faceralis

 

posvendaclick

Açores

Cartaz XXXVI-RALI-SICALO XXXVI Rali Sical, segunda prova do Campeonato de Ralis dos Açores (CRA) e primeira do Troféu de Ralis de Asfalto Açores (TFRAA) de 2017, estará nas estradas da ilha Terceira nos próximos dias 29 e 30 de abril, num regresso anos depois das provas do TAC aos dias de sábado e domingo.

A primeira prova do ano do clube terceirense terá uma extensão total de 216,89 Kms (109,26 Kms para o TFRAA), dos quais 72,27 Kms correspondem às nove provas especiais a serem percorridas (38,59 Kms para o TFRAA).

A partida da 36ª edição da prova mais antiga em Portugal com a mesma denominação comercial está programada para o parque de estacionamento da Praça de Touros da ilha Terceira na Avenida de Jácome de Bruges para as 15h42 do dia 29, e 18 minutos depois o primeiro concorrente, o último em termos de numeração já que esta primeira prova especial será efetuada por ordem numérica decrescente, irá abrir as hostilidades quando percorrer os 1,43 Kms da Super Especial (1ª PE) Cais de Angra-Citadino/Avenidas.

A versão mais curta desta classificativa já realizada pelo TAC noutros ralis, terá o seu início bem no centro da cidade Património Mundial, na Rua de São João e ainda com passagem pela Praça Velha e Rua de Santo Espirito, e depois de percorrida a Estrada Pero de Barcelos sobre a marina de Angra de Heroísmo em direção à sempre aplaudida "curva da Tercon", passagem pela rotunda junto ao edifico da EDA e terminus da especial na Rua João Vaz Corte Real, que concluirá a primeira secção da primeira etapa do XXXVI Sical.

Depois de duas assistências, final da primeira e início da segunda secção e de um parque fechado de 1h50m, os concorrentes regressam à estrada já pela ordem numérica crescente e realizarão durante o final de tarde e início de noite do dia 29 duplas passagens pelas especiais de Entre os Picos/São Sebastião (19h01 e 20h37) com 13,31 Kms e Farol/Horácio Franco (19h34 e 21h10) com 5,27 Kms. Esta última especial com a passagem pela legendária curva do "Farol das Contendas", será uma das homenagens (outra está no cartaz da prova) do TAC ao malogrado piloto Horácio Franco, falecido no passado mês de março.

No domingo dia 30 o Sical de 2017 regressa à estrada para a disputa da segunda etapa e terceira secção, cuja partida está marcada para as 11h30. Serão percorridas duplas passagens pelas especiais de Vila Nova (12h01 e 13h37) com 9,20 Kms e Ladeira daP ena/Serra do Cume (12h29 e 14h06) com 7,64 Kms. A chegada da prova está prevista para perto das 15h00 como habitualmente na Praça Velha em Angra do Heroísmo. Depois de um descanso merecido de todos os intervenientes no XXXVI Rali Sical, a cerimónia de entrega de prémios decorrerá na noite de domingo, como sempre na sede do Terceira Automóvel Clube.

Confirmada que está a presença de quatro viaturas do grupo R5 e que prometem um dos "Sical" mais emotivo de sempre, Ricardo Moura e Luis Miguel em Ford Fiesta R5, Ruben Rodrigues em Citroen DS3 R5 e Tiago Azevedo em Skoda Fabia R5 (o carro que venceu com Bruno Magalhães o último Azores Airlines Rallye), as inscrições para a 36ª edição do Rali Sical decorrem durante três dias, abrindo no dia 19 (quarta-feira) e encerrando pelas 22h00 do dia 21 (sexta-feira). Também até dia ao dia 21 pode ser efetuada a primeira fase das inscrições para o Troféu de Ralis de Asfalto Açores e para os pilotos que pretendem já somar pontos nesta primeira prova.

A publicação da lista oficial de inscritos está agendada para as 17h00 de segundafeira dia 24, enquanto a apresentação da prova decorrerá pelas 20h00 do próximo dia 19.

acoressenhorasAI Racing Team foi este o nome escolhido por Ana Castro e Ivone Rodrigues para o projeto de dois anos que a dupla pretende cumprir. A missão passa por realizar o calendário de provas em asfalto, prometendo uma eventual participação na íntegra para todo o Campeonato de Ralis dos Açores em 2018. Findos os dois anos, a equipa analisará o seu desempenho e delineará o futuro.

