faceralis

 

posvendaclick

ERC

gago copyDiogo Gago e Miguel Ramalho venceram a classificação na classe FIA ERC 3, reservada às duas rodas motrizes no Azores Airlines Rallye, prova que pontua para o Campeonato da Europa do Ralis e que se realizou na ilha de São Miguel.

A dupla da MCoutinho Racing efetuou uma prova isenta de erros, e este resultado final é um prémio merecido e extremamente auspicioso para a época que se inicia agora no ano em que se celebra 50 anos de parceria entre o Grupo MCoutinho e a marca Peugeot.

No final da última especial, Diogo Gago não escondia a satisfação pelo resultado alcançado, afirmando estar "muito feliz pelo resultado alcançado, agradeço imenso à minha equipa, à MCoutinho e à RaceSeven, aos meus patrocinadores, e a todos que nos proporcionaram esta oportunidade de participar neste rali, e muito especialmente ao meu navegador, Miguel Ramalho, que foi uma enorme ajuda na evolução e no trabalho que conseguimos realizar em conjunto. A equipa esteve irrepreensível na preparação do carro, e estou felicíssimo neste momento muito especial. Uma palavra muito especial para todos os adeptos que nos apoiaram ao longo deste rali, o apoio foi enorme e é também a eles que agradeço a enorme motivação que nos foram dando em todos os momentos. Esta vitória é também vossa".

bruno copyBruno e Hugo Magalhães terminaram a primeira prova do Campeonato da Europa de Ralis, o Azores Airlines Rallye, no terceiro lugar do pódio. Um bom início de época para a dupla portuguesa que espera, à semelhança do ano anterior, conseguir efectuar as restantes provas do Campeonato e lutar pelo título que o ano passado lhe escapou.

Os pilotos do Skoda Fabia R5 da ARC Sport chegaram aos Açores focados em repetir a vitória do ano anterior, no entanto, foram encontrando alguns percalços pelo caminho. Entraram para a etapa de hoje no terceiro posto e determinados em recuperar tempo e lugares: "Mas tivemos problemas no diferencial durante a manhã e perdemos muito tempo. A equipa mudou-o na assistência mas já era tarde demais para encetar qualquer recuperação nas três classificativas que restavam. Fica um sentimento agri-doce: por um lado a satisfação porque um pódio é sempre um bom resultado, por outro, porque tínhamos andamento para fazer melhor. Mas os ralis são mesmo assim", começou por dizer o actual vice-campeão europeu.

Concluído este primeiro confronto Bruno espera agora marcar presença na prova que se segue nas Canárias no início de Maio: "Queremos estar presentes na segunda prova, tal como fizemos o ano passado. O objectivo é conseguir montar o projecto para todo o Europeu. Esperamos consegui-lo e estar na luta título que nos escapou o ano passado. Mas agora, é tempo de agradecer à equipa o excelente trabalho que fez neste rali assim como aos nossos patrocinadores que nos permitiram dar início à temporada", concluiu Bruno Magalhães confiante que será um ano produtivo.

lukyvenceSem grande oposição, Alexey Lukyanuk obteve a sua primeira vitória nos Açores, nesta que foi a sua terceira tentativa. Depois de muito prometer nas duas edições anteriores o Russo foi um pouco mais comedido e menos exubarente este ano e com isso não entregou a vitória de bandeja a ninguém, depois de gerir todos os momentos do rali.

Ricardo Moura, na estreia ao volante de um Skoda, fez uma boa prova, mas percebeu cedo que Lukyanuk estava a gerir o seu andamento, pelo que a opção foi sempre olhar para o desempenho de Bruno Magalhães. Moura ficou no segundo lugar, apesar de um furo, mas melhor do que isso é que venceu nas contas do Campeonato de Portugal e do Campeonato dos Açores.

Para Bruno Magalhães, depois da recuperação do acidente da última prova de 2017, o terceiro lugar (depois de vencer em 2017) não é o melhor resultado, mas alguma dificuldade nos acertos do carro no primeiro dia e pequenos problemas de diferencial no derradeiro dia, condicionaram a sua prestação.

Na estreia com um 4x4, Ingram fez um bom rali e esteve mais rápido do que muitos outros pilotos com mais experiência na prova e em viaturas R5, dando excelente indicações do seu potencial para o futuro.

Nota para a vitória de Diogo Gago na ER3 do Europeu, preparando da melhor forma a sua entrada no troféu Peugeot.

