faceralis

 

rvmlogo24 madeira

armindiara24bNa entrada da fase de asfalto do Campeonato de Portugal de Ralis, terminou o domínio avassalador de Kris Meeke nesta temporada, mesmo parecendo a determinada altura que o mesmo não iria ter fim nesta prova.

O piloto britânico da Hyundai fez a prova que lhe competia e em oito troços, ganhou sete e amealhou uma vantagem de 22s, que lhe permitiria gerir nos derradeiros três troços. Porém, um problema de acelerador no seu Hyundai i20 Rally2, na nona especial, fez Meeke perder 3m26s e cair dessa forma para fora dos oito primeiros, deitando por terra todas as hipóteses de vencer.

Atrás de si foi-se assistindo a uma luta épica entre José Pedro Fontes e Armindo Araújo, como aliás é tradição nesta prova. Se numa primeira fase o piloto da Citroen foi resistindo, chegando ao fim do primeiro dia, com vantagem sobre Armindo Araújo, os primeiros troços do segundo dia sorriram ao piloto do Skoda, que demorou duas especiais para passar o seu adversário e subir depois ao comando quando Meeke se atrasou. Nessa fase já Araújo tinha mais de 8 segundos de vantagem para Fontes, vantagem que subiu para 12s a um troço do final.

O rali estava praticamente entregue antes da Power Stage e aqui, mesmo com a vitória de Fontes, foi Armindo Araújo que saiu por cima, tendo ganho o rali coim 11,9s de vantagem, regressando dessa forma aos triunfos no CPR e colocando-se como único rival de Meeke na luta pelo título.

João Barros foi quem mais tempo passou atrás de Fontes e Armindo. Numa excelente exibição ao volante do seu Volkswagen Polo R5, o que não é de estranhar pois Barros sempre foi muito competitivo em Castelo Branco, o piloto foi conseguindo manter atrás de si Robert Blach até ao 10º troço, altura em que perdeu o terceiro lugar para o seu adversário espanhol, cada vez mais à vontade com o Skoda Fabia no asfalto albicastrense. 0,5s foi a vantagem do espanhol no final do rali, mas o terceiro no lugar no CPR para Barros foi excelente.

Quanto ao Ricardo Teodósio teve um rali muito abaixo das suas expetativas. O primeiro troço deixou-o fora da luta pelos primeiros lugares e no final do primeiro dia já nem o pódio estava ao alcance. Uma prova desinspirada do algarvio, que passou toda a prova a discutir a posição com Pedro Almeida, por aquele que viria a ser o quinto lugar final (quarto entre os concorrentes do CPR).

Pedro Almeida nunca conseguiu superar Ricardo Teodósio, apesar de manter sempre relativamente perto, mas atrás de si, Ernesto Cunha teve um rali em que a sua maior preocupação foi mesmo tentar entender o Skoda Fabia Rally2 nos troços de asfalto. Porém, a dois troços do fim acaba por perder demasiado tempo (perdeu quatro minutos num gancho) afundando-se na classificação.

Kris Meeke ainda conseguiu chegar ao 7º lugar, superando Ricardo Filipe no Fiesta R5, que ficou na 8ª posição depois de uma prova em que manifestamente não poderia ter feito melhor.

Nas duas rodas motrizes, o mais marcante foi mesmo o despiste muito violento de Hugo Lopes, logo no troço de abertura do segundo dia, que colocou piloto e navegadora no hospital. Lopes até então tinha já uma boa vantagem na liderança da prova, mas com este despiste, foi Gonçalo Henriques que assumiu a primeira posição, tentando fazer maravilhas com o seu Renault Clio Rally5 montado com pneus Kumho.

A verdade é que o rali foi emocionante nas 2RM mesmo até ao derradeiro metro de troço, já que à entrada da Power Stage, estavam três pilotos seprados por 3,1s (Gonçalo Henriques, Guilherme Meireles e Pedro Pereira). Nesse troço, ganho por Rafael Cardeira, foi Gonçalo Henriques a sair por cima, já que obteve a vitória final, após um rali esforçado e difícil. Excelente prova de Guilherme Meireles e Pedro Pereira que terminaram no segundo e terceiro lugares.

Nos Clássicos venceu Luís Mota, enquanto no Campeonato Promo foi Miguel Carvalho a levar a melhor, numa prova que dominou totalmente.

Danny Carreira teve uma vitória esmagadora nos Troféu Renault, enquanto nos Peugeot, o melhor foi mesmo Guilherme Meireles. Por sua vez, no FPAK Junior Team, Afonso Costa também ganhou de forma autoritária.

VENCEDORES DE TROÇOS
Kris Meeke (8), Armindo Araújo (1), José Pedro Fontes (2)

COMANDANTES SUCESSIVOS
Kris Meeke (Pec 1 a 8), Armindo Araújo (Pec 9 a 11)

CLASSIFICAÇÃO FINAL
castelobrancofinal24

 

Não lhe é permitido comentar.