faceralis

 

usados

armindovenceArmindo Araújo / Luis Ramalho dominaram o Rali de Castelo Branco, dando continuidade não só à vitória de 2019 nesta prova como à vitória no início do ano em Fafe, demonstrando que são de momento a grande dupla a bater no Campeonato de Portugal de Ralis.

Se no final do primeiro dia ainda houve uma ideia de equilíbrio, com Araújo, Magalhães e Fontes a terminarem separados por 4 segundos e a vencerem cada um o seu troço, a verdade é que a primeira especial do segundo dia acabou por ditar a tendência do "jogo".

Armindo Araújo atacou forte e venceu o primeiro troço da segunda etapa, que lhe valeu passar a comandar com mais de 10s de avanço para Bruno Magalhães, como deixou de contar com um dos seus grandes adversários, José Pedro Fontes, que deu um toque com uma roda acabando por se afundar na classificação.

Com três troços para o final, Araújo manteve a concentração no máximo e foi gerindo toda a prova, pois nesta altura já tinha percebido estar em vantagem para os seus adversários.

Também Bruno Magalhães entendeu que mantendo o ritmo manteria também Araújo sempre em alerta, mas que era bem melhor e seguro um segundo lugar do que arriscar a perder tudo na busca da liderança.

Ricardo Teodósio limitou as perdas neste rali em que não foi protagonista e não venceu sequer um troço. Depois de um primeiro dia em que se queixou da falta de aderência do Skoda, no segundo dia já com o atraso acumulado e com o terceiro lugar garantido (devido ao atraso de Fontes), o algarvio fez uma gestão do esforço acabando por garantir um pódio, que é, mesmo assim, um bom resultado.

Pedro Meireles pareceu um pouco mais competitivo na estreia do seu novo VW Polo. Nunca esteve na luta do pódio, mas o minuto e seis segundos perdidos para Araújo, revelam que o piloto está no bom caminho para regressar aos bons resultados.

Na imensa lista de outsider´s, não é de estranhar o quinto lugar de João Barros, aos comandos de um C3, seguido por Miguel Correira, agora com o experiente António Costa ao lado, mas que não conseguiu sequer chegar à luta com Barros, ficando mesmo assim na frente de Manuel Castro.

Um dos pilotos do rali foi Pedro Antunes. Na estreia do seu 208 Rally 4, o piloto teve uma prestação notável, voando literalmente nos troços de Castelo Branco, ao ponto de se "meter" em lutas que não eram as suas (venceu de longe as duas rodas motrizes), superando Carlos Martins num DS3 R5, piloto que regressou ao nacional esporadicamente, mas que está com pouco ritmo competitivo.

Na 10ª posição ficou José Pedro Fontes, tendo mesmo ainda ganho ainda mais um dos troços do rali, limitando um pouco as perdas desta prova.

Vitor Pascoal venceu o Nacional de RGT e nos Clássicos a vitória foi para outro Porsche, neste caso do visieense José Cruz.

Vencedores de troços
Armindo Araújo (2); Bruno Magalhães (3); José P. Fontes (2)

Comandantes Sucessivos

Armindo Araújo (Pec 1 a 7)

Classificação final
castelofinal2020

 

Não lhe é permitido comentar.