faceralis

 

usados

soltasmort1111(Actualizado) Frederico Gomes não teve a sorte pelo seu lado no Rali de Mortágua ao desistir com a transmissão do Citroen C2 R2 Max partida, naquela que será a sua última prova de 2011. Contudo, havia alguns motivos para festejar, já que o piloto de Cascais comemorar 20 anos de ralis. Para marcar este momento, Frederico Gomes colocou no seu carro a seguinte inscrição: "Não venci todas as vezes que lutei... mas perdi todas as vezes que deixei de lutar".

Renato Pita não teve um pódio fácil em Mortágua com alguns assobios. Antes de a polémica se generalizar, Renato Pita explicou o motivo do mal estar de alguns adeptos e adversários. "O que se passou foi que na segunda classificativa vimos o piloto Hugo Lopes e o seu navegador Jorge Henriques a fazerem sinal para pararmos. Assim fizemos e foi com o auxílio do nosso extintor que conseguimos extinguir o incêndio que deflagrava na viatura deles", contou o piloto, adiantando: "Após resolvida a situação, retomamos a prova para os últimos dois quilómetros da classificativa e foi nesse percurso que nos deparámos com um furo que nos obrigou a concluir o troço de uma forma mais lenta", afirmou o vencedor da prova. "Apenas apresentei uma reclamação ao colégio de comissários, relatando o sucedido e apresentei como testemunhas Hugo Lopes e seu navegador, assim como Raul Aguiar e seu navegador, pois, como eles passaram naquela altura pelo local podiam também confirmar toda a situação. Tudo isto decorreu de uma forma transparente e esclarecedora", disse Renato Pita, continuando de forma indignada: "Para mim um auxílio a um colega e adversário está à frente de qualquer resultado ou conquista e estranho este tipo de atitudes pois situações idênticas já levaram pilotos a serem homenageados pela FIA como aconteceu com Vitor Pascoal à não muito tempo no Rali Vinho da Madeira", constatou.

Mesmo tendo disputado menos um troço, se a Taça de Portugal pudesse pontuar à geral no CPR Renato Pita teria ficado logo atrás de Paulo Antunes no Rali de Mortágua (somando o mesmo tempo que tinha feito na segunda passagem do troço que foi anulado). Atendendo a que estamos a falar de VSH não se poderá considerar um mau resultado.

A continuar no Campeonato de Portugal de Ralis o Rali de Mortágua poderá estar garantido por mais dois anos. A ideia da organização é que em 2012 a prova possa apresentar um esquema de troços diferente do apresentado nos últimos três anos.

O tempo total obtido por Vitor Lopes para vencer o Rali de Mortágua de 2011 não lhe permitiria ter vencido a edição de 2010!!! De facto, Bernardo Sousa foi cerca de 30 segundos mais rápido a cumprir a edição de 2010 que como se sabe teve os mesmos troços que a ediçãoo de 2011.

Não lhe é permitido comentar.