando por conquistar uma vitória totalmente justa.

A principal ameaça de Alonso acabou por ser o ex-campeão europeu de regularidade, o belga Jose Lareppe, que terminou na segunda posição, a 60,4 pontos, depois de uma segunda etapa menos conseguida.

O espanhol Marcos Adan acabou por assegurar o último lugar do pódio, devido sobretudo à sua elevada regularidade ao longo dos cinco dias de prova.

Classificação final: 1.º Ricardo Alonso/Moises Alvarez (Ford Escort RS), 1645,4 pontos;
2.º Jose Lareppe/ Joseph Lambert (Opel Kadett GTE), a 60,4pt;
3.º Marcos Adan/Gaspar Osorio (Porsche 911), a 82,4pt:
4.º Gustavo Martel/Nicolas Sanchez (Porsche 911 T), a 95,7pt;
5.º José Grosso/João Sismeiro (BMW 2002), a 112,5pt;
6.º Javier Ortega/Secundino Infiesta (Lancia Fulvia), a 146,7pt;
7.º João Vieira Borges/João Srôdio (BMW 635 CSi), a 224,2pt;
8.º Iñaki Presa/German Gonzalez (Ford Escort), a 284,5pt;
9.º.º Jhony Delhez/Eddy Gully (Ford Escort RS), a 327,7pt;
10.º Cipriano Antunes/Vicente Antunes (Audi quattro), a 594,5pt; etc.

Comunicado ACP

Não lhe é permitido comentar.