faceralis

 

guia2020

andreuccisanre10O segundo dia de prova voltou a ser muito animado na luta pela vitória quase até ao final pois, dois dos principais protagonistas, acabariam por ter problemas.

Paolo Andreucci passou de novo para a liderança, logo no primeiro troço do dia e manteve essa mesma posição até ao final, vencendo pela segunda vez o Rally Sanremo. Com este resultado, Andreucci obteve a terceira vitória do ano para a Peugeot e colectou preciosos pontos para o campeonato italiano.

Giandomenico Basso deu muita luta ao vencedor mas, quando estava a somente 2,5s do líder, o Abarth de Basso teve graves problemas no diferencial posterior durante o penúltimo troço, sendo o piloto relegado ingloriamente para a sétima posição final.

Luca Rossetti também acompanhou de perto os dois pilotos que seguiam à sua frente mas, na mesma especial em que Basso teve problemas, Rossetti furou um dos pneus do Abarth e terminou apenas na quinta posição.

Juho Hänninen iniciou o dia ao ascender à quarta posição, onde permaneceu durante três troços. Com os azares dos pilotos da Abarth, Hänninen herdou a segunda posição e amealhou importantes pontos para a conquista do título no IRC.

Freddy Loix andou francamente melhor no segundo dia pois, conseguiu subir algumas posições ao longo da etapa e após vencer o último troço, ascendeu ao terceiro lugar da geral.

Kris Meeke foi cedo ultrapassado por Hänninen mas, quando tentou segurar o último lugar do pódio, acabou por ser surpreendido por Loix na última especial, estando agora sem qualquer hipótese de renovar o título obtido em 2009.

Jan Kopecký efectuou uma prova muito apagada, para um piloto que é considerado como especialista em pisos de asfalto. Apesar de um furo esta manhã, o piloto checo foi sempre batido por Loix e só conseguiu terminar em sexto, devido aos problemas de Basso e de Bouffier.

Thierry Neuville esteve muito confiante no segundo dia, ao averbar tempos muito bons. O jovem belga iniciou a etapa na décima quarta posição mas, viria a terminar em oitavo.

Bruno Magalhães disse ter aprendido muito em relação às escolhas de pneus, terminando em décimo da geral, as uns escassos 1,1s do veterano Gianfranco Cunico mas, no entanto, perdeu a luta no campeonato para Freddy Loix.

Bryan Bouffier sofreu um furo que o fez perder muitos lugares na classificação mas, Guy Wilks, acabaria por bater e danificar uma das rodas do Skoda, desistindo no inicio da etapa.

Os Proton continuam com muitos problemas de fiabilidade. Neal McShea nem conseguiu chegar à primeira especial do rally e Gilles Panizzi acabaria por terminar mas, nunca foi melhor do que vigésimo segundo.

Sandro Sotille venceu nas duas rodas motrizes, ao volante de um Honda Civic R3 Type-R.

LÍDERES DO RALI:
Kris Meeke (Pec 1 a 3); Paolo Andreucci (Pec 4 e 5); Giandomenico Basso (Pec 6); Paolo Andreucci (Pec 7e 11);
VENCEDORES DE TROÇOS:
Kris Meeke (2); Paolo Andreucci (3); Luca Rossetti (2); Giandomenico Basso (1); Juho Hanninen (2); Freddy Loix (1)

DESISTENTES
Andreas Mikkelsen; Umberto Scandola; Daniel Oliveira; Niall McShea

CLASSIFICAÇÃO FINAL (link)
1º Paolo Andreucci – Peugeot 207 S2000 2h35m32,7s
2º Juho Hanninen – Skoda Fabia S2000 a 4,4s
3º Freddy Loix – Skoda Fabia S2000 a 34,1s
4º Kris Meeke – Peugeot 207 S2000 a 38,3s
5º Luca Rossetti – Fiat Grande Punto a 1m21,0s
6º Jan Kopecky – Skoda Fabia S2000 a 1m59,9s
7º Giandomenico Basso – Fiat Grande Punto a 2m17,9s
8ª Thierry Neuville – Peugeot 207 S2000 a 2m35,0s
...
10º Bruno Magalhães – Peugeot 207 S2000 a 2m43,9s

Colaboração Ricardo Nascimento

Não lhe é permitido comentar.