A primeira prova será o Rali Sica em finais de abril, na ilha Terceira.
A formação vai trabalhar para ser vitoriosa, sabendo que terá de enfrentar adversidades e adversário que serão sérios oponentes.
Ana Castro e Ivone Rodrigues realçam a importância do representante da F.Sport, João Faria, e do empresário José Rodrigues, representante da RodrisAuto.
Ana Castro será a piloto responsável por levar a bom porto o projeto, será coadjuvada nesta missão pela copiloto Ivone Rodrigues. Ana Castro tem 44 anos de idade, nasceu em Lisboa e entre vários hobbies um deles passa por passeios de mota.
Ivone Rodrigues tem 42 anos e durante largos anos esteve ligada ao desporto, primeiro no Atletismo, onde representou os Açores a nível nacional, posteriormente dedicou-se ao futebol, vestindo a camisola do Santa Clara, tendo sido campeã por inúmeras vezes.
Mais recentemente iniciou-se no desporto motorizado, mais precisamente no todo-o-terreno, tendo participado na maioria das provas como navegadora, ao lado de José Rodrigues. Fizeram diversos campeonatos regionais da modalidade, sendo que na qualidade de dupla ascenderam ao lugar mais alto do pódio durante alguns anos.

Fotos: Carlos Costa

rodriguesA Fábrica de Tabaco Micaelense, e a Auto Açoreana Grupo associaram-se na criação de uma equipa – Play/AutoAçoreana Racing – que irá disputar os campeonatos regionais de Ralis de 2017, 2018 e 2019.

As duas empresas regionais compuseram um projeto que se pretende competitivo na disputa de lugares cimeiros das provas automobilísticas açorianas.

A viatura selecionada é um DS3 R5 EVO, preparado pela Sports and You, de José Pedro Fontes, que detém o título de campeão nacional de ralis, com Inês Ponte. A Sports and You é a representante oficial da Citroën Racing para a península Ibérica.

A dupla piloto/co-piloto será constituída por Ruben Rodrigues e Estevão Rodrigues, dois jovens açorianos que se têm evidenciado nas competições automobilísticas regionais.

A Auto Açoreana Grupo, constituída há 80 anos, para além de ser o concessionário autorizado para os Açores da marca Citroën, representa outras 9 marcas de automóveis, desde BMW, Toyota, Mini, Fiat, Alfa Romeo, Lancia, Opel, Chevrolet e Lexus, assumindo uma posição de liderança no mercado automóvel da região.

A Fábrica de Tabaco Micaelense que celebrou, no passado ano, 150 anos de existência, centra a sua atividade, desde 1866, na produção de cigarros, charutos, cigarrilhas e outros produtos do tabaco, para o mercado dos Açores e, sobretudo para mercados externos como Madeira, Continente e Espanha. Possui um portfolio amplo de marcas de produtos de tabaco, tendo selecionado a inovadora marca de cigarros Play para dar nome à nova equipa.

A Fábrica de Tabaco Micaelense tem um longo historial de apoio ao automobilismo, tendo patrocinado muitos campeões ao longo de várias décadas, incluindo os pilotos Horácio Franco, que foi muitas vezes campeão regional e nacional, e Juha Kankkunen que ao volante de um Subaru Impreza venceu o Sata Rali Açores de 2001.

 

artursilvaÉ o volte face na carreira do jovem piloto de São Mateus da Calheta. Depois de aventado o abandono a tempo inteiro da competição, e de vendido o Renault Clio R3 para a Madeira, Artur Silva afinal vai continuar a correr, e é com o Subaru Impreza WRX N12 (ex-Pedro Vale) que pretende lutar pelas melhores posições do campeonato açoriano em 2017.

"Optamos por adquirir uma viatura 4x4 e dar um novo rumo às nossas participações nos ralis, com um carro mais competitivo e que será um grande desafio", adianta o piloto, referindo que, "ainda não está definida a temporada, mas temos vários contatos feitos e aguardamos respostas para saber se a época vai mesmo começar no Rali Sical", explica.

O navegador de serviço será Miguel Sousa Azevedo, e a máquina nipónica já está na Terceira para os primeiros testes: "é um carro bastante diferente de todos os que já guiei, mas pareceu-me muito fácil de perceber as suas reações logo nos primeiros quilómetros. Espero que seja possível fazer várias provas e estou muito curioso para guiar o Subaru também na terra", afirma Artur Silva.

O vencedor do Além Mar Rali Challenge Açores nas duas últimas temporadas estará na estrada no próximo sábado, no Rali Serra do Cume, primeira prova daquela competição a cargo do OEC Motor Clube, "apenas como carro zero, pois os 4x4 não podem correr o Challenge, mas vou aproveitar um troço exigente, e com vários tipos de piso, para acertar o carro da melhor forma", concluiu Artur Silva.

moura16(POR RICARDO NASCIMENTO)

A temporada 2016 do CRA, terminou mais uma vez nos demolidores troços da ilha do Pico. Com muito vento durante todo o dia e com a chuva que caiu durante a noite e principio da manhã, tornaram ainda mais difíceis, as especiais da ilha montanha, num rally sem história na luta pela vitória.

