faceralis

 

posvendaclick

CPR

logocasinos10Tal como já noticiámos, o Rali Casinos do Algarve, prova marcada para 13 e 14 de Novembro, retoma o figurino da edição 2009.

São 101,690 kms de troços que os concorrentes do Nacional de Ralis terão de fazer ao cronómetro, mas a organização, a cargo do Clube Automóvel do Algarve, convida os concorrentes do Regional Sul e outros concorrentes com viaturas VSH a percorrer os mesmos quilómetros de especiais. Segundo o CAA "as emoções do Campeonato de Portugal de Ralis são agora para todos e podem ser compararados tempos ao longo das oito Provas Especiais que compõem o rali".

A prova inicia-se com uma Super Especial numa das pistas mais modernas do mundo: o Autódromo Internacional do Algarve. No sábado, dia 13 de Novembro, a partir das 20:30 horas e em regime de entrada livre.

No domingo, rumo aos troços de Monchique. Dupla passagem pelas provas Especiais de Fóia (11,840 kms) e Corchas (22,680 kms) mais três passagens por Alferce (10,250 kms), num quadro serrano muito apreciado pelo público.

O Secretariado e o Gabinete de Imprensa situam-se no Hotel Algarve Casino do grupo Solverde. O pódio erige-se na zona da Praia da Rocha, frente ao Casino. Parque de Assistência e Parque Fechado continuam na Zona Ribeirinha de Portimão.

As inscrições já se encontram abertas. Mais informações em www.clubeautomovelalgarve.pt.

brevs5mort10Vítor Pascoal fez uma boa exibição em Mortágua e com todo o desportivo que lhe é conhecido disse que "embora tenhamos partido para esta prova ainda na luta pelo Campeonato 2010, sabíamos que dependiamos do resultado dos nossos adversários para adiar a sua resolução. Demos o nosso melhor, mas o título ficou entregue ao Bernado e ao Nuno, dupla a quem endereçamos os nossos Parabéns por esta conquista". Ainda sobre a prova de Mortágua o piloto de Amarante referiu que "envolvemo-nos numa luta muito interessante pela 3ª posição que, desta vez, fomos nós a vencer! Penso que fizemos tempos interessantes e conquistamos um resultado importante para garantir novamente o Vice-Campeonato."

Entrando com um ritmo muito forte desde a primeira especial, Barros Leite e Luís Ramalho compreenderam a meio do rali que não existiam grandes hipóteses de vencer no CP2. No entender do piloto de Miramar "o balanço da fase final desta temporada é bastante positivo. Embora ainda não tenha sido desta vez que chegamos à vitória do CPR2, conseguimos fazer cronos que nos deixam satisfeitos. No 2º dia de prova sabíamos que seria quase impossível alcançar o Adruzilo e o Vasco, optando por não correr qualquer risco e não comprometer mais uma vitória entre os Diesel, objectivo que nunca nos poderemos esquecer".

Com o título de Campeão Nacional do Agrupamento de Produção já garantido após o Rallye Vinho da Madeira, Ricardo Moura voltou a mostrar grande classe na penúltima prova do Campeonato de Portugal de Ralis. O quarto lugar absoluto, a vitória no Grupo N, mas essencialmente a confirmação do título de Produção para António Costa, que por não ter participado no Sata Rally, só agora conseguiu alcançar o seu objectivo. "Esta prova foi muito importante por ter conseguido o título para o António Costa e por ter contribuído para mais um sucesso de toda a equipa. A luta com o Vítor Pascoal acabou por ser bastante interessante, assim como o facto de ter conseguido melhorar muito os meus tempos em relação à prova do ano passado. Na primeira passagem pelo troço de Espinho sentimos falta de tracção no Mitsubishi, e a partir daí decidimos não arriscar mais. Foi mais uma participação digna para os Açores e um dia excelente para a ARC Sport, pelos títulos que hoje conseguiu alcançar", declarou Ricardo Moura.

A participação de João Ruivo e João Peixoto no Rali de Mortágua, penúltima etapa do ano, não foi a esperada, pois a equipa apenas conseguiu o quarto lugar entre os interessados no Campeonato de Portugal de Ralis, Categoria de 2 Litros / 2 Rodas Motrizes. "Viemos para esta prova para tentar adiar a luta pelo título nacional, mas infelizmente não conseguimos. Desde já, dou os parabéns à ARC Sport, bem como ao Adruzilo Lopes e Vasco Ferreira, pela sua conquista", referiu o piloto no final do Rali. João Ruivo, explicou depois a sua prestação nesta prova do centro do país: "Fizemos uma má escolha ao nível da caixa de velocidades e também ao nível das suspensões que não se revelaram eficazes. Logo na primeira etapa perdemos muito tempo e alterámos algumas coisas na suspensão para o segundo dia. O carro melhorou mas não tanto como esperávamos e assim ficámos longe da luta pelo lugares cimeiros e dos objectivos que trouxemos".

Não está a ser fácil a temporada de Paulo Neto. O piloto de Sintra esteve no Rali de Mortágua mas o C2 não colaborou muito. "Nem tudo correu como estava previsto, já que tivemos ao longo de toda a prova um problema com o motor que não passava das 6.200 rotações, quando deveria chegar às 8.400 rotações. Tudo foi tentado na assistência mas o problema não se conseguiu resolver o que condicionou bastante a nossa prestação". Mesmo assim o piloto de Sintra não baixou os braços, aproveitando o momento para "dar um pouco de espectáculo pois perdiamos demasiado tempo nos troços, por causa do problema de motor. Mesmo assim fomos novamente consistentes no nosso andamento, não cometemos erros mas voltámos a ter problemas" afirma Paulo Neto.

brevesmort5O Clube Automóvel do Centro teve uma prova exemplar em termos organizativos. A geografia dos troços ajuda muito, sendo que a proximidade dos troços permite acompanhar sem dificuldades e em zonas verdadeiramente espectaculares o desenrolar da prova. Os pilotos também ajudaram muito ao espectáculo só faltando mesmo mais inscritos. Nem todos concordam com os dois dias de prova, mas o CAC já prometeu novidades na estrutura dos troços para 2011, evitando dessa forma a rotina gerada pelas últimas edições.

