faceralis

 

posvendaclick

breve9centro10João Ruivo teve um rali com muitos azares e contra-tempos, como se prova pelo 6º lugar no CPR 2L /2RM. Ainda no primeiro dia, uma avaria na direcção assistida implicou a penalização de um minuto efectivo à entrada da terceira especial. Duas vitórias em especiais no CPR2, entre outros, reflectem bem o andamento que João Ruivo adoptou, mas eis que o azar voltou a bater à porta: "Fizemos um pião logo de manhã e perdemos mais alguns segundos. Mas mesmo no último troço, quando tentava ainda ir buscar o quarto lugar, tivemos uma saída de estrada e ficámos presos na areia", explicou também João Ruivo que não hesitou em agradecer "Ao Isaac Portela e todos os amigos que nos retiraram daquela situação e assim podemos terminar a prova". Apesar de tudo, João Ruivo saiu com a sensação do dever cumprido, deixando ainda uma palavra para: "Toda a equipa que trabalhou muito bem, num fim-de-semana muito importante para nós, pois esteve connosco o director de Marketing do Crédito Agrícola que ficou agradado com o que viu. Por fim, não posso esquecer o meu navegador nesta prova, o João Peixoto, que fez um excelente trabalho".

"Desta vez tinha que ser" afirmava Paulo Neto no final do Rali Centro de Portugal convicto de ter alcançado o seu prinicpal objectivo, acrescentando que "precisava de terminar uma prova depois de tantos azares que temos tido esta temporada. É um prémio para toda a equipa que tem feito um excelente trabalho esta temporada, como é também um importante ganho de confiança para o que resta desta época". Mas nem tudo correu como esperado, já que os derradeiros troços quase deitavam tudo a perder para Paulo Neto. "Andámos quase sempre com dois pneus suplentes no carro. Decidimos tirar um para os dois derradeiros troço e foi precisamente quando tivémos dois furos. Também no último troço o motor chegou a falhar diversas vezes devido a um problema eléctrico que quase nos fez desistir. Felizmente que conseguimos chegar ao final da prova" afirma Paulo Neto.

Daniel Nunes foi o piloto mais azarado no Rali Centro de Portugal. O piloto conta o sucedido: "mesmo no final da PEC, o carro teve uma reacção estranha ao sair de uma curva lenta, tivemos uma ligeira saída de estrada e o carro ficou preso num buraco. Como o mato estava muito seco, com a alta temperatura do escape e do catalisador rapidamente a vegetação pegou fogo e o carro começou a arder. Fizemos os possíveis para tentar controlar a situação e valeu-nos muito a rápida e preciosa ajuda de muitas pessoas, desde pilotos, organização, bombeiros, público e outros para evitar que as chamas consumissem por completo o carro e sobretudo que atingissem o depósito. Infelizmente o depósito de combustível acabou mesmo por explodir e felizmente não aconteceu o pior. Aproveito para deixar aqui em meu nome e do meu navegador, o meu grande e especial agradecimento ao Mário Seabra, ao Paulo e Ricardo Correia, ao João Mateus, ao Carlos Vieira e a muitos outros que estiveram no local e que nos ajudaram a sair do carro, e a tentar salvar o mesmo, tendo-se até mesmo exposto a uma situação muito perigosa. Foi um momento muito complicado que podia ter acabado mal, mas que graças à entreajuda destas boas pessoas tornou-se num mal menor. No momento estamos a tentar reunir esforços e apoios para continuar a nossa época, mas temos ainda muito trabalho pois o carro ficou com muitos danos e vai ser necessário substituir muito material".

Para a dupla Carlos Fernandes e Fábio Vicente este foi apenas o seu terceiro rali. Mas isso não impediu a equipa do EVO VI de se destacar. Apostados em ganhar ritmo competitivo a equipa cedo mostrou que seriam uns sérios candidatos aos lugares do pódio e até da vitória mas "devido a termos parado para ceder um extintor ao Daniel Nunes, deixamos o carro demasiado tempo parado com o ALS ligado e com o aquecimento acabou por se rebentar um tubo do intercoler durante a última PEC. Estávamos na liderança do rali e fizemos os possíveis para manter o primeiro lugar, mas sem turbo o carro simplesmente «arrasta-se» e fomos perdendo a vantagem que tínhamos acumulado. Felizmente ainda deu para garantir o 3º lugar, o que para nós é um excelente resultado visto este ainda ser o meu terceiro rali. Este rali foi muito produtivo para nós pois apesar de ainda não termos um carro com competitividade equivalente aos dos nossos adversários, provamos já que conseguimos ter andamento para chegar à vitória e na próxima prova vamos tentar estar ainda melhor".

Não lhe é permitido comentar.