facebook

banner-site-desafio

arceuroA ARC Sport viveu de forma muito intensa a totalidade do ERC 2017, acompanhando a dupla Bruno e Hugo Magalhães que tripularam o Skoda Fabia R5 da casa de Aguiar da Beira. Uma experiência enriquecedora ao longo de oito provas completamente distintas, por onde passaram os melhores pilotos europeus. A equipa discutiu até à última prova, no Rali da Letónia, o título europeu, com um grau de profissionalismo extraordinário, terminando o ano com o título de Vice-campeões da Europa de Ralis.

Um ano que se pode considerar muito positivo, e onde todos os elementos da equipa, sem exceção, adquiriram conhecimentos fundamentais para poder projetar outras participações internacionais. O rali Liepaja esteve longe de ser a "cereja no topo do bolo", mas o azar na última prova do ano não apaga a participação extraordinariamente positiva de toda a equipa.

"Não acabámos como gostaríamos, mas o azar da última prova não apaga em nada um ano fabuloso onde acabámos por chegar a vice-campeões da Europa. Foi um feito histórico, que nos deu um prazer enorme, pois rali a rali, fomos acreditando que era possível ir cada vez mais longe. Todos nós acreditámos até ao fim que era possível chegar ao título. Fazer um campeonato prova a prova foi um feito único, pois nunca nada foi estruturado para um ano inteiro de competição. Para mim foi um prazer enorme ter trabalhado com a ARC Sport, uma equipa extremamente profissional e dedicada que também nunca tinha participado na totalidade de um ERC. Em oito provas nunca tivemos um problema mecânico, o que diz tudo em relação à qualidade do trabalho realizado. Com toda a informação que recolhemos ao longo deste ano, acredito que a experiência seja para repetir, mas há que estruturar para poder fazer as coisas de forma mais atempada. O balanço acabou por ser positivo, e quero deixar um agradecimento a todos os meus patrocinadores e à equipa da ARC Sport" afirmou Bruno Magalhães.

Para a ARC Sport este foi igualmente um ano muito positivo, onde se adquiriram experiências preciosas para um trabalho futuro. Durante um ano, uma equipa portuguesa esteve sempre à beira de conquistar um título europeu, e o único lamento que se fez ouvir, foi a falta de apoio e carinho que se sentiu por parte das entidades responsáveis pelo desporto em Portugal e pelo automobilismo em particular.

"Uma equipa portuguesa esteve durante um ano inteiro a lutar pelo título de Campeões da Europa e nunca se sentiram minimamente apoiados ou encorajados por quem tutela o desporto em Portugal, nem sequer pela própria Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting. É simplesmente triste que tenham estado desatentos ao que o Bruno e o Hugo fizeram neste Campeonato da Europa, nunca tendo dado qualquer tipo de relevo aos resultados conquistados ao longo de todo o ano. Se estivéssemos a falar de futebol, seria seguramente diferente.

Pela positiva, gostaria de realçar a coragem que a equipa sempre demonstrou ao efetuar a totalidade de um ERC com uma diversidade tão grande de ralis, todos eles distintos, e com um elevado grau de exigência. Ao longo de todo o campeonato, o Bruno demonstrou sempre uma capacidade de pilotagem acima da média, esperando sinceramente que ele consiga uma base sólida para o próximo ano, o que seria excelente pois poderia capitalizar toda a vasta experiência adquirida no Campeonato da Europa de Ralis de 2017. Quero deixar os meus sinceros parabéns ao Bruno e ao Hugo pela postura que sempre demonstraram, e agradecer a todos os elementos da ARC Sport que, ao longo das oito provas do Campeonato da Europa, contribuíram com todo o seu apoio e dedicação", afirmou, em estilo de balanço, Augusto Ramiro, o responsável pela ARC Sport.

Não lhe é permitido comentar.