faceralis

 

ANUARIO123

fontes(POR PAULO HOMEM)

Desportivamente falando a edição 2021 do Rali da Água foi disputado mesmo até ao derradeiro metro do rali, com José Pedro Fontes / Inês Ponte a regressarem às vitórias à geral de forma totalmente merecida.

Num rali disputado sempre em ritmo muito elevado pelos principais interessados na luta pelo título, José Pedro Fontes teve um segundo dia de prova notável, vencendo 4 dos 6 troços, e recuperando 7,5s de atraso para uma vitória de 3,5s. A vitória que lhe tinha vindo a fugir nas últimas provas (a última foi no Vidreiro 2019) acabou por se consolidar nesta prova, dando assim um renovado interesse para a reta final do Campeonato de Portugal de Ralis.

Uma vitória onde o piloto do Citroen demonstrou muita rapidez, concentração e que afinal não estava assim tão arredado do andamento dos seus adversários e, como tal, pode perfeitamente voltar a entrar nas contas do título.

Bruno Magalhães não conseguiu repetir a vitória de 2020, depois de um rali em que esteve sempre envolvido diretamente na luta pela vitória. No primeiro dia foi surpreendido por Armindo Araújo, para no segundo dia, mesmo superando o seu adversário do Skoda, acabou por ver José Pedro Fontes passar para a frente do rali a três especiais de fim. O segundo lugar deixa o piloto do Hyundai mesmo assim numa posição de continuar a recuperar pontos para Armindo Araújo, na entrada desta derradeira fase do CPR.

Armindo Araújo fez um primeiro dia muito bom, terminando na liderança do rali. Parecia lançado para vencer, mas no segundo dia não esteve ao mesmo nível, sendo superado por Bruno Magalhães e por José Pedro Fontes, não tendo sequer vencido qualquer especial neste dia. Mesmo assim, Armindo Araújo sai na frente do CPR após este rali.

Ricardo Teodósio foi o único dos pretendes ao título que não passou pelo comando desta prova. Um 4º lugar é um resultado pálido para o algarvio, mas esta posição acaba por ser, mesmo assim, bastante interessante, pois ao vencer a Power Stage consegue sair da Chaves à mesma distância (com que entrou para esta prova) na pontuação do CPR para Armindo Araújo.

Sem conhecer a prova, Bernardo Sousa esteve muito fora da luta pelos quatro primeiros, terminando no 5º lugar, num rali em que deu espetáculo, mas em que ficou prova também que o seu Skoda já não tem ritmo para estes andamentos do CPR.

Nota mais para a vitória de Carlos Fernandes nas duas rodas motrizes, após um grande rali e de uma exibição muito boa, ficando na frente de Luís Delgado, também em Peugeot 208) por 3,7s, equanto Ernesto Cunha, com uma sólida exibição ficou no 3º lugar do CPR.

VENCEDORES DE TROÇOS
Armindo Araújo (2); Bruno Magalhães (1); José Pedro Fontes (4); Ricardo Teodósio (2)

COMANDANTES SUCESSIVOS

Armindo Araújo (Pec 1 a 3); Bruno Magalhães (Pec 4 a 6); José Pedro Fontes (Pec 7 a 9)

CLASSIFICAÇÃO FINAL
finalchaves21

 

Não lhe é permitido comentar.