faceralis

 

usados

algarvecasinos11Disputa-se no próximo Sábado, o Rali Casinos do Algarve. Com quatro competições em disputa, antevê-se uma prova competitiva e com algumas surpresas, a começar por apurar um vencedor inédito em provas do nacional.

É já este Sábado que parte para a estrada a edição número 40 do Rali Casinos do Algarve. Face a uma conjuntura desfavorável, o Clube Automóvel do Algarve apostou na restruturação do rali, tornando-o mais compacto e económico, disputado na totalidade num só dia.

A ausência de alguns concorrentes permitirá apurar um vencedor inédito em provas do CPR. A singela situação deixa em aberto a luta pela vitória, com a incerteza sobre qual o mais forte candidato. Com naturalidade, o favoritismo recai sobre os concorrentes com viaturas de produção, destacando Vítor Pascoal que sai com o número um de porta e Pedro Meireles, tambos em Mitsubishi Lancer, mas com diferentes evoluções.

No entanto, não será de excluir uma surpresa proveniente dos concorrentes do Campeonato de Portugal de 2 Litros/2 Rodas motrizes. Participando pela terceira vez na prova algarvia, João Silva, vem reclamar o título do CPR2, mas não deixará de lutar pela vitória, ou algo mais. Contará com a oposição dos dois pilotos que tripulam os Citroën DS3 R3T, Ivo Nogueira e Paulo Neto, que querem fechar a temporada com um bom resultado. Estão ainda em abertos diversos títulos, nomeadamente os de F2 e F3, bem como da Troféu Nacional de Ralis.

A temporada de estreia da Taça de Portugal termina no Algarve, com os dois principais candidatos a marcarem presença. Júlio Bastos lidera a competição com 61 pontos, fruto de uma vitória na única prova de terra da competição – Rali Serras de Fafe, e de uma prestação regular, a bordo do seu BMW M3. A 11 pontos, o outro candidato, Renato Pita, que chega motivado ao Algarve após duas vitórias, em Vila Verde e Mortágua. Para aferir o resultado da Taça, é preciso contar com os concorrentes locais, e também com alguns "outsiders", como Octávio Nogueira em Citroën Saxo S1600 ou mesmo José Pedroso, que volta a trazer um clássico – o Ford Escort TC, às estradas de Monchique e Portimão.

O grosso do pelotão vem dos elementos do Campeonato Regional do Sul, cuja classificação será extrapolada no final da primeira secção, ou seja após 5 especiais. A encabeçar, Ricardo Teodósio promete ser igual a si próprio, rápido e espetacular, pensando não só no CRRS mas também nas contas à geral. O piloto da Guia poderá sagrar-se bicampeão do sul, e para que tal aconteça basta ser o primeiro do regional, e esperar que Luís Mota não fique no segundo posto. Pela frente terá a armada Mitsubishi, com Márcio Marreiros, Luís Nunes, Luís Mota, Carlos Martins e João Correia.

A luta pelas duas rodas motrizes do CRRS será mantida pelos dois protagonistas da temporada – Gil Antunes em Opel Astra e Pedro Lança em Citroën Saxo.

Não lhe é permitido comentar.