Pela primeira vez com o Fiesta R5 na ilha do Pico, Ricardo Moura voltou a vencer mais um rally do campeonato açoriano, com grande vantagem sobre o segundo classificado, numa prova em que ficou praticamente decidido na primeira especial de hoje.

Após o acidente no rally anterior, Luis Rego Jr. entrou demasiado cauteloso na primeira especial de hoje, perdendo logo 50 segundos para Moura. Para além disso, as molas utilizadas no Fiesta R5 não foram as mais adequadas para os demolidores troços do Pico, preferindo gerir a mecânica e fazer quilómetros, ficando a mais de 3 minutos do vencedor.

Hugo Mesquita começou o rally a perder tempo nos troços inicias, mas recuperou várias posições nas segundas passagens, subindo para terceiro e confirmar o vice-campeonato açoriano.

Pedro Vale nunca tinha andado com o Subaru no asfalto nem conhecia os troços no Pico. Com pneus usados e sem conhecimento do terreno, o piloto de São Miguel foi melhorando a sua prestação ao longo do dia, conseguindo terminar na quarta posição a 34,5s de Mesquita.

Henrique Moniz começou bem o dia na terceira posição, mas logo de seguida, rebentou-se um dos tubos de travões dianteiros, fazendo-o penalizar 40 segundos após ter reparado a avaria e perder quatro posições. À tarde, Moniz conseguiu recuperar até quinto, mas voltou a acontecer o mesmo na derradeira especial e perder nova posição para Rafael Botelho que acabou por vencer entre as duas rodas motrizes, num ano em que foi campeão da categoria.

Pedro Lança e Rafael Botelho estiveram envolvidos numa boa luta durante todo o rally, mas o piloto continental queixou-se de um possível desalinhamento do seu carro durante as últimas especiais e com a chuva forte que apanhou no derradeiro troço, bastaou-lhe levar o carro até ao final em segurança, na sétima posição e terceiro entre as duas rodas motrizes.

Carlos Andrade começou o dia na quarta posição, mas tal como Henrique Moniz, também teve problemas após a segunda especial do dia, penalizou mais de 1 minuto e depois viria a parar no reagrupamento, com os apoios do motor partidos.

Bruno Tavares foi o melhor entre os VSH, numa classe em que liderou desde o inicio. Apesar de ter partido o escape, o piloto micaelense levou o velhinho Peugeot à oitava posição final, a quase 1 minuto de Lança.

O local José Paula, entrou com o pé esquerdo no rally, ao parar na super especial na primeira noite, com a suspeita de ter partido o diferencial, logo na primeira curva da especial, acabando por penalizar muito e regressar no segundo dia com mais de 3 minutos de atraso. Hoje, José Paula registou alguns tempos interessantes e conseguiu recuperar até à nona posição final.

VENCEDORES DE TROÇOS:
Ricardo Moura (9)

LÍDERES DO RALLY:
Ricardo Moura (SS1 a 9)

CLASSIFICAÇÃO FINAL
1. Ricardo Moura / Sancho Eiró (PRT) Ford Fiesta R5 47:21,9
2. Luís Rego Jr. / Jorge Henriques (PRT) Ford Fiesta R5 +03:37,5
3. Hugo Mesquita / Filipe Gouveia (PRT) Mitsubishi Lancer Evo IX +05:15,3
4. Pedro Vale / Rui Medeiros (PRT) Subaru Impreza STI N15 +05:49,8
5. Rafael Botelho / Nuno Rodrigues da Silva (PRT) Citroën Saxo Cup +06:29,5
6. Henrique Moniz / Jorge Diniz (PRT) Citroën DS3 R3T +07:06,7
7. Pedro Lança / Paulo Marques (PRT) Citroën Saxo Cup +07:15,7
8. Bruno Tavares / André Seabra (PRT) Peugeot 205 Mi16 +08.12,3
9. José Paula / Miguel Ribeiro (PRT) Mitsubishi Lancer Evo IX +09:32,7
10. João Ávila / Filipe Moura (PRT) Mitsubishi Lancer Evo III +11:04,6

PRINCIPAIS ABANDONOS:
8 Carlos Andrade / Tomás Pires (PRT) Renault Clio R3 (apoios do motor após SS5)
15 Ruben Santos / Nuno Pereira (PRT) Peugeot 106 1.6 (transmissão na SS4)