Para o Campeonato de Portugal de Ralis, depois de Ricardo Moura e Bruno Magalhães, Ricardo Teodósio acabou num excelente terceiro lugar, depois de uma exibição com altos e baixos, ficando na frente de Carlos Vieira que levou o Hyundai ao 4º lugar depois de ter partido a suspensão no início do dia que o faz perder muito tempo.

No Campeonato dos Açores, Moura venceu, enquanto Luís Rego ficou no segundo lugar, posição que passou a ocupar depois de Bernardo Sousa ter desistido depois de um toque que danificou o radiador.

VENCEDORES DE TROÇOS
David Botka (1); Hubert Ptaszek (1); Fabian Kreim (1); Alexey Lukyanuk (6); Frederik Ahlin (1); Ricardo Moura (1); Bruno Magalhães (4)

COMANDANTES SUCESSIVOS
David Botka (Pec 1); Alexey Lukyanuk (Pec 2 e 15).

CLASSIFICAÇÃO FINAL

 

soltas1azoresNão foi propriamente das edições mais entusiasmantes do Rali dos Açores, pelo menos no plano de desportivo, já que Lukyanuk geriu a seu belo prazer as incidências da prova. O russo assumiu que persegue o título no Europeu e pelo que mostrou nos Açores não será fácil encontrar, para já, opositores.

Bruno Magalhães estava contente com este arranque de Europeu, sendo que durante os próximos dias deverá anunciar a sua deslocação às Canárias. O resultado nos Açores foi um bom empurram para isso, segundo o próprio piloto.

A próxima prova do Campeonato de Portugal de Ralis não deverá contar com Ricardo Moura... vencedor das duas primeiras provas desta competição. Moura tem como aposta o Regional do Açores, e não tem previsto fazer Mortágua, pelo menos para já.

José Pedro Fontes não teve um rali fácil, mesmo se nos troços longos se tenha sentido à vontade dentro do Citroen DS3 R5, cumprindo quilómetros em terra que lhe serão importantes para as próximas provas onde já ira pontuar para o Campeonato de Portugal de Ralis. Existe uma hipótese do novo do Citroen C3 R5 se estrear em Mortágua, mas para já Fontes prefere jogar pela cautela não confirmando que tal será possível.

Foram muitos os R5 que vieram até aos Azores Airlines Rallye, mas a grande maioria pouco ou nada deu nas vistas. Destaque mesmo assim para Chris Ingram, pelas melhores razões, já que efetou ums excelente prestação, como também para Martin Koci, da Skoda Eslováquia, mesmo tendo desistido por despiste no derradeiro troço, quando tinha um quinto lugar da geral assegurado.

 

lukydia18Apontado como favorito principal à vitória do Azores Airlines Rallye, Alexey Lukyanuk começou já no primeiro dia a mostrar serviço, mesmo que a sua tradicional exuberância continue a ser uma das suas marcas, como se prova pela saída de estrada na segunda especial, depois de um exagero, que só não teve más consequências por sorte.

David Botka começou por ser o primeiro líder, mas já está a mais de 30 segundos do líder, e Frederik Ahlin venceu o terceiro troço (a especial Marques) estando a 15,3s do russo, depois de um enorme susto na segunda especial e ter deixado o omotor do seu Skoda "ir abaixo" na especial de abertura.

Ricardo Moura foi muito consiste nos seus tempos, sendo o segundo classificado à geral, liderando entre as contas do Nacional e do Regional de Ralis, estando na frente de um surpreendeu Martin Koci ao volante de um Skoda Fabia R5, que está a 3,8s da liderança.

Bruno Maglhães, a queixar de algum desacerto no Skoda, é o quarto classificado, mas já com 13,2s de atraso, tendo logo atrás de si Bernardo Sousa a fazer uma boa estreia ao volante do Citroen Ds3 R5 neste seu regresso aos ralis.

Nas contas do Nacional de Ralis, Ricardo Teodósio está em 4º lugar, tendo atrás de si Carlos Veira, que continua a ter algumas dificuldades em tornar competitivo o Hyundai.

VENCEDORES DE TROÇOS
David Botka (1); Alexey Lukyanuk (1); Frederik Ahlin (1)

COMANDANTES SUCESSIVOS
David Botka (Pec 1); Alexey Lukyanuk (Pec 2 e 3).

CLASSIFICAÇÃO PRIMEIRO DIA
azoresclasdia118

RALIS ONLINE TV

RALIS ONLINE TV 2