facebook

banner-site-desafio

camachoUm tremendo "golpe de teatro" na 14ª especial de classificação, com Miguel Nunes a desistir devido a um problema com um cubo da roda do Hyundai, mudou por completo o rumo da edição 2017 do Rali Vinho Madeira.

Com o líder fora de prova, quando estava a aguentar os ataques de Alexandre Camacho, foi precisamente o piloto do Peugeot 208 T16 que ficou na frente, mas nem por isso teve que baixar o ritmo, já que ficou com Giandomenico Basso a apenas 2,5s atrás de si, prevendo a partir daí um final de rali entusiasmante.

Camacho foi sempre obrigado a forçar o ritmo até final da prova, com Basso a não ceder, mesmo se nas duas derradeiras especiais o Hyundai começou a apresentar problemas elétricos, com a diferença entre os dois pilotos a ficar nos 15,6s.

Uma vitória final para Alexandre Camacho, numa espécie de missão cumprida, que lhe assenta que nem uma luva depois de em 2016 ter ficado tão perto de o conseguir... vencendo ainda nas contas do Regional da Madeira.

No pódio terminou outro madeirense, João Silva que ainda entrou na discussão dos primeiros lugares durante parte do primeiro dia, mas que fruto de uma menor experiência não conseguiu acompanhar o ritmo dos primeiros, mas demonstrando que também ele um dia poderá vencer esta prova.

Miguel Campos ficou a um lugar do seu objetivo, mas a frustração maior foi o primeiro dia, já que as condições atmosféricas não estavam no plano e sem experiência à chuva com o Skoda Fabia R5, não conseguiu entrar na luta pelo primeiro lugar como pretendia.

Tempestini subiu ao 5º lugar no derradeiro troço, depois de uma prova pobre em termos exibicionais, para um piloto já com algum estatuto internacional.

Miguel Barbosa ficou no 6º lugar, mas melhor do que isso foi a exibição no primeiro dia, e ainda melhor a vitória entre os concorrentes do Campeonato Nacional (devido à desistência de Miguel Nunes), passando para a segunda posição nas contas desta mesma competição.

Também Carlos Vieira fez uma boa prova, embora algo irregular de troço para troço. Ainda viu o primeiro lugar como hipótese, atacou mas um furo no segundo dia fez o piloto perder um minuto ficando assim no segundo lugar das contas do Nacional de Ralis.

João Barros foi o mais infeliz nas contas do Nacional, com uma desistência perto do fim nesta prova, depois de uma prova em que não esteve ao nível que se esperava dele.

Paulo Moreira acabou por fazer uma das melhores operações para o nacional de Ralis. Não só foi terceiro classificado nesta competição, como venceu nas duas rodas motrizes do Nacional de Ralis... sem único dos dois pilotos desta classe a participar!!!

Uma nota final para a vitória nas duas rodas motrizes do Rali Vinho Madeira para o jovem madeirense Diogo Soares, demonstrando valor nesta sua primeira experiência na prova e no carro.

Vencedores de Troços
Miguel Nunes (5); Alexandre Camacho (8); Giandomenico Basso (3)

Comandantes Sucessivos
Giandomenico Basso (Pec 1); Alexandre Camacho (Pec 2); Giandomenico Basso (Pec 3); Alexandre Camacho (Pec 4); Giandomenico Basso (Pec 5 a 7); Miguel Nunes (Pec 8 a 13); Alexandre Camacho (Pec 14 a 19)

Classificação Final
madeirafinal17

Não lhe é permitido comentar.