Acreditem ou não o Rali de Mortágua foi acompanhado por muita gente na estrada. Os principais acessos estiverem cheios de espectadores e a Super-especial tinha mais público que em anos anteriores.

A madeirense Isabel Ramos conquista em Mortágua o Troféu Nacional Feminino de Ralis. A presença a jovem madeirense nos ralis do Campeonato de Portugal tem sido bem interessante de seguir, coroada agora com a conquista de um Troféu que, mesmo sem concorrência, deve ser realçado e destacado pois é seguramente das mais rápidas pilotos portuguesas nos ralis actualmente... e dos últimos anos.

Se os despistes de Ivo Nogueira e do espanhol Daniel Calvo deixaram os seus carros (C2 e Fiesta) mal tratados, também a saída de estrada de Pedro Peres não deixou de ser forte. O piloto do Mitsubishi saiu a mais de 150 Km/h, numa direita, devido a um furo num pneu que o piloto não tinha detectado. Antes de se imobilizar acertou num carro da GNR que arrancou um roda ao Mitsubishi e outra ao referido carro policial. Pelo meio ficou só o susto e as ditas consequências materiais.

torrie2011A três meses de distância da abertura da temporada de 2011, que tudo indica será novamente com o Rali Torrié, a prova organizada pelo Targa Clube não irá incluir grandes novidades face à edição de 2010.

Fernando Batista, Presidente da Direcção do Targa Clube disse ao Ralis Online que "temos o regulamento quase pronto, atendendo a que a prova irá para a estrada no final de Janeiro e por isso teremos que o apresentar à FPAK".

A prova vai manterem asfalto, tal como em 2010, com um esquema de troços muito semelhante e mantendo-se os mesmos troços "apenas com ligeiras alterações".

A única novidade será a realização de apenas duas e não três super-especiais, sendo que a derradeira super-especial na Póvoa de Lanhoso não se disputará.

O Rali Torrié de 2011, que vai para a estrada a 28 e 29 de Janeiro, acabará em Vieira do Minho e não na Póvoa de Lanhoso.

berncart10"Agora já tenho um cartão de visita". Esta foi uma frase usada por Bernardo Sousa, momentos após ter conquistado o título de Campeão de Portugal de Ralis, como que respondendo a todos aqueles que o criticaram até hoje.

Satisfeito com o título alcançado?
Como é obvio! Foi sempre o nosso objectivo vencer o CPR e consegui-lo quando ainda falta uma prova para o fim, é como muita satisfação e orgulho redobrado estarmos a celebrar esse desiderato com a minha equipa.

Este foi um rali que até nem foi necessário vencer?
Sim, é um facto. Desde o inicio do rali que a nossa estratégia foi controlar o nosso adversário mais directo, o Vítor Pascoal, diga-se foi um piloto muito competitivo embora tenha tido alguns percalços, mas os ralis são assim mesmo, eu também os tive, mas como dizia, foi gerir e não arriscar em demasia. No Sábado, entramos tensos, presos até, mas melhoramos ao longo da prova, num ritmo certinho e sem cometer grandes exageros. Só na Super Especial é que resolvemos dar espectáculo, perdendo ali alguns segundos, todavia estas especiais servem para atrair público e tentamos puxar por eles.

A partir de agora haverá menos pressão?
Houve algumas pessoas que tentaram passar essa pressão, mas nunca me senti pressionado de forma alguma. Estávamos confiantes que seria em Mortágua que o título não escaparia, como veio realmente a suceder.

Que sabor tem este título, para mais sendo um dos mais jovens pilotos a conquistá-lo?
"Tem muito. Tenho 23 anos de idade, é uma imagem que perdurará, não sei por quanto tempo, mas está criado para já epíteto. De qualquer forma, fosse ou não o mais jovem, o que importa aqui é ter alcançado o título. Agora, ninguém poderá afirmar que apenas ganho ralis ou que ando rápido. Podem juntar a todas essas marcas que frisei, a de campeão nacional, o que naturalmente é muito saborosa e que é importante.

O futuro?
Vamos aguardar. Ainda não está nada decidido como vai ser a temporada de 2011. A competirmos em princípio será com o Ford Fiesta S2000, um carro, como pode calcular a todos os níveis muito bom e que dá títulos... Portanto, melhor que isto, não se poderá desejar. Mas ainda é um pouco cedo para lançar a esta distância o nosso projecto.

Este título quer desejar a alguém?
A todos quanto me apoiaram. À minha família, em particular, à Madeira por quem tenho um orgulho enorme de ser natural, aos portugueses em geral e que mostram carinho quando passo, também é para eles que endereço a esta conquista, aos meus patrocinadores (PT Negócios, Ford, Eni, MMM Gift Card, Delta Q, Cision, Beta, Specialized, QF, 2Q, Pirelli) sem eles, nada disto seria possível, e um agradecimento especial à minha equipa. Incansáveis e brilhantes. Ao Nuno, meu navegador que teve de me aguentar.

Refira-se ainda que Bernardo Sousa não excluiu a hipótese de estar presente no Rali Casinos do Algarve, uma decisão que deverá tomar em breve.