faceralis

 

penafielracingfest


O regresso de Paulo Neto ao Rally de Portugal foi aziago. Se no que toca à competição nacional, o experiente piloto navegado por Nuno Mota Ribeiro repetiu uma exibição sólida, subindo uma posição à Geral no Campeonato Portugal de Ralis, por outro lado, a aterragem no salto de Lousada com grande violência, acabou por ditar a ida de piloto e navegador ao hospital e a natural desistência do evento, numa altura em que discutiam a vitória na prova dedicada ao Campeonato do Mundo – WRC Masters. Já depois de serem vistos pelos médicos, Paulo Neto e o seu co-piloto estão fisicamente bem, ainda que possa ser expectável um período de recuperação longo.

Na prova nacional, foco principal da participação de Paulo Neto neste evento, destaque para o bom andamento imposto, apenas travado por um furo na especial da Lousã, que fez com que o piloto perdesse tempo importante na luta por lugares ainda com maior destaque. Ainda assim, e com o sexto lugar registado, Neto ascende ao quarto lugar da Geral da competição, com 38 pontos, a apenas 4 pontos dos lugares do pódio. "Foi efetivamente um rali muito bom para nós até ao momento do salto em Lousada. Estávamos a divertir-nos, conseguimos os nossos objetivos na prova e não fomos mais longe porque um furo tirou-nos segundos preciosos na luta pelo Top-5. Contudo, e porque acima de tudo está a nossa saúde, saímos do Rally de Portugal satisfeitos desportivamente, mas tristes porque estes problemas físicos, ainda que nã sejam profundos, podem levar-nos a uma pausa que, ainda que não esteja estimada, pode ser maior do que gostaríamos", começou por afirmar Paulo Neto que não quis deixar de relembrar a incrível moldura humana que pintou os troços: "Foi mesmo incrível. Não me lembro de ver tanta gente num Rally de Portugal, o que comprova que este desporto está cada vez mais vivo. O público está de parabéns pelo comportamento e pela atitude saudável como vive este que é o melhor desporto do Mundo."

Não lhe é permitido comentar.