faceralis

 

posvendaclick

rqoeuestre22Para milhares de adeptos dos ralis em Portugal e não só, o Rally de Portugal é um sonho. Uma prova que desperta fascínio e emoções fortes, conotada com alguns dos mais famosos troços de ralis do mundo, locais míticos onde Paulo Roque se habituou a ver passar algumas das máquinas e pilotos que fizeram história no WRC.

Este ano, o piloto de Gondomar deixa de ser espectador e terá a oportunidade de viver o Vodafone Rally de Portugal por dentro, integrado no Campeonato de Portugal de Ralis e na Peugeot Rally Cup Ibérica, duas competições onde tem demonstrado uma evolução muito consistente nesta sua época de estreia.

O objetivo, por isso, é manter esta tendência numa prova que costuma ser duríssima para os carros de duas rodas motrizes, que vão disputar um total de 9 classificativas.

"Obviamente que o Rally de Portugal é um dos pontos altos do nosso calendário, sobretudo porque tenho muitas memórias como espectador nestes troços, quer no Norte e Centro do país, quer no rali no Algarve", afirmou o piloto navegado por Tiago Teixeira. "Será mais uma estreia absoluta para nós nesta época de evolução e aprendizagem. Sabemos que numa prova do Mundial, como esta, teremos dezenas de carros a partirem à nossa frente e, como tal, vamos encontrar as classificativas bastante degradadas. Faz parte do desafio e a nossa missão é chegar ao fim, acumular quilómetros em competição com o carro e desfrutar deste momento especial", concluiu Paulo Roque, que está nesta altura entre os sete primeiros do CPR2.

A prova do CPR2 e Peugeot Rally Cup Ibérica disputa um total de nove classificativas, entre quinta e sexta-feira (19 e 20 de Maio), incluindo as aguardadas Super Especiais em Coimbra (quinta-feira) e Lousada (sexta-feira).

Não lhe é permitido comentar.