faceralis

 

posvendaclick
 

Depois da vitória em 2017, e do segundo lugar em 2016, Pedro Meireles e Mário Castro, pelo terceiro ano consecutivo, terminam no podium do Rali Vidreiro Centro de Portugal, desta feita, no terceiro lugar.

Apesar do bom resultado, o piloto da cidade berço não esconde que gostaria de ter levado o Skoda Fábia R5 à vitória do Rali organizado pelo Clube Automóvel da Marinha Grande.

"O 3° lugar não era o que queríamos , mas foi o possível, e também foi o menos importante.
A notícia que tivemos acerca da melhoria do estado de saúde do Carlos (Vieira), foi o mais importante."
"Emocionalmente, foi o rali mais duro da minha vida."

A equipa do Skoda Fábia R5 foi a primeira a chegar ao local onde se encontrava a dupla campeã nacional, e o cenário do acidente era preocupante.

" Aquele cenário foi chocante para nós. Vermos dois amigos e companheiros, naquela situação, foi dramatico.
Emocionalmente, foi o rali mais duro da minha vida, mas tenho a certeza que o Carlos ira voltar a estar connosco nestas corridas que tanto gostamos. O Jet (Carvalho) felizmente, já esta bem."

Aparte desta situação, Pedro Meireles confessou que as escolhas feitas para o setup do carro não foram as melhores.

"Estávamos a contar com a chuva e ela quase não apareceu. Também não tivemos oportunidade de testar outras soluções para o carro, e acabamos por nunca nos sentir à vontade para andar mais depressa e lutar pelo primeiro lugar. Vamos trabalhar agora no Skoda, para que em Castelo Branco consigámos lutar pela vitória."

Pedro Meireles e Mário Castro voltam ao Campeonato de Portugal de Ralis, já a 30 de Junho, para o Rali de Castelo Branco 2018.

Não lhe é permitido comentar.