faceralis

 

guiaaft

citroenEncontrando-se num enorme pico de confiança, alicerçado nos mais recentes resultados obtidos no Campeonato de Portugal de Ralis 2019, designadamente pelas vitórias absolutas no Rali Terras d'Aboboreira, em setembro último, e depois no Rali Vidreiro, no início de outubro, José Pedro Fontes e Inês Ponte estão ansiosos pelo início da próxima prova, o Rallye Casinos do Algarve para voltarem a demonstrar as suas valências, com dois objetivos distintos, mas complementares.

Apresentando-se aos comandos do Citroën C3 R5 do Citroën Vodafone Team, o primeiro objetivo passa por alcançar uma "tripla", ou seja, a terceira vitória consecutiva numa prova do CPR 2019 e, consequentemente, acumular o máximo número de pontos – incluindo os que são atribuídos pelas vitórias em troços – que permita ao piloto do Porto, no final do rali algarvio, festejar a conquista do título de Campeão Nacional de Ralis 2019.

"Temos perfeita noção das nossas capacidades e do estágio de desenvolvimento do C3 R5 do Citroën Vodafone Team, pelo que vamos para o Rallye Casinos do Algarve a pensar nesses mesmos objetivos: ser os mais rápidos no maior número de troços – se possível nos 10 – e, com isso, alcançar a vitória final, o que a acontecer será a nossa terceira consecutiva no presente CPR", começou por referir José Pedro Fontes. "Com isso somaremos o máximo de pontos, situação que, a conjugar-se com alguns fatores que não controlamos, designadamente as posições relativas dos nossos adversários ao título, poderá elevar-me ao topo do ranking de Pilotos, sagrando-me Campeão Nacional de Ralis 2019."

"Estou ciente das dificuldades, quer pela batalha que se antevê pelo 1º lugar na prova algarvia, quer pelo facto do atual líder do campeonato ter uma vantagem pontual considerável e lá terá a sua estratégia definida, mas as contas dos pontos apenas se farão quando o rali acabar. Mas uma coisa é certa: todos na equipa vão fazer tudo o que está ao nosso alcance para, em conjunto, podermos dar mais essa enorme alegria a todos os elementos da nossa estrutura, aos nossos patrocinadores, nomeadamente a Citroën e a Vodafone, demais apoiantes e, também aos muitos e fiéis fãs que nos acompanham ao longo do ano nas provas do CPR", acrescentou Fontes.

A título de informação adicional, José Pedro Fontes é o atual 4º classificado do ranking de Pilotos CPR 2019. Somando 114,13 pontos e com um máximo de 30 pontos em jogo – os 25 pontos atribuídos ao vencedor e os 5 pontos a distribuir proporcionalmente por quem registar os melhores tempos nos 10 troços da prova (0,5 pontos por Especial) – José Pedro Fontes está a 26,31 pontos do atual líder do campeonato, a 18,25 pontos do 2º colocado e a a 2,81 pontos do 3º. Por seu turno, Inês Ponte é, igualmente, 4ª classificada entre os Navegadores, mas tendo falhado a presença no Vodafone Rali de Portugal já não tem hipóteses matemáticas de chegar ao título absoluto. Ainda assim, pode lutar pelo título de Vice-Campeã, estando, nesta altura, a 26,25 pontos do 2º classificado e a 10,81 pontos do lugar mais baixo do pódio. Note-se que todos os Pilotos e Navegadores candidatos aos títulos terão, aqui, de descontar o seu pior resultado do ano, que no caso de José Pedro Fontes são apenas 1,68 pontos e no caso de Inês Ponte é uma pontuação nula, quando alguns dos seus adversários têm mais pontos a descartar.

Reforce-se que o C3 R5 do Citroën Vodafone Team conta com as mais recentes soluções disponibilizadas pela Citroën Racing, decorrentes de um longo e contínuo processo de desenvolvimento.

Não lhe é permitido comentar.