faceralis

 

usados

bruno2diamc10Bruno Magalhães e a Peugeot Portugal regressam três anos deçpois ao rali de Sanremo, novamente com Bruno Magalhães, que reconhece estar entusiasmado por voltar a esta mítica prova.

Bruno Magalhães: "Vamos procurar somar mais pontos para o campeonato, conscientes de que vai ser uma prova muito difícil face à qualidade dos inscritos. E vamos ter de contar com os concorrentes do campeonato italiano, que têm bons carros e conhecem as especiais. Admito poder estar mais à vontade no primeiro dia, por os troços serem iguais aos de 2007, mas não posso dizer que os conheço tão bem como alguns dos meus adversários. O grande desafio é a especial nocturna com 44 km, que tem uma extensão a que não estamos habituados, mas, como também gosto de guiar à noite, estou entusiasmado com a participação em Sanremo."

Carlos Barros, director desportivo da Peugeot Sport Portugal: "Três anos depois voltamos a Sanremo, com a vontade de andar o mais depressa possível e com o objectivo de terminar nos cinco primeiros lugares. Sabemos que é mais difícil do que noutras provas, pois para além dos habituais participantes do IRC vamos ter a concorrência de um grande número de pilotos italianos, com destaque para os dois pilotos oficiais da Fiat Abarth. É que se houve provas onde os pilotos locais não eram adversários a ter em conta, desta vez isso não acontece. Gostávamos de terminar o campeonato no pódio, mas temos a consciência de que será muito difícil, uma vez que depois de Sanremo ficam a faltar duas provas que nós já não faremos. Temos os nossos sete resultados, ao contrário do que sucede com alguns dos nossos mais directos adversários, que podem, ainda, contabilizar mais pontos."

113 Inscritos e 31 S2000

As estradas da Liguria recebem as mais de 100 equipas inscritas (113), 31 delas com S2000, para uma prova que já integrou o calendário do Campeonato do Mundo e que, agora no IRC, continua a ser uma das mais carismáticas da história do automobilismo mundial.

Pela frente, Bruno Magalhães (Nº 15) tem um enorme desafio, uma vez que, aos habituais envolvidos no IRC, juntam-se os pilotos italianos, alguns deles candidatos às primeiras posições.

Estão neste caso Giandomenico Basso, Luca Rossetti e Renato Travaglia, com os Fiat Punto, Umberto Scandola e Andrea Navarra, que se juntam a Andreas Mikkelsen ao volante dos Ford Fiesta, e Paolo Andreucci, Piero Longhi, Gianfranco Cunico e Alessandro Perico, entre outros, que tal como Bruno Magalhães guiam os Peugeot, formando uma armada de 15 Peugeot 207 S2000.

Além destes, a Skoda alinha com seis Fabia, para Juho Hanninen, que defende o comando do campeonato, Jan Kopecky, Guy Wilks, Freddy Loix, Marco Signor e Michele Cinotto. A Proton conta com o regressado Gilles Panizzi e Neal McShea, e a Peugeot com Kris Meeke, Thierry Neville e Bryan Bouffier, entre outros, o que deixa antever uma prova aberta e de resultado imprevisível.

Em termos de percurso, os concorrentes vão cumprir 11 provas de classificação ao longo de dois dias, com o destaque a ir para os 44 km de Ronde, que tem lugar na noite de sexta-feira.

É um regresso aos bons velhos tempos das provas de estrada, quando havia classificativas nocturnas, algo a que a maior parte dos pilotos não está habituada.

Não lhe é permitido comentar.