faceralis

 

ANUARIO123

sordoO primeiro dia do Rali dos Açores esteve carregado de emoções, de surpresas e até de algumas desilusões, fruto acima de tudo de um dia de rali "à" Açores em que o mau tempo barulhou as contas a quase todos os pilotos.

Com os pilotos principais a escolherem ordens de partida para os troços completamente absurdas (depois de no qualifying terem participado 22 pilotos), o rali tornou-se estranhamente competitivo logo do troço inicial e com um líder que poucos vaticinavam, Ricardo Moura, mas rapidamente justificou o seu andamento acima de tudo pelo conhecimento que tem dos troços, o que fez toda a diferença nas especiais enlameadas e em alguns casos com muito nevoeiro, sobretudo na primeira secção, tendo chegado a liderar o rali com 29,1s de vantagem após 4 especiais!!!

Porém, a armada mais "experiente" do europeu, aqui reforçada com o espanhol e mundialista Dani Sordo e o sempre irreverente Mikkelsen, aproveitaram as segundas passagens para recuperar terreno e com melhor conhecimento dos troços e melhores escolhas de pneus, assaltaram o primeiro lugar nos troços finais do dia.

Moura perdeu quase toda a vantagem na segunda passagem da Tronqueira, onde rodou alguns quilómetros com o limpa para-brisas avariado, aproveitando Sordo e Mikkelsen para encurtar a distância.

Na especial Marques, último troço do dia, Sordo passou mesmo para a frente do rali depois de inesperadamente ter Ricardo Moura ter sido muito prejudicado pelo pó (o dia acabou com pó!!!) que o fez parar nessa especial três vezes, perdendo assim muito tempo.

O espanhol lidera o rali no final do primeiro longo dia, mesmo afirmando ter errado na escolha de pneus na primeira secção e de nunca ter tido o carro nas condições ideiais em termos de acertos.

Andreas Mikkelsen subiu ao segundo lugar com o seu Skoda também após a especial Marques, depois de um dia em que teve muito altos e baixos, que se traduziram numa exibição não muito consistente mas para já eficiente que o coloca na rota da vitória.

Efrén Larena está no quarto lugar com o Skoda, num rali em que foi acima de tudo muito regular e até rápido, pois está a apenas a 27,3s do seu compatriota e líder do rali.

Erick Cais, em Ford Fiesta, Mikolaj Marczyk, em Skoda Fabia, estão nas posições seguintes, já a mais de uma minuto de Sordo, mas qualquer dos pilotos, mesmo não tendo dado nas vistas, tiverem exibições muito consistentes.

Sinal menos para o russo Alexey Lukyanuk. Esteve no melhor, ao vencer um troço, mas também esteve no pior, ao furar e ter tido uma forte e sortuda saída de estrada, o que lhe acarretou já um atraso considerável, quando parecia ser o piloto a bater nesta prova. Por outro lado, o russo parece um pouco desligado do rali embora o espetáculo esteja sempre garantido a cada passagem do piloto.

Outro piloto que passou ao lado do rali foi Yoann Bonato, no Citroen C3 Rally2, acabou no terceiro troço a sua prova com um aparatoso despiste.

Nas hostes nacionais (leia-se açorianas), de Moura já falamos, embora ainda se diga que venceu o rali nas contas para o Regional dos Açores, prestação demasiado cautelosa de Luís Rego Jr e de Rafael Botelho, que foram segundo e terceiro. Tal exibição deve-se aos acontecimentos do primeiro troço, com Pedro Antunes a capotar o seu Citroen enquanto Ruben Rodrigues, no outro C3 Rally2, a partir uma transmissão. Ambos ficaram logo pelo caminho!!!

Com estes pilotos de fora muito cedo, nem Rego, nem Botelho arriscaram um milímetro, o que permite ao jovem do Skoda Fabia R5 assistido pela The Racing Factory passar a liderar o Campeonato dos Açores de Ralis.

COMANDANTES SUCESSIVOS

Ricardo Moura (Pec 1 a 5); Daniel Sordo (Pec 6)

VENCEDORES DE TROÇOS
Ricardo Moura (2); Daniel Sordo (1), Andreas Mikkelsen (2); Alexey Lukyanuk (1)

CLASSIFICAÇÃO PRIMEIRO DIA
acoresdia1clas

 

Não lhe é permitido